Vilanova Artigas, o arquiteto do Morumbi

Vilanova Artigas, o arquiteto do Morumbi

Arquivo Histórico do São Paulo FC : sãopaulofc.net
Arquivo Histórico do São Paulo FC : sãopaulofc.net

Este 23 de junho de 2015 marcou o centenário de nascimento do arquiteto modernista João Batista Vilanova Artigas, que fez o primeiro projeto do estádio do Morumbi. Vilanova Artigas foi um dos fundadores da chamada Escola Paulista de Arquitetura e adepto do brutalismo – onde a estrutura, o concreto fica bem aparente. Antes da instalação de cadeiras, de inúmeros camarotes, esse estilo era mais visível no Morumbi, mas inda é possível percebê-lo quando você anda debaixo das arquibancadas do estádio do tricolor paulista.

Segundo o site do São Paulo, o escritório de Vilanova Artigas, Gastão Rachou Jr, José Carlos Pinto, Carlos Cascaldi e David Ottoni derrotou outras duas propostas porque previa uma capacidade maior, 120 mil pessoas, tinha menor custo e manutenção mais barata. O projeto original previa a divisão das arquibancadas em quatro níveis e não trẽs como hoje. Em 1954, Vilanova Artigas doou ao clube os direitos do projeto, que foi sendo modificado. Uma parte do estádio foi inaugurada em 1960, na vitória de 1×0 sobre o Sporting – gol histórico de Peixinho (também teve um amistoso contra o Nacional do Uruguai). Em 1970, a segunda inauguração, novamente contra um time português: São Paulo 1 x1 Porto. O estádio poderia receber então 150 mil pessoas – e o 2º jogo da final do campeonato paulista de 1977, entre Corinthians e Ponte Preta, chegou bem perto disso.

Depois, o estádio foi “encolhendo”, encolhendo, para maior conforto e segurança. Hoje a capacidade é de 67 mil pessoas. 

Continuar lendo “Vilanova Artigas, o arquiteto do Morumbi”

Novos uniformes do São Paulo, os primeiros da Under Armour no Brasil.

O tricolor paulista e a Under Armour, fabricante de origem americana, apresentaram no Morumbi os uniformes que o São Paulo vai usar a partir de agora. As imagens são dos perfis do São Paulo e da Under Armour nas redes sociais.

O volante Souza, a modelo são-paulina Nivea Kalmar e o meia Paulo Henrique Ganso mostraram o uniforme nº 1, que estreia na partidaça de quarta-feira, contra o Cruzeiro, bicampeão brasileiro, pelas oitavas da Libertadores. Casa cheia. A camisa vestida pelo Ganso é  versão jogador, em que as listras horizontais vermelha e preta não dão a volta completa. Essa versão vai custar inacreditáveis R$ 349.,90. A versão torcedor é um pouco mais em conta – R$ 229,90 – e as listras são contínuas.

Detalhe do uniforme I do São Paulo: https://www.facebook.com/UnderArmourBrasil
Detalhe do uniforme I do São Paulo: https://www.facebook.com/UnderArmourBrasil

Continuar lendo “Novos uniformes do São Paulo, os primeiros da Under Armour no Brasil.”

Cards tricolores

Este slideshow necessita de JavaScript.


O São Paulo recorreu a ídolos do passado para promover a venda de ingressos para o jogão desta quarta-feira contra o Cruzeiro, pelas oitavas da Libertadores 2015. Divulgou nas redes sociais cards virtuais com imagens de Leônidas da Silva, Canhoteiro, Chicão e Terto (o único vivo, funcionário da parte social do São Paulo). Legal! As arquibancadas para o jogo contra o Cruzeiro estão esgotadas. O Morumbi deve ter casa cheia pela primeira vez nesta Libertadores,

Continuar lendo “Cards tricolores”

#SãoSan

O São Paulo x San Lorenzo desta superquarta, 18/03/2015, ficou com todo o jeito de mata-mata, já que o Corinthians tem 100%, com 3 vitórias em 3 jogos nesta fase e mais dois jogos em casa, ou seja, está com uma mão e quatro dedos numa das duas vagas. Os dois times “santos” vão se “matar” pela outra vaga, em duas partidas, no Morumbi e no estádio Nuevo Gasómetro (em primeiro de abril).

O jogo desta quarta-feira vai ser o sétimo #SãoSan da história (e o primeiro de Libertadores). O tricolor paulista venceu 3 vezes, o Ciclón ganhou duas e houve um empate: Continuar lendo “#SãoSan”

Aqui é trabalho. E respeito. E por que não, um pouco de carinho e reconhecimento.

Arte: LAIS SOBRAL https://www.flickr.com/photos/lais-sobral/
Arte: LAIS https://www.flickr.com/photos/lais-sobral/

Veja só, no post anterior, a confiança e mesmo idolatria que o Atlético de Madrid e os torcedores colchoneros demonstram em relação ao treinador Diego Simeone, campeão de Liga na Espanha, vice da Champions, atual campeão das últimas Copa do Rei e Supercopa de Espanha. Justíssimo. Em Madri, tem até cachecol em homenagem ao Cholo, apelido de Simeone, como eu já mostrei aqui no blog. Aí você muda o Google Earth pro Morumbi, em São Paulo, e vê parte dos torcedores organizados, de dirigentes e corneteiros em geral botarem na corda bamba toda hora o técnico Muricy Ramalho, é bom lembrar, tricampeão brasileiro pelo tricolor entre 2006 e 2008 – três títulos seguidos, sem sequer um Kaká ou Luis Fabiano no time!-, e também é muito bom lembrar, o cara que salvou o São Paulo do rebaixamento em 2013 e, em 2014, levou o time ao vice-campeonato brasileiro e de volta à Libertadores.

Mas… “Libertadores virou obrigação”… “É! Q u a r t a – f e i r a! “, toda aquela pegação no pé do Maicon … O São Paulo tem estrelas, é verdade, mas não um elenco equilibrado. Caiu no grupo da morte da Libertadores, estreando contra o maior rival, embalado depois de superar o Once Caldas, na casa dele, que é um alçapão. A diretoria tricolor comprou muitos atacantes, quase que se esqueceu da defesa. Perdeu Kaká. Mais do que a técnica do camisa 8 que ficou pra sempre no coração e na mente do torcedor são-paulino, perdeu sua raça, sua vontade, sua dedicação, que fez com que até os jogadores mais descansados do grupo marcassem o campo inteiro em 2014. É culpa do técnico? Você acha que o Muricy não gostaria de ter Kaká na Libertadores?

Continuar lendo “Aqui é trabalho. E respeito. E por que não, um pouco de carinho e reconhecimento.”

Um poster reúne os ídolos de 85 anos de história do São Paulo.

http://pennarellodesign.com/
http://pennarellodesign.com/

Poster em homenagem ao São Paulo Futebol Clube,  num belo trabalho do designer James Campbell Taylor, da Pennarello Design. Imagens de ídolos da história do tricolor, desde o São Paulo da Floresta, fundado em 25 de janeiro de 1930, formam o mapa estilizado do estado de São Paulo (comum nas calçadas da capital).

São reverenciados no poster grandes nomes como Friedenreich, Leônidas, Zizinho, Gerson, Pablo Forlán, Pedro Rocha, Chicão, Waldir Peres, Dario Pereyra, Careca, Müller, Silas, Raí, Zetti, Kaká e, claro, Rogério Ceni. Ainda bem que de ídolos a história do São Paulo está cheia, porque os cartolas, ultimamente, dão vergonha!

O poster do São Paulo pode ser comprado neste link aqui, no site da Pennarello. O designer James Campbell Taylor é  inglês de Nottingham, viveu na Itália e hoje mora em Nova York. É fanático por futebol, sua história e coleciona uniformes “vintage” de clubes e seleções. Mantém um site muito bacana, o Shirt Tales, em que não só mostra as peças de sua coleção, como aos poucos vai acrescentando textos que contextualizam a história dos times e jogadores que vestiram os #mantos clássicos. James Taylor fez duas séries de ilustrações que já recomendamos aqui no blog: cartazes alternativos para todas as Copas e a série Long Play Football Club, onde imaginou capas super estilosas para discos imaginários de craques dos gramados.   Vale a pena conferir. Continuar lendo “Um poster reúne os ídolos de 85 anos de história do São Paulo.”

Terceira camisa do Joinville lembra do octa catarinense. Roupa nova do Esquadrão de Aço. E o tricolor paulista deve vestir Under Armour em 2015.

O Joinville Esporte Clube, o JEC, campeão da série B em 2014, estreou um novo uniforme 3, confeccionado pela Umbro. Ainda não é uma camisa que comemora o título da Segundona, mas sim, os 30 anos do octacampeonato catarinense (1978-1985). Nas imagens, ainda não há a segunda estrela
JEC1 Continuar lendo “Terceira camisa do Joinville lembra do octa catarinense. Roupa nova do Esquadrão de Aço. E o tricolor paulista deve vestir Under Armour em 2015.”

Kaká. Até logo?

FOTO: Rubens Chiri / saopaulofc.net
FOTO: Rubens Chiri / saopaulofc.net

Ele não foi o melhor do Brasileirão 2014, talvez não tenha sido nem o do São Paulo no campeonato, mas ninguém duvida que o time do aniversariante do domingo, Muricy Ramalho, foi um antes de Kaká e outro depois da estreia do camisa 8. Como Ganso e Pato (pelo menos até as contusões) melhoraram! Faltou fôlego ao tricolor para chegar mais perto do Cruzeiro, campeão na antepenúltima rodada, mas o time do Morumbi garantiu o vice e uma vaga direta na fase de grupos da Libertadores, obsessão tricolor (sorteio dos grupos nesta terça-feira). Só que Kaká não estará mais. Depois da partida contra o Sport na Arena Pernambuco, na última rodada, o ex-Milan e Real Madrid vai jogar no Orlando City. A segunda despedida do Morumbi foi bem mais emocionante do que a primeira, em 2003, quando tomou o rumo do Milan, numa época que alguns coxinhas vaiavam o craque revelado no Morumbi. Minoria!

A festa “volta logo, Kaká” só não foi completa porque outro ídolo da casa, de contrato renovado, pisou feio na bola, e deu o gol de empate ao Mazola, do Figueirense – que aliás poderia ter vencido a partida. Ê Rogério!

Por falar no capitão eterno do São Paulo, confesso que fiquei surpreso com a festança que a torcida fez, antes do jogo deste domingo, na praça Roberto Gomes Pedrosa (aliás, nome de um ex-goleiro tricolor), para receber o time e celebrar o fico de Rogério. Olha que 4 dias depois de uma eliminação de Copa Sul-Americana, hein?

Continuar lendo “Kaká. Até logo?”

O dia do fico

Tem um comercial de um fabricante de relógios que começa com uma atleta correndo e a narração. “Na teoria, você corre com as suas pernas”.
O plano seguinte é aberto, percebemos que ela usa próteses para correr, é uma paratleta. 
O narrador continua: “na teoria, você toca guitarra com os dedos”.
E a tela mostra Jimi Hendrix, o pai da matéria (né, Osmar?), mandando ver uma autêntica #fellatio nos lábios, digo, nas cordas de sua imortal Fender Stratocaster (veja aqui o comercial “Don’t Crack Under Pressure”).

Se o comercial tivesse sido feito aqui no Brasil, quem sabe se bolado pelo Rui Branquinho ou outro publicitário tricolor, bem que poderia continuar: “na teoria, o goleiro joga com as mãos”. E mostrar Rogério Ceni anotando um golaço de falta e/ou jogando com os pés, como um líbero.

O goleiro que joga tão (ou mais) com os pés quanto com as mãos (e olha que também ‘cata’ muito, como tem provado nesta temporada, aos 41 anos!) disse hoje ao povo que fica.

Menos de 48 horas depois da queda na semifinal da Copa Sul-Americana, numa bizarra decisão por pênaltis, em pleno Morumbi, diante do bom time do Atlético Nacional, da Colômbia, que decidirá a taça com o River Plate, Rogério renovou com o São Paulo até agosto de 2015.

Objetivo: aquele brilhante objeto do desejo dele, meu, seu… e vamos falar sério? De todo torcedor do Brasil e da América do Sul. La Copa Libertadores!

FONTE: http://saopaulofc.net/
FONTE: http://saopaulofc.net/

Contrato do líder renovado, o desafio do técnico Muricy e da diretoria do tricolor é reforçar o elenco – que em 2014 desperdiçou pontos quando não deveria e em 2015 não terá mais Kaká – para não repetir a sôfrega campanha da Libertadores 2013, quando quase foi eliminado na fase de grupos e deu azar de cair no mata-mata de novo com o Galo forte e vingador de Cuca, que seria o campeão.
Isso, pra avançar na copa… porque pra ganhar, vai ter que se reforçar muito bem e recuperar aquele espírito de 1992, 93 e 2005.

O goleiro-artilheiro tido como ‘fominha’ já mostrou que pode ser generoso, ao passar a faixa de capitão para outros jogadores… ao assumir a paternidade do Henrique, o filho fora do casamento…  Dito isso tudo, posso mandar um pedido pro Rogério: deixa o Denis jogar o Campeonato Paulista, vai! Continuar lendo “O dia do fico”

O garoto da capa: Kaká estrela a nova revista do São Paulo.

10365830_10152804638514420_2023329482232716612_n
https://www.facebook.com/saopaulofc

Mudou a revista oficial do tricolor paulista. Agora ela se chama “SPFC Inside”. A revista é bimestral, tem versões impressa (a assinatura de 6 seis edições custa 60 reais) e também pode ser baixada (de graça) na loja da Apple ou na Play Store, para Android.

O primeiro número da revista produzida pela Áurea Editora tem, além da reportagem de capa com o Kaká, entrevista com o técnico Muricy Ramalho e o torcedor Andreas Kisser (guitar hero do Sepultura) e um perfil do ex-centroavante Careca, que brilhou no São Paulo, no meio dos anos 80.

Continuar lendo “O garoto da capa: Kaká estrela a nova revista do São Paulo.”