Novo tricampeão da América

Flâmula do Grêmio

Saudamos o grande campeão da Copa Libertadores 2017. O Grêmio deu show em La Fortaleza e conquistou o tri da taça. Que golaços do Fernandinho e do Luan, que quase fez outro tão lindo quanto!
Bravo, Lanús, “el club de barrio más grande del mundo”, pela belíssina campanha e bom futebol, limpo.
Parabéns, Renato, o primeiro brasileiro campeão da taça como jogador e agora, 34 anos depois, como treinador.

Atlético Nacional, 70 anos.

Atlético Nacional, 70 anos.

30 de abril de 2017

Distintivo atual do Atlético Nacional

Faz aniversário o Atlético Nacional, um clube que o torcedor brasileiro aprendeu a admirar, pelo menos a partir das atitudes de grandeza dos verdolagas no episódio da tragédia da Chapecoense.

El Verde está comemorando 70 anos – e 26 voltas olímpicas, sendo duas pelas Copas Libertadores, conquistadas em 1989 e no ano passado. É o maior campeão colombiano. Por isso, outro apelido: El Rey de Copas.

Sabia que o Nacional já foi Club Atlético Municipal de Medellín? Continuar lendo “Atlético Nacional, 70 anos.”

Episódio 3 do #RotasDaBola mostra La Bombonera em noite de Libertadores.

Episódio 3 do #RotasDaBola mostra La Bombonera em noite de Libertadores.

Quem tem medo do La Bombonera? Os bastidores de um jogo decisivo num dos estádios mais temidos do Mundo!
O episodio três do Rotas da Bola mostra a histórica partida entre o Boca e o Nacional do Uruguai, pelas quartas de final da Libertadores 2016.
É só dar play e viajar conosco! Que tal?
https://www.facebook.com/rotasdabola/

Continuar lendo “Episódio 3 do #RotasDaBola mostra La Bombonera em noite de Libertadores.”

Parabéns, River Plate!

Fantasma da B? Fantasma da segunda divisão? Sim, o River Plate caiu em 2011. Levantou, sacudiu a poeira e deu a volta por cima. E vai dar uma volta ao mundo agora.
Em quatro anos, o River saiu da segundona argentina para o topo da Libertadores, que reconquistou depois de 19 anos. O Museo River vai receber sua terceira Copa Libertadores dos millonarios. 1986, 1996 e agora 2015.

11223506_749049398575150_4778442247009525694_o
facebook.com/riverplateoficial

Continuar lendo “Parabéns, River Plate!”

#SãoSan

O São Paulo x San Lorenzo desta superquarta, 18/03/2015, ficou com todo o jeito de mata-mata, já que o Corinthians tem 100%, com 3 vitórias em 3 jogos nesta fase e mais dois jogos em casa, ou seja, está com uma mão e quatro dedos numa das duas vagas. Os dois times “santos” vão se “matar” pela outra vaga, em duas partidas, no Morumbi e no estádio Nuevo Gasómetro (em primeiro de abril).

O jogo desta quarta-feira vai ser o sétimo #SãoSan da história (e o primeiro de Libertadores). O tricolor paulista venceu 3 vezes, o Ciclón ganhou duas e houve um empate: Continuar lendo “#SãoSan”

Aqui é trabalho. E respeito. E por que não, um pouco de carinho e reconhecimento.

Arte: LAIS SOBRAL https://www.flickr.com/photos/lais-sobral/
Arte: LAIS https://www.flickr.com/photos/lais-sobral/

Veja só, no post anterior, a confiança e mesmo idolatria que o Atlético de Madrid e os torcedores colchoneros demonstram em relação ao treinador Diego Simeone, campeão de Liga na Espanha, vice da Champions, atual campeão das últimas Copa do Rei e Supercopa de Espanha. Justíssimo. Em Madri, tem até cachecol em homenagem ao Cholo, apelido de Simeone, como eu já mostrei aqui no blog. Aí você muda o Google Earth pro Morumbi, em São Paulo, e vê parte dos torcedores organizados, de dirigentes e corneteiros em geral botarem na corda bamba toda hora o técnico Muricy Ramalho, é bom lembrar, tricampeão brasileiro pelo tricolor entre 2006 e 2008 – três títulos seguidos, sem sequer um Kaká ou Luis Fabiano no time!-, e também é muito bom lembrar, o cara que salvou o São Paulo do rebaixamento em 2013 e, em 2014, levou o time ao vice-campeonato brasileiro e de volta à Libertadores.

Mas… “Libertadores virou obrigação”… “É! Q u a r t a – f e i r a! “, toda aquela pegação no pé do Maicon … O São Paulo tem estrelas, é verdade, mas não um elenco equilibrado. Caiu no grupo da morte da Libertadores, estreando contra o maior rival, embalado depois de superar o Once Caldas, na casa dele, que é um alçapão. A diretoria tricolor comprou muitos atacantes, quase que se esqueceu da defesa. Perdeu Kaká. Mais do que a técnica do camisa 8 que ficou pra sempre no coração e na mente do torcedor são-paulino, perdeu sua raça, sua vontade, sua dedicação, que fez com que até os jogadores mais descansados do grupo marcassem o campo inteiro em 2014. É culpa do técnico? Você acha que o Muricy não gostaria de ter Kaká na Libertadores?

Continuar lendo “Aqui é trabalho. E respeito. E por que não, um pouco de carinho e reconhecimento.”