A Era Telê Santana: os títulos do mestre no São Paulo.

Canhoto de bilhete da final do Paulistão 92
Canhoto de bilhete da final do Paulistão 92

Publiquei no post anterior a galeria de títulos oficiais do Barcelona na Era Guardiola. Já são 13, em 16 disputados. Neste post, gostaria de lembrar do maior responsável por um futebol elogiado por Pep Guardiola: Telê Santana. E olha que aqui vão só os títulos da chamada Era Telê no São Paulo Futebol Clube. Entre 14 de outubro de 1990 (primeiro jogo da segunda e mais conhecida passagem do mestre pelo tricolor do Morumbi)  e 27 de janeiro de 1996, foram dez grandes conquistas, fora as taças de torneios amistosos e de verão, alguns tradicionalíssimos, como o Teresa Herrera e o Ramón de Carranza.

    • GALERIA DOS TÍTULOS DE TELÊ SANTANA NO SÃO PAULO – TORNEIOS OFICIAIS
Libertadores, sua linda!
  1. Campeonato Brasileiro de 1991
  2. Campeonato Paulista de 1991
  3. Taça Libertadores da América de 1992
  4. Mundial Interclubes 1992
  5. Bicampeão Paulista de 1992
  6. Bicampeão da Taça Libertadores da América em 1993,
  7. Recopa Sul-Americana de 1993,
  8. Supercopa dos Campeões da Libertadores em 1993
  9. Bicampeão Mundial Interclubes de 1993;
  10. Bicampeão da Recopa Sul-Americana de 1994
  • OUTROS TORNEIOS
  • Taça Cidade de Barcelona, Espanha: 1991, contra o Espanyol
  • Torneio / Troféu Teresa Herrera, em A Coruña, Espanha: 14 e 15 de agosto de 1992. O SPFC eliminou o Peñarol nos pênaltis e depois goleou o Barça. 4×1.
  • Torneio / Troféu Ramón de Carranza, em Cádiz, Espanha: 28 e 29 de agosto de 1992. O SPFC derrotou o Cádiz e goleou o Real Madrid.
  • Torneio Cidade de Santiago de Compostela, Espanha: 26 e 27 de junho de 1993. O tricolor goleou o Tenerife com a estreia de um “tal” de Rogério Ceni no gol e depois venceu o River Plate nos pènaltis.
  • Torneio Jalisco, México: 9 de agosto de 1993.
  • Taça Cidade de Barcelona, Espanha: 1º de setembro de 1992, contra o Espanyol.
  • Copa Cidade de Santiago, Chile: 12 e 14 de fevereiro de  1993.
  • Taça Cidade de Los Angeles, Estados Unidos: 7 de agosto de 1993.
  • Taça Club Atlético San Lorenzo de Almagro, Argentina: 20 de fevereiro de 1994.
  • Troféu Achilie e Cesare Bortolotti, em Bérgamo, Itália: 19 de agosto de 1995. Contra o Atalanta. 2×2 no jogo e 9×8 nos penais.
  • Copa dos Campeões Mundiais, 28 de julho de 1995, em Uberlândia. Venceu o Santos nos pênaltis.

Fontes:

Dificilmente o torcedor são-paulino verá o time levantar tantas taças num período de pouco mais de 5 anos como na Era Telê, especialmente como em 92 e 93, não?

No futuro, um post sobre as conquistas do mestre Telê por outros clubes.

Quem tiver sugestões, acréscimos ou correções pode entrar em contato com o blog pelo espaço de comentários.

Dica de livro:

11 comentários sobre “A Era Telê Santana: os títulos do mestre no São Paulo.

  1. Sinceramente, eu não nunca tinha parado para fazer uma avalição do Telê no São Paulo. 10 Titulos, em 5 anos, 2 meses e 23 dias…

  2. Domingos, e te garanto que só não ganhou mais devido ao calendário brasileiro da época que era mais ridículo ainda do que hoje, que obrigou o São Paulo a fazer, por exemplo 97 jogos na temporada de 1993, usar o time do Expressinho em muitos jogos decisivos (Flamengo 1X0 São Paulo – Brasileiro de 92) e loucuras como 2 jogos num dia só.

  3. 97 jogos… era um conjunto muito forte, e como destaca o livro do Raí, tema de um próximo post, muito unido e solidário.
    Saudações.

  4. O spfc tinha a oitava maior torcida e gracas a equipe do tele tem a terceira . Aquele time tinha um segredo a amizade entre os jogadores.

  5. Tinha técnico. Tinha jogador. Tinha um líder.
    Tinha reposição de jogadores. Saia um bom, vinha outro.
    Só não conseguiu repor Raí. Mesmo assim chegou à terceira final seguida de Libertadores.
    Obrigado por participar, Leandro, volte sempre.

  6. Valeu mestre tele pelas conquistas com meu São Paulo valeu de coração mestre

  7. O mundo dos esportes em especial “futebol “tem uma gratidão enorme aos ensinamentos do nosso eterno telê Santana, ensinamentos esses que dão bons frutos pelo mundo inteiro até os dias de hoje.

  8. Um raro exemplo de treinador, que nunca precisou ASSINAR algum contrato para cumprí-lo, era sempre o primeiro a chegar no campo de treinamento, e MOSTRAVA aos jogadores como fazer! Por isso transformou jogadores limitados em jogadores de seleção brasileira, como Cafu e Ronaldão, por exemplo. O melhor treinador brasileiro da história, com sobras!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s