Na próxima Premier League, um caçulinha veterano!

15271835_1413881975312229_4057729162999693931_o
Escudo do Huddersfield Town, via Face oficial do clube: facebook.com/htafcdotcom/

Este é o distintivo do Huddersfield Town, que ao vencer o Reading nos pênaltis na final do play-off de acesso, se somou ao Newcastle e ao Brighton & Hove Albion entre as novas camisas da Premier League 2017-18. Os #terriers têm história na elite do futebol inglês antes da Premier League (criada em 1992).

O Huddersfield Town Association Football Club, fundado em 1908, foi tricampeão inglês (de primeira divisão) entre 1923-24 e 1925-26. Mas de 1971-72 até agora andou pela segunda, terceira e até quarta divisões. Os terriers foram treinados por Herbert Chapman, o inventor do sistema WM, bicampeão com o Huddersfield e também com o Arsenal, e três décadas depois por Bill Shankly, ídolo e estátua no Liverpool.
A Premier League saudou o Huddersfield Town como a 49ª equipe a participar da competição – considerando a liga criada em 92. O Brighton também é “caçula” neste formato.

Abaixo, os 49 clubes que disputaram a Premier League desde a temporada 1992-93, incluindo os dois “caçulas” (em negrito os que vão participar da próxima temporada).

  1. Arsenal
  2. Aston Villa – 7 vezes campeão inglês, continua na Championship (segundona), pra tristeza do baixista Geezer Butler
  3. Barnsley – continua na segunda divisão.
  4. Birmingham City – também disputa a segundona
  5. Blackburn Rovers – agora rebaixado para a League One (terceira divisão)
  6. Blackpool – agora promovido para a League One
  7. Bolton Wanderers – acabou de ser promovido para a Championship
  8. Bournemouth
  9. Bradford City – está na League One (terceirona)
  10. Brighton & Hove Albion
  11. Burnley
  12. Cardiff City -hoje disputa a segundona
  13. Charlton Athletic – em grave crise, disputa a League One (terceirona)
  14. Chelsea
  15. Coventry City – agora rebaixado para a League Two, a terceirona
  16. Crystal Palace
  17. Derby County – está na segundona (Championship)
  18. Everton
  19. Fulham – continua na Championship
  20. Huddersfield Town
  21. Hull City – rebaixado agora para a Championship
  22. Ipswich Town – também na segunda divisão
  23. Leeds United – continua na Championship
  24. Leicester City
  25. Liverpool
  26. Manchester City
  27. Manchester United
  28. Middlesbrough – rebaixado para a Championship
  29. Newcastle United – de volta!
  30. Norwich City – está na Championship
  31. Nottingham Forest – o bicampeão europeu permanece na Championship, e olha, tem que agradecer, porque quase caiu!
  32. Oldham Athletic – disputa a League One (terceirona)
  33. Portsmouth -promovido para a League One
  34. Queens Park Rangers – continua na Champioship (segunda divisão)
  35. Reading – permanece na Championship
  36. Sheffield United – o time de coração do def leppard Joe Elliot foi promovido para a Championship
  37. Sheffield Wednesday – vai ter clássico na Championship!
  38. Southampton
  39. Stoke City
  40. Sunderland – rebaixado para a Championship
  41. Swansea City
  42. Swindon Town -agora rebaixado para a League Two, a terceirona
  43. Tottenham Hotspur
  44. Watford
  45. West Bromwich Albion
  46. West Ham United 
  47. Wigan Athletic – agora rebaixado para a League One
  48. Wimbledon – está na League One (terceirona)
  49. Wolverhampton Wanderers – o time que conta com a torcida do vocalista Robert Plant hoje disputa a segundona

Continuar lendo “Na próxima Premier League, um caçulinha veterano!”

Old Trafford, o teatro dos sonhos.

Old Trafford, o teatro dos sonhos.
  • Old Trafford.
  • Dono: Manchester United
  • Inauguração: 19 de fevereiro de 1910
  • Primeiro jogo: United 3×4 Liverpool
  • Transporte: Old Trafford está perto de quatro estações da Metrolink,a rede de tram, moderno bonde de Manchester: Exchange Quays, Old Trafford, Trafford Bar e Mediacity UK. Para quem sai do centro de Manchester, pode pegar o Metrolink no sentido Altrincham.
  • Capacidade atual: 75.653 pessoas
  • 55 mil torcedores têm season tickets, ou seja, acesso garantido a todos os jogos.


No dia seguinte ao tour pelo museu do Manchester United (post anterior), um dos pontos altos destes anos todos indo a estádios de futebol. Conhecer Old Trafford, uma das catedrais da bola, o teatro dos sonhos para os torcedores red devils. Melhor ainda, durante um jogo, em que o United recebeu o Bournemouth, pela rodada #27 da Premier Leaguer 2016-17, que seria conquistada pelo Chelsea. 

Rooney na batida…

Um rápido histórico do estádio. Inaugurado em 1910, num clássico contra o Liverpool (que terminou 3×4…), Old Trafford já recebeu decisão da Copa da Inglaterra no ano seguinte. Foi devastado durante ataques aéreos alemães em 1940 e 41 (o United teve que jogar no estádio do City na época, Maine Road). Também sediou três partidas do grupo do Brasil no Mundial de 1966 (mas não do então escrete bicampeão), foi todo reformado nos anos 90 depois das grandes tragédias nos estádios ingleses e em 2003 recebeu uma final italiana da Champions, em que o Milan superou a Juve nos pênaltis. É o maior estádio de um clube na Inglaterra, com 76 mil lugares.

Teatro dos sonhos

Na partida contra o Bournemouth, em março de 2017, o United jogou com as feras quase todas. De Gea, Valencia, Phil Jones, Shawm , Carrick, Pogba, Mata, Martial, Rooney, Ibrahimovic, que perdeu um pênalti quando o jogo já estava 1×1, Fellaini, Lingard e Rashford entraram no decorrer da partida. Marcos Rojo marcou o gol do time da casa. Joshua King empatou.

Preste atenção neste homem: ele vai perder o pênalti.

O visitante jogou ‘na dele’ e conseguiu levar um pontinho para o sul da Inglaterra. Estádio quase completo, imagine 75 mil pessoas gritando, atmosfera vibrante, sim, mas o que me chamou muito a atenção foi a participação pra lá de ativa da torcida do Bournemouth. Os gritos de United! United! cresceram no segundo tempo, para empurrar os diabos vermelhos em busca de uma vitória, que no fim não rolou.

Placar final na “estreia” do blog Fut Pop Clube em Old Trafford, 4 de março de 2017.

Continuar lendo “Old Trafford, o teatro dos sonhos.”

O time mais rico do mundo

O time mais rico do mundo

Facebook:  73 milhões de curtidas e contando. Instagram: 17,7 milhões.
Twitter: mais de 11,2 milhões. Google +: quase sete milhões de seguidores.
São os números (em 25/05/17) das redes sociais do Manchester United, o time de futebol mais rico do mundo (Deloitte Football Money divulgado em 2017), mesmo tendo chegado apenas em quinto lugar no Inglês 2015-16. Receita de 689 milhões de euros, quase setenta milhõezinhos a mais que Barça e Real Madrid na temporada 15-16, analisada pelo relatório mais recente da Deloitte. Fruto dos grandes contratos (Chevrolet, adidas), direitos de transmissão de TV, mais a grana que Old Trafford movimenta em dias de jogos (e fora deles!).
No começo de março de 2017, tive a oportunidade de fazer o tour pelo museu do United, que fica dentro do estádio Old Trafford. Como já era um finzinho de tarde, não dava mais para acessar o campo. Era pegar ou largar.

O uniforme do Newton Heath, no começo da linha do tempo do United

A flamulinha ao lado indica o ano de fundação: 1878. Primeiro como Newton Heath, que era verde e amarelo (em 1992, a Umbro fez um terceiro uniforme com o visual verde-amarelo). Só passou a ser chamado Manchester United em 1902. Desde 1910, os Red Devils estão em Old Trafford,  investimento inicial de 40 mil libras, na grande Manchester. Infelizmente, a história do time vermelho tem uma coisa em comum com o Verdão do oeste catarinense. Em fevereiro de 1958, um acidente de avião em Munique acabou com parte de uma jovem geração promissora e já vitoriosa, os Busby Babes, comandados por Sir Matt Busby – que sobreviveu à tragédia de Munique.

Primeira página do Daily Herald, fevereiro de 1958.

Para um brasileiro, é impossível não lembrar da tragédia da Chapecoense em 2016, impossível não se emocionar na sala dedicada aos Busby Babes, que tem vários painéis e gavetas forradas de jornais de 1958.

Homenagem a Matt Busby

Sir Bobby Charlton, Denis Law e George Best, o quinto beatle, o primeiro football star na Inglaterra. 470 partidas, 179 gols pelo Manchester. Com a United Trinity dos Red Devils em campo, Busby levou o United à primeira de três Copas/Ligas dos Campeões, em 1967-68. Dez anos depois da tragédia.

Continuar lendo “O time mais rico do mundo”

United! United! Campeão da Liga Europa, campeão de tudo.

United! United! Campeão da Liga Europa, campeão de tudo.
Para Manchester. Foto publicada pela página oficial do MUFC, depois da conquista: facebook.com/manchesterunited

Na semana em que a cidade de Manchester foi alvo de um ataque covarde, que matou e feriu crianças e adolescentes num show de Ariana Grande, um pouco de alegria, ao menos para o lado vermelho da cidade. O Manchester United conquistou a Europa League 2016-17. E agora tem no trophy room de Old Trafford todos os títulos possíveis: campeonato inglês (Premier League), Copa da Inglaterra, Copa da Liga, Community Shield ( a Supercopa da Inglaterra), Intercontinental e Mundial, Recopa da Europa, Supercopa da Uefa, Champions… faltava a Liga Europa. Não falta mais. Haja prateleira!

A campanha: Continuar lendo “United! United! Campeão da Liga Europa, campeão de tudo.”

Roupa nova para os Alviverdes e para os Red Devils.

A adidas revelou uniformes de dois dos grandes clubes com quem tem contrato. A nova camisa I do Palmeiras para 2017 e o segundo uniforme do Manchester United para a temporada 2017-2018.

O home kit do atual campeão brasileiro confirmou a imagem que tinha vazado na internet (clique em qualquer foto acima para abrir a galeria). Com a volta das listras e o distintivo de camisa usado lançado na campanha da Arrancada Heroica, de 1942.

E o clube que foi adversário do Verdão no Mundial Interclubes 1999 revelou hoje o segundo uniforme para a temporada 2017-18 do futebol europeu. O away kit dos Red Devils é inspirado no padrão de estampa da segunda camisa de 1990-92 (não na cor, já que aquele tinha fundo branco). Abra a galeria de imagens dentro do post. Continuar lendo “Roupa nova para os Alviverdes e para os Red Devils.”

“Iron Men”: documentário emocionante sobre a despedida do West Ham a Boleyn Ground.

Capinha do DVD do doc sobre a despedida a Boleyn Ground : facebook.com/IRONMEN2017

Que bom saber: a senhora Mabel Arnold, uma espécie de torcedora-símbolo do West Ham United, acabou de completar 101 anos! Cento e um! Oitenta e três como torcedora do claret and blue da zona leste de Londres. De 1968 a 2016, ela se sentou na mesma cadeira de Boleyn Ground | Upton Park, estádio do West Ham entre 1904 e 2016. “Iron Men, documentário de Paul Crompton e Suri Krishnamma (este, torcedor de carteirinha dos “Irons”) sobre os últimos dias dos 112 anos de história de Boleyn Ground e a (polêmica) mudança para o London Stadium, é um filme de personagens. O capitão do time, Mark Noble, o técnico Slaven Bilic, os donos do clube (David Gold, David Sullivan, Karren Brady)… mas são os torcedores como a centenária hammer Mabel Arnold que roubam o show. Ainda bem! Continuar lendo ““Iron Men”: documentário emocionante sobre a despedida do West Ham a Boleyn Ground.”

Bom programa!

Revista mensal (“Inside United”) e programa oficial de jogo do ManUtd (“United Review”), março de 2017.

Na gigantesca cultura de futebol na Inglaterra, alguns dos itens altamente colecionáveis são os programas oficiais dos jogos – revistas bacanudas que os clubes mandantes vendem a cada partida, seja de Premier League, de Copa da Inglaterra ou de Champions League. Estatísticas, histórico, tabelas, recados dos torcedores (como aniversários), lista dos jogadores relacionados para a partida em foco, as cores dos uniformes, reportagens – inclusive sobre o time adversário. É de babar para o torcedor de um “país do futebol” que praticamente só publica um jornal esportivo de alcance nacional (“Lance!”) e duas revistas de futebol (“Placar”, “Corner”).

A maioria dos grandes clubes também conta com revistas mensais, como você vê aqui na fotos com publicações do Man United e do Liverpool. Sem falar nas revistinhas independentes, editadas por torcedores, praticamente fanzines.

Revista mensal do Liverpool e programa oficial (“This is Anfield”) do jogão contra o Arsenal – março de 2017.

O Chelsea foi o primeiro clube a produzir um programa oficial consistente para dias de partida, segundo um painel informativo no museu de Stamford Bridge, que o blog visitou em março. Isso, já em setembro de 1905! Chelsea FC Chronicle era o nome do programa, editado por Fred Parker. A revista da partida de Copa da Inglaterra contra o Brentford, em janeiro de 2017, fez uma homenagem ao Chronicle de Fred Parker, com uma capa retrô. Muito legal.

O programa oficial do jogo do Chelsea contra o Brentford pela Copa da Inglaterra teve capa retrô – 28 de janeiro de 2017.

Ainda segundo o museu do Chelsea, na temporada 1912-13 o clube vendeu mais de 341 mil cópias. Em 1948, o programa chegou a 16 páginas. E segundo o Chelsea as vendas na temporada 1972-73 atingiram 99 por cento dos espectadores de Stamford Bridge. E isso o que representa para um clube de futebol? Recurso$$$$$$, claro. Desde 1905! Os clubes brasileiros certamente considerariam apenas uma despesa.

Programa oficial de um jogo de Champions que o torcedor do Arsenal certamente quer esquecer.

Cada programa custa entre 3 e 3,50 libras nas megalojas dos clubes ou em stands na frente dos estádios. E claro, na era da internet é possível baixar versões digitais dos programas, por um preço mais em conta. No fim do post, publico os sites de alguns programas dos clubes mostrados aqui.

Folheando revistas inglesas, a gente descobre sites especializados em revender essas revistinhas. Como escrevi no começo do post, uma memorabilia altamente colecionável. Bela lembrança de um jogaço, de uma grande vitória, de uma campanha campeã.

Programa do jogo do City contra o Huddersfield Town pela Copa da Inglaterra – março de 2017

Alguns links:
Continuar lendo “Bom programa!”