Na próxima Premier League, um caçulinha veterano!

15271835_1413881975312229_4057729162999693931_o
Escudo do Huddersfield Town, via Face oficial do clube: facebook.com/htafcdotcom/

Este é o distintivo do Huddersfield Town, que ao vencer o Reading nos pênaltis na final do play-off de acesso, se somou ao Newcastle e ao Brighton & Hove Albion entre as novas camisas da Premier League 2017-18. Os #terriers têm história na elite do futebol inglês antes da Premier League (criada em 1992).

O Huddersfield Town Association Football Club, fundado em 1908, foi tricampeão inglês (de primeira divisão) entre 1923-24 e 1925-26. Mas de 1971-72 até agora andou pela segunda, terceira e até quarta divisões. Os terriers foram treinados por Herbert Chapman, o inventor do sistema WM, bicampeão com o Huddersfield e também com o Arsenal, e três décadas depois por Bill Shankly, ídolo e estátua no Liverpool.
A Premier League saudou o Huddersfield Town como a 49ª equipe a participar da competição – considerando a liga criada em 92. O Brighton também é “caçula” neste formato.

Abaixo, os 49 clubes que disputaram a Premier League desde a temporada 1992-93, incluindo os dois “caçulas” (em negrito os que vão participar da próxima temporada).

  1. Arsenal
  2. Aston Villa – 7 vezes campeão inglês, continua na Championship (segundona), pra tristeza do baixista Geezer Butler
  3. Barnsley – continua na segunda divisão.
  4. Birmingham City – também disputa a segundona
  5. Blackburn Rovers – agora rebaixado para a League One (terceira divisão)
  6. Blackpool – agora promovido para a League One
  7. Bolton Wanderers – acabou de ser promovido para a Championship
  8. Bournemouth
  9. Bradford City – está na League One (terceirona)
  10. Brighton & Hove Albion
  11. Burnley
  12. Cardiff City -hoje disputa a segundona
  13. Charlton Athletic – em grave crise, disputa a League One (terceirona)
  14. Chelsea
  15. Coventry City – agora rebaixado para a League Two, a terceirona
  16. Crystal Palace
  17. Derby County – está na segundona (Championship)
  18. Everton
  19. Fulham – continua na Championship
  20. Huddersfield Town
  21. Hull City – rebaixado agora para a Championship
  22. Ipswich Town – também na segunda divisão
  23. Leeds United – continua na Championship
  24. Leicester City
  25. Liverpool
  26. Manchester City
  27. Manchester United
  28. Middlesbrough – rebaixado para a Championship
  29. Newcastle United – de volta!
  30. Norwich City – está na Championship
  31. Nottingham Forest – o bicampeão europeu permanece na Championship, e olha, tem que agradecer, porque quase caiu!
  32. Oldham Athletic – disputa a League One (terceirona)
  33. Portsmouth -promovido para a League One
  34. Queens Park Rangers – continua na Champioship (segunda divisão)
  35. Reading – permanece na Championship
  36. Sheffield United – o time de coração do def leppard Joe Elliot foi promovido para a Championship
  37. Sheffield Wednesday – vai ter clássico na Championship!
  38. Southampton
  39. Stoke City
  40. Sunderland – rebaixado para a Championship
  41. Swansea City
  42. Swindon Town -agora rebaixado para a League Two, a terceirona
  43. Tottenham Hotspur
  44. Watford
  45. West Bromwich Albion
  46. West Ham United 
  47. Wigan Athletic – agora rebaixado para a League One
  48. Wimbledon – está na League One (terceirona)
  49. Wolverhampton Wanderers – o time que conta com a torcida do vocalista Robert Plant hoje disputa a segundona

Continuar lendo “Na próxima Premier League, um caçulinha veterano!”

Bom programa!

Revista mensal (“Inside United”) e programa oficial de jogo do ManUtd (“United Review”), março de 2017.

Na gigantesca cultura de futebol na Inglaterra, alguns dos itens altamente colecionáveis são os programas oficiais dos jogos – revistas bacanudas que os clubes mandantes vendem a cada partida, seja de Premier League, de Copa da Inglaterra ou de Champions League. Estatísticas, histórico, tabelas, recados dos torcedores (como aniversários), lista dos jogadores relacionados para a partida em foco, as cores dos uniformes, reportagens – inclusive sobre o time adversário. É de babar para o torcedor de um “país do futebol” que praticamente só publica um jornal esportivo de alcance nacional (“Lance!”) e duas revistas de futebol (“Placar”, “Corner”).

A maioria dos grandes clubes também conta com revistas mensais, como você vê aqui na fotos com publicações do Man United e do Liverpool. Sem falar nas revistinhas independentes, editadas por torcedores, praticamente fanzines.

Revista mensal do Liverpool e programa oficial (“This is Anfield”) do jogão contra o Arsenal – março de 2017.

O Chelsea foi o primeiro clube a produzir um programa oficial consistente para dias de partida, segundo um painel informativo no museu de Stamford Bridge, que o blog visitou em março. Isso, já em setembro de 1905! Chelsea FC Chronicle era o nome do programa, editado por Fred Parker. A revista da partida de Copa da Inglaterra contra o Brentford, em janeiro de 2017, fez uma homenagem ao Chronicle de Fred Parker, com uma capa retrô. Muito legal.

O programa oficial do jogo do Chelsea contra o Brentford pela Copa da Inglaterra teve capa retrô – 28 de janeiro de 2017.

Ainda segundo o museu do Chelsea, na temporada 1912-13 o clube vendeu mais de 341 mil cópias. Em 1948, o programa chegou a 16 páginas. E segundo o Chelsea as vendas na temporada 1972-73 atingiram 99 por cento dos espectadores de Stamford Bridge. E isso o que representa para um clube de futebol? Recurso$$$$$$, claro. Desde 1905! Os clubes brasileiros certamente considerariam apenas uma despesa.

Programa oficial de um jogo de Champions que o torcedor do Arsenal certamente quer esquecer.

Cada programa custa entre 3 e 3,50 libras nas megalojas dos clubes ou em stands na frente dos estádios. E claro, na era da internet é possível baixar versões digitais dos programas, por um preço mais em conta. No fim do post, publico os sites de alguns programas dos clubes mostrados aqui.

Folheando revistas inglesas, a gente descobre sites especializados em revender essas revistinhas. Como escrevi no começo do post, uma memorabilia altamente colecionável. Bela lembrança de um jogaço, de uma grande vitória, de uma campanha campeã.

Programa do jogo do City contra o Huddersfield Town pela Copa da Inglaterra – março de 2017

Alguns links:
Continuar lendo “Bom programa!”

Deloitte Football Money League 2017: o Manchester United é o mais rico do mundo.

Deloitte Football Money League 2017: o Manchester United é o mais rico do mundo.
https://www2.deloitte.com/uk/en/pages/sports-business-group/articles/deloitte-football-money-league.html?id=gb:2sm:3tw:4dfml:5awa:6oth:20170119080000:duk2&linkId=33517873
As receitas, em milhões de euros: https://www2.deloitte.com/uk/

Saiu a edição 2017 do Deloitte Football Money League (DFML), e a novidade é a volta do Manchester United ao #1, superando Barça e Real Madrid. Só Real Madrid e Manchester United lideraram o relatório, em duas décadas de DFML. Mas os red devils não chegavam ao topo da ‘liga do dinheiro’ desde a temporada 2003/2004 (foram 11 relatórios seguidos com o Madrid na ponta). Em 2015-16, a receita dos diabos vermelhos foi de 689 milhões de euros – cifra$ recordes. Fruto dos grandes contratos (Chevrolet, adidas), direitos de transmissão, a grana que Old Trafford movimenta em dias de jogos (e fora deles!). E olha que o Man United não ganha a Premier League desde 2012-13 e a Champions desde 2007-08.

Na nova lista dos 20 mais ricos, estão ao todo oito clubes da Premier League: os dois de Manchester, quatro de Londres – Arsenal, Chelsea, Tottenham Hotspur e West Ham – o Liverpool e o Leicester, que entrou no Top 20 pela primeira vez. Há três clubes de La Liga até o 13º lugar (Barça, Real, Atlético). Três da Bundesliga até o 14º (Bayern, Borussia, Schalke). São quatro da série A italiana (Juve em 10º, Roma, Milan, Inter), um da liga francesa (Paris Saint-Germain) e um da liga russa (Zenit). Continuar lendo “Deloitte Football Money League 2017: o Manchester United é o mais rico do mundo.”

Supersonic

Supersonic

os_1sht_mech_27x40_final_rgb-203x300Enquanto o City de Guardiola passava maus bocados em Leicester (4-2), o festival SIM São Paulo exibia um documentário (muito bom) sobre a saudosa banda de dois irmãos fanáticos pelo time azul de Manchester. “Oasis: Supersonic”, cujo lançamento coincide com os 20 anos dos megaconcertos do grupo de Noel e Liam Gallagher em Knebworth – e também em Maine Road, antigo estádio dos citizens. Em especial Liam não perde uma chance de ser fotografado ou filmado com algum abrigo do City. Esses criadores de grandes hits (e de “algumas”  confusões) são fanáticos pelo MCFC. Sobram até algumas caneladas pros lados do West Ham em “Supersonic”, o doc.  Confira o trailer abaixo…
Continuar lendo “Supersonic”

… e o Man City foi o que mais gastou.

O bilionário Manchester City consumiu o equivalente a 213 milhões de euros (por exemplo, o Barça gastou 122) para aumentar ainda mais o brilho de sua ‘máquina’, sem falar na contratação do ‘piloto’ mais falado do mundo, o técnico catalão Pep Guardiola. Vai pegar fogo o Grupo C da Champions, onde o City vai pegar exatamente o Barça onde Pep surgiu pro mundo, o Celtic e o Borussia Monchengladbach.

Bravo! https://www.facebook.com/mancity
Bravo! https://www.facebook.com/mancity

IN> Claudio Bravo (goleiro bicampeão da Copa América pelo Chile, bicampeão espanhol e da Copa do Rei, em 2015 vencedor da Champions e Mundial pelo Barça). Quer saber exatamente por que Guardiola fez questão de contratar o goleiro chileno? Leia a detalhada reportagem de Adam Bate, Sky Sports. E mais, muito mais: John Stones (zagueiro, ex-Everton), Leroy Sané (ponta, ex-Schalke), Ilkay Gündogan (meio-campo, Alemanha, ex-Borussia Dortmund), Nolito (centroavante, seleção da Espanha, ex-Celta)
Na virada do ano novo, chega o ótimo atacante Gabriel Jesus, campeão olímpico, já comprado do Palmeiras. O City também contratou Marlos Moreno, campeão da Libertadores pelo Atlético Nacional, já emprestado ao Deportivo La Coruña e Oleksandr Zinchenko (Ufa), emprestado ao PSV.
< OUT : Joe Hart (emprestado ao Torino), Mangala (emprestado ao Valencia), Nasri (emprestado ao Sevilla), Wilfried Bony (emprestado ao Stoke).
Técnico: Pep Guardiola, o novo amigo do jovem torcedor citizen Braydon Bent. Vale ver a corrida no táxi do Pep…

Outras *** estrelas ***: Kompany, Zabaleta, Sterling, Agüero, Navas, DeBruyne, David Silva, Touré.

Brasileiros: Fernandinho e Fernando vão ter a companhia de Gabriel Jesus em 2017.

Elenco completo: Continuar lendo “… e o Man City foi o que mais gastou.”

Manchester City 2016-2017

Manchester City 2016-2017

Imagine trocar todo o visual de um time de futebol, tanto na internet, como no estádio, na sede, na papelada etc. O Manchester City começou a semana de roupa nova – o uniforme da Nike para a temporada 2016-2017 já saiu com o escudo redesenhado dos citizens  – e de técnico novo, Pep Guardiola. O treinador mais badalado do mundo,  tricampeão alemão pelo Bayern – sem falar nos catorze títulos da era Guardiola no Barça.

13568904_1076525139050760_246396041888193276_o
Home kit: Man City 16-17 (Nike)

Guardiola já tem reforços como o atacante Nolito (ex-Celta de Vigo), que fo cobiçado pelo Barça, e o meia Gundogan (ex-Borussia) que vão se juntar a astros como Agüero, David Silva, De Bruyne, Nasri, Navas, Sterling, Yaya Touré, o capitão Kompany. O treinador catalão bateu um papo com um torcedor ilustre e fanático do City, o roqueiro Noel Gallagher. Mandaram bem nas perguntas… Se você tem 20 minutos, vale conferir o vídeo abaixo, divulgado pelos citizens no You Tube (há legendas em espanhol).


Pra dar uma ajudinha ao Pep a cantar “Blue Moon”, um hino para os torcedores do Man City, (re)convocamos o irmão do Noel, o Liam Gallagher, que há cinco anos participou do lançamento da camisa 2011-12 do City (então vestido pela Umbro) e ao mesmo tempo lançou um single da sua banda Beady Eye. Continuar lendo “Manchester City 2016-2017”