Bola na Tela: “Take the Ball, Pass the Ball”.

Bola na Tela: “Take the Ball, Pass the Ball”.

Post publicado em 9 de novembro de 2018

Take the ball, pass the ball.

O mantra repetido pelo hoje técnico do Manchester City dá o nome ao documentário coproduzido pela catalã Zoomsport e pela Universal Pictures com colaboração da Mediapro. Take the Ball, Pass the Ball (ou Toca y Pasa el Balón, no título em castelhano) trata dos quatro anos de Pep Guardiola no Barça. Passa em cinemas da Catalunha e da Inglaterra nesta sexta-feira. Ainda em novembro, vai ter sessões únicas em outras cidades da Europa (confira aqui).

Xavi, Iniesta, Piqué, Daniel Alves, Henry, Puyol, Busquets, Mascherano, Abidal, Eto’o e, claro, Messi dão seus depoimentos sobre a era Guardiola.

Duncan McMath, Graham Hunter, Marc Guillén e Víctor M. Gros assinam o documentário, baseado no livro “Barça – A Construção e a Trajetória do Melhor FC Barcelona de Todos os Tempos”, de Graham Hunter, publicado no Brasil pela Grande Área.

Continuar lendo “Bola na Tela: “Take the Ball, Pass the Ball”.”

A tentativa de mudar o escudo do Barça

A tentativa de mudar o escudo do Barça

Vinte de outubro. Em três semanas, uma assembleia de sócios do FC Barcelona pode aprovar (ou não) o novo escudo proposto pela diretoria blaugrana. A mudança mais drástica do projeto feito pela empresa catalã Summa é o sumiço das iniciais FCB, presentes no distintivo do Barça desde os anos 1910, com exceção dos anos de chumbo do regime de Francisco Franco – o ditador obrigou o clube a usar de 1941 a 1974 as iniciais CFB, de Club de Fútbol Barcelona, forma em castelhano.

O escudo é assim desde 2002:

Escudo do Barça desde 2002… e até 2019?
O novo escudo?

Note que o escudo fica mais blaugrana. O número de listras nessas duas cores cai de sete para cinco. Sai a linha preta separando os elementos (a cruz de São Jorge, padroeiro da região, a senyera, bandeira catalã, as listras azul e grená e a bola clássica. De acordo com o projeto, a sigla FCB sumiria da comunicação visual, que usaria apenas as marcas FC Barcelona e Barça (essa, pela primeira vez de modo oficial). Isso foi uma boa. Evitar confusão com o FCB do Bayern também.

Ok, o visual é muito característico e nenhum torcedor vai deixar de identificar o escudo dos culés. Mas por que não incluir Barça ou FC Barcelona no interior do distintivo? Ah, a ideia é simplificar? Cuidado para não facilitar demais para a pirataria…

Clubes europeus que mudaram de escudo nos últimos anos:

Dentro do post, a evolução do escudo do Barça, de 1899 até o que é usado desde 2002. Continuar lendo “A tentativa de mudar o escudo do Barça”

La Roja 2018

La Roja 2018

A Seleção Espanhola vai para as cabeças, lutar pelo bi, ou vai decepcionar como no Brasil, quando saiu na primeira fase? La Roja do técnico Julen Lopetegui mandou muito bem nas Eliminatórias. E os clubes de La Liga têm dominado as taças europeias.

Vamos ver a lista dos 23 convocados hoje — com 6 jogadores do Real Madrid, finalista da Champions, 4 do Barça, campeão espanhol e da Copa do Rei, três do Atlético de Madrid, campeão da Liga Europa, mais atletas do Athletic, do Celta, da Real Sociedad, Valencia, 4 jogadores de Premier League (United, City, Chelsea e Arsenal representados), 1 do Bayern e 1 do Napoli.

Porteros:

  • Kepa Arrizabalaga (Athletic Club)
  • David De Gea (Manchester United)
  • Pepe Reina (Napoli)

Defensa:

  • Jordi Alba (Barça)
  • Azpilicueta (Chelsea)
  • Carvajal (Real Madrid)
  • Nacho (também do Real)
  • Monreal (Arsenal)
  • Odriozola (Real Sociedad)
  • Piqué (Barça)
  • Sergio Ramos (Real Madrid)

Centrocampistas:

  • Isco (Real Madrid)
  • Thiago Alcântara (Bayern)
  • Busquets (Barcelona)
  • David Silva (Manchester City)
  • Iniesta (Barça)
  • Saúl (Atlético de Madrid
  • Koke (também do Atleti)
  • Asensio (Real Madrid)

Delanteros:

  • Iago Aspas (Celta de Vigo)
  • Diego Costa (Atlético de Madrid)
  • Rodrigo Moreno (Valencia)
  • Lucas Vázquez (Real Madrid)

https://platform.twitter.com/widgets.js
Continuar lendo “La Roja 2018”

Os parceiros de Messi na Argentina 2018

Os parceiros de Messi na Argentina 2018

Atualizado em 9 de junho, depois dos cortes de Sergio Romero e Manuel Lanzini

A Seleção Albiceleste convocada por Jorge Sampaoli só tem três atletas de clubes argentinos (mesmo número da Seleção Brasileira e também o mesmo número da Argentina vice de 2014 – gracias, Paladar Negro). As ligas mais representadas são a inglesa (cinco jogadores), italiana (cinco), espanhola (três), portuguesa (dois), francesa (dois), holandesa, chinesa e, agora, mexicana.
ARQUEROS:

  • Sergio Romero (Man United)

* Chiquito foi cortado por lesão e substituído por Nahuel Guzmán, do Tigres, do México

  • Willy Caballero (Chelsea)
  • Franco Armani (River Plate)


DEFENSORES

  • Gabriel Mercado (Sevilla)
  • Cristian Ansaldi (Torino)
  • Nicolás Otamendi (Manchester City)
  • Federico Fazio (Roma)
  • Marcos Rojo (Manchester United)
  • Nicolás Tagliafico (Ajax)
  • Marcos Acuña (Sporting)

VOLANTES:

  • Javier Marcherano (Hebei China Fortune)
  • Eduardo Salvio (Benfica)
  • Lucas Biglia (Milan)
  • Giovani Lo Celso (PSG)
  • Éver Banega (Sevilla)
  • Manuel Lanzini (West Ham) Enzo Pérez (River)
  • Maximiliano Meza (Independiente)
  • Ángel Di María (PSG)
  • Cristian Pavón (Boca)

DELANTEROS:

  • Lionel Messi (Barça)
  • Paulo Dybala (Juve)
  • Gonzalo Higuaín (Juve)
  • Sergio Ag6uero (Manchester City)

* FIGURINHAS COM ASTERISCO –

Continuar lendo “Os parceiros de Messi na Argentina 2018”

Les Bleus 2018

Les Bleus 2018

O técnico da França, Didier Deschamps, convocou três jogadores do PSG, três do Olympique, três do Monaco, um do Lyon, dois do Chelsea, dois do Barça, dois do Atleti, um do Real, um do Sevilla e também um jogador de cada uma destas equipes: Tottenham, Man City, Man United, Bayern, Stuttgart e Juve. Ou seja, atletas acostumados às principais ligas europeias. A Équipe de France vai disputar as vagas do grupo C contra Austrália, Peru e Dinamarca.
Gardiens (goleiros):

  • Aréola, Paris Saint-Germain
  • Lloris, Tottenham
  • Mandanda, Olympique de Marselha

Défenseurs (defensores):

  • Lucas Hernández, Atlético de Madrid
  • Kimpembe, Paris Saint-Germain
  • Mendy, Manchester City
  • Pavard, Stuttgart
  • Rami, Olympique de Marselha
  • Sidibé, Monaco
  • Umtiti, Barcelona
  • Varane, Real Madrid

Milieux de terrain (meio-campistas:

  • Kanté, Chelsea
  • Matuidi, Juventus
  • N’Zonzi, Sevilla
  • Pogba, Manchester United
  • Tolisso, Bayern

(Attaquants) atacantes:

  • Dembélé, Barcelona
  • Fekir, Lyon
  • Giroud. Chelsea
  • Griezmann, Atlético de Madrid
  • Lemar, Monaco
  • Mbappé, Paris Saint-Germain
  • Thauvin, Olympique de Marselha

*FIGURINHAS COM ASTERISCO:

Continuar lendo “Les Bleus 2018”

Gagliardetto. Banderín. Wimpel. Pennon. Pennant. Galhardete.

Os campeonatos nacionais na Europa vão chegando ao fim e já conhecemos os principais campeões.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Flâmulas dos campeões de quase todas as principais ligas europeias na temporada 2017-2018:

  • Bayern, hexacampeão alemão, ainda pode ganhar a Copa da Alemanha
  • Barça, campeão de La Liga e tetra da Copa do Rei
  • Juve, heptacampeã italiana e também vencedora da Coppa Itália
  • Manchester City, campeão inglês e da Copa da Liga Inglesa
  • Paris Saint-Germain, campeão francês, da Copa da França e da Copa da Liga
  • Porto, campeão português

Continuar lendo “Gagliardetto. Banderín. Wimpel. Pennon. Pennant. Galhardete.”

Andrés Iniesta Luján

Andrés Iniesta Luján

Cena do quarto episódio da segunda temporada da série espanhola “Ministério del Tiempo“. A louraça Irene (Cayetana Guillén Cuervo) comenta algo como: “há cinco anos, o Ministério teve que salvar um antepassado de Iniesta“. A agente Amelia Folch (a bela Aura Garrido), uma das primeiras mulheres a estudar em universidade em Barcelona no final do século XIX, recrutada para viajar nas portas do tempo do Ministério, pergunta quem é Iniesta. “Pacino” (Hugo Silva), um policial recrutado no começo dos anos 80, também não faz ideia de quem seja.

Rápida explicação pra quem não é viciado na série como eu: esse ministério do tempo, criado (na ficção, claro) pelo governo espanhol, manda seus funcionários ao passado para evitar mudanças na história da Espanha. E Iniesta, você sabe, fez o gol mais importante da história de La Roja. Sem ele, a Espanha não teria Copa do Mundo. Não só: já é considerado o melhor jogador espanhol de todos os tempos.

Pois voltando a 2018, na vida real, Andrés Iniesta Luján, nascido há 34 anos em Fuentealbilla, na província de Albacete, só tem mais dois jogos oficiais com a camisa 8 do Barcelona: hoje contra o Levante e na semana que vem contra a Real Sociedad. Com a camisa 6 da Espanha, vai enfrentar Portugal, Irã e Marrocos, na primeira fase do Mundial 2018 na Rússia. Depois da Copa, o futebol do maestro provavelmente só será visto por quem tem acesso ao campeonato japonês ou de algum outro mercado asiático.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Don Andrés sai por cima, em alto nível, numa temporada em que, se caiu nas quartas da Champions, ganhou o #doblete, dobradinha de La Liga e Copa do Rei. Foram ao todo 32 taças pelo Barça – quatro Champions, nada menos que nove ligas espanholas em dezesseis temporadas, seis Copas, sete Supercopas de Espanha, três Supercopas da Uefa e três mundiais de Clubes.

Com a camisa da Espanha, a Copa do Mundo 2010, e o bi da Euro, 2008 e 2012.

Só nos resta agradecer pelo privilégio de ter visto os recitais de Don Andrés Iniesta pelos gramados do planeta bola.

Gracias, maestro!

A propósito, a série “Ministério del Tiempo” tem muitas outras referências a futebol.

Continuar lendo “Andrés Iniesta Luján”