Rolê do blog pelo Museo del Fútbol, no estádio Centenario.

http://www.auf.org.uy/ Asociación Uruguaya de Fútbol
Linda vista aérea do mítico estádio, em foto que está no Museo del Fútbol e no site  da Asociación Uruguaya de Fútbol: http://www.auf.org.uy/
Obra de Carlos Páez Vilaró, no Museo del Fútbol, em Montevidéu

Com este belo mural do artista plástico uruguaio Carlos Páez Vilaró, no Museo del Fútbol do estádio Centenario, Fut Pop Clube começa o passeio pelo cenário da primeira Copa do Mundo, a de 1930 – e seu interessantíssimo museu, inaugurado em 1975. O ingresso não custa caro, não. Cerca de 10 reais. Nós brasileiros podemos pagar na nossa moeda, mesmo. Aliás, leve reais, dólares ou pesos uruguayos de sobra, porque a lojinha do museu é tentadora! O senhor que me recebeu, um “carbonero” (torcedor do Peñarol) foi super simpático, mostrou não só interesse como muito conhecimento sobre o futebol brasileiro. Falou com opinião sobre a seleção de 1982, de Telê, falou do goleiro Leão, Libertadores… Enfim, tem história para contar e muito interesse pelo futebol brasileiro, como outros torcedores uruguaios. Continuar lendo “Rolê do blog pelo Museo del Fútbol, no estádio Centenario.”

El Centenario de Montevideo

O estádio Centenario foi desenhado por  Juan Antonio Scasso e construído a toque de caixa -9 meses- para o primeiro Campeonato Mundial de Futebol. O nome é uma referência aos 100 anos da primeira Constituição uruguaia. Foi inaugurado já em meio à Copa do Mundo, em 18 de julho de 1930, com a vitória da Celeste (então bicampeã olímpica) sobre o Peru por 1×0. Gol de Héctor “Manco” Castro, que também marcaria o quarto gol contra a Argentina, na final da Copa (4×2, de virada).

“Manco” Castro, autor do gol inaugural do Centenário, também marcou este, o 4º do Uruguai na final contra a Argentina, em foto exibida no Museo del Fútbol

As tribunas Colombes e Amsterdam fazem referência a esses títulos olímpicos do Uruguai, nos Jogos Olímpicos de Paris, em 1924, e de Amsterdam, em 1928.
O Centenário também abrigou os campeonatos Sul-Americanos de 1942, 1956, 1967 e 1995, já como Copa América. Todos vencidos pela dona da casa, a Celeste.
Também foi a sede do Mundialito , que eles chamam de Copa de Oro. Deu Uruguai, em mais uma final contra o Brasil (já de Telê Santana).
Ainda bem que o Uruguai preserva suas memórias. valoriza conquistas e ídolos. Visitar o Centenario é visitar a história. Voltar no tempo e imaginar como foi a decisão de 1930. De arrepiar. Dentro do post, as fotos do rolê do blog pelo setor chamado Tribuna Olímpica, a que tem acesso os visitantes do museu. Entrei no clima de túnel do tempo e publico as fotos em preto e branco. Espero que você curta, meu caro leitor. Continuar lendo “El Centenario de Montevideo”

Sport Lisboa e Benfica. De todos um.

Galhardete (flâmula) do Benfica, que comemora 108 anos. Em 28 de fevereiro de 1904, nasceu o Sport Lisboa, que ao se unir com o Grupo Sport Benfica (de 26/07/1906) deu origem ao Sport Lisboa e Benfica. O glorioso SLB” que os adeptos encarnados cantam, dentro e fora da “catedral”, o magnífico estádio da Luz.
O site do Benfica mostra a evolução dos distintivos, desde o Sport Lisboa e do Grupo Sport Benfica, até o escudo do SLB de hoje. Continuar lendo “Sport Lisboa e Benfica. De todos um.”

“E novamente ele chegou com inspiração…”

Ubirajara Alcântara, Aloísio, Fred, Reyes, Paulo Henrique, Liminha, Rodrigues Neto, Rogério, Caio (depois Samarone), Paulo César e Arilson (depois Fio). Com esse time, citado pelo excelente site Fla Estatística.com, em 15 de janeiro de 1972 o mais querido derrotou o glorioso Benfica por um a zero, em partida do Torneio Internacional de Verão do RJ, disputado no Maracanã. Esse Fio, que entrou no lugar de Arilson e fez o gol da vitória rubro-negra sobre os encarnados de Lisboa, é o Fio Maravilha, imortalizado no samba-rock superclássico do homem-gol da MPB, sucesso de público até hoje nos shows de Jorge Ben Jor, como o que Fut Pop Clube curtiu sábado, no Circo Voador. “Foi um gol de anjo/Um verdadeiro gol de placa”, escreveu Jorge Ben Jor, torcedor do Flamengo que chegou a jogar no clube de coração.
Como bem lembrou o Memória EC no mês passado, em janeiro fez 40 anos da “jogada celestial” que inspirou o “gol de classe” da música brasileira que fala de futebol. Jorge Ben Jor lançou “Fio Maravilha” pela primeira vez no discão “Ben” (capinha ao lado), no mesmo ano: 1972. Continuar lendo ““E novamente ele chegou com inspiração…””

“Joga bola, jogador”

Show de JORGE BEN JOR
Circo Voador, Rio de Janeiro, 25/02/2012
Da Coluna de Música do Fut Pop Clube
“E novamente ele chegou com inspiração/Com muito amor, com emoção, com explosão e gol/Sacudindo a torcida”. Aos “trinta e três minutos” do segundo tempo do verão 2012, Jorge Ben Jor tabelou com sua celestial Banda do Zé Prestinho e começou um show de anjo, um verdadeiro show de placa no Circo Voador. Aliás, foram dois concertos em noites consecutivas. Fui ao de sábado, quer dizer, madrugada de domingo. Ben Jor e Banda do Zé Pretinho deram um showzaço aço aço para um mais do que o florido, “crowdeado” (e suado!) Circo Voador. Continuar lendo ““Joga bola, jogador””

Os campeões da Taça Guanabara


Flâmula do Fluminense, campeão da Taça Guanabara pela nona vez, ao vencer por 3 a 1 o Vasco da Gama, que tinha 100 por cento de aproveitamento no primeiro turno do campeonato estadual do Rio 2012. Parabéns à toda torcida tricolor!

Confira a lista dos vencedores da Taça GB (que o Flu não vencia desde 1993): Continuar lendo “Os campeões da Taça Guanabara”