Outra preciosa dica do seu Domingos D’Angelo, do Memofut, chega ao e-mail do Fut Pop Clube. A Giselda Bellini lança nesta quinta-feira, 18 de junho, seu livro sobre o seu marido, o homem que levantou a primeira Taça Jules Rimet verde-amarela. “Bellini – O Primeiro Capitão Campeão” (Prata Editora) tem 208 páginas e custa R$39,90. A noite de autógrafos desta biografia que já sai com duas estrelas de título mundial no peito começa às 19 h na livraria Saraiva do Shopping Higienópolis (Av. Higienópolis, 618 , São Paulo). Combinado? Nesta quinta, então. Capa Bellini
Dentro do post, a sinopse de “Bellini – O Primeiro Capitão Campeão”.
Continuar lendo “Lançamento: “Bellini – O Primeiro Capitão Campeão”.”

Uma homenagem ao ataque dos sonhos do Santos

noticia29266_041013_124902
Capa do livro “Santos Futebol Clube x O Mundo”, de José Roberto Brandi dos Santos: a trajetória internacional”

Dorval, Mengálvio, Coutinho, Pelé e Pepe. No sábado 12 de outubro, o ataque dos sonhos do Santos vai ser o tema da 50ª reunião do Memofut, grupo que discute a literatura e a memória do futebol. O encontro é aberto ao público em geral, a partir de 8h30, no auditório do Museu do Futebol, à esquerda da entrada do Pacaembu.
Duas estrelas desse ataque de sonhos foram convidadas pelo Memofut para participar do bate-papo, às 9h: o ponta-direita Dorval e o goleador Coutinho.
Às 11h30, o economista Humberto Mariano, torcedor do Santos e cronista, faz a apresentação sobre os números do quinteto mágico.
ÀS 12h10, o administrador de empresas José Roberto Brandi dos Santos, que é conselheiro do Peixe, bate papo sobre o livro que acaba de lançar: “Santos Futebol Clube x O Mundo“, sobre a trajetória internacional do alvinegro praiano. A coleção do Brandi dos Santos sobre o time de coração (e sobrenome!) tem mais  de 3.000 itens.

Como o encontro é aberto ao público e grátis, torcedores santistas e do jogo bonito devem chegar com certa antecedência.

Leônidas: 100 anos de histórias.

A programação dos encontro do Memofut sobre o Diamante Negro neste sábado.
Flyer do encontro do Memofut sobre o Diamante Negro, que rolou sábado, 14/09.

Os 100 anos do Diamante Negro renderam uma manhã repleta de informações – e de emoção – no encontro mensal do Memofut, grupo que discute a memória e a literatura do futebol, do qual este blogueiro tem orgulho de participar. Por ironia do destino, o Memofut costuma se reunir no auditório do Museu do Futebol, que fica dentro do estádio do Pacaembu – onde Leônidas brilhou com as camisas de seleções estaduais (carioca e paulista) e do São Paulo FC, cinco vezes campeão paulista com o “crack”: 1943, 45. 46, 48 e 49. Sua estreia com a camisa tricolor, num majestoso 3×3 contra o Corinthians, em 1942 é recorde de público do estádio até hoje: mais de 70 mil presentes.

Os palestrantes (oops): o são-paulino Michael Serra, o flamenguista Antonio Carlos Meninéa, o consultor Max Gehringer e o jornalista André Ribeiro, autor da biografia de Leônidas
Os palestrantes (oops): o são-paulino Michael Serra, o flamenguista Antonio Carlos Meninéa, o consultor Max Gehringer e o jornalista André Ribeiro, autor da biografia de Leônidas

O sabadão começou com a exposição do jornalista André Ribeiro, autor da biografia de Leônidas, Diamante Negro, que também exibiu o trecho final do documentário da TV Cultura sobre o artilheiro. Não bastasse o forte conteúdo do finalzinho da vida de Leônidas, a viúva do jogador, Albertina Pereira dos Santos, estava no auditório e recebeu uma homenagem do Memofut.  Foram momentos muito emocionantes. Continuar lendo “Leônidas: 100 anos de histórias.”

“Veneno Remédio – O Futebol e o Brasil”

Logo cedo, recebi a dica de seu Domingos D´Angelo, do Memofut, grupo que discute literatura e memória do futebol: o belíssimo texto de José Miguel Wisnik sobre as opções do futebol brasileiro, em especial da seleção, numa edição especial do caderno “Aliás”, “Travessia 2012/2013”, no “Estadão” deste domingo.

Assino embaixo a recomendação do amigo do Memofut. Vale a pena ler “Um espectro à procura da bola”, de José Miguel Wisnik – compositor, ensaísta e professor de Literatura Brasileira (clique aqui para ir à página no “Estadão”, acesso livre).

Pra quem gostar do toque de bola refinado de Wisnik, posso recomendar a leitura do livro  “Veneno Remédio – O Futebol e o Brasil” (Companhia das Letras, 2008).

companhiadasletras.com.br/
Companhia das Letras

Continuar lendo ““Veneno Remédio – O Futebol e o Brasil””

Um roteiro temático de futebol por São Paulo

Publicado em 24/11/2012

Um rolê pelos principais pontos de futebol de São Paulo é a proposta de um roteiro temático sugerido pela empresa de turismo da cidade, que fiquei conhecendo hoje na reunião mensal do Memofut, grupo que discute memória e literatura da bola, numa apresentação de Sergio Paz e Gabriel Rostey. A saber:

  1. Estádio do Pacaembu e Museu do Futebol
  2. Museu da Federação Paulista
  3. Obelisco da fundação do Corinthians
  4. Portuguesa e estádio do Canindé
  5. Parque São Jorge e Memorial do Corinthians
  6. Juventus  e estádio da rua Javari
  7. São Paulo FC e estádio do Morumbi
  8. Memorial Charles Miller, no SPAC, em homenagem ao artilheiro Miller, que nasceu num 24 de outubro como hoje, e foi pelo menos um dos maiores responsáveis pela introdução do futebol no Brasíl
  9. Monumento à excursão do Paulistano à Europa, em 1925
  10. Mackenzie, que tinha time no começo do futebol em São Paulo

Há menções às futuras arenas modernas, a do Palmeiras e a do Corinthians.

E dicas de bares e cafés: o tradicional São Cristóvão, mais José Menino, Pelé Arena Café & Futebol (centro, West Plaza e Faria Lima), bar O Torcedor no Pacamebu e Elídio Bar, na Mooca.

Os 100 anos de futebol do Flamengo, num encontro aberto do MemoFut, em São Paulo!

Publicado em outubro de 2012

O MemoFut, grupo que discute literatura e memória do futebol, costuma fazer reuniões fechadas no Museu do Futebol. Mas a deste sábado é aberta ao público e interessa à maior torcida do país, com grande representação em São Paulo. A partir de 9h da manhã, historiadores, jornalistas, pesquisadores e um ex-goleiro, hoje empresário, vão fazer apresentações sobre a história do Flamengo, a entrada do clube no futebol, há 100 anos, o centenário de Domingos da Guia, a torcida, as grandes conquistas rubro-negras. Chegue cedo, porque a entrada é de graça mas limitada à capacidade do auditório do Museu do Futebol (180 pessoas).
Confira a programação atualizada:

  • 8h30 – Memorabilia Futebolística Especial: os participantes poderão trazer qualquer livro, artigo ou objeto antigo ligado ao futebol do Flamengo
  • 9h –  Abertura e Comunicações da Coordenação
  • 9h15 – O Futebol no Flamengo – por Bruno Lucena, Coordenador de Pesquisa e Estatística do Departamento de Patrimônio Histórico do Flamengo.
  • 9h30 – A Maior Torcida do Mundo – Bruno Lucena
  • 9h45 – 100 anos do nascimento de Domingos da Guia – por Marcos Eduardo Neves,  jornalista, autor dos livros ‘Nunca Houve um Homem como Heleno’ e ‘Anjo ou Demônio/A trajetória de Renato Gaúcho’ e Curador do Museu Flamengo.
  • 10 h – O Torneio Rio-São Paulo de 1940 – Rhuan Carvalho, Historiador do Departamento de Patrimônio Histórico do Flamengo.
  • 10h15 – A Saga de 1981 – Antonio Carlos Meninéa, autor dos livros “1981 – O Ano mais feliz de nossa vida rubro-negra” e “Romeiro-O Sputnik Brasileiro”.
  • 10h30 Intervalo Continuar lendo “Os 100 anos de futebol do Flamengo, num encontro aberto do MemoFut, em São Paulo!”

Minelli Futebol Clube

O blog Fut Pop Clube teve o prazer de participar de um bate-papo promovido pelo MemoFut (grupo que discute literatura e memória do futebol), no último sábado, com o multicampeão Rubens Minelli, treinador com passagens pelo Palmeiras, Lusa, Internacional, São Paulo, Al-Hilal, Atlético Mineiro, Grêmio, Corinthians, Paraná, Santos, Coritiba e muitos outros.  Minelli ganhou quatro grandes títulos nacionais (três consecutivos), outros seis estaduais de primeira divisão, mas espera “até hoje” (83 anos) um convite para treinar a seleção brasileira… No encontro mensal do MemoFut, realizado no auditório Armando Nogueira do Museu do Futebol, no Pacaembu, o ex-ponta-esquerda do Ypiranga, do Nacional da Barra Funda, do Taubaté e do São Bento contou casos e causos de sua curta carreira de jogador profissional e da longa e vitoriosa passagem como técnico.

A flâmula acima é do América de São José do Rio Preto, onde Minelli começou pra valer na profissão de técnico de futebol, treinando a equipe principal, que sob seu comando foi campeã da segunda divisão paulista em 1963 e campeã do interior em 1964. Depois de passagens pelo Botafogo de Ribeirão, de novo América, Sport Recife, Francana e Guarani, Minelli voltou ao Palmeiras, onde tinha treinado equipes de base antes do convite de Rio Preto. Continuar lendo “Minelli Futebol Clube”