#FlashbackFriday: mascotinhos criados por Lais Sobral para seleções, em 2014.

#FlashbackFriday: mascotinhos criados por Lais Sobral para seleções, em 2014.

Antes do Mundial de 2014, disputado no Brasil, o blog Fut Pop Clube encomendou à artista plástica mineira Lais Sobral ilustrações sobre os 32 países classificados para a Copa disputada no Brasil. Nesta #FlashbackFriday, vamos lembrar 20 mascotinhos inventados pela Lais Sobral para seleções que também participam da Copa do Mundo de 2018, na Rússia.

Começando pelo bloco das quatro seleções já garantidas nas oitavas de final, até este nono dia de bola rolando. Rússia, Uruguai, França e Croácia.

Abaixo, uma galeria de mascotinhos bolados pela artista plástica em 2014 para 14 das 23 seleções que estão lutando por vaga nas oitavas em 2018! Começando pela arara azul que a Lais desenhou para homenagear o Brasil. A Colômbia é representada por um tigre – apelido do centroavante Falcao García.

Para terminar a série, mascotinho virtual da Costa Rica, que não tem mais chances de classificação, assim como Egito, Arábia Saudita, Marrocos e Peru.

Continuar lendo “#FlashbackFriday: mascotinhos criados por Lais Sobral para seleções, em 2014.”

A jovem Inglaterra para a Copa 2018

A jovem Inglaterra para a Copa 2018

Gostei de um vídeo da Footbal Association: a federação inglesa anunciou os 23 convocados pelo técnico Gareth Southgate para a Copa na Rússia com um clip divertido e bem produzido.


E não é só o vídeo da convocação que tem uma linguagem pra atrair a molecada. Jovem técnico, Southgate convocou um English Team com apenas cinco remanescentes do ‘grupo da morte’ no Mundial 2014, disputado aqui no Brasil. O Tottenham é o clube mais representado (5 jogadores dos Spurs), à frente do novo campeão inglês, Man City (quatro atletas), Man United (também quatro), Liverpool (dois do finalista da Champions foram chamados), Leicester (dois do antepenúltimo campeão inglês). O Chelsea, campeão da temporada passada, tem o experiente Cahill no time que vai à Rússia e mais o jovem Ruben Loftus-Cheek, emprestado ao Crystal Palace.Arsenal, Everton, Stoke, Burnley cederam um cada.
Goleiros:

  • Jack Butland, Stoke City, 25 anos
  • Jordan Pickford, Everton, 24 anos
  • Nick Pope, Burnley, 26 anos

Defensores:

  • Ashley Young, Manchester United, 33 anos
  • Gary Cahill, Chelsea, 33.
  • John Stones, Manchester City, 24.
  • Kieran Trippier, Tottenham Hotspur, 28 anos
  • Kyle Walker, Manchester City, 28 anos.
  • Danny Rose, Tottenham, 28 anos.
  • Fabian Delph, Manchester City, 29 anos
  • Harry Maguire, Leicester City, 25.
  • Phil Jones,Manchester United, 26 anos
  • Trent Alexander-Arnold, Liverpool,20 anos, chamado pela primeira vez para a seleção principal

Meio-campistas:

  • Eric Dier, do Tottenham, 24 anos.
  • Jesse Lingard, Manchester United, 26 anos
  • Ruben Loftus-Cheek, estava no Crystal Palace, emprestado pelo Chelsea, 22 anos
  • Jordan Henderson, Liverpool, 27
  • Dele Alli, Tottenham, 22 anos

Atacantes:

Coleção da Umbro liga sete clubes brasileiros a sete seleções do Mundial 2018

Umbro Nations: coleção especial de 7 clubes brasileiros, com referências a 7 países participantes do Mundial.

De olho na febre do Mundial 2018, a Umbro brasileira lançou nesta sexta-feira 13 sete novos uniformes de clubes nacionais com quem tem contrato, cada um em homenagem a uma seleção que vai disputar a Copa. Confira dentro do post.

Continuar lendo “Coleção da Umbro liga sete clubes brasileiros a sete seleções do Mundial 2018”

Bom programa!

Revista mensal (“Inside United”) e programa oficial de jogo do ManUtd (“United Review”), março de 2017.

Na gigantesca cultura de futebol na Inglaterra, alguns dos itens altamente colecionáveis são os programas oficiais dos jogos – revistas bacanudas que os clubes mandantes vendem a cada partida, seja de Premier League, de Copa da Inglaterra ou de Champions League. Estatísticas, histórico, tabelas, recados dos torcedores (como aniversários), lista dos jogadores relacionados para a partida em foco, as cores dos uniformes, reportagens – inclusive sobre o time adversário. É de babar para o torcedor de um “país do futebol” que praticamente só publica um jornal esportivo de alcance nacional (“Lance!”) e duas revistas de futebol (“Placar”, “Corner”).

A maioria dos grandes clubes também conta com revistas mensais, como você vê aqui na fotos com publicações do Man United e do Liverpool. Sem falar nas revistinhas independentes, editadas por torcedores, praticamente fanzines.

Revista mensal do Liverpool e programa oficial (“This is Anfield”) do jogão contra o Arsenal – março de 2017.

O Chelsea foi o primeiro clube a produzir um programa oficial consistente para dias de partida, segundo um painel informativo no museu de Stamford Bridge, que o blog visitou em março. Isso, já em setembro de 1905! Chelsea FC Chronicle era o nome do programa, editado por Fred Parker. A revista da partida de Copa da Inglaterra contra o Brentford, em janeiro de 2017, fez uma homenagem ao Chronicle de Fred Parker, com uma capa retrô. Muito legal.

O programa oficial do jogo do Chelsea contra o Brentford pela Copa da Inglaterra teve capa retrô – 28 de janeiro de 2017.

Ainda segundo o museu do Chelsea, na temporada 1912-13 o clube vendeu mais de 341 mil cópias. Em 1948, o programa chegou a 16 páginas. E segundo o Chelsea as vendas na temporada 1972-73 atingiram 99 por cento dos espectadores de Stamford Bridge. E isso o que representa para um clube de futebol? Recurso$$$$$$, claro. Desde 1905! Os clubes brasileiros certamente considerariam apenas uma despesa.

Programa oficial de um jogo de Champions que o torcedor do Arsenal certamente quer esquecer.

Cada programa custa entre 3 e 3,50 libras nas megalojas dos clubes ou em stands na frente dos estádios. E claro, na era da internet é possível baixar versões digitais dos programas, por um preço mais em conta. No fim do post, publico os sites de alguns programas dos clubes mostrados aqui.

Folheando revistas inglesas, a gente descobre sites especializados em revender essas revistinhas. Como escrevi no começo do post, uma memorabilia altamente colecionável. Bela lembrança de um jogaço, de uma grande vitória, de uma campanha campeã.

Programa do jogo do City contra o Huddersfield Town pela Copa da Inglaterra – março de 2017

Alguns links:
Continuar lendo “Bom programa!”

“Eight Days a Week – The Touring Years” e uma espetacular cena no estádio do Liverpool.

Anfield, 1964. Uma massa compacta de torcedores do Liverpool se espreme durante uma partida dos Reds no colossal setor Kop do estádio, ao cantar “She Loves You”, Top #1 de 1963, de Lennon e McCartney. Parece multidão em show de rock, mas é uma arquibancada em dia de jogo. John e Paul não estavam muito preocupados com futebol, queriam saber mesmo é de fazer música, mas o quarto single beatle inspirou os fãs do time vermelho da cidade (o Liverpool foi campeão inglês na temporada 1963-64). A cena, impressionante, está no filme Eight Days a Week – The Touring Years, de Ron Howard (diretor de Splash, CocoonWillow, Apollo 13, Uma Mente Brilhante, Código Da Vinci, Frost/Nixon, Rush etc). Enquanto não saem no Brasil o DVD e o Blu-Ray, você pode curtir um pedaço dessa cena de Anfield aqui.

17441_d_iphone-1
Cartaz brasileiro do filme de Ron Howard sobre os anos dos Beatles na estrada: “Eight Days a Week”.

O documentário sobre os anos de estrada dos Beatles passou no Festival do Rio em 2016 e esteve em cinemas de algumas cidades brasileiras agora, no começo de fevereiro de 2017 – quando ainda teve o concerto dos quatro no Shea Stadium remasterizado, em 4K, como espetáculo extra, ao fim da sessão. E pensar que em 2014 a produção divulgou um aviso pedindo para fãs do mundo que tivessem algum tipo de recordação de show dos Beatles (foto, imagem, memorabilia) entrassem em contato. Abaixo, a nota que publiquei na Coluna de Música.20170208_200657 Continuar lendo ““Eight Days a Week – The Touring Years” e uma espetacular cena no estádio do Liverpool.”

Britpop Football Club: as canções (oficiais ou não) das seleções do País de Gales e da Inglaterra.

facebook.com/manicstreetpreachers
Capa do single dos “Manics” com o hit da seleção de País de Gales. “Together Stronger” já tá esgotado! facebook.com/manicstreetpreachers
País de Gales (Adidas)
País de Gales (Adidas)

Escrevo o post no embalo dos cristalinos 3×0 do País de Gales (melhor do grupo B) sobre a seleção da Rússia, que está eliminada. ‘Together Stronger (C’mon Wales)’ , dos britpopers do Manic Street Preachers, é o hino oficial dos Dragons, a seleção galesa. O trio galês mandou bem e o clip tem bastante futebol e até a escalação do time liderado por Gareth Bale. A música tem a chancela da Football Association of Wales, que adotou a hashtag #TogetherStronger nas redes.

Muito legal!

O galático Gareth Bale ganhou música, não oficial, da banda indie Helen Love, para o campeonato europeu disputado na França

Em segundo lugar no grupo B, ficou a Inglaterra. Não encontrei uma canção oficial para o English Team nesta Euro 2016. Mas existe uma longa tradição de músicas feitas para embalar as seleções inglesas nos Mundiais e nas Eurocopas.

Inglaterra (Nike)
Inglaterra (Nike)

E direto da Madchester (cena alternativa de Manchester), o vocalista Shaun Ryder (Happy Mondays, Black Grape), não poderia ficar fora da Euro. Convocou o Kermit (parceiro de Black Grape) e os Djs Goldie e Paul Oakenfold. “Vestindo a camisa” dos Four Lions, eles gravaram a chicletuda “We Are England”, que basicamente diz: “Nós somos Inglaterra até morrer, até morrer”.

O Black Grape do red devil Shaun Ryder já tinha cantado a favor do English Team por causa da Euro 96: “England’s Irie“, com o Joe Strummer, que foi da seminal banda The Clash, e o ator Keith Allen (clique aqui). Também para a Euro 96, a banda Lightning Seeds (de Liverpool) compôs junto com os apresentadores David Baddiel e Frank Skinner a música ‘Three Lions (Football’s Coming Home) – já que o futebol que a gente conhece hoje nasceu na Inglaterra, onde aquela Euro foi disputada. Na Copa de 90,  World in Motion”, do New Order foi a canção oficial da seleção inglesa e o vídeo teve a participação de John Barnes e outros jogadores.
Se dependesse da quantidade de músicas de apoio, a Inglaterra estava feita nesta Euro… Curta abaixo a do quinteto The Lockerz, que pediu para a seleção trazer a taça de 2016 para casa.

Para a seleção da Irlanda do Norte, não achei um hino oficial. Mas uma canção beneficente (em prol da Cancer Fund For Children), foi gravada por Jinski: “Making Our Way to Paris” (paródia de ‘Living Next Door to Alice’, da Smokie).

Deu no Lance!: outra paródia faz sucesso nos estádios da Euro. Um torcedor do Wigan Athletic, Sean Kennedy, adaptou “Freed from Desire”, da italiana Gala. Virou “Will Grigg’s On Fire” para homenagear o atacante norte-irlandês Will Grigg, que jogou no Wigan. Ouça aqui.

Aguardem novos posts sobre o assunto. Já falamos das canções oficiais da Espanha e de Portugal, que você pode curtir e cantar junto – basta ver os vídeos dentro do post. Continuar lendo “Britpop Football Club: as canções (oficiais ou não) das seleções do País de Gales e da Inglaterra.”