Seleção paulista do CINEfoot 2015. Vale taça!

11700847_947461825289283_3787933161936121062_o
Uma boa notícia pro torcedor/espectador de Sampa é que está chegando a etapa 11036802_866215093413957_5276178551288061191_npaulista do festival CINEfoot, todo dedicado aos filmes de futebol. Começa em 26 de novembro e vai até 1º de dezembro, primeiro no auditório do Museu do Futebol, no estádio do Pacaembu, e depois no Espaço Itaú de Cinema da rua Augusta – todas as sessões de graça. Foram 156 inscrições. E para a seleção paulista, ficaram 15 filmes. Vamos ver que longas e curtas concorrem à Taça CINEfoot 2015.
CINEFOOT SÃO PAULO / MOSTRA COMPETITIVA DE LONGA-METRAGEM

1) E18hteam (Eighteam, de Juan Rodriguez-Briso, Espanha/Zâmbia). Sinopse: a ressurreição da equipe nacional de futebol da Zâmbia por meio de sua estrela, Kalusha, depois de perder 18 companheiros em um acidente de avião no Gabão em 1993. Kalusha enfrenta uma estrada de reconstrução de 18 anos até o destino fazer sua jogada: no Gabão, Zâmbia torna-se campeão africano depois de 18 longas batidas de pênaltis. Vale conferir, não? Dia 29, domingo, 19h, Espaço Itaú da Augusta.

2) Geraldinos (de Pedro Asbeg, Renato Martins, RJ). Documentário sobre os personagens da extinta geral do Maracanã. Foi o vencedor da Taça CINEfoot de longa-metragem no Rio. Sábado, dia 28, 21h, Espaço Itaú da rua Augusta. Saiba mais aqui ou no post anterior.

1522909_531443780327215_2136754061374261784_o

3) Isto é Söderstadion (de Andreas Bjunér, Suécia). Mostra a tristeza dos torcedores do  Hammarby na despedida do Söderstadion, antes de ter que dividir estádio com o clube rival.

4) Loucura que Apaixona minha Cidade (Locura que Enamora mi Ciudad, de Maximiliano Baldi, Argentina). Doc sobre o Talleres, de Córdoba, clube que completou sem centenário em 2013.

 

5) Meninos da Vila – A Magia do Santos (de Katia Lund, SP). A codiretora de “Cidade de Deus” investiga a fábrica de talentos do Santos. Passa no sábado 28 de novembro, na sessão das 19h, no Espaço Itaú de Cinema (rua Augusta).

6) Mundial, as Maiores Apostas (Mundial. Gra o wszystko, de Michal Bielawski, Polônia). O filme apresenta experiências dos principais jogadores do time da Polônia entrelaçadas a relatos de membros do movimento Solidariedade, presos,  que acompanharam a Copa de 1982 pela TV. Passa em 30 de novembro, 21h, no Espaço Itaú da rua Augusta, numa sessão mais política, junto com a segunda parte de Rebeldes do Futebol.

7) Nhô Quim, o Caipira Centenário (de Bruna Epiphanio, SP). Cáxara de fosfre, cúspere de grilo, bícaro de pato, gooor! Quinze, cra cra crá! Bom documentário sobre o estilo XV de Piracicaba de ser. Passa dia 30, uma segunda, na mesma sessão do filme do Ugo Giorgetti, às 19h, no Espaço Itaú da Augusta. Saiba mais aqui ou no post anterior.10551624_794774777229357_649466779066034514_o-1-1

Para a mostra de curtas, o CINEfoot selecionou 8 filmes, cinco deles brasileiros. Tem até um do Ugo Giorgetti sobre o extinto Comercial FC, da capital. Confira a convocação.

CINEFOOT SÃO PAULO / MOSTRA COMPETITIVA DE CURTA-METRAGEM

1) Chapa (de Fabio Montanari, SP). Sinopse: Chapa e Feola são injustamente demitidos da padaria em que trabalham há mais de 20 anos. Como vingança, eles tentam roubar o antigo local de trabalho. O plano será perfeito se eles voltarem para casa a tempo de assistir ao primeiro jogo do Brasil na Copa de 2014.

2) Comercial F.C. – A Equipe Fantasma (de Ugo Giorgetti, SP). O diretor dos filmes “Boleiros”. também um excelente cronista, vai atrás do que sobrou da história do Comercial FC, time da capital que é um dos fundadores da federação paulista. Passa dia 30, uma segunda, na mesma sessão de “Nhô Quim”, às 19h, no Espaço Itaú da Augusta. Saiba mais aqui.

3) Copa de Botão (de Esmir Filho, SP). Sinopse: Aborda os diferentes pontos de vista de estrangeiros que vivem em São Paulo. Enquanto disputam um campeonato de jogo de botão, cada personagem ou jogador, representando o time de sua nacionalidade, debate com seu adversário questões relevantes sobre como é viver no Brasil sendo estrangeiro, as diferenças e semelhanças com seu país de origem, a relação construída com a cidade de São Paulo e, claro, a relação de cada um com o futebol e com a copa que passou por aqui.

4) O Caminho dos Melancólicos (El Paseo de los Melancolicosde Nacho Casado, Espanha). Os torcedores colchoneros mais fanáticos podem depositar suas cinzas numa cripta do estádio Vicente Calderón. Só que o Atlético de Madrid vai mudar pra La Peineta. E aí, como é que fica? Sinistro! Passa dia 29, um domingo, 21h, no Espaço Itaú da rua Augusta.

5) O Outro Lado (de Khen Shalem, Israel)

6) Pedra que Canta, Pedra que Dorme (de Tata Amaral, SP)

7) Ruim é Ter que Trabalhar (de Lincoln Péricles, SP)

8) Um Brilho de Felicidade (de Ricardo Wolff e Sven Schrader, Alemanha).

  • Confira a programação completa aqui.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s