Partida 927 (e última) por La Liga no Vicente Calderón.

Partida 927 (e última) por La Liga no Vicente Calderón.

Atualizado

Calderón, 2014.

O Atlético de Madrid se despediu hoje do seu estádio Vicente Calderón, justamente numa partida contra o Athletic – lá atrás, em 1903, foram torcedores do clube de Bilbao que fundaram o Atlético de Madrid, inclusive com as mesmas cores; o primeiro uniforme dos dois clubes era azul e braco, só depois viraram #rojiblancos. 3×1 para o time da capital.

Só por La Liga, foram 927 partidas no estádio de Manzanares. No sábado, 27 de maio, o Calderón rojiblanco ainda recebe a final da Copa do Rei, entre Barça e Deportivo Alavés. No domingo, 28, uma partida entre mitos #atléticos.

Dois brasileiros estão no Top 10 dos artilheiros do Atleti no estádio, inaugurado em 1966. Veja a lista dos dez maiores goleadores (Fonte: Mundo Deportivo):

Continuar lendo “Partida 927 (e última) por La Liga no Vicente Calderón.”

Eterno Calderón, bela campanha da revista #Líbero.

Eterno Calderón, bela campanha da revista #Líbero.

16 de maio de 2017

Uma campanha de doação de órgãos como você nunca viu.

Eterno Calderón (1966- ).

Depois do gol de placa que foi a série “Fútbol vs Alzheimer”, a ótima revista espanhola “Líbero” encabeça uma campanha para que o cinquentão “Don Vicente”, o estádio Vicente Calderón, doe seus “órgãos” – como refletores, cadeiras, traves, placar eletrônico, gramado – para mais de trinta clubes de bairro da capital espanhola. Como sabemos, o Calderón só tem mais um jogo de La Liga (Atlético x Athletic, no domingo), a final da Copa do Rei (Barça x Deportivo Alavés, dia 27) e uma partida de históricos jogadores #rojiblancos, antes de ir pro chão. O Atleti está de mudança para o Wanda Metropolitano. Continuar lendo “Eterno Calderón, bela campanha da revista #Líbero.”

Últimos lugares: só faltam 4 jogos do Atleti por La Liga no estádio Vicente Calderón.

Últimos lugares: só faltam 4 jogos do Atleti por La Liga no estádio Vicente Calderón.

O site oficial do Atlético de Madrid avisou, nesta primeira semana de abril: faltam só quatro jogos de La Liga no estádio Vicente Calderón, que vai pro chão quando os rojiblancos enfim mudarem para o Wanda Metropolitano.

Fiesta rojiblanca

Pelas quartas de final da Champions, o Atleti recebe o Leicester no Calderón, na quarta-feira. E em caso de classificação para as semifinais, é claro que voltará a jogar em sua casa.

Adios, Calderón.

E assim, restam pouquíssimos ingressos para este cinco jogos oficiais do Atlético confirmados na temporada de despedida do cinquentão estádio del Manzanares – a final da Copa do Rei será mais uma vez no Calderón: Barcelona e Deportivo Alavés decidem a taça em 27 de maio.

No sábado, dia 8, faltavam umas quinhentas entradas, de acordo com uma rápida pesquisa no site do Atlético.

Duzentas e cinquenta e sete para as quartas da Champions, contra o Leicester, de 70 a 650 euros.

Para a partida contra o Osasuna, no sábado, 15 de abril, 66 ingressos, de 40 a 400 euros.

Para o jogo contra o Villarreal, na terça, 25 de abril, 75 entradas, de 40 a 450.

Contra o Eibar, na antepenúltima rodada, apenas 44 bilhetes, o mais barato a 200 euros.

E para a última partida de La Liga no Calderón, na rodada 38, fim de semana de 20 e 21 de maio, por coincidência ou não entre Club Atlético de Madrid e Athletic Club, de Bilbao (clube também rojiblanco que inspirou a fundação dos colchoneros, em 1903), restam na hora da pesquisa para este post 96 entradas, de 250 à bagatela de 750 euros.

Continuar lendo “Últimos lugares: só faltam 4 jogos do Atleti por La Liga no estádio Vicente Calderón.”

Mais três golos!

Eis que na despedida dos dérbis madrilenhos (pelo menos os de Liga) do atual estádio do Atlético de Madrid, o Vicente Calderón, a festa foi do visitante, foi uma fiesta madridista.

Siga o futpopclube no Instagram: www.instagram.com/futpopclube/
Siga o futpopclube no Instagram: http://www.instagram.com/futpopclube/

O avançado Cristiano Ronaldo fez um, dois, três golos. Maior artilheiro dos dérbis de Madrid da história. 18 golos!

De falta, de pênalti, de cabeça.

Continuar lendo “Mais três golos!”

Cholo-propaganda

Cholo-propaganda

Neste fim de semana de grandes clássicos do futebol mundial, vamos ter daqui a pouco o último #DérbiMadrileño de campeonato espanhol no cinquentão Vicente Calderón – na próxima temporada o Atleti vai trocar o estadio del Manzanares, no sul de Madri, por um novo estádio, La Peineta. Último dérbi de Liga porque, claro, pode pintar um Atlético x Real na Copa do Rei ou quem sabe mais uma vez em mata-mata da Champions!
Bom gancho para curtir este anúncio maneiro da companhia ferroviária espanhola, a Renfe, estrelado pelo técnico que devolveu o orgulho rojiblanco aos que vão a Manzanares em busca de emoção.

Continuar lendo “Cholo-propaganda”

50 anos do estádio del Manzanares (Calderón)

facebook.com/AtleticodeMadrid
facebook.com/AtleticodeMadrid

O domingo, 2 de outubro, foi de festa para o Atlético de Madrid. Os colchoneros comemoraram os 50 anos do atual estádio. Em 2 de outubro de 1966, o então estádio del Manzanares foi inaugurado numa partida contra o Valencia (1×1). Em 1971, o estádio recebeu o nome de Vicente Calderón – presidente do clube que consolidou a mudança do estádio Metropolitano para Manzanares (a propósito, recomendo um vídeo do jornalista espanhol Andres Cabrera sobre o estádio Metropolitano). O Calderón ficou pronto em 1972 e foi definitivamemte inaugurado num amistoso contra a seleção uruguaia. 2×0 para o Atlético.

Como na rodada do fim de semana o Atlético jogou em Valencia, os torcedores puderam ver em telões no estádio à beira do rio madrilenho a vitória por 2×0 em Mestalla (mesmo com os dois pênaltis defendidos pelo goleiro valencianista, o brasileiro Diego Alves, recordista no futebol espanhol). A vitória em Valencia, o empate do Real e a derrota do Barça levaram o Atleti à liderança de La Liga. Quase 12 mil rojiblancos estiveram no Calderón curtindo o domingão. Continuar lendo “50 anos do estádio del Manzanares (Calderón)”

O Atleti, uma década e meia depois do ‘inferno’.

O Atlético de Madrid comemorou neste 28 de junho de 2016 a marca de 87 mil sócios! Ainda há 5 mil interessados nos carnês para última temporada no estádio Vicente Calderón.

— Atlético de Madrid (@Atleti) 28 de junho de 2016

É, é verdade. O vice-campeão europeu vai mesmo mudar de estádio na temporada 2017-18. Os trabalhos estão adiantados.

Mas há quinze anos, os tempos eram de vacas magras…

Este post foi inspirado pelo leitor e parceiro do blog Clayton Fagundes Cardoso, que comanda com o Pedro Tattoo o canal Casual Football e também fala de música no I Wanna Rock.

O Atlético de Madrid, que nos últimos dois anos chegou a duas finalíssimas de Champions League, viveu num “inferno” não faz tanto tempo assim, na virada do milênio. O “inferno” da segunda divisão. Há quinze anos, os colchoneros, torcedores do Atlético de Madrid, lamentavam uma temporada em que a luta para voltar à primeira divisão bateu na trave.

Retrô: réplica do primeiro uniforme do Atlético de Madrid, que era sim azul e branco, como o Athletic Club, de Bilbao, que inspirou a criação do clube madrilenho.
Retrô: réplica do primeiro uniforme do Atlético de Madrid, que era sim azul e branco, como o Athletic Club, de Bilbao, que inspirou a criação do clube madrilenho.

No meio de uma crise política e financeira, dentro de campo o Atleti tinha sido rebaixado pra segundona espanhola na temporada 1999-2000. Pra surpresa de todos, o Atleti não conseguiu subir ao fim da Liga Adelante 2000-2001. Teve o artilheiro da segundona, Salva (20 gols), já tinha um (muito) jovem Fernando Torres. Mas ficou em quarto lugar. Mesmo número de pontos do Tenerife, perdendo no gol average (junto com os canários subiram Sevilla -campeão- e Betis).

Quem poderia imaginar? Um grande do futebol cair e não voltar na temporada seguinte!  Na Espanha, isso aconteceu com o Atlético de Madrid. Dá para imaginar as gozações dos madridistas, não?

Mas quer saber? Caiu? Levanta, sacode a poeira e dá a volta a por cima.

E foi o que o Atlético de Madrid fez. Uma vez mais com o mestre Luis Aragonés no comando, os atléticos finalmente conquistaram o título da segundona em 2001-02 e o bilhete de volta para a liga das estrelas.

Assim, o clube de Manzanares conseguiu comemorar na primeira divisão o seu centenário, em 2003. O melhor estava por vir. Continuar lendo “O Atleti, uma década e meia depois do ‘inferno’.”