América Futebol Clube, 100 anos do Coelho


Vídeo institucional do centenário América Mineiro, uma dica do CINEfoot via twitter.  O Coelho -decacampeão de Minas Gerais entre 1916 e 1925- fez 100 anos na segunda-feira, 30 de abril de 2012. O Mecão conquistou mais cinco títulos mineiros, um Brasileiro da série B (1997), outro da C (2009) e uma Copa Sul-Minas (2000).
Curioso é que o mote do vídeo é “um time para poucos”. E pensar que o clássico que decide o Campeonato Mineiro já foi chamado Clássico das Multidões (antes da explosão do Cruzeiro de Tostão e Dirceu Lopes, nos anos 60, o Coelho era o principal rival do Galo). Mas com certeza o reformado Independência vai lotar na decisão.

Ficha técnica do vídeo dentro do post:

Continuar lendo “América Futebol Clube, 100 anos do Coelho”

Peixe, de braçada, rumo a mais um tri. Com “hat-trick” de Neymar.

http://www.viladosantos.com.br

Com a bela camisa azul comemorativa do centenário, o Santos mais uma vez eliminou o São Paulo numa semifinal de Paulistão e nada de braçada para o tricampeonato estadual, algo que não acontece desde o Peixe de Pelé (1967-68-69). Jogo que começou a ser decidido bem cedo. Menos de dois minutos de jogo, e Paulo Miranda já fazia pênalti. Continuar lendo “Peixe, de braçada, rumo a mais um tri. Com “hat-trick” de Neymar.”

Sobre Guardiola, Barcelona e uma canção de Adriana Partimpim

Barcelona sem Guardiola. Guardiola sem Barcelona. A confirmação da saída de Pep Guardiola do Barcelona numa entrevista coletiva, que (pasmen!) foi transmitida para o mundo todo pela CNN International, me lembrou de uma canção do projeto de Adriana Calcanhotto de músicas para os chicos e chicas. É como “Avião sem asa, fogueira sem brasa… Futebol sem bola…”. Adriana Partimpim, “Fico Assim Sem Você” – veja aqui o clip. Continuar lendo “Sobre Guardiola, Barcelona e uma canção de Adriana Partimpim”

Mostra Futecine: cinema e futebol em Porto Alegre

Falei aqui recentemente do festival alemão 11 mm, que rolou em Berlim. E do CINEfoot, que chega a sua terceira edição no fim de maio no Rio e em São Paulo. Fiquei sabendo pelo twitter da editora Livros de Futebol e pelo globoesporte.com da Mostra Futecine – Convergência de Paixões, que começou na terça 24 vai até quinta-feira, 3 de maio, em Porto Alegre. Continuar lendo “Mostra Futecine: cinema e futebol em Porto Alegre”

Champions: melhor que Copa do Mundo?

“O melhor futebol do mundo é no 13”. Era assim que o locutor Fernando Solera narrava gols no canal 13 de São Paulo, TV Bandeirantes, num tempo em que as TVs eram muito conhecidas pelo número do canal. Tempos que ainda jogavam por aqui Ademir da Guia, Rivellino, Pedro Rocha
Hoje, o melhor futebol no mundo é no 13, no 5, no 9, no 44, no 45, no 305, 313, 345… enfim, nos canais que passarem a Champions League, muitas vezes em HD. Ou mesmo numa sala de cinema 3D, como vai ser o caso da decisão entre Chelsea e Bayern, em 19 de maio. Continuar lendo “Champions: melhor que Copa do Mundo?”

A reinauguração do Estádio Independência

Publicado em 25 de abril de 2012

O amistoso América Mineiro x Argentinos Juniors marca a despedida de Euller (“o filho do vento”) e a reinauguração do estádio Raimundo Sampaio, mais conhecido como Independência, ou ainda Campo do Sete (referência ao Sete de Setembro, primeiro dono do estádio). O Independência foi um dos estádios usados na Copa do Mundo de 1950: três jogos, inclusive a zebraça EUA 1×0 Inglaterra, tema do filme “Duelo de Campeões” (veja post anterior). Desde 2010, foi totalmente reformado. E apesar dos pontos cegos, será a grande opção dos clubes de BH durante as obras do Mineirão para a Copa de 2014.  Belo presente também para o torcedor do América-MG – às vésperas do centenário do Coelho. Ficou com cara de alçapão, como você pode ver na segunda foto do post. Continuar lendo “A reinauguração do Estádio Independência”

“Duelo de Campeões” | “The Game of Their Lives”

duelo de campeões
Belo Horizonte, 29 de junho de 1950. Num jogo contra a Inglaterra, os Estados Unidos aprontaram uma das maiores zebras da história das Copas, no 1º mundial organizado no Brasil. A seleção americana de “soccer” derrotou os inventores do futebol por 1 a 0, no estádio Independência,  em Belo Horizonte. Gol de Gaetjens, um imigrante haitiano. A curta saga dessa seleção americana é romanceada no filme americano “Duelo de Campeões”, disponível em DVD– o título original, “The Game of Their Lives” (o jogo da vida deles) é mais legal.
Em 1950, o English Team era um dos grandes favoritos. E a seleção americana na época foi armada quase às pressas, juntando atletas de Saint Louis e costa leste, segundo o filme.  Por aí dá para ter ideia da zebraça que foi EUA 1 x 0 Inglaterra em 1950.
“Duelo de Campeões”, ou “The Game of Their Lives”, tem algumas locações no Brasil. Vamos até descontar o fato de as cenas do duelo entre americanos e ingleses serem filmadas no estádio das Laranjeiras, no Rio, como se fosse o local da partida na vida real: o estádio Independência, de BH, que nos últimos anos foi totalmente reformado.
É uma boa sessão da tarde, com aquele tom épico hollywoodiano. E pensando bem, o jogo da vida daqueles 11 entusiastas do “soccer” merecia mesmo virar filme.
Leia também: doc sobre o New York Cosmos e outros filmes sobre futebol.