Hino nacional: como em quase todas as partidas do Brasil na Confederações 2013, um momento de muita emoção.
Hino nacional: como em quase todas as partidas do Brasil no torneio, um momento de muita emoção.

Um minuto e meio de jogo. Não deu nem para saída. Empurrada por 78 mil vozes, que cantaram o hino nacional à capella, a seleção brasileira voltou a usar a blitz do começo de cada tempo na campanha da Copa das Confederações. A defesa espanhola vacilou e Fred, com força, presença na área, faro de gol e ousadia marcou, caído, o primeiro. Só que o Brasil de Felipão não parou por aí. É verdade, David Luiz, tema  do post anterior, foi festejado como artilheiro ao salvar um gol certo. Seria o gol de empate da Espanha, alvo da ira de grande parte dos torcedores brasileiros. Eles têm uma bronca danada do futebol “tiki-taka”, tic-tac, o toque de bola infindável da Roja, que diga-se de passagem, foi bem usado na estreia, contra o Uruguai, e não muito mais. E esses torcedores gritaram:

Uh! Cadê? O tic-tac sumiu.

1013062_401700893284609_763310495_nMas essa linha de passe era uma velha característica do futebol brasileiro. Tabelinha entre Oscar e Neymar, golaço do novo astro do Barcelona, sem dúvida, o MVP da Copa das Confederações. Bola de Ouro e chuteira de bronze para Neymar Jr. 2×0. E aí o Maracanã- que obra nenhuma consegue enfeiar – começou a cantar “O campeão voltou”…
Começo do segundo tempo, outra blitz da seleção de Scolari. Fred, chuteira de prata, definiu o placar. 3×0. No meio do segundo tempo, o público já soltava gritos de “é campeão”.
63 anos depois que as “Touradas em Madri”, clássico de Alberto Ribeiro e João de Barro, o Braguinha, lembrado no blog do Beto Xavier, foram entoadas no Maracanã (o que dizem, enfureceu os espanhóis, que ficaram sem jogar com o Brasil até a Copa de 62)… 63 anos depois dos 6×1 sobre a Espanha, do 1×2 para o Uruguai e do Maracanazo, o (ainda) estádio Mario Filho cantou e pediu bis para “O Campeão(Meu Time)”, sucesso de Neguinho da Beija-Flor, hino do maior dos nossos estádios: “Domingo, eu vou ao Maracanã, vou torcer pro time que sou fã”… Imagina na Copa, Neguinho, que emoção! O povo também cantou o refrão de “Peguei o Ita no Norte”, samba campeão do Salgueiro, de 1993: “Explode coração, na maior felicidade…”

A Espanha tem que acertar sua defesa e ser mais efetiva na frente, quem sabe se definir um 9 melhor que “Niño” Torres. A Itália (3º lugar) mostra que pode evoluir ainda mais. O Uruguai, se vier, tem bom time e uma camisa que é sinônimo de raça, seus jogadores se superam quando a vestem.  Tem Alemanha e Argentina ainda… Mas o fator campo e torcida podem ser decisivos em 2014. E tem o fator Felipão. O campeão voltou.

DSC02434
O Rio de Janeiro é a cidade brasileira mais acostumada a receber grandes eventos. A estação Maracanã é uma das três do Metrô próximas ao estádio. Você mal sai da estação e olha só…
Tudo pronto para Brasil x Espanha
Tudo pronto para Brasil x Espanha
DSC02465
Os olhos do mundo para a taça.
DSC02453
O onze inicial da seleção Canarinho 2013.
O gol-relâmpago abalou o time campeão do mundo.
O gol-relâmpago abalou o time campeão do mundo.
O herói David Luiz e o goleiro Julio Cesar comemoram o golaço de Neymar. Brasil 2x0.
O herói David Luiz e o goleiro Julio Cesar comemoram o golaço de Neymar. Brasil 2×0.
Deu o recado!
Deu o recado!
No intervalo, o fotógrafo se divertiu com o Fuleco.
No intervalo, o fotógrafo se divertiu com o Fuleco.

Fred marcou o terceiro e explodiram de os gritos de "o campeão voltou".
Fred marcou o terceiro e explodiram de os gritos de “o campeão voltou”.
Felipão não sossega nem com 3x0 no placar, ou melhor, no telão.
Felipão não sossega nem com 3×0 no placar, ou melhor, no telão.
É, Casillas, estava feia a coisa na defesa...
É, Casillas, estava feia a coisa na defesa…
"O dia já vem raiando meu bem..."
“O dia já vem raiando meu bem…”
Iluminação verde e amarela no Maraca. A massa cantou várias vezes "O Campeão (Meu Time)",  samba de Neguinho da Beija-Flor: "Domingo, eu vou ao Maracanã..."
Iluminação verde e amarela no Maraca. A massa cantou várias vezes “O Campeão (Meu Time)”, samba de Neguinho da Beija-Flor: “Domingo, eu vou ao Maracanã…”
Será que em 2014 também vai rolar A Festa?
Será que em 2014 também vai rolar A Festa?
A volta olímpica demorou demais...
A volta olímpica demorou demais…
Bandeiras do CSE, de Palmeira dos Índios (AL), e do Atlético Paranaense: torcidas de todas as regiões do Brasil, presentes!
Bandeiras do CSE, de Palmeira dos Índios (AL), e do Atlético Paranaense: torcidas de todas as regiões do Brasil, presentes!
DSC02555
Torcida da Roja: em pequeno número, mas presente.
No Metrô, no estádio, na saída: torcedores peruanos, mexicanos, uruguaios também foram ao Maracanã.
No Metrô, no estádio, na saída: torcedores peruanos, mexicanos, uruguaios também foram ao Maracanã.

O risco de conquistar a Copa das Confederações pela quarta vez, terceira seguida, é o do “já ganhou”. Felipão sabe disso e vai trabalhar para que esse título sirva de motivação, não de acomodação, com o seu grande objetivo: levantar o hexa em 13 de julho de 2014, neste mesmo bat-estádio.

Passarela de acesso à estação Maracanã do Metrô- 'formigueiro' humano, na saída do jogo.
Passarela de acesso à estação Maracanã do Metrô- ‘formigueiro’ humano, na saída do jogo.

A propósito, jamais vi um aparato de segurança tão grande como nas cercanias do Maracanã. O Rio -cidade brasileira melhor preparada para receber grandes eventos – sabe que nada pode dar errado. O Metrô funciona bem, com 3 estações próximas (Maracanã, São Cristóvão e São Francisco Xavier – claro, que na saída, 78 mil pessoas querendo ir embora, ao mesmo tempo, as passarelas e plataformas ficam superlotadas). Só não vale entregar de mão beijada para um empresário “X” o estádio do povo, depois de mais uma reforma, que consumiu mais de um bilhão de reais. Afinal, o Maracanã é nosso! É de todo o Rio, é de todo brasileiro, é de todo fã de futebol no planeta bola.

Não à privatização do Maracanã.
Não à demolição do estádio de atletismo Célio de Barros e do parque aquático Júlio Delamare.

Não à privatização. Não à demolição do estádio de atletismo Célio de Barros.
Não à privatização do Maracanã. Não à demolição do estádio de atletismo Célio de Barros.
Os campeões foram pra galera
Os campeões foram pra galera

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.