Flâmula: Roma

Gagliardetto (flâmula) da A.S. Roma, time do imperador Adriano (até quando?), do goleiro Júlio Sérgio, do zagueiro Juan, e dos meio-campistas Fábio Simplício e Rodrigo Taddei. Já foram giallorossi Falcão, o Rei de Roma, Toninho Cerezo, Andrade, Renato Gaúcho, Aldair, Cafu. Lima, o atacante Fábio Júnior, Antonio Carlos Zago, Émerson, Mancini… E muito antes, o Dino da Costa, um centroavante ex-Botafogo, que atuou na Roma de 1955 a 60, me informa o livro Bola Fora, do PVC. Continuar lendo “Flâmula: Roma”

Penalidade Máxima

O fim de semana de tantos pênaltis decisivos (Cruzeiro de Porto Alegre eliminando Inter “B” nas quartas da Taça Piratini, com goleiro acertando e goleiro errando; ambas semifinais da Taça Guanabara definidas na marca da cal – Felipe conquistando a massa; Rogério Ceni desperdiçando a chance de se aproximar ainda mais do 100º gol na goleada contra o Bragantino ) lembrou-me de um conto arrepiante do goiano Flávio Carneiro, torcedor do Botafogo, no especial Literatura & Futebol da revista Bravo! (nas bancas). Uma narrativa praticamente cinematográfica, que prende o leitor até o apito final, digo, última linha. Continuar lendo “Penalidade Máxima”

Copa do Brasil !

Um barato o Flamengo de Ronaldinho Gaúcho pegar o Murici (AL) no estádio Rei Pelé, vulgo Trapichão. O São Paulo de Rogério Ceni visitar o Treze no Amigão de Campina. Iape do Maranhão contra o Galo. Comercial (MS) x Vasco. Comercial (PI) x Palmeiras! Ipiranga (RS) x Coxa! Sampaio Corrêa x Sport! Rio Branco (AC) x Furacão! River Plate (SE) x Fogão. Imagine o(s) público(s) da(s) partida(s) entre Corinthians (RN) x Santa Cruz? Faz um agrado nos simpatizantes desses times na região visitada – que só devem aumentar seus fã-clubes por lá. Para alguns, é o nosso torneio mais democrático (tem pelo menos um time de cada estado). Só que a Copa do Brasil poderia ser mais valorizada. Primeiro, se não rolasse nas mesmas datas da Libertadores. Segundo, se tivesse os clubes que disputam a competição continental. Por que Fluminense, Santos, Inter, Cruzeiro, Grêmio e Corinthians não podem disputar a Copa do Brasil? Por que o campeão da Copa do Brasil nunca pode tentar o bi? Ah, faltam datas? Simples. Reforme-se o calendário. Estaduais muito mais curtos, com uma fase de grupos e depois mata-mata. Copa em datas nobres, finais em fins de semana, sem concorrer com Libertadores.

Para variar, deixo aqui a dica do livro cuja capa ilustra o post. “20 Anos da Copa do Brasil – De Kaburé a Cícero Ramalho”, de Alex Escobar e Marcelo Migueres, foi lançado no começo de 2009 pela editora Viana e Mosley, portanto, não inclui as conquistas do Santos (2010) e Corinthians (09).

Os Belenenses e o Estádio do Restelo

Publicado em fevereiro de 2011

Fotos: FutPopClube

Foi neste simpático estádio da foto acima que Ronaldo Fenômeno marcou seu primeiro gol pelo Cruzeiro, numa excursão da Raposa pela Europa. O Cruzeiro foi ao estádio do Restelo enfrentar os Belenenses, donos da casa. E estrela do jovem artilheiro começou a brilhar em gramados internacionais. Agosto de 1993. Primeiro gol do então Ronaldinho, 16 anos!

Galhardete de jogo dos Belenenses contra o Bayern, no Museu do clube

“Gancho” para publicar mais um rolê do Fut Pop Clube: agora pelo belo estádio do Restelo e sede do Clube de Futebol Os Belenenses.

O nome vem do bairro lisboeta onde o clube foi fundado: Belém, o mesmo dos tentadores pastéizinhos. E o estádio – que me lembrou um pouco o velho Palestra Itália, do Palmeiras, antes da demolição, claro, mas com pista de atletismo na mesma cor da do Engenhão – está muito bem localizado, pertíssimo do Mosteiro dos Jerônimos e da Torre de Belém, com vista para o rio Tejo e Ponte 25 de Abril. Saca só as fotos abaixo.

Vista do Clube de Futebol Os Belenenses

Continuar lendo “Os Belenenses e o Estádio do Restelo”