Uma vez Fenômeno

Impressionante a repercussão no Brasil e no mundo da aposentadoria ou “primeira morte” de Ronaldo Fenômeno. Cadernos e mais cadernos especiais no Brasil. Capa do Olé, na Argentina. Destaque na primeira página do importante El País, da Espanha… “Fenômeno de mídia” era o título do post que republico abaixo, sobre um documentário que trata do fenomenal começo de carreira de Ronaldinho, até a Copa América de 1997. Bem que alguém poderia reprisá-lo…

Um dos “pratos” prediletos aqui do FutPopClube são as películas sobre futebol. Já abordei algumas, que você pode ler/reler nesta tag. Esta semana eu revi um documentário sobre o começo da carreira de Ronaldo, feito em vídeo. Ronaldo: Manual de Vôo (mantive o acento já que se trata do título da obra feita antes da reforma ortográfica). É uma produção hispano-brasileira de 1997, exibida muito tempo atrás pela ESPN Brasil, e que no passado assisti no Canal Brasil, graças a uma dica da coluna do crítico de cinema Amir Labaki, no jornal Valor.

O vídeo de 40 minutos do diretor Sergio Oksman é centrado nos depoimentos de um jovem Ronaldo, de seus pais, seus primeiros procuradores e boleiros do São Cristóvão, clube da Zona Norte do Rio onde o Fenômeno começou no futebol de campo. Ele era ainda o Ronaldinho, fininho, cabeça raspada, antes da transferência do Barcelona para a Inter de Milão. O menino criado em Bento Ribeiro trata Zico como seu maior ídolo. Não aprovado num primeiro teste no Flamengo, não voltou por falta de dinheiro para condução. Ronaldo: Manual de Vôo tem imagens de um Fenômeno de 13 anos jogando futsal, no Social Ramos Clube. Logo, diretores do Social o levaram para teste no São Cristóvão. E pensar que o São Cri-Cri vendeu o passe de Ronaldo para os procuradores Alexandre Martins e Reinaldo Pitta em troca do pagamento da folha salarial de 10 mil dólares. Logo, o menino começaria a marçar seus gols no Cruzeiro (93-94), depois PSV da Holanda (94-96), Barcelona (96-97)… e nesses três primeiros clubes foram muitos gols, média altíssima de quase um por partida. o must do documentário de Oksman é a coleção de gols pela Raposa, pelo PSV Eindhoven (muitos tiros de fora da área), pelo Barça, que ainda vestia uniformes da Kappa (arrancadas que renderam comparações a Pelé pelos catalães) e pela Seleção, num Sul-Americano sub-17 e na Copa América de 1997 (no tetra, 94, estava no elenco, mas o então Ronaldinho não entrou em campo, infelizmente). Fique bem claro que o vídeo foi feito antes da Copa 98, da convulsão, da Inter de Milão, das contusões, do Real Madrid, do Milan, do Corinthians. Mesmo assim,bem que o Canal Brasil poderia reprogramar Ronaldo: Manual de Vôo, hein?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.