Gre-Nal nos cinemas

Li no diário Lance! desta sexta-feira. Os 100 anos de Gre-Nal serão contados nos cinemas. Em dois filmes diferentes, diga-se. Tricolores poderão ver “GRÊM10X0” (referência ao placar do primeiro clássico, em 1909). A versão colorada será “Supremacia Vermelha“. Projeto da G7 Cinema, que tem no portfólio outros filmes sobre futebol. Escolha seu lado no site Filme Grenal. As capas mostradas aí em cima estão entre as opções dadas para a escolha dos torcedores.

“Tres Hombres”: ZZ Top em maio!

Li no site da Rolling Stone nacional: finalmente pintaram as datas dos shows do ZZ Top no Brasil! Aleluia! A página oficial do trio barbudão marca os shows para 20 e 21 de…  maio de 2010! ´Guenta mais um pouco aí! O local será a Via Funchal, em Sampa. No site da casa, nada ainda. Mas descobri que no dia seguinte, 22 de maio de 2010, vai ter… Johnny Winter!!! Aleluia 2!  Na web do trio, dá para curtir clips, como o divertido “Legs”, dos anos 80!

A metade mais louca dos Glimmer Twins

Um amigo lembrou: Keith Richards completa “seis ponto seis” neste 18 dezembro (ele é de 1943!). Boa desculpa para lembrar os excelentes discos-solo que ele lançou, entre o fim dos 80 e o começo dos 90, com a banda The X-Pensive Winos. Talk is Cheap, ótimo, saiu em 88. No mesmo ano, gravou um disco ao vivo: Keith Richards and the X-Pensive Winos Live at the Hollywood Palladium, captado em 15/12/1988 e revelado em 91. Main Offender rolou em 1992. Vale a pena dar uma fuçada pro aí. No site oficial do Keith Richards, dá para ouvir algo. Veja aqui a filmografia dos Stones listada pelo Fut Pop Clube.

Maracanã 2014

Lembro-me do vozeirão de Jorge Cury arrasando, nas transmissões de rádio: “e anotem… teeempo e placar no maaaior do mundooo“. Estádio Municipal. Depois, estádio Jornalista Mário Filho. Maracanã. Simplesmente Maraca. O estádio que já foi o maior do mundo, que viu o gol mil de Pelé, passará por mais uma grande reforma a partir de setembro de 2010, ano em que o Maraca se torna um sessentão.  Mais 500 milhões de reais. E acredito que será a maior reforma da história desse templo da bola – tudo para que o palco da final de 1950 fique do jeito que a Fifa quer, para a Copa de 2014. Depois do fim da alegria dos geraldinos, o que foi anunciado hoje é que as cadeiras azuis serão uma extensão das arquibancadas, imagino que mais ou menos como é o estádio Olímpico de Berlim. O atual nível das cadeiras azuis não agradou quanto à visibilidade e elas devem ser demolidas  (dá para imaginar o que vão exigir do Morumbi…). Por outro lado, a decisão de não mais derrubar o Parque Aquático Júlio Delamare e o estádio de atletismo Célio de Barros são excelentes notícias. Não teria sentido destruir patrimônio do povo do Rio, dois equipamentos que no mínimo podem servir de áreas de treinamento de outros esportes nos Jogos de 2016,  para dar lugar aos automóveis dos convidados da Fifa durante 5 ou 6 jogos em 2010. Continuar lendo “Maracanã 2014”

Whiskey in the Jar

Volto a falar desse grande grupo irlandês, o Thin Lizzy, liderado pelo baixista, vocalista e compositor Phil Lynott (*1949/+1986). Com imensa alegria, fiquei sabendo que o amigo Ernani Lemos, do blog Madruga em Claro, que batalha e estuda cinema na Irlanda, resolveu fazer um documentário sobre Phil Lynnot, um dos poucos astros negros do rock pesado. O Ernani já tem entrevistas marcadas e certamente vai tentar responder: afinal, o pai do Phil era brasileiro mesmo ou isso é lenda?

Poucos discos lançados no Brasil e o fim da banda antes mesmo da morte de Lynott contribuíram para que o Thin Lizzy ficasse meio desconhecido por aqui. A cover do Metallica para “Whiskey in the Jar” (que nas mãos de Lynnot e cia já era uma adaptação de arranjo tradicional irlandês) pode ter ajudado a espalhar o culto – 0utras bandas regravaram sons do Lizzy (Iron Maiden, “Massacre”; Smashing Pumpkins, “Dancing in the Moonlight”; Bon Jovi, “The Boys Are Back in Town”).

No meu caso, a paixão pelo Thin Lizzy começou antes e a “culpada” é a Rádio Fluminense FM Stereo (escola de rock de Niterói para o Rio, com influência no país). Rolava muito som desses irlandeses – até em vinhetas. Continuar lendo “Whiskey in the Jar”

Livros sobre o São Paulo Futebol Clube

Atualizado em fevereiro de 2014

16 de dezembro de 1935 é a data oficial da fundação do São Paulo Futebol Clube. Em 25 de janeiro de 2010, foram lembrados os 80 anos do chamado São Paulo da Floresta. Também São Paulo Futebol Clube, foi fundado por ex-integrantes do departamento de futebol do Clube Atlético Paulistano (vermelho e branco) e da Associação Atlética das Palmeiras (uniforme preto e branco). O tricolor de 1935 manteve escudo e uniforme do São Paulo da Floresta. Livros sobre o São Paulo? Saiba tudo aqui.

Continuar lendo “Livros sobre o São Paulo Futebol Clube”

O G4 do thrash metal, no mesmo palco.

Estamos ligados que o Metallica vai fazer 3 shows no Brasil em janeiro, mas esta notícia aqui, que descobri no MusicRadar, é mais ou menos como uma semifinal de campeonato com os quatro grandes de São Paulo. Ou os quatro grandes do Rio. Metallica, Slayer, Megadeth e Anthrax, juntos. Os “quatro grandes” do thrash metal vão tocar pela primeira vez num mesmo festival. De quebra, Mastodon e Behemoth. O Sonisphere, em 16 de junho de 2010, em Varsóvia, na Polônia; 18 de junho, em Zurich,  e em 19 de junho, em Praga, na República Tcheca. Site do Metallica confirma e diz que mais datas com o “Big Four” do thrash reunido podem pintar. No começo dos anos 90, Slayer, Megadeth e Anthrax chegaram a excursionar juntos, às vezes com Testament à tiracolo. Clash of the Titans era o nome da turnê.

PS – Deu no Whiplash.net, G1 e outros sites que o MovieMobz vai promover uma transmissão do show dos Big Four para cinemas da rede Cinemark, em 22  de junho.

Trem expresso do rock

A indústria da música de vez em quando tira cada achado do fundo do baú do rock… Se o filme O Poder do Soul, que documenta o festival Zaire 74 só saiu este ano, Festival Express, lançado lá fora em 2003, acompanha a viagem megalomaníaca inventada por jovens promotores em 1970. Um festival de rock, blues, folk e country em cidades do Canadá, no verão de 1970. Atrações principais: Janis Joplin, o Greatful Dead, do Jerry Garcia, a ótima The Band e o bluesman Buddy Guy, jovenzinho de tudo na época. E que “viagem” em itálico e entre aspas: para levar artistas, roadies, técnicos de uma cidade a outra, os organizadores fretaram um trem! Botaram até um órgão Hammond no vagão-bar para estimular as jams da moçada! Continuar lendo “Trem expresso do rock”