Filme: “Meu Mundial – Para Vencer Não Basta Jogar”.

Filme: “Meu Mundial – Para Vencer Não Basta Jogar”.


Estreou em cinemas do Brasil em setembro/2019 o filme: “Meu Mundial – Para Vencer Não Basta Jogar” (Mi Mundial – El Camino És La Recompensa). Dadas as poucas sessões (uma no Belas Artes e duas no Frei Caneca), não deve ficar uma segunda semana em cartaz. Uma pena, porque é uma interessante coprodução Uruguai-Argentina-Brasil. Uma típica matinê, para toda a família, com um recado claro sobre a Educação.

Conta a história de Fernando Torres, o Tito, jovem uruguaio com nome de jogador, que se destaca nos times de Nogales, no Uruguai. Muito bom de bola  – e um problema na escola -, atrai a atenção de um ganancioso empresário brasileiro, que promete contrato no Brasil. A família simples da jovem promessa – “o novo Neymar”, nas palavras do empresário – vai morar num belo apartamento de Montevidéu, de frente para a orla do rio da Prata, que banha a belíssima capital uruguaia. Mas… sempre tem um mas. E chega de spoiler. Família, amizade, o primeiro amor em cartaz.

O filme de Carlos Andrés Morelli é muito bem feito, cenas de futebol filmadas plasticamente, e tem atuações muito boas, especialmente a do menino Tito, interpretado por Facundo Campelo, e do pai, Ruben (Néstor Guzzini, premiado em Gramado).

“Meu Mundial” é baseado no livro “Mi Mundial”, de Daniel Baldi, ex-jogador, hoje escritor, levando as suas experiências nos gramados para a literatura, escrevendo especialmente para jovens.

Daniel Baldi chegou a jogar com Diego Lugano, ex-capitão da Celeste. Lugano (mencionado uma vez no filme) escreveu o prefácio do livro de Baldi e esteve na pré-estreia da película em São Paulo, no começo de setembro de 2019.  O ídolo são-paulino publicou no Twitter:

 

Continuar lendo “Filme: “Meu Mundial – Para Vencer Não Basta Jogar”.”

Valeu, Diego Forlán!

Museo del Fútbol, estádio Centenário
Museo del Fútbol, estádio Centenário

A Associação Uruguaia de Futebol divulgou uma nota em que agradece “eternamente” a Diego Forlán, que se aposentou da seleção Celeste “como um dos melhores jogadores da história do futebol uruguaio”. O filho do lateral Pablo Forlán foi o primeiro uruguaio a jogar mais de 100 partidas pela seleção principal. Na real, foram 112 jogos, em 12 anos, com 36 gols. Conquistou a Copa América em 2011 (participou também em 2004 e 2007) e, acima de tudo, brilhou na ótima campanha da Celeste Olímpica no Mundial de 2010. Diego foi considerado o melhor jogador e um dos artilheiros da Copa na África do Sul. Também atuou em 2002 e 2014.

Continuar lendo “Valeu, Diego Forlán!”

Novo uniforme 2 do Nacional lembra a primeira camiseta do #Decano do futebol uruguaio.

Novo uniforme 2 do Nacional lembra a primeira camiseta do #Decano do futebol uruguaio.

No finzinho de outubro de 2014, o Nacional de Montevidéu e a Umbro apresentaram o novo uniforme 2 do Decano do futebol uruguaio, o “away kit”, usado fora de casa . E como explica o texto no site do tricolor uruguaio, era vermelha a primeira camisa do Club Nacional de Football, entre 1899, ano da fundação, e 1902.

Veja neste link aqui a evolução da camisa do Nacional.

Só em 1902, apareceu a camisa branca, com um bolso, que rendeu um dos apelidos do clube: bolso, bolsillo, bolsilludo. E passou a ser a camisa titular. Esse uniforme com o #bolsillo já tinha sido resgatado na temporada 2014 pela empresa fabricante, que veste o Nacional pela terceira vez desde meados dos anos 1990 (veja no post anterior).

Mas talvez a camiseta mais bonita e curiosa, especialmente para os fãs da Celeste Olímpica como eu, foi a primeira da trilogia, lançada pela Umbro em setembro de 2013, que fez uma homenagem aos 110 anos da primeira vitória da seleção uruguaia. Em 1903, uma Celeste formada por jogadores do Nacional. Esse uniforme retrô em homenagem à primeira vitória do Uruguai tem uma faixa branca diagonal sobre o azul celeste. E entrou num top 10 das mais oriiginais do continente numa lista dos site argentino Marca de Gol.

http://www.nacional.com.uy/
http://www.nacional.com.uy/

Continuar lendo “Novo uniforme 2 do Nacional lembra a primeira camiseta do #Decano do futebol uruguaio.”

Nacional do Uruguai promete um Gran Parque Central “padrão Fifa”.

Um dos primeiros estádios usados na história dos Mundiais vai ser ampliado. O Nacional, um dos grandes do Uruguai, da América do Sul e do mundo, anunciou a nova etapa do Gran Parque Central, que existe desde 1900, foi usado na Copa de 1930 e – passando por algumas reformas, é claro – é até hoje o alçapão, “el templo tricolor”, usado inclusive na Libertadores. Os clássicos com o Peñarol são no não menos histórico Centenário

O estádio dos #bolsos vai ser ampliado de 26.500 para 40 mil espectadores. E poderia ser usado na Copa de 2030, se a candidatura conjunta Uruguai + Argentina emplacar. Vamos torcer para que a Copa volte logo à América do Sul.

https://www.facebook.com/nacional/
https://www.facebook.com/nacional/

Continuar lendo “Nacional do Uruguai promete um Gran Parque Central “padrão Fifa”.”

Uruguai 2×1 Inglaterra. Partidaça. E show de Luisito Suárez.


IMG_20140620_081509_785-1Segundo jogo do Mundial 2014 em Sampa. A Arena Corinthians viveu uma tarde de uma espetacular atmosfera de futebol, antes, durante e depois do jogão que foi Uruguai x Inglaterra. Mais de 62 mil presentes.
Milhares de torcedores da Celeste, que ocuparam basicamente a arquibancada norte e também se misturaram com os brasileiros em outros setores, menos no gol sul, onde predominaram os fãs do English Team, presentes em menor número, muitos com figurinos caprichados. Também vi torcedores da Venezuela. Tinha gente de todo o Brasil e de muitos outros países, certamente, Na paz.
Os moradores de Sampa City se dividiram.
Obviamente, os são-paulinos apoiaram o Uruguai, país de origem de ídolos tricolores / celestes como o saudoso Pedro Rocha, o bravo lateral Pablo Forlán, dos zagueiros Darío Pereyra e Diego Lugano e do raçudo ateral Álvaro ‘Palito’ Oliveira – que hoje se recusou a ser substituído, depois de levar uma joelhada na cabeça. Garra charrúa.
Parte dos corintianos, donos da casa nova em folha, apoiou a Inglaterra (pelo menos onde estava). Talvez uma homenagem ao Corinthian Casuals, da Inglaterra, que inspirou o nome do clube.

Tinha gente fantasiada de Fantasma de 50, na boa, com humor, ciente de que se perdesse, o fantasminha pegaria seu lençol azul e se mandaria de volta para o Centenário.

Os torcedores uruguaios, muitos com chapéus celestes e/ou enrolados na bandeira do país, chegaram cantando:

Poster oficial da cidade de São Paulo como sede da Copa 2014
Poster oficial da cidade de São Paulo como sede da Copa 2014

Volveremos, volveremos,, volveremos otra vez, volveremos a salir campeones, como la primera vez“.…

Confiança na estreia do endiabrado Luisito Suárez. Por ironia, artilheiro do Liverpool, tradicional clube inglês que chegou perto do título na última temporada.

E Suárez arrebentou. Posicionamento perfeito, técnica, velocidade, taça, malandragem. Sabe tudo.

Impressionante como o Uruguai foi outro time hoje, em relação à decepcionante estreia, em Fortaleza, contra a Costa Rica (derrota por 3×1). Não mexeria no time que jogou hoje, professor Tabárez.

O show de Suárez também teve ótimas participações de Cavani (cruzamento perfeito para o primeiro gol de Luisito), do goleiro Muslera, que teve muita sorte em alguns lances, fez uma defesaça vital e começou o lance do gol da vitória celeste…

…e pelo lado inglês, Wayne Rooney, que enfim marcou seu primeiro gol em Copas, e Sturridge, colega de Suárez no Liverpool.
Jogo para não esquecer. Nunca mais.

Sou Celeste / Celeste soy yo…” – saíram festejando os #uruguayos.

Continuar lendo “Uruguai 2×1 Inglaterra. Partidaça. E show de Luisito Suárez.”

Os 23 da Celeste… rumo ao Maracanã?

news_auf Óscar Tabárez definiu os 23 que vêm ao Brasil tentar o terceiro título do Mundial da Fifa. Apenas o zagueiro Coates, apelidado de #Luganito, joga no futebol uruguaio no momento (emprestado pelo Liverpool ao Nacional).

GOLEIROS

Fernando Muslera (Galatasaray)

Martín Silva (Vasco)

Rodrigo Muñoz (Libertad do Paraguai)

Arte de LAIS SOBRAL especial para o@FutPopClube | http://www.flickr.com/photos/lais-sobral/
Arte de LAIS SOBRAL especial para o@FutPopClube | http://www.flickr.com/photos/lais-sobral/

DEFESA

Diego Lugano (o capitão estava no West Bromwich e agora procura time)

Diego Godín (campeão espanhol e vice europeu pelo Atlético de Madrid)

José María Giménez (também do Atleti)

Martín Cáceres (campeão italiano pela Juve)

Maximiliano Pereira (campeão português pelo Benfica)

Jorge Fucile (Porto)

Sebastián Coates (Nacional)

MEIO-CAMPO

Egidio Arévalo Ríos (Morelia, do México)

Walter Gargano (Lazio)

Diego Pérez (Bologna)

Álvaro González (Lazio)

Álvaro Pereira (que no São Paulo joga de lateral-esquerdo)

Cristian Rodríguez (outro do Atleti)

Gastón Ramírez (Southampton)

Nicolás Lodeiro (estava no Botafogo, a caminho do Corinthians)

ATAQUE

Edinson Cavani (PSG)

Luis Suárez (Liverpool, em fase de recuperação)

Diego Forlán (está no Cerezo Osaka)

Abel Hernández (Palermo)

Christian Stuani (Espanyol) Continuar lendo “Os 23 da Celeste… rumo ao Maracanã?”

Álvaro Pereira, #Palito, é o 16º tricolor celeste.

Foto LUIS PIRES Vipcomm
Foto LUIS PIRES | Vipcomm (setembro 2012)

O lateral-esquerdo Álvaro Pereira, o #Palito, é o 16º jogador uruguaio a vestir a camisa do São Paulo Futebol Clube, que ontem completou 84 anos de fundação. A conta é do pessoal que cuida das estatísticas e do arquivo histórico do tricolor do Morumbi. Eis a relação:

Sem dúvida, os quatro que responsáveis por essa identificação, essa mística Tricolor Celeste, que inspiraram o livro do jornalista Luís Augusto Simon, o Menon, e uma coleção de camisas, são o lateral Pablo Forlán, o saudoso meia Pedro Rocha, o volante/zagueiro Darío Pereyra e o zagueiro Diego Lugano – que aconselhou o amigo de seleção uruguaia a jogar no Morumbi para chegar melhor à “Copa das Copas” da Dilma. Continuar lendo “Álvaro Pereira, #Palito, é o 16º tricolor celeste.”