Tá na rede! Rock Flu.

1960160_10152279321348454_1124405464_n
Foto de capa da página do Rock Flu no Facebook
http://www.rockflu.com.br/
http://www.rockflu.com.br/

Rock Flu, o programa dos tricolores Gustavo Valladares e Sergio Duarte na web, agora tem uma página no Facebook (curta aqui).  O legal é que ficou super fácil para pesquisar o que rolou nos programas anteriores. Cada edição de arquivo está ganhando um #banner especial, como este  sobre o especial gastronomia e rock´n´roll.

Ou a edição 100, de novembro de 2013, em que o convidado foi o ex-jogador Manfrini.

Boa notícia porque o “Rock Flu” é  um incrível banco de dados sobre rock dos quatro cantos do mundo, blues e futebol – especialmente, Fluminense, como o nome indica. \m/

Loureeeiro Neeeto!

Manoel Fernandes Loureiro, o Loureiro Neto, o português mais brasileiro do rádio (DIVULGAÇÃO Rádio Globo)
Manoel Fernandes Loureiro, Loureiro Neto, o português mais carioca do rádio (FOTO: DIVULGAÇÃO Rádio Globo)

Duas grandes perdas nesta quarta-feira.
Na música espanhola e mundial, Paco de Lucia (mais na Coluna).
No rádio brasileiro, o comunicador Loureiro Neto. Português de Palmeira, Manoel Fernandes Loureiro – nome de batismo – chegou com 5 anos ao Brasil. Trabalhou no programa “Resenha Esportiva” da TV Rio, foi repórter da Rádio Vera Cruz, do grupo Bloch. No Sistema Globo de Rádio, estreou no programa “Globo Esportivo”.

No  final dos anos 70, Loureiro Neto – nome artístico – fez parte de uma formação histórica do rádio esportivo brasileiro (até porque a rádio Globo do Rio era e é ouvida em todo o país): ao lado dos dos clássicos locutores Jorge Cury (um dos favoritos do blogueiro), Waldir Amaral (“bololô na área”), João Saldanha (“o comentarista que o Brasil inteiro consagrou”) e o ex-juiz Mario Vianna (“com dois “Ns”). Os repórteres de campo eram Kléber Leite e Loureiro Neto.

rádio globo
Anúncio publicado em 1978

Que equipe! Uma seleção! Uma espécie de Real Madrid do rádio esportivo brasileiro.

Kléber Leite depois virou empresário e foi presidente do Flamengo. Como bom português radicado no Rio, Loureiro era Vasco. Continuar lendo “Loureeeiro Neeeto!”

Rock and roll e Fluminense. Com Bom Senso.

ROCK_FLU_final Está no ar o programa Rock Flu 97. Gustavo Valadares e Sérgio Duarte batem papo sobre futebol (especialmente, as questões do Fluminense) e rock com outro roqueiro tricolor, Maurício Lima.
No programa, eles falam do movimento dos jogadores Por Um Futebol Melhor Pra Todos (Bom Senso FC), o sucesso do estande pioneiro do Fluminense na Bienal do Livro e o último Rock in Rio. O Gustavo conta que levou duas horas para entrar na Cidade do Rock no domingo do metal!
No playlist da nova edição, a dupla Rock Flu rola som dos brasileiros Viper, Matanza, Sarcófago e Possessonica, e muito mais: o inesquecível Ronnie James Dio e a sua grande “Holy Diver”, Black Sabbath (“Zero the Hero“, da época do “Purple” Sabbath), Ramones e um especial do Iron Maiden. Nunca é demais ouvir “Wasted Years”. A gente está acostumado com o clip, mas só ouvindo, dá até para “ver” o Adrian Smith lançando mão da alavanca da guitarra no final do solo! Ah, tem a cover que a donzela de ferro  fez da pérola do hard rock dos anos 70 “Doctor Doctor” também foi lembrada. Certamente, porque Serginho e Gustavo ouviram a versão original, da banda UFO, antes do show do Maiden no Rock in Rio.

\m/

Eu acredito, tu acreditas, eles acreditam. Nós acreditamos…

  • Nos últimos meses, os torcedores do Galo conjugaram o verbo acreditar à beça, não? A gente já mencionou aqui o livro que os jornalistas Leonardo Bertozzi, Mário Marra e Mauro Beting escrevem, sobre a primeira Libertadores atleticana. Chama-se “Nós Acreditamos” e sai no mês que vem, pela BB Editora.
  • A editora Panda Books e a rádio  I t a t i a i a,  de Belo Horizonte, preparam um audiolivro. “Eu Acredito! Atlético Campeão da Libertadores 2013“. São 3h de áudio, com a narração de todos os 29 gols da campanha campeã, as defesas milagrosas que  levaram à beatificação e canonização de Victor para os atleticanos, e a íntegra da emocionante final contra o Olimpia, no Mineirão.  Narração de Mário Henrique Caixa. Capa abaixo. Fica pronto em 12 de agosto e já está em pré-venda no site da Panda.
www.PandaBooks.com.br
http://www.PandaBooks.com.br

“O Pai do Gol” no CINEfoot

Abril de 2013

http://www.flickr.com/photos/cinefoot
http://www.flickr.com/photos/cinefoot

www.OleProducoes.com.br
http://www.OleProducoes.com.br

O filme de Luiz Ferraz sobre o locutor José Silvério, “O Pai do Gol”, que foi exibido no É Tudo Verdade – Festival Internacional de Documentários, também vai passar no CINEfoot em Sampa e no Rio. O curta acompanha Silvério na transmissão de um São Paulo x Flamengo no Morumbi. Sem mostrar cenas do jogo – a câmera na cabine se volta para o locutor- você fica imaginando os lances (tentando se lembrar, se viu a partida), exatamente como no rádio. E conhece um pouco mais sobre o método de trabalho do locutor que narra …

EspAAAlma, Felipe

Pra fOOOra

… e completa

que golAÇO!

Tem 17 minutos e foi captado em HD.
Confira as sessões do CINEfoot no Rio e em São Paulo.

Curta documentário sobre o locutor José Silvério, “O Pai do Gol”.

Última chance para ver “O Pai do Gol” no festival É Tudo Verdade.

www.OleProducoes.com.br
http://www.OleProducoes.com.br

Fiquei sabendo na variada coluna do João Carlos Assumpção, o Janca (um dos diretores do filme “Sobre Futebol e Barreiras”), no #Lance! de hoje:  o cineasta Luiz Ferraz fez um curta-metragem sobre o locutor José Silvério, “O Pai do Gol”.  O curta-doc foi captado em HD e tem 17 minutos de duração. Acompanha Silvério na transmissão de um São Paulo x Flamengo no Morumbi. Sem mostrar cenas do jogo – a câmera na cabine se volta para o locutor- você fica imaginando os lances (tentando se lembrar, se viu a partida), exatamente como no rádio. E conhece um pouco mais sobre o método de trabalho do locutor que narra “espAAAlma, Felipe“, “Pra fOOOra” e completa “e que golAÇO“!

“O Pai do Gol” já passou em festivais de cinema como o do Rio, em 2012. Confira o trailer:


Continuar lendo “Curta documentário sobre o locutor José Silvério, “O Pai do Gol”.”

Sala de Troféus do Fluminense

Sala de Troféus do Fluminense

DSC00266
A Sala de Troféus do Fluminense, inaugurada em junho de 2012, tem que ser mesmo motivo de orgulho do tricolor de coração. É um belo memorial à rica história do clube, de suas camisas, de seu simpático estádio, seus ídolos e suas conquistas – como os quatro títulos nacionais de ponta. O blog Fut Pop Clube teve a honra de conhecer a Sala de Troféus na véspera da consagração desse quarto título, o do Brasileirão 2012. Êta blog pé quente, hein? O Sérgio Duarte, torcedor tricolor, um dos produtores e apresentadores do programa Rock Flu, foi o cicerone deste Rolê do Fut Pop Clube. Ao Serginho, muito obrigado. Continuar lendo “Sala de Troféus do Fluminense”

Minuto de silêncio para Luiz Noriega

“Taí o primeiro gol!”

Era assim que o locutor Luiz Noriega narrava os gols na TV Cultura de São Paulo – o canal 2 passava muitos e muitos VTs, nos anos 70, alguns logo depois das rodadas, numa época com bem menos futebol ao vivo na TV. Era ouro puro.

Por intermédio de um de seus filhos – o cronista e comentarista Maurício Noriega, o Nori, do Sportv – acabei de saber da morte de Luiz Noriega. Partiu hoje, 26 de dezembro, aos 82 anos.

Taí uma grande perda para a história da narração esportiva na TV e no rádio brasileiros, especialmente de São Paulo e de Pernambuco (onde Noriega trabalhou na rádio Tamandaré, então uma das Emissoras Associadas de Assis Chateaubriand). Continuar lendo “Minuto de silêncio para Luiz Noriega”

João Sem Medo

Saiu em vídeo o excelente documentário “João Saldanha”, de André Iki Siqueira e Beto Macedo sobre “o comentarista que o Brasil inteiro consagrou”. Na revisão, chamaram minha atenção alguns depoimentos sobre a participações de Saldanha no rádio. José Carlos Araújo conta que João costumava escolher um ou outro “geraldino” na (hoje extinta) geral do Maracanã, para fazer seu comentário no rádio, como que batendo um papo imaginário com os torcedores.
Outro jornalista, Pedro Costa, conta que tinha técnico que fazia substituição com base nos comentários de Saldanha. O DVD tem o selo Coleção Canal Brasil.

Continuar lendo “João Sem Medo”

Replay (O Meu Time é a Alegria da Cidade)

Preparou… correu… e chutou…

“É gol, que felicidade! É gol, o meu time é alegria da cidade!”

Quem ouvia as transmissões esportivas da rádio Jovem Pan, de São Paulo, onde Osmar Santos trabalhou, nos anos 70, pode se lembrar dessa vinheta, que rolava depois dos gols (mesmo depois que o “pai da matéria” trocou os 620 kHz da Pan pelos 1100 da rádio Globo-Nacional). É o delicioso refrão do samba  “Replay (O Meu Time é a Alegria da Cidade)”, que Jon Lemos e Roberto Correa escreveram pensando no Paulo César Caju, então no Flamengo – craque e time citados na letra original, presente na gravação do Trio Esperança. “Replay (O Meu Time é a Alegria da Cidade)” está em coletâneas do conjunto brasileiro, como o CD “Grandes Sucessos” (EMI).


O curioso é descobrir, pelos leitores portugueses do Fut Pop Clube, que “Replay …” também era usada em transmissões esportivas da “terrinha”, depois dos “golos” relatados por Gomes Amaro (locutor luso que viveu no Brasil), de boas lembranças em especial para os torcedores do Dragão, o Futebol Clube do Porto.
Em 2003, esse golaço da seleção brasileira de música sobre futebol foi regravado pelo Trio Mocotó, no CD “Beleza Beleza Beleza” (gravadora YB). Na versão do Trio Mocotó, o samba-rock ganha uma narração de um gol fictício por Beto Hora, que cita de Ademir da Guia e Jairzinho a Ronaldo “Medida Certa” a Luís Fabiano.
Esse CD do Trio Mocotó tem ainda “Chiclete com Banana” (Almira Castilho e Gordurinha) que a Pan também usava como vinheta, trocando “é o samba-rock, meu irmão” por “a Pan é só do futebol”. E entre outras, “Eu Também Quero Mocotó”, de Jorge Ben Jor, ponta-de-lança do samba-rock que o Trio acompanhou em discos como Jorge Ben e Força Bruta.