Verdugo

Publicado em 14 de junho de 2011
Gostaria de aproveitar o começo da decisão da Libertadores 2011 para mencionar um ótimo perfil de um dos maiores artilheiros dessa copa. Pedro Virgílio Rocha Franchetti, o Pedro Rocha, ídolo do Peñarol nos 60, do São Paulo nos 70 e da Celeste Olímpica é o garoto da capa do nº 5 da revista brasileira Football(capinha ao lado). É um pouco difícil achar Football nas bancas (quando encontro na Cultura ou na La Selva, já vou pegando), mas dá para ler o perfil escrito por Moacir Japiassu no site da revista. Continuar lendo “Verdugo”

Corneta

Jean passa por Vi ctor para fazer São Paulo 3x1 FOTO Wander Roberto VIPCOMM

Entreouvido na arquibancada do Morumbi, no começo da noite deste sábado, da quarta rodada do Brasileirão 2011:
Tira a mão das cadeiras, Dagoberto!
– Ô Rodrigo “Preso” (referência ao volante Rodrigo Souto)
– Vai, aleijado! (????). Manco!
– Carpegiani, tira o “filho do presidente”!

“Filho do presidente”, entre aspas, mesmo, foi uma referência do folclórico torcedor ao Marlos, autor do gol de desempate. Que como Dagoberto, Rodrigo Souto, “aleijado”, “manco”, mais os jovens Lucas, Casemiro e companhia ajudaram o São Paulo a vencer a quarta seguida, contra um Grêmio mais tímido do que o normal, e manter a ponta no Brasileirão 2011.

A bem da verdade, diga-se que os pouco menos de 15 mil pagantes no Morumbi aplaudiram Marlos quando o jogador foi substituído.

Continuar lendo “Corneta”

Terceiro uniforme do Cruzeiro

Montillo com o uniforme 3 do Cruzeiro FOTO Washington Alves VIPCOMM
Montillo com o uniforme 3 do Cruzeiro FOTO Washington Alves VIPCOMMMontillo com o uniforme 3 do Cruzeiro FOTO Washington Alves VIPCOMM

Não, o craque Montillo aí ao lado não foi apresentado pelo Palmeiras, não. Pra quem ainda não viu, o argentino veste o novo uniforme 3 do Cruzeiro – que como o Palmeiras, um dia já foi Palestra Itália, até a década de 40 – no caso do clube mineiro, mais exatamente Societá Sportiva Palestra Itália. E a essa história do Cruzeiro que o novo modelo retrô do fornecedor faz referência. Daí o distintivo com as iniciais SS PI no lado esquerdo do peito. Continuar lendo “Terceiro uniforme do Cruzeiro”

20 anos do tri tricolor no Brasileirão

O São Paulo vinha de 2 vices seguidos em Brasileiros: em 89, diante do Vasco, e em 90, já com mestre Telê Santana como técnico, diante de um arquirrival, o Corinthians. Na terceira final seguida, o tricolor enfim conseguiu seu tri do Brasileirão.”Cadê o pé-frio?”, perguntou Telê, lembra o recém-lançado livro de Orlando Duarte e Mário Vilela, São Paulo FC – o Supercampeão (Companhia Editora Nacional), que tem os detalhes dessa e muitas outras conquistas.

Primeiro jogo no Morumbi contra o Bragantino de Carlos Alberto Parreira: 1×0 magro, gol de Mário Tilico, que era opção no banco.

O segundo jogo, num 9 de junho como hoje, foi em Bragança Paulista, diante de pouco mais de 12 mil pagantes. O 0x0 deu, enfim, o tricampeonato ao  São Paulo (que no fim do ano ganharia o Paulista também). A taça das bolinhas erguida pelo capitão Raí foi o passaporte para saltos aindas maiores: a conquista da América e do mundo, com a Libertadores e o Mundial Interclubes, em 1992. E o  espetacular time de Telê Santana ainda daria bis, em 1993. Continuar lendo “20 anos do tri tricolor no Brasileirão”

“Gigantes do Futebol Brasileiro”

Um perfil de Ronaldo Fenômeno é um dos “extras” da nova edição de Gigantes do Futebol Brasileiro (editora Civilização Brasileira). Editado pela primeira vez em 1965 com perfis de 13 craques (Friedenreich, Fausto, Domingos da Guia, Leônidas, Tim, Romeu, Zizinho, Heleno de Freitas, Danilo, Nilton Santos, Gérson, Garrincha e Pelé), o livro ganhou agora textos sobre duas ausências da “convocação” de 65: Didi e Ademir Marques de Menezes, mais o citado R9, Romário, Zico, Falcão, Tostão e Rivellino. A essa lista de craques, adiciono os nomes dos dois autores dos ótimos textos: João Máximo e Marcos de Castro. Vale a leitura. Mesmo.

Vascão campeão da Copa do Brasil 2011

vascoboutique.com.br

Galhardete – ops, flâmula do Vasco da Gama, grande campeão da Copa do Brasil 2011. Primeiro brasileiro classificado para a Libertadores 2012.

Conquista merecida, dramática, supervalorizada pela dificuldade imposta pelo vice, o Coritiba, que venceu a segunda partida da decisão, por 3 a 2. De virada. Mas os gols feitos no Couto Pereira deram a copa ao Vasco.

Parabéns a todos os amigos vascaínos, ao elenco e ao técnico Ricardo Gomes. Continuar lendo “Vascão campeão da Copa do Brasil 2011”

Santos x Peñarol, 49 anos depois

santos id_13224_escudoO Santos será tri? O Peñarol será hexa? A grande final da Libertadores 2011, que começa no Centenário dia 15, mereceria Morumbi – até Maracanã, se não estivesse em reforma – mas provavelmente será no simpático Pacaembu, no dia 22, Vai ser uma p… decisão.Como foram senhoras semifinais as partidas entre Cerro x Santos, Vélez x Peñarol. Os carboneros saíram na frente, poderiam ter ampliado, tomaram a virada, poderiam ter tomado o terceiro gol, que seria fatal. Mas “Graaande, Tanque” deve estar pensando o torcedor do Peñarol, agradecendo ao Santiago Silva pelo pênalti batido como tiro de meta.

Algumas curiosidades sobre a grande final: Continuar lendo “Santos x Peñarol, 49 anos depois”