Futebol é mais que um jogo: slogan do CINEfoot 2013, em cartaz até terça-feira em São Paulo.


Destaco aqui os filmes desta terça-feira no Espaço Itaú de Cinema | Augusta (Rua Augusta, 1.475 e 1.470 – Metrô: Consolação) – última rodada do CINEfoot em Sã Paulo este ano. Entrada grátis, sujeita à lotação da sala. Chegue bem antes.

  • 19h30
  1. Sessão extra do documentário “Os Rebeldes do Futebol”, produção francesa de 2012, dirigida por Gilles Perez e Gilles Rof. Eric Cantona é uma espécie de âncora desse filme engajado, que tem Sócrates, Drogba, Caszely, Pasic e Mekloufi entre os personagens. Não saia da sala antes de terminarem os créditos!8951279967_dbf603fce0
  • 21h30
  1. HOMENAGEM: ANA AZEVEDO E JORGE FURTADO
  2. HOMENAGEM: TOSTÃO
  3. HOMENAGEM: CORINTHIANS X SANTOS – 100 ANOS
  4. BARBOSA, sensacional curta de Jorge Furtado e Ana Luiza Azevedo sobre o lance decisivo do Mundial de 1950, no Maracanã (produção gaúcha de 1998) 

    Antonio Fagundes em cena do genial curta "Barbosa" : http://www.flickr.com/photos/cinefoot
    Antonio Fagundes em cena do genial curta “Barbosa” http://www.flickr.com/photos/cinefoot
  5. TOSTÃO, A FERA DE OURO, doc de Paulo Laender e Ricardo Gomes Leite (MG/RJ, 1970). A trilha sonora é do cruzeirense Milton Nascimento!

    http://www.flickr.com/photos/cinefoot
    http://www.flickr.com/photos/cinefoot

O festival CINEfoot começa um giro pelas seis cidades da Copa das Confederações. Acompanhe aqui neste link. É o CINEfoot Tour.
Texto completo dentro do post.

Continuar lendo “Futebol é mais que um jogo: slogan do CINEfoot 2013, em cartaz até terça-feira em São Paulo.”

14 de fevereiro. Dia do Botonista, em homenagem ao nascimento de Gerardo Décourt, difusor do futebol de mesa, ou jogo de botão, Vale a pena conhecer este curta, dirigido por Felipe D´Andrea: “Vai pro Gol”.

O site do Museu do Futebol publica entrevista com o presidente da Federação Paulista de Futebol de Mesa:

http://www.museudofutebol.org.br/agenda-cultural/bate-bola-jose-jorge-farah-neto/

Fut Pop Clube

Desde que vi o filme de Felipe D´Andrea no CINEfoot 2012, estava louco para fazer um post sobre “Vai Pro Gol” e o futebol de botão. O post anterior foi o estalo.

“Dizem que tem mais de 100.000 botonistas no Brasil.”

Se a estimativa, citada por um dos entrevistados do documentário “Vai Pro Gol“, pode ter um quê de Nelson Rodrigues – já pensou, um Maracanã superlotado de botonistas brasileiros?- o certo é que todo fim de semana muita gente joga futebol de botão, ou futebol de mesa, esporte levado a sério pelos federados. Clubes de futebol como Corinthians, Nacional, Noroeste, Palmeiras e Santos, sociais como Círculo Militar e o Cisplatina FC ou especializados em botão como o Maria Zélia participam dos campeonatos. Fiquei impressionado com as imagens de inúmeras mesas, num campeonato disputado no belo ginásio do Círculo Militar, em São Paulo (frequentei esse clube na…

Ver o post original 110 mais palavras

“Vai Pro Gol”

Desde que vi o filme de Felipe D´Andrea no CINEfoot 2012, estava louco para fazer um post sobre “Vai Pro Gol” e o futebol de botão. O post anterior foi o estalo.

“Dizem que tem mais de 100.000 botonistas no Brasil.”

Se a estimativa, citada por um dos entrevistados do documentário “Vai Pro Gol“, pode ter um quê de Nelson Rodrigues – já pensou, um Maracanã superlotado de botonistas brasileiros?- o certo é que todo fim de semana muita gente joga futebol de botão, ou futebol de mesa, esporte levado a sério pelos federados. Clubes de futebol como Corinthians, Nacional, Noroeste, Palmeiras e Santos, sociais como Círculo Militar e o Cisplatina FC ou especializados em botão como o Maria Zélia participam dos campeonatos. Fiquei impressionado com as imagens de inúmeras mesas, num campeonato disputado no belo ginásio do Círculo Militar, em São Paulo (frequentei esse clube na minha infância, mas não sabia que tinha um departamento de futebol de mesa tantas vezes campeão…).

O doc de 22 minutos, em HD, tem ritmo, bons ângulos, bom humor e uma bela trilha – sou todo elogios para o chorinho “Bola de Gude, “das meninas do Choro das 3. Não perca a oportunidade de ver “Vai Pro Gol” nos próximos festivais. Tomara que vire um longa, Felipe! Parabéns.

Veja o trailer abaixo.

  • Veja também:
  1. Meninos de Kichute
  2. Metegol
  3. O Ano em Que Meus Pais Saíram de Férias

Por favor, quem quiser compartilhar suas memórias e histórias de botonistas, pode escrever no espaço de comentários. Eu começo!


“Meninos de Kichute” e uma chuva de gols, na rodada dupla do CINEfoot.

O goleiro Beto (Lucas Alexandre), em "Meninos de Kichute"
O goleiro Beto (Lucas Alexandre), em “Meninos de Kichute”

(x) Gol de placa
( ) Gol bonito
( ) Bateu na trave
( ) Bola murcha
O espectador do festival CINEfoot recebe na entrada das sessões um cupom com essas opções para marcar em cada um dos filmes da mostra competitiva. E bola pro mato que o jogo é de campeonato e vale a Taça CINEfoot. “Meninos de Kichute”, longa-metragem de Luca Amberg que fechou a rodada dupla da penúltima jornada do festival em São Paulo, ganha fácil a cotação (x) Gol de placa.

O filme inspirado no livro de mesmo nome de Márcio Américo se passa nos anos do “Eu te amo meu Brasil” e parece até feito nos anos 70, de tão cuidada a reconstituição de época. Quem está na faixa dos 40 anos vai se lembrar dos tempos de aulas de Moral e Cívica, álbuns de figurinhas, revistas de mulher pelada, Magiclik, carros Brasília, Kharman Ghia, Dodge Dart, futebol, Canal 100, sonorizado com a versão instrumental de”Na Cadência do Samba (Que Bonito É)”, e claro, a chuteira Kichute do título – e antes que alguém identifique a primeira música do trailer e do filme com o ufanismo do “Brasil gigante”, noto que é possível identificar no papel do pai o Estado violento, repressor e mentiroso. Mesmo para uma criança criada em apartamento como este que vos bloga, é impossível não se identificar com as desventuras desses “guris”.  Ótimos diálogos, factíveis, ótimas atuações (especialmente de Werner Schünemann, Vivianne Pasmanter, Arlete Salles e o protagonista Lucas Alexandre, bem dirigido como todo o elenco “juvenil), boa trilha sonora da época, a cargo de Netinho, dos Incríveis. É certamente um dos nossos melhores filmes sobre futebol – e sobre amizade e descobertas. Referências fora do Brasil: “Conta Comigo”, clássica sessão da tarde, e a nostalgia de “Adeus Lênin”.

Veja aqui o trailer de “Meninos de Kichute”. Vida longa a este filme.

cartaz-divunet

  • “Que belo time/que belo esquadrão. Juventus amigo/do meu coração”, canta a torcida Ju-Jovem do clube grená da Mooca, presente na segunda sessão desta noite. Que belo filme, digo eu, sobre o curta “Juventus Rumo a Tóquio”, que assisti na telona pela segunda vez. E mesmo tendo visto outras vezes na internet, sinto o suspense do documentário, mesmo sabendo o resultado. Muito bom!
  • Ah, sim: o CINEfoot convidou o Divino camisa 10 Ademir da Guia para receber uma placa em homenagem aos 100 anos de nascimento do pai dele, Domingos da Guia, o Divino Mestre. Bacana!

Continuar lendo ““Meninos de Kichute” e uma chuva de gols, na rodada dupla do CINEfoot.”

Saiu a seleção do 3º CINEfoot – Festival de Cinema de Futebol


O CINEfoot – Festival de Cinema de Futebol – anunciou na sua página os filmes convocados para a copa, digo, para mostra competitiva, no Rio de Janeiro (entre 24 e 29 de maio no Arteplex da praia de Botafogo) e em São Paulo (de 31 de maio a 5 junho no Museu do Futebol e Reserva Cultural). Vale a Taça CINEfoot.
Bola pro mato que o jogo é de campeonato, então. Confira a lista dos longas que participam da mostra competitiva no Rio:

Longa-metragens que participam da mostra competitiva em São Paulo: Continuar lendo “Saiu a seleção do 3º CINEfoot – Festival de Cinema de Futebol”