Madrid League

https://www.facebook.com/RealMadrid/

Cinquenta e nove anos depois de ganhar o campeonato espanhol e a Copa dos Campeões, o Real Madrid repetiu o #doblete nacional e europeu, ao golear espetacularmente a Juve, hexacampeão italiana. Foi a terceira dobradinha dos blancos:

  • 1956-1957: Di Stéfano e cia ganharam a 5ª liga espanhola e 2ª orelhuda
  • 1957-1958: de novo, la saeta rubia levou liga espanhola (6ª) e orelhuda (3ª)
  • e agora, 2016-2017: 33ª liga espanhola e 12ª orelhuda

Os #blancos conquistaram a orelhuda ainda em 1955-56, 1958-59, 1959-60 (ou seja, com os dois dobletes da geração Di Stéfano acima mencionados , ganhou as cinco primeiras Copas dos Campeões), 1965-66, 1997-98 (também contra a Juve), 1999-2000,  2001-02, 2013-14, e o primeiro bicampeonato no formato Champions, 2015-16 e 2016-17. Continuar lendo “Madrid League”

Dica de filme: “United”.

Em 1958, a Copa dos Campeões da Europa (competição que é hoje a Champions League) estava na sua terceira edição – que acabaria sendo a terceira conquista do Real Madrid. O campeão inglês, um jovem time do Manchester United tinha acabado de eliminar o Estrela Vermelha na fase quartas de final (vitória em Old Trafford, empate em Belgrado) e, na volta pra casa, o avião teve que fazer uma escala para reabastecer, em Munique. Duas tentativas para decolar, nada feito. Na terceira, um desastre. Vinte e três pessoas morreram (entre jornalistas, torcedores, o copiloto, uma aeromoça, 8 jogadores e 3 funcionários dos Red Devils).

9760a10f-59b9-4dbb-983a-8eb539f63dcb-poster-1
A tragédia de Munique, 6 de fevereiro de 1958, é o tema do telefilme “United”, dirigido por James Strong para a BBC em 2011 (aqui pode ser visto no canal Now, da Net, pra quem assina o pacote Claro Vídeo). No roteiro de Chris Chibnall, também estão a formação daquela equipe, que ficou conhecida como Busby Babes, e a reconstrução do Manchester United, que voltou a campo 13 dias depois da tragédia – o programa do jogo contra o Sheffield Wednesday foi impresso com a escalação do time em branco. O artilheiro Bobby Charlton, o goleiro Harry Gregg e Sir Matt Busby foram alguns dos sobreviventes. O assistente de Busby, Jimmy Murphy, que não viajou a Belgrado por outros compromissos, tem papel importante no filme “United” -que também deixa a leitura “nas entrelinhas” que o presidente da liga inglesa foi cruel ao bater o pé na questão do obedecimento ao calendário inglês.
Continuar lendo “Dica de filme: “United”.”

Viu #TheDamnedUnited, “Maldito Futebol Clube”? Pois outro filme vai contar a era Brian Clough no Nottingham Forest!

11377230_964484486929330_7428304485425754291_nO Notthingam Forest, que comemora 150 anos em 2015, anunciou a pré-estreia mundial do filme “I Believe in Miracles”, sobre o time treinado por Brian Clough, que conquistou a Copa dos Campeões (hoje Liga dos Campeões), na temporada 1978-79 (1-0 sobre o Malmö, no estádio Olímpico de Munique) e um ano depois foi bicampeão europeu (outro 1 a 0, sobre o Hamburgo, no Bernabéu). A “avant premiere” do filme – que está sendo muito elogiado por quem viu, segundo relatos que chegam de Nottingham – vai ser num domingo, 11 de outubro, no estádio do Forest (hoje na segunda divisão inglesa), o City Ground (foto abaixo).11219676_1021434907900954_684668470163520370_n
Quinze mil pessoas são esperadas no estádio pra ver o documentário produzido por Jonny Owen. Depois, “I Believe In Miracles”vai passar em alguns cinemas ingleses (entra em circuito em 13 de outubro). Sai em DVD e Blu-Ray na terra da rainha em novembro.

Continuar lendo “Viu #TheDamnedUnited, “Maldito Futebol Clube”? Pois outro filme vai contar a era Brian Clough no Nottingham Forest!”

JpegNão foi um passeio sem emoção, como no futuro pode parecer o placar da prorrogação.
Até os 92 minutos de decisão na “catedral” da Luz, em Lisboa, os rivais de Madrid, os bravos rojiblancos de Diego Simeone, venciam os vizinhos galáticos e conquistavam pela primeira vez a copa sonhada.
O gol de Sergio Ramos foi um autêntico gol de ouro, que praticamente jogou contra as cordas os extenuados atléticos. Simeone teve que queimar uma substituição com menos de 10 minutos de jogo.
Faltaram pernas para os guerreiros de Manzanares. Não faltou coração.
Um vice-campeão que valoriza demais a décima copa da Europa do Real Madrid.

10403470_10150598412419953_7419887543727439912_n
https://www.facebook.com/RealMadrid
  1. 1955-56
  2. 1956-57
  3. 1957-58
  4. 1958-59
  5. 1959-60
  6. 1965-66
  7. 1997-98
  8. 1999-00
  9. 2001-02
  10. 2013-14

Continuar lendo “La Décima”

A Vecchia Signora está na moda

http://www.juventus.com/ : https://www.facebook.com/Juventus
Leonardo Bonucci, Pirlo, Claudio Marchisio e Andrea Barzagli : http://www.juventus.com/ : https://www.facebook.com/Juventus

Depois que vazou a camisa alternativa do Corinthians em 2013, depois que o Arsenal apresentou seu “away kit“, eis que a Juventus mostrou seu segundo uniforme para a liga italiana, Coppa da Itália e Champions 2013-14 (aliás, de casa cheia: todos os ingressos para o Juventus Stadium foram vendidos. Sold Out!).
Amarelo (pelo jeito, a cor da moda), com detalhes em azul. Por coincidência ou não, os três clubes têm a mesma fornecedora de material esportivo, a Nike. No caso da Juve, é uma referência a um uniforme usado na vitória de 2×1 sobre o Porto, na Basileia, na final da Copa dos Vencedores de Copas, a extinta Recopa europeia (ou ainda Copa das Copas), na temporada 1983-84. E que a partir desse título, de vez em quando reaparece no enxoval da velha senhora. Amarelo e azul são também as cores do brasão de Turim. No Facebook, o clube diz que a Juventus é Turim e Turim é Juventus. O lado grená da cidade não deve ter gostado muito…

Juve campeã da Copa dos Vencedores de Copas em 1983/84.
Juve campeã da Copa dos Vencedores de Copas em 1983/84. https://www.facebook.com/Juventus/timeline/story?ut=32&wstart=452242800&wend=454921199&hash=416847141675854&pagefilter=3&ustart=1

Continuar lendo “A Vecchia Signora está na moda”

Livro conta a história das camisas de alguns dos maiores times da Europa

Publicado em julho de 2013

Historia_camisas_europa_300_CMYK
Você sabia que durante a Segunda Guerra, o Bayern de Munique (que tinha presidente e técnico judeus) foi obrigado a usar o escudo do Partido Nacional Socialista, dos nazistas?
Por que o FCB do distintivo do Barça virou CFB entre 1939 e 1974?
Em que período da vida política italiana a Internazionale de Milão virou Ambrosiana e usou uma camisa branca com a cruz vermelha símbolo da cidade, depois relançada em 2007?
Você sabia que o durante o período fascista na Itália, o Milan (nome da cidade de Milão em inglês, em homenagem aos fundadores do clube) foi obrigado a “italianizar” o nome, para Milano, e teve que ostentar um distintivo fascista em amistosos internacionais?
E que o Corinthian inglês (que inspirou nome e camisa do Corinthians Paulista) também influenciou a escolha da camisa, branca, do Real Madrid, em 1902?
E que o Arsenal, fundado em 1886, só começou a usar o tradicional uniforme vermelho com as mangas brancas em 1933?
Quando o Manchester United adotou seu uniforme vermelho?
Quais eram as cores do Liverpool, quando foi fundado, em 1892?
Que clube inglês influenciou o uniforme “bianconero” da Juve, depois que a Vecchia Signora usou uma ‘malha rosa’, em seus primeiros passos?
“Blue is the colour, football is the game”. Mas em que ano o Chelsea, fundado em 1905, adotou o azul-royal?
Tudo isso está no livraço “A História das Camisas dos 10 Maiores Times da Europa” (Panda Books), de Mauricio Rito e Rodolfo Rodrigues, que acaba de chegar às livrarias.
Cada mudança importante no “manto” dos clubes citados, desde o ano de suas fundações, é mostrada pelas ilustrações de Mauricio Rito e pesquisa de Rodolfo Rodrigues, no padrão de lançamentos anteriores da Panda, como “A História das Camisas dos 12 Maiores Times do Brasil” e “A História das Camisas de Todos os Jogos das Copas do Mundo”. Mais de 1.400 camisas foram reproduzidas – já tem os uniformes da temporada 2013/2014, como as cores da ‘senyera’ no uniforme 2 do Barça. Detalhes como mudanças de escudo, de fornecedores de material esportivo e patrocinadores não são esquecidos. Há ainda um capítulo especial sobre as decisões da Copa/Liga dos Campeões, desde 1956 – com o desenho dos uniformes usados pelos finalistas, claro!

Veja o flyer da noite de autógrafos dentro do post.
Continuar lendo “Livro conta a história das camisas de alguns dos maiores times da Europa”

20 anos da grande vitória do Dream Team do Barça

Este slideshow necessita de JavaScript.

Em 20 de maio de 1992, o Barcelona do técnico Johan Cruyff conquistou a Copa dos Campeões da Europa, ao derrotar a Sampdoria por 1×0 em Wembley, gol do holandês Koeman, na prorrogação. Foi o primeiro dos quatro títulos máximos europeus do Barça, na última edição do rico torneio continental interclubes com o nome de Copa dos Campeões (Taça dos Campeões em Portugal).  A partir da temporada 1992/93, a competição se chamaria Champions League.
Esta semana, os 20 anos da grande conquista da equipe “blaugrana” conhecida como Dream Team foram lembrados no Troféu Joan Gamper, que leva o nome do suíço que fundou o Barcelona. A Sampdoria (que está de volta à Série A italiana) venceu por 1×0 o mistão dos donos da casa, no dia seguinte da primeira rodada da liga espanhola, e três dias antes da Supercopa de Espanha 2012, que Barça e Real Madrid começam a decidir nesta quinta-feira, no Camp Nou. Então, em 2012, a Samp levou o troféu de verão para a linda Gênova.
Em 1992, deu Barça. Que jogou com o segundo uniforme, laranja (na pose já como campeão, aparece de azul e grená)e entrou para a história com Zubizarreta, Nando, Koeman, Ferrer, um certo Pep Guardiola (depois Alesanco), Eusebio, Bakero, Rodriguez, Salinas (depois Goikoetxea), Laudrup e Stoitchkov. A Samp, de branco, tinha jogadores como Pagliuca, Vierchowod, Toninho Cerezo, Lombardo e Viali.
Continuar lendo “20 anos da grande vitória do Dream Team do Barça”