Domingo de clássico uruguaio. Decisivo.

Domingo de clássico uruguaio. Decisivo.

Este slideshow necessita de JavaScript.


Este é um domingo de muitos clássicos no planeta #gorduchinha. Derby della Capitale (Roma x Lazio) no Stadio Olimpico, Klassieker na Holanda (Feyenoord x Ajax), North London Derby (Arsenal x Spurs), Revierderby (Borssia Dortmund x Schalke) na Alemanha… e #clásico no Uruguai. O Penãrol chega ao grande clássico uruguaio na liderança do Apertura 2015, 2 pontos acima do Nacional. 25 a 23. O jogão começa às 17h (de Brasília) no estádio Centenario e vai passar na TV (por assinatura) no Brasil.

Na rodada passada, que o Fut Pop Clube acompanhou in loco, o bolso bobeou e só empatou com o Racing.

O carbonero aproveitou o vacilo, goleou o caçula Villa Teresa com grande atuação de Diego Forlán e assumiu a liderança.

Em caso de vitória aurinegra, o Peñarol abre 5 pontos de vantagem. Depois do dérbi, vão faltar apenas três rodadas pro fim do Apertura 2015. Os manyas sairiam do Centenario hoje com uma mão na taça.

Vai ser o primeiro Peñarol x Nacional de Diego Forlán como profissional, já que o filho de don Pablo Forlán  só tinha jogado na base do carbonero e do Danúbio, antes de estrear pelo Indepediente, na Argentina, e de lá para Manchester United, Villarreal, Atlético de Madrid, Inter de Milão, Inter de Porto Alegre, Cerezo Osaka e, enfim, Peñarol, em 2015.

Relacionados pelo Peñarol.
Relacionados por Pablo Bengoechea pro Peñarol.

Estão relacionados Forlán e outro jogador de Celeste bem conhecido dos brasileiros, el Loco Abreu, do Nacional. Semana passada, Loco Abreu não jogou.

Relacionados pelo bolso: .facebook.com/nacional/
Relacionados por Munúa pro time do bolso: .facebook.com/nacional/

Por falar em clássico, no Centenario, se vende um alfajor do Peñarol… as embalagens vem com cards e adesivos de jogadores aurinegros. Vende pouco????Mania dos manyas!

facebook.com/AlfajorPenarol/
facebook.com/AlfajorPenarol/

Continuar lendo “Domingo de clássico uruguaio. Decisivo.”

Olé! Os Rolling Stones vão tocar em 8 estádios da América do Sul em 2016.

Olé! Os Rolling Stones vão tocar em 8 estádios da América do Sul em 2016.
Mosaico com o cartaz da turnê latino-americana. na conta dos Stones no Instagram.
Mosaico com o cartaz da turnê latino-americana. na conta dos Stones no Instagram.

Em fevereiro… em fevereiro, tem Carnaval… e vai ter Rolling Stones também. A banda de Mick Jagger, Keith Richards, Ron Wood e Charlie Watts confirmou hoje a volta à América Latina em 2016, 10 anos depois do megashow na praia de Copacabana. Aleluia! Vai ser uma turnê quase toda em estádios de futebol – com exceção da Cidade do México – para Copa Libertadores nenhuma botar defeito. E em algumas cidades, os cinquentones vão tocar pela primeira vez. Como Porto Alegre, Montevidéu, Lima e Bogotá.

  • Confira as datas da Olé Tour 2016:
  1. Chile – 3 de fevereiro de 2016 – Estádio Nacional Julio Martínez Prádanos
  2. Argentina – 7 de fevereiro – Estádio Único Ciudad de La Plata
  3. Argentina – 10 de fevereiro – Estádio Único Ciudad de La Plata
  4. Argentina – 13 de fevereiro – Estádio Único Ciudad de La Plata
  5. Uruguai – 16 de fevereiro – Estádio Centenario
  6. Rio de Janeiro – 20 de fevereiro, um sábado – Maracanã
  7. São Paulo – 24 de fevereiro, uma quarta-feira  – Morumbi
  8. São Paulo – 27 de fevereiro, um sábado – Morumbi
  9. Porto Alegre – 2 de março, uma quarta-feira – Beira-Rio
  10. Peru – 6 de março – Estádio Monumental
  11. Colômbia – 10 de março – El Campín
  12. México – 14 de março – Foro Sol, Cidade do México

As vendas começam a partir de 9 de novembro. Prepare o $$$ e fique de olho no site: http://www.rollingstones.com/tickets/

Veja o vídeo promocional da Olé Tour 2016.

Continuar lendo “Olé! Os Rolling Stones vão tocar em 8 estádios da América do Sul em 2016.”

Diego Forlán deu um show no estádio Centenario, na goleada do Peñarol sobre o caçula Villa Teresa.

Novembro de 2015

DSC07483O Peñarol acordou domingo a 1 ponto do rival Nacional (que só empatou na véspera – veja post anterior) e com a oportunidade de assumir a liderança isolada do torneio Apertura 2015 do campeonato uruguaio se vencesse a partida de 18h10 no Centenario. Chance não desperdiçada. O aurinegro goleou o Club Atlético Villa Teresa, caçula e lanterninha do campeonato, e entrou na semana do grande clássico uruguaio 2 pontos na frente do tricolor. O Villa Teresa fez sua primeira partida no estádio construído pro Mundial de 1930, no fim de semana que também foi o de ‘estreia’ do blog Fut Pop Clube no Centenário.  Com direito a um show do camisa 10 do Penãrol, Diego Forlán.

DSC07493O melhor jogador da Copa de 2010, na África do Sul, chegou há menos de 4 meses ao carbonero, time de coração da família Forlán (seu pai, Pablo, foi lateral do aurinegro; o filho só tinha jogado na base do Peñarol – e do Danubio- antes de ir pro Independiente e de Avellaneda pra Europa). Diego Forlán fez um golaço. Recebeu, dominou com categoria e sem deixar a pelota tocar o gramado deu um chutaço pra marcar o terceiro do Penãrol. Mandou uma na trave. É um líder dentro de campo. Aplaudido até quando vai bater escanteio. Pudera. De seus pés, dois tiros de canto terminaram em gols aurinegros.  Tem 36 anos. Diego Forlán vai jogar domingo seu primeiro (e talvez último) clássico.

O Peñarol cobrou 240 pesos uruguaios (uns 40 reais) de quem não é sócio para a DSC07473tribuna Olímpica (que fica no meio do campo, embaixo da torre), e na tribuna Colombes fez uma promoção (duas pessoas entravam pelo preço de um ingresso). A barra do Peñarol agita na tribuna Amsterdam. Provoca o rival e faz festa o tempo todo, às vezes à capella, sem bateria, só com a vozes – bem maneiro isso. O público foi bom (20 mil torcedores, de novo minha fonte é o Ovación), mas não lotou o Centenario. O que com certeza vai acontecer no domingo de clásico Nacional x Peñarol.DSC07471

DSC07486 DSC07491Quanto ao histórico estádio da Copa de 1930, precisa de uma boa manutenção, especialmente numas arquibancadas lá no alto da tribuna Olímpica…DSC07476

… mas o cenário é de arrepiar.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Ficha da partida dentro do post e um resumo em vídeo neste link aqui. Continuar lendo “Diego Forlán deu um show no estádio Centenario, na goleada do Peñarol sobre o caçula Villa Teresa.”

Futebol ao cair da tarde – uma bela tarde com jogo do Nacional no estádio Centenario.

DSC07410

Publicado no começo de novembro de 2015

Este slideshow necessita de JavaScript.

Montevidéu – O Nacional chegou à 11ª “fecha” (rodada) do torneio Apertura 2015 do campeonato uruguaio na liderança, mas o Bolso deu uma derrapada na partida de sábado, contra o Racing Club de Montevideo, em posição intermediária na tabela.DSC07402

Jogando com sua belíssima segunda camisa, vermelha, parecida com esta da temporada 2014, o tricolor de Montevidéu abriu o placar com Santiago Romero no primeiro tempo…DSC07403

e chegou a fazer 2×0 com Sebastián Fernández logo no começo do segundo tempo, só que o Racing mostrou atrevimento e igualou o marcador no mítico Centenario (gols de Franco Romero e Líber Quiñones). O estádio  recebeu apenas 7 mil torcedores (minha fonte aqui é o Ovación, caderno esportivo do jornal El País, de Montevidéu). Mas a torcida da “banda del Parque” deu show, cantando o tempo todo, mesmo no finalzinho, com o empate amargo, pra empurrar  o time.


Um olho no jogo, outro na tribuna Colombes, onde fica a torcida tricolor.

DSC07425
Com o empate, o Nacional deu ao arquirrival Peñarol a possibilidade de assumir a liderança do Apertura 2015, no domingo, o que realmente aconteceu, na semana antes do grande clássico uruguaio, entre tricolores e aurinegros.

A “estreia” do Fut Pop Clube no Centenário, o primeiro giro do blog no estádio da final da Copa de 1930 em dia de jogo, foi na tribuna Olímpica, onde fica a torre que é um cartão postal de Montevidéu. O ingresso nesse setor custou 300 pesos uruguayos para não sócios do Nacional. Uns 50 reais.

Montevidéu, 31 de outubro de 2015. @FutPopClube
Uma manutenção não faria mal ao Centenario. Montevidéu, 31 de outubro de 2015. @FutPopClube

Dentro do post, a ficha técnica de Nacional 2×2 Racing. Continuar lendo “Futebol ao cair da tarde – uma bela tarde com jogo do Nacional no estádio Centenario.”

Para Eduardo Galeano, não havia estádio vazio.

Para Eduardo Galeano, não havia estádio vazio.

O escritor Eduardo Galeano, que morreu em abril de 2015, tinha quase 10 anos quando a seleção de seu país ganhou a Copa do Mundo de 1950 (era de 3 de setembro de 1940). “Hincha” do “bolsillo”, o Nacional, tricolor de Montevidéu, e amante do futebol, mesmo que a camiseta do jogador não tivesse um bolso e fosse aurinegra, Galeano convida o leitor do clássico “Futebol ao Sol e à Sombra(L&PM) a entrar num estádio vazio.

… Pare no meio do campo e escute. Não há nada menos vazio que um estádio vazio. Não há nada menos mudo que as arquibancadas sem ninguém. O estádio Centenario, de Montevidéu, suspira de nostalgia pelas glórias do futebol uruguaio. O Maracanã continua chorando a derrota brasileira no Mundial de 50. Na Bombonera de Buenos Aires, trepidam tambores de há meio século. Das profundezas do estádio Azteca, ressoam os ecos dos cânticos cerimoniais do antigo jogo mexicano de pelota. Fala em catalão o cimento do Camp Nou, e em euskera conversam as arquibancadas do San Mamés, em Bilbao…

Não tem como entrar mais num estádio em dias sem futebol,  ou naquelas tours que alguns clubes fazem, sem lembrar de Eduardo Galeano, craque do sonhos (“jogava muito bem, era uma maravilha, mas só de noite, enquanto dormia”). O texto acima é um dos muitos gols do seu livro Futebol ao Sol e À Sombra.

Dentro do post, o texto do site da editora sobre o livro. Continuar lendo “Para Eduardo Galeano, não havia estádio vazio.”

Nacional, campeão uruguaio! Campeão, mesmo?

É campeão! É campeão? facebook.com/nacional

O Nacional ganhou o torneio Apertura do futebol uruguaio. Na semana passada, o Peñarol, faturou o Clausura. Então, os dois rivais se classificaram para disputar o título de campeão uruguaio. O clássico deste domingo no centenário era considerado “semifinal” para o Peñarol, porque os carboneros precisavam verncer hoje para forçar mais dois jogos, já que os bolsilludos, tinham também a melhor campanha (além do título do Apertura). Mas para o pessoal dos bolsos no lado esquerdo da camisa teve gosto de final. Dramática!

O tricolor uruguaio saiu na frente. Sebastián Fernandez, Iván Alonso. O time aurinegro – com um a menos – conseguiu empatar no finalzinho do segundo tempo. Duas vezes Luis Aguiar. Prorrogação. O veterano Recoba entrou em campo. Bateu falta com perigo. Deu assistência para o terceiro gol do Nacional. Perdeu o pênalti que seria o quarto gol. Mas o juiz botou na súmula que a partida foi interrompida faltando sete minutos pra acabar a prorrogação.

O Nacional levantou taça e botou medalhas no peito. O Peñarol quer jogar os sete minutos finais. O Tapetão decide: Nacional campeão ou o clássico continua?

É campeão! É campeão? facebook.com/Nacional
É campeão! É campeão?
facebook.com/Nacional

Continuar lendo “Nacional, campeão uruguaio! Campeão, mesmo?”

#MaracanáLaPelícula. O filme sobre o Maracanazo, no Canal Brasil.

Sexra, 25 de novembro, 22h, Canal Brasil. Replay terça, 13h30.
1970439_471082516351403_1003118500_n
1623558_464799520313036_739368862_n
Um filme sobre a Copa de 1950 estreou no escurinho do estádio – o mítico estádio da copa de 1930, vencida pela mesma seleção. A primeira sessão de Maracaná – La Película” (de Sebastián Bednarik e Andrés Varela) levou 10 mil torcedores, digo, espectadores ao Centenário, em Montevidéu. É uma coprodução celeste-canarinho (envolveu produtoras uruguaias e brasileiras) que procura mostrar o lado tanto do campeão, como do vice, no que para nós brasileiros foi uma tragédia, a derrota de virada no jogo decisivo do quadrangular final da Copa de 50, no Maracanã lotado.  O #Maracanazo teve todo um clima de “já ganhou” e a pressão política para que o Brasil conquistasse a Copa, num ano de eleição, incluiu o discurso do prefeito do Rio, Mendes de Morais.

Brasileiros, cumpri minha palavra construindo este estádio. Cumpram agora seu dever, ganhando a Copa do Mundo.

Maracanazo… Por si, um assunto caro aos brasileiros… Não somos um povo melancólico… mas como adoramos debater nossas grandes derrotas nos gramados! 1950… 1982… 1998…
Ainda mais num ano de outra Copa do Mundo no Brasil – e de eleições também – conhecer melhor a exploração política do esporte nunca é demais.
Antonio Leal, do CINEfoot, esteve na sessão realizada no estádio Centenário. O documentário “Maracaná – La Película” (título original) é uma das atrações do festival de cinema de futebol. Em São Paulo, quinta-feira, 29 de maio, às 20h, no Museu do Futebol (estádio do Pacaembu). Grátis. Mas é bom chegar pelo menos 1 hora antes pra pegar o convite.
Mas as imagens raras, históricas, e a montagem do trailer, que você pode ver abaixo, já deixam ansioso qualquer espectador interessado em bons filmes de futebol e documentários, de modo geral, como eu e você que me lê.
Continuar lendo “#MaracanáLaPelícula. O filme sobre o Maracanazo, no Canal Brasil.”