Publicado em 12 de maio de 2017

Tours por estádios e museus de times são um clássico para o torcedor/simpatizante de algum time e para o fã de futebol de modo geral. Fiz a visita ao Chelsea Football Club em março de 2017 e este post aqui é sobre a parte do museu dos #blues neste tour, que pode incluir uma visita (guiada) pelo interior do estádio Stamford Bridge, com acesso ao vestiários, setor de imprensa e beirinha do gramado. Adultos pagam 19 libras pela tour que junta estádio e museu (mais recomendando para quem não conhece Stamford Bridge). Metrô: Fulham Broadway. O ponto de encontro da tour fica ao lado da Matthew Harding Standing, uma das tribunas do estádio.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Um bom espaço é dedicado ao elenco que conquistou título europeu, a Champions League 2011-12. Na Europa, o Chelsea também tem duas Recopas, uma Supercopa e uma Liga Europa.

Com a conquista da Premier League 2016-17, o Chelsea tem seis títulos ingleses de primeira divisão. O primeiro foi o da temporada 1954-55, quando a Football League Division I era a elite. De 2004-05 para cá, foram cinco ligas. Na época da visita, eram quatro as taças da Premier League no museu.

A Premier League de 2016-17 já já se junta a estas quatro copas.

As sete Copas da Inglaterra não são esquecidas, claro.

Atualmente o museu do Chelsea não tem assim nenhuma maravilha tecnológica, mas encanta o boleiro pelo acervo e didatismo. Por exemplo, informações sobre os patrocinadores do clube. De uniforme, foram apenas três fabricantes desde 1968. A inglesa Umbro, a francesa Le Coq Sportif, Umbro de novo e desde 2006-07, a alemã adidas. A partir de 2017-18, os blues vestirão Nike.

Aliás, o museu informa que o  Chelsea foi o primeiro de Londres a adotar números nas costas do uniforme, em 1928!

Away kit: camisa 2 do Chelsea, feita pela Umbro, 90-91 e 91-92. Esta foi usada por Kerry Dixon.

Não faltam camisas clássicas com os nomes de ídolos do Chelsea, até por suas seleções nacionais.

Este slideshow necessita de JavaScript.

As mudanças dos escudos ao longo do tempo estão em painéis. E vídeo e maquete mostram como era Stamford Bridge, que em breve vai ser demolido e todo reconstruído.

Chelsea e punk. Há informações sobre shows e clips em Stamford Bridge, punk rockers que são Chelsea desde criancinha, como o saudoso Joe Strummer, vocal e guitarra base do glorioso Clash, Steve Jones e Paul Cook, guitarrista e batera dos Sex Pistols. A butique Sex, de Vivienne Westwood e Malcolm McLaren, considerada o epicentro do punk, era no 430 da King’s Road, perto do Stamford Bridge.

Clip ‘pé quente‘: Suggs, vocal do Madness, liderou o coro de jogadores nesta gravação feita para a final da Copa da Inglaterra de 97 (deu Chelsea contra o Boro.)

Diz o museu que o Chelsea foi pioneiro na produção daquelas revistas oficiais de cada partida, matchday programme, nos primeiros anos do Século XX. O Chelsea FC Chronicle foi a primeira publicação mais bojuda do tipo. Comprei uma edição recente que faz tributo a essas edições pioneiras.

Demais, não?

Mais informações na página Stadium Tours and Museum, do site do Chelsea.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s