Randy Rhoads

Guitarra da Jackson, modelo Randy Rhoads
Guitarra da Jackson, modelo Randy Rhoads

Com a imagem de uma guitarra fabricada pela Jackson, modelo Randy Rhoads, o blog Fut Pop Clube faz sua homenagem ao jovem guitarrista que morreu em 1982, num 19 de março, depois de gravar apenas dois ótimos discos com Ozzy Osbourne. Com 17 anos, Randy Rhoads foi um dos fundadores do grupo de hard rock californiano Quiet Riot – mesmo à epoca do jovem guitar hero, um som bem glam, à beira da farofa. No fim dos 70, a banda gravou dois LPs, lançados apenas no Japão – anos mais tarde, resumidos num CD da Rhino, Quiet Riot: The Randy Rhoads Years. Na virada para os 80, Randy Rhoads entrou pra banda que Ozzy Osbourne (ex-Black Sabbath) estava formando – o capítulo de heavy metal da série Seven Ages of Rock revela que a empresária Sharon Osbourne participou dessa escolha. Seja como for, o primeiro resultado da parceria entre o desvairado ex-vocalista do Sabbath e o virtuoso guitarrista ex-Quiet Riot foi o ótimo disco  Blizzard of Ozz. Tem o hit desgovernado Crazy Train (belo riff), a balada Goodbye to Romance, a polêmica Suicide Solution, a dobradinha Revelation (Mother Earth)/Steal Away – a primeira bem na linha No More Tears.

Foto da capa de "Quiet Riot:The Randy Rhoads Years"
Foto da capa de "Quiet Riot:The Randy Rhoads Years"

Mas antes de mais nada, Blizzard of Ozz é Mr. Crowley, com aquela clássica intro dos teclados de Don Airey e o solo de guitarra que pra mim ainda é o mais bonito da história do heavy metal.  Curioso é que alguns riffs e solos do 1º disco de Ozzy já eram em parte usados por Rhoads no Q.Riot, como dá ouvir no CD The Randy Rhoads Years (exemplo: Force of Habit é irmã mais velha e glam de No Bone Movies). Em 1981, saiu o segundo disco de Ozzy, que embora não tenha assim uma Mr Crowley, supera Blizzard: Diary of a Madman. Uma pá de música boa, como Over the Mountain, abertura pra arrasar quarteirão. A ótima Flying High Again. A épica power ballad You Can´t Kill Rock´n´Roll. Inacreditável show de guitarra e baixo em Believer! E a clássica Diary of a Madman, seis minutos de mudanças de andamento. Em 19/3/82, um acidente aéreo matou Rhoads, o jovem que participava de uma saudável competição (virtual) com Eddie Van Halen, pra ver quem era o maior herói da guitarra pesada no começo dos 80. Ele deixou dois grandes discos de estúdio com Ozzy, contendo vários clássicos do metal, riffs e solos que são aulas de guitarra. Cinco anos depois, Ozzy lançaria Tribute, um álbum duplo ao vivo com material dos dois discos de Ozzy+Rhoads e pertardos eternos do Sabbath.

PERGUNTA: Fora Mr. Crowley, qual música de Ozzy com Randy Rhoads você prefere?Clique em COMENTÁRIOS.200px-tribute_crop

4 comentários sobre “Randy Rhoads

  1. Eu começo votando em CRAZY TRAIN, por causa do riff matador. E solos.

  2. Meu voto vai pra “You can’t kill rock and roll” do album Diary of a Madman

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.