“Geraldinos”, na última rodada da Mostra Cinefoot.

“Geraldinos”, na última rodada da Mostra Cinefoot.

“Geraldinos”, filme vencedor da Taça Cinefoot 2015 nas seleções carioca e paulista do festival de cinema de futebol, encerra a mostra Cinefoot, no Canal Brasil. Nesta sexta-feira, 22h, com reprise na terça-feira, 13h30. Vale a pena ver ou rever o doc, que também está disponível para aluguel no Now.

Continuar lendo ““Geraldinos”, na última rodada da Mostra Cinefoot.”

“Geraldinos” em São Paulo

Publicado em 29 de abril de 2016


O horário é um só. 18h10. A sala 4 do Caixa Belas Artes não é assim um Maracanã dos cinemas. Mas os torcedores dos times cariocas que moram em São Paulo e todos os ‘futboleros’ interessados nas melhores décadas do futebol brasileiro precisam ver “Geraldinos”. Os diretores Pedro Asbeg e Renato Martins (que já tinham sido premiados por “Democracia em Preto e Branco”) levantaram a taça de melhor longa tanto na edição carioca como na paulista do festival CINEfoot, em 2015, com estes 73 minutos de barulho em homenagem ao Maraca das antigas e seus ricos personagens, os geraldinos.

A equipe do filme registrou os dez últimos jogos do velho Maraca com a geral, em 2005. Uma década depois, reencontrou no estádio lipoaspirado alguns geraldinos como o “Mister M”, “Índio”, Vovó Tricolor e Edgar, um tricolor que invadiu o gramado do Maracanã num Fla-Flu de 1982 em que o time de seu coração perdia por 3×0 e foi pedir pro Zico não marcar gol. Dois anos depois, Edgar batizaria seu filho com o nome do herói tricolor num Fla-Flu decisivo: Assis.

Emoção não falta no documentário “Geraldinos”. Sem falar no riquíssimo material de arquivo, cenas de outros filmes feitos, editados num ritmo brilhante – o som do grupo Bixiga 70 está na trilha sonora. Os depoimentos são muito bons, e o apolinho Washington Rodrigues, comentarista de rádio no Rio, dá a letra: “nem eu sei quem é o dono do Maracanã. Sei que não é meu”.

“Geraldinos” toma partido, escolhe o lado. O lado do povo. Belo doc!
Continuar lendo ““Geraldinos” em São Paulo”

Tributo a Cruyff (1947-2016)

Neste post, vamos ver a repercussão da morte de Johan Cruyff. “El Flaco”, o Holandês Voador, morreu nesta quinta-feira, 24 de março de 2016, aos 68 anos, de câncer de pulmão. A começar pelas capas de alguns jornais esportivos que vão para as bancas nesta sexta-feira.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Na página oficial de Romário no Facebook, o baixinho falou do ex-treinador:

Tive o privilégio de tê-lo como treinador quando joguei pelo Barcelona.
Ele foi, sem dúvida, o melhor treinador que tive, seus ensinamentos serão eternos na minha vida.
Costumo dizer que ele me desafiava muito como jogador e eu buscava ganhar sempre! Até porque seu objetivo era colher bons resultados para a equipe.
Ele sabia como poucos valorizar e explorar o que cada membro da sua equipe tinha de melhor e ele sabia que minha habilidade era fazer gols.
Ele também era uma pessoa justa. Lembro que eu sofria um pouco pela distância de casa. Naquela época, eu era o único jogador do Barcelona de fora da Europa. Ele, então, me concedia alguns dias a mais de folga para que eu pudesse descansar em casa.
Ele se foi precocemente, mas seu legado para o esporte fica. Hoje o futebol perde um de seus maiores ícones e eu perco um amigo.
Descanse em paz, mestre Cruyff.”

Continuar lendo “Tributo a Cruyff (1947-2016)”

Olaria Atlético Clube, 100 anos

Olaria Atlético Clube, 100 anos

logo_olaria_PNG
O saudoso Jorge Curi poderia arrancar do peito o refrão.

Anotem… tempo e placar em Baririiii !!!!!

Curi, já são decorridos 100 anos de Olaria Atlético Clube. O azulão da Bariri completou o centenário em 1º de julho. Comemorou neste fim de semana com Romário e tudo. O #baixinho começou no time azul-celeste da rua Bariri. E como a gente lembrou no post anterior, o hino do Olaria é um dos 11 compostos por Lamartine Babo para times que disputavam o campeonato carioca lá pela segunda metade dos anos 40. Ouça o hino e confira a letra de Lamartine dentro do post.

Continuar lendo “Olaria Atlético Clube, 100 anos”

O gol de barriga que decidiu um Fla-Flu. E um título estadual, em 1995.

11426792_877028245702525_5481667739829354791_oMaracanã, 25 de junho de 1995. O Clássico das Multidões do futebol carioca decide o campeonato estadual. O placar eletrônico mostra 2×2, resultado que dá o título ao Flamengo. Pra ganhar o título no ano do centenário de fundação do clube, o Mengão trouxe Romário (do Barça) para fazer um ataque de sonhos com Sávio e o técnico Vanderlei Luxemburgo, bicampeão brasileiro pelo Palmeiras. Faltam quatro voltinhas pro ponteiro: 41’15” do 2º tempo. O tricolor Aílton desce pela ponta-direita, faz um fuzuê na área rubro-negra e chuta … ou cruza? De bandana na cabeça, camisa tricolor com menos listras que o normal e um espaço gigante para o patrocinador, Renato Gaúcho põe a barriga na frente e empurra a bola pro gol. 3 a 2. O Fluminense – treinado pelo “papai” Joel Santana – é campeão do Rio depois de dez anos!

Tempos em que o Maracanã poderia receber umas 120 mil pessoas, como naquela tardinha, que teve 109 mil pagantes (por aí dá para ter uma ideia de quantos entraram “de carona”, fato comum no estádio naquela época).

O “gol de barriga” de Renato Gaúcho, os 20 anos da conquista do Estadual de 1995, bem como os 30 do de 1985 e os 40 do primeiro título da Máquina Tricolor, em 1975, vão ser lembrados pela FluFest, uma programação do Fluminense que comemora os 113 anos do clube e os 110 anos da tradicional camisa tricolor.

Renato Gaúcho e o título fluminense de 1995 também são lembrados na série de cervejas que a dupla dinâmica do Rock Flu lançou. Diz o rótulo: “feita para quem aprecia gol de barriga”. Risos!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Na súmula, o juiz indicou gol do Aílton. Até o garotinho José Carlos Araújo (hoje na Super Rádio Tupi) narrou o gol na rádio Globo como sendo do Aílton., como está no CD “30 Gols Históricos do Tricolor”.

Veja o gol e ouça essa narração vibrante aqui.

É hilária a história que o torcedor tricolor conta no trecho do gol de barriga no filme “Fla x Flu – 40 Minutos Antes do Nada”.  Como quase todas desse documentário, que vale conhecer.

FICHA TÉCNICA do Fla-Flu decisivo de 1995 dentro do post: Continuar lendo “O gol de barriga que decidiu um Fla-Flu. E um título estadual, em 1995.”

#Geraldinos no CINEfoot 2015

Atualizado para o CINEfoot SP 2015

Cartaz do filme “Geraldinos”: https://www.facebook.com/geraldinosdoc

Dez anos do fim da geral no Maracanã! O documentário Geraldinos passou no festival É Tudo Verdade e é uma das atrações do CINEfoot. O filme de Pedro Asbeg e Renato Martins ganhou a Taça CINEfoot de longa-metragem na edição carioca e agora tenta a dobradinha na seleção paulista do festival.

O da poltrona pode ver o filme sobre os da geral em 28 de novembro, às 21h, no Espaço Itaú de Cinema – rua Augusta.
Continuar lendo “#Geraldinos no CINEfoot 2015”

O museu mais visitado da Catalunha e a homenagem do Barça ao aniversário do baixinho.

8orNbMais de um milhão e meio de pessoas foram em 2014 ao Museu do Barça, mais uma vez o mais visitando da Catalunha, superando os de artistas mundialmente conhecidos: o espetacular Museu de Dalí, na cidade de Figueres (1.297.311 visitantes. Se for à Barcelona e tiver um dia para uma viagem pela Catalunha, eu recomendo), e o Museu Picasso, no bairro gótico de Barcelona (919.814 visitantes). O Museu del Barça está no complexo do Camp Nou, que é o maior estádio da Europa, e a tour Camp Nou Experience inclui os dois. Museu e rolê pelo estádio: vestiários, capela, sala de imprensa, gramado.

Museu e redes sociais do Barça nunca deixam de prestar homenagens à lendas #blaugranas. Como o baixinho Romário, que neste 29 de janeiro fez 49 anos. O Barça bombou um vídeo de 19 minutos com os 30 gols do “Peixe” em 33 partidas com a camisa azul e grená, garantindo o título da liga espanhola de 93-94 pro time comandado pro Cruyff (tetra). Entre eles, os da #manita, goleada de mão cheia sobre o Real Madrid, num Camp Nou elétrico – não tem jogo que a torcida do Barça dê mais festa que num dérbi contra o Madrid (aqui, galeria de fotos). Incorporei o vídeo abaixo com o show de Romário, que usava a 10 do Barça. Fez três gols – triplete, hat-trick, fora o show. Sem dúvida, um dos maiores atacantes da vida do Barça, da seleção brasileira e da história do futebol. Olha só quem dá o passe pro baixinho fazer o primeiro gol. Vamos ver se reconhecem um ex-jogador cria da base do Barça que hoje é um técnico pra lá de vencedor (aqui, uma ficha técnica do dérbi).


E na linha da #ThrowbackThursday, republico fotos de rolês do Fut Pop Clube pelo Museu do Barça e Camp Nou Experience.

Camiseta de José Sastre, campeão da primeira liga espanhola, 1928-29
Camiseta de José Sastre, campeão da primeira liga espanhola, 1928-29

O que talvez muitos brasileiros não saibam é que o Barcelona foi o primeiro campeão da liga espanhola, na temporada 1928-1929. Um campeonato disputado por 10 equipes (pela ordem de chegada: Barça, Real Madrid, Athletic Club, Real Sociedad, Arenas de Getxo, Atlético de Madrid, Espanyol, Europa (saiba mais aqui sobre esse clube catalão), Real Unión e Racing Santander. Ao lado, a camiseta do meio-campo José Sastre, vice-artilheiro do Barça no primeiro título, com 10 gols. O atacante Parera marcou 11. Josep Samitier, outro mito blaugrana, anotou 7.
Dentro deste post especial, mais fotos de memorabilia de alguns ídolos históricos do Barça, que podem ser apreciadas numa visita ao Museu do Barça: a Camp Nou Experience. Continuar lendo “O museu mais visitado da Catalunha e a homenagem do Barça ao aniversário do baixinho.”