Gols Históricos do Fluminense

Publicado em dezembro de 2010
Um CD que não contém solos de guitarra ou refrões. Mas um monte de gol, golaço, aço, aço, aço, golão, golão, golão. Que lindo! Goool legalll! Marcados por ídolos como Rivellino, Conca, Romerito, Romário, Edinho, Doval, Renato Gaúcho, Fred, Washington Coração Valente, Assis, Mickey, Thiago Neves… Narrados por Waldir Amaral, Jorge Curi, Edson Mauro, Evaldo José, José Carlos Araújo – e referendados por Mário Vianna, comentarista de arbitragem. Com este post sobre o CD 30 Gols Históricos do Tricolor, fecho a série sobre a coleção lançada em bancas pela rádio Globo do Rio no 1º trimestre de 2010, com narrações de gols dos 4 maiores do futebol carioca. Portanto, antes da vitoriosa campanha do Fluminense no Brasileirão.
Mas o CD do tricolor tem as narrações de outras três conquistas nacionais. Se o argentino Conca foi o grande craque de 2010, no Brasileirão de 1984 o ídolo era o paraguaio Romerito (ex-Cosmos) – autor do gol do título (narração: Edson Mauro), no primeiro jogo da final contra o Vasco, Maracanã tomado por mais de 63 mil pagantes. Na segunda e última partida, 0x0, diante de 130 mil no Maraca. Romerito e o técnico Parreira chegaram durante o certame. Para o treinador, no entanto, o jogo mais perfeito taticamente do Flu 84 foi a vitória sobre o forte Corinthians de Sócrates, Zenon, Wladimir e Casagrande: 2×0 na partida de ida da semifinal, no Morumbi. “A exibição do Fluminense foi um primor” (Parreira ao Estadão, 5/12/2010 ). Os gols são narrados por Jorge Curi (o de Assis) e Edson Mauro (o de Tato). Continuar lendo “Gols Históricos do Fluminense”

“Contra-Ataque”, de Carlinhos Vergueiro. Futebol em ritmo de samba.

Coluna de Música do Fut Pop Clube 28/09/2010
Com o perdão do trocadilho, um biscoito fino da MPB boleira ganhou um relançamento na época da Copa do Mundo 2010. Contra-Ataque – Samba e Futebol, de Carlinhos Vergueiro, saiu em edição digipack pela gravadora Biscoito Fino, com 3 músicas a mais em relação ao CD original, de 1999, independente, “que o jogo é na raça” – como diz a letra de Camisa Molhada

clássico do corintiano Toquinho e de Carlinhos Vergueiro (tricolor em SP e no RJ) sobre as peladas nos campos de terra, que diz presente nessa aula de samba e futebol. “Fique de olho no apito”… Quem ouvia as transmissões da equipe de Osmar Santos na rádio Globo SP no final dos 70 e 80 deve se lembrar da vinhetinha que anunciava o trio de arbitragem. Contra-Ataque, CD que tinha também Nação Corinthians, muito bonita (costuma ser usada em programas de TV),  e músicas sobre Raíe Zico,  agora tem ainda Romário, Linhas de Prazer e um samba inédito, Irrestível (parceria de Carlinhos com a  filha, Dora Vergueiro, e Afonso Machado). Em Linhas de Prazer, o tricolor Vergueiro escala “linhas plenas de magia” de timaços que marcaram época: Continuar lendo ““Contra-Ataque”, de Carlinhos Vergueiro. Futebol em ritmo de samba.”

Museu do Futebol: 2 anos

Na grande área do Museu
Na grande área do Museu

Um passeio no Museu do Futebol (mais de 820 mil visitantes) é um programa muito interessante para torcedores de todas as idades, bandeiras e estados. Já entrou até nos pacotes de turismo cultural por São Paulo.
O museu está acima de clubismos e bairrismos. Um clube da série C tem ficha do mesmo tamanho dos grandes campeões nacionais. Pode ser lembrado de igual para igual na primeira sala, Na Grande Área que lembra visual de bar temático. Destaque para os jogos interativos (motivos de alegria da criançada e muita fila), tributos a Pelé, Garrincha e Copas do Mundo. Confira algumas lembranças de minhas muitas visitas. Continuar lendo “Museu do Futebol: 2 anos”

“Juve” na Mostra Cinema e Futebol

Na segunda-feira 21/6, às 18h30, e terça 22/6, às 12h30, o Canal Brasil exibe o emocionante curta-metragem “Juventus Rumo a Tóquio” -um domingo de decisão na rua Javari, casa do simpático Clube Atlético Juventus, o Moleque Travesso. Esse é pra gravar, porque para mim futebol não se resume a Soccer City, arenas maravilhosas e caríssimas, craques midiáticos, bilhões de reais em ação! Por mais que eu goste de Camp Nous e Santiagos Bernabéus, também gosto de estádios pequenos e cheios de história. Leia o que escrevi logo depois de ver a “premiere” do filme sobre o Juventus, no Festival de Curtas de SP: “O dia em que um cinema virou rua Javari”.

Em julho, a sessão “É Tudo Verdade” do mesmo Canal Brasil exibirá “1958 – O Ano em que o Mundo Descobriu o Brasil”, ótimo documentário de José Carlos Asbeg.
Texto integral do post, sobre os filmes que já passaram na Mostra Cinema e Futebol, do Canal Brasil. É BOLA NA TELA! Continuar lendo ““Juve” na Mostra Cinema e Futebol”

México 1970

Estamos a praticamente 2 meses do pontapé inicial da Copa do Mundo 2010. Chegou às bancas (na sexta-feira) o primeiro DVD da Coleção Copa do Mundo Fifa 1930-2006, lançada pela Abril. E nada mais tentador do que começar a série do que o mítico Mundial de 70, no México. Brasil tri e com show de bola. “Dream team”, apelida o Dossiê preparado pela Placar que vem junto com o filme (veja a capinha mais à direita; o formatinho é de gibi, as informações são valiosas). E o DVD propriamente dito é o filme oficial da Copa de 70, “The World At Their Feet”  – com todos os seus problemas (excesso de narração em off, ausência de replays, historinha dispensável – menino fanático que viaja ao México escondido da mãe) e vantagens: filmagem muito boa, em película, e a própria Copa de 70. Além do show das feras que o Saldanha preparou e o Zagallo comandou na hora H, teve o que é considerado o melhor jogo da história dos Mundiais: Itália 4×3 Alemanha, na semifinal que apontou a Squadra Azzurra como adversária do Brasil na grande final. Até os uniformes das seleções de 70 parecem os mais maneiros de todos os tempos. Repare como o Tostão jogou bola… é brincadeira o que ele faz no lance contra a Inglaterra que terminou com o gol de Jairzinho, o furação da Copa. E as jogadas de Pelé que não terminaram com a bola no fundo da rede, mas entraram para a coleção de imagens clássicas do esporte mundial.
O primeiro volume da Coleção Copa tem ainda 2 extras: biografias de Ronaldo Fenômeno e Roberto Baggio, mais um Top 10 dos gols de longa distância.
Na semana que vem, sai mais um DVD: o filme da Copa de 2002.
LISTA DOS TRICAMPEÕES E A CAMPANHA DO BRASIL:
Continuar lendo “México 1970”

Livro: “Os 11 Maiores Camisas 10 do Futebol Brasileiro”

Nesta terça-feira, 13 de abril, às 18h30 na livraria Cultura do Conjunto Nacional, o jornalista Marcelo Barreto lança o livro “Os 11 Maiores Camisas 10 do Futebol Brasileiro” (de uma série da editora Contexto, que começou com “Os 11 Maiores Técnicos…”, do Noriega). Marcelo Barreto está preparado para a polêmica, para motivar muita conversa de bar. Ele explicou à CBN que antes de mais nada a lista não trata de quem usou a camisa 10, mas jogou como “10”, na posição consagrada por Pelé, Zico, Riva, Ademir da Guia etc. O autor do livro já explica aos vascaínos que apesar de Roberto Dinamite ter jogado com a 10, era um típico “9”, preservando o grande ídolo de São Januário para um futuro livro sobre “os 11 maiores centroavantes”.

E quem foram os onze “camisas 10” eleitos pelo livro? Continuar lendo “Livro: “Os 11 Maiores Camisas 10 do Futebol Brasileiro””

Derby do bem

Domingo de derby no estádio Paulo Machado de Carvalho, o quase setentão Pacaembu.

Corinthians x Palmeiras. Mas antes quero falar de Corinthians E Palmeiras. Às vésperas do clássico pelo Paulistão 2010, as diretorias dos dois grandes se reuniram e lançaram um leilão,  para ajudar as vítimas da enchente que arrasou a cidade de São Luiz do Paraitinga, no interior de São Paulo. E olha só que maneiro. Vão ser leiloadas: uma camisa do Corinthians autografada por Rivellino e Ademir da Guia; e outra por Ronaldo Fenômeno e São Marcos. Uma do Palmeiras assinada pelo Divino e por Riva; e outra por Marcos e pelo Fenômeno. E ainda uma bola autografada pelas quatro feras!

Quem dá mais? O leilão vai até segunda-feira, ao meio dia, em sites criados pelo alviverde ou pelo alvinegro.

É bem legal que os cartolas se entendam. Meio caminho para reduzir a violência ligada ao futebol. Parabéns. Que não fique por aí.

A imagem que ilustra o post é uma dica de livro para quem se interessa pelas estatísticas do derby. Corinthians x Palmeiras – Uma História de Rivalidade, mais um trabalho de Antonio Carlos Napoleão, pela editora Mauad.

Que a rivalidade fique apenas dentro do campo, nesse derby e outros grandes clássicos deste fim de semana e no restante dos estaduais. Amém.

Um amistoso nada amistoso

Recomendo aos amigos do blog a leitura de um artigo na ótima Revista de História da Biblioteca Nacional – edição de setembro, nas bancas.  “O dia em que o Rio Grande do Sul vaiou o Brasil”, do professor Cesar Augusto Barcellos Guazelli, da Unversidade Federal do Rio Grande do Sul. No texto, o professor recria a atmosfera de rivalidade que cercou um amistoso entre a seleção brasileira de Zagallo e uma seleção gaúcha. Tudo porque Zagallo não tinha convocado o lateral gremista Everaldo, campeão em 70, para a disputa da Mini-Copa, em 1972. Placar final? 3 gols para o Brasil (Jairizinho, PC Caju e Rivellino). Três gols para os gaúchos (2 de Carbone e 1 de Claudiomiro), reforçados pelo chileno Figueroa (ídolo colorado), pelo uruguaio Ancheta (símbolo gremista), ambos na zaga do RS, e o atacante argentino Oberti (então no Grêmio). Os amistosos do Brasil contra seleções estaduais tinham esse clima de rivalidade, estimulada por bairrismo e clubismo. Por outro lado, muitas vezes seleções regionais representaram Brasil.

Verdão foi Brasil em 65. Foto: A.I. do Palmeiras
Verdão foi Brasil em 65. Academia de História do Palestra-Palmeiras

Outro dia lembrei aqui que Brandão convocou maioria de atleticanos e cruzeirenses para jogos da Copa América de 75. E até clubes vestiram a amarelinha. Como o Palmeiras, em 7 de setembro de 1965. O timaço chamado de Academia vestiu verde-amarelo contra o Uruguai, no Mineirão(leia texto).

Corinthians, 99

FielGente com camisa do Corinthians no trabalho, bandeira do Corinthians na janela, bandeira do Corinthians estendida no carro. Tem jogo hoje? Não, não. Muitos corintianos lembraram  do 99º aniversário do time de coração. Na contagem regressiva para o centenário do clube do Parque São Jorge, começa uma série de lançamentos, como “Fiel 100 anos”, de Lázaro Simões Neto, o Lalau, “sobre a torcida que tem um time”. Já algum tempo nas estantes, existe o livro do Celso Unzelte para a coleção Ídolos Imortais, da Maquinária Editora, Os Dez Mais do Corinthians. Na opinião do 0001-22júri de ilustres corintianos consultados para o livro do Unzelte, os “10 mais” são: o goleiro Gylmar, os laterais Zé Maria e Wladimir, os meias Luizinho, Sócrates, Neto, Marcelinho Carioca e Rivellino e os atacantes Baltazar (“cabecinha de ouro”) e Cláudio Pinho. Uma proposta aos amigos leiitores corintianos. Na sua opinião, quais são os 11melhores jogadores da história do alvinegro?

Curiosas canções com narrações de gols

Publicado em 20/07/2009
palavra cantadaCrepúsculo de jogo, torcida brasileira… atirou, entroouuu… Ee queee gooooll!” Há meses, fiz um texto em homenagem ao rádio esportivo. Hoje, volto ao assunto, para lembrar de canções bacanas que ficaram ainda mais interessantes por causa de narrações clássicas de gols. Como a linda faixa número 10 do CD da capa ao lado, Canções Curiosas, da Palavra Cantada. Golaço de Paulo Tatit e  Zé Tatit sobre “o nosso rei da bola, o  Rei Pelé”. Altamente indicado não só para crianças, mas para adultos que não perdem a curiosidade típica dos mirins. E o CD nos brinda com vozes de dois clássicos do rádio, misturadas com a música: Edson Leite e Pedro Luiz. Dentro do texto, a lista continua… Continuar lendo “Curiosas canções com narrações de gols”