“Paixão Pelo Rádio”

Vai mais, vai mais, vai mais, garotinho”! O “garotinho” José Carlos Araújo, que está para estrear em novo prefixo (a Bradesco Esportes FM), se despediu da rádio Globo do Rio no dia da decisão do estadual do Rio 2012. José Carlos transmitiu o primeiro tempo de Fluminense x Botafogo e, às 16h51 do último domingo, começou a passar a “latinha” para o novo titular da 1220 no Rio, Luiz Penido – que acabou narrando o gol da vitória tricolor. Confira aqui o áudio dessa passagem histórica do rádio esportivo brasileiro.  O “garotinho” não conseguiu esconder a emoção. Também há um vídeo, feito na cabine da rádio Globo no Engenhão. Boa sorte a Luiz Penido na rádio Globo, e a José Carlos Araújo no novo prefixo (Gerson, Gilson Ricardo e Jorge Eduardo foram com o “garotinho”). Mais uma opção para o ouvinte – e para quem vive de radiojornalismo esportivo.

paixao_peloradio“Atirou, entrou”! A carreira do carismático locutor esportivo do Rio que inventou esse refrão aí e muitos mais  foi o tema da biografia Paixão Pelo Rádio – do Milésimo de Pelé ao Milésimo de Romário, a trajetória de José Carlos Araújo, o Eterno Garotinho. O livro foi lançado no final de 2009 pelo jornalista Rodrigo Taves, via Maquinária Editora. “Golão, golão, golão”! Continuar lendo ““Paixão Pelo Rádio””

“Golo” do rádio esportivo português

Todo craque que sabe o que quer / Tacuara nem tem que correr / O melhor é chutar já daqui / De pé esquerdo / Direto à baliza / Na justa medida / Tacuara nem tem que correr / Tacuara põe o Benfica a correr / Cardozo! Benfica!

É com uma divertida adaptação da letra de “Cama e Mesa”, sucesso do rei Roberto Carlos, que o meu xará português, o locutor esportivo João Ricardo Pateiro narra os “golos” do “avançado” paraguaio do Benfica, Óscar Cardozo, o “Tacuara“. Conheci o curioso  e excelente trabalho do narrador português no programa “Futebol no Mundo”. João Ricardo Pateiro, da rádio portuguesa TSF, adapta e canta músicas para outros goleadores dos times portugueses, como :

Olha, ou melhor, escuta… há muito tempo não lembro de ouvir uma narração de futebol tão criativa! Mais exatamente, desde a transmissão discotèque, livre, leve e solta de Osmar Santos, o pai da matéria, que revolucionou o rádio esportivo brasileiro nos anos 70.

Taí, pode ser uma boa tentar ouvir um dos clássicos portugueses, entre encarnados, dragões e leões pelo site da TSF, na voz do meu xará, o “comentador” João Ricardo Pateiro.
Continuar lendo ““Golo” do rádio esportivo português”

Luiz Mendes, o comentarista da palavra fácil

Minha gente, o rádio esportivo brasileiro está mais triste, assim como todo torcedor fissurado nas emocionantes transmissões radiofônicas de futebol, como este que vos bloga.
Morreu Luiz Mendes, o comentarista da palavra fácil.
Mas pode chamar também de Senhor Copa do Mundo. O gaúcho radicado no Rio de Janeiro trabalhou em todos os Mundiais desde o de 1950, no Brasil. Foi o único a transmitir para o Brasil a final da Copa de 1954, na Suíça. Era torcedor do Grêmio e do Botafogo, que decretou luto oficial de três dias. Que carreira! Que bela história a do casamento com Daisy Lúcidi – por quem se interessou quando ela era atriz de rádio, e ele, ouvinte.
A capinha que ilustra o post é a da biografia “Minha Gente – Luiz Mendes – O Mestre da Crônica Esportiva do Brasil”, de Ana Maria Pires (editora 7 Letras/Fuperf). Dica do colecionador Domingos D´Angelo, que listou quatro livros escritos por Luiz Mendes: Continuar lendo “Luiz Mendes, o comentarista da palavra fácil”

Top 5 do Fut Pop Clube em 2010

Imagem de destaque
Posts mais visitados aqui no Fut Pop Clube em 2010, segundo o WordPress.

1

Música e futebol, um caso de amor. junho, 2010

2

Gols históricos. Narrações para sempre. abril, 2010

3

Livros sobre o São Paulo Futebol Clube dezembro, 2009

4

Copacabana Club: a banda de Curitiba lança single março, 2009

5

Um rolê pelo Memorial do São Paulo fevereiro, 2009
Muito obrigado a todos visitantes!

Gols Históricos do Fluminense

Publicado em dezembro de 2010
Um CD que não contém solos de guitarra ou refrões. Mas um monte de gol, golaço, aço, aço, aço, golão, golão, golão. Que lindo! Goool legalll! Marcados por ídolos como Rivellino, Conca, Romerito, Romário, Edinho, Doval, Renato Gaúcho, Fred, Washington Coração Valente, Assis, Mickey, Thiago Neves… Narrados por Waldir Amaral, Jorge Curi, Edson Mauro, Evaldo José, José Carlos Araújo – e referendados por Mário Vianna, comentarista de arbitragem. Com este post sobre o CD 30 Gols Históricos do Tricolor, fecho a série sobre a coleção lançada em bancas pela rádio Globo do Rio no 1º trimestre de 2010, com narrações de gols dos 4 maiores do futebol carioca. Portanto, antes da vitoriosa campanha do Fluminense no Brasileirão.
Mas o CD do tricolor tem as narrações de outras três conquistas nacionais. Se o argentino Conca foi o grande craque de 2010, no Brasileirão de 1984 o ídolo era o paraguaio Romerito (ex-Cosmos) – autor do gol do título (narração: Edson Mauro), no primeiro jogo da final contra o Vasco, Maracanã tomado por mais de 63 mil pagantes. Na segunda e última partida, 0x0, diante de 130 mil no Maraca. Romerito e o técnico Parreira chegaram durante o certame. Para o treinador, no entanto, o jogo mais perfeito taticamente do Flu 84 foi a vitória sobre o forte Corinthians de Sócrates, Zenon, Wladimir e Casagrande: 2×0 na partida de ida da semifinal, no Morumbi. “A exibição do Fluminense foi um primor” (Parreira ao Estadão, 5/12/2010 ). Os gols são narrados por Jorge Curi (o de Assis) e Edson Mauro (o de Tato). Continuar lendo “Gols Históricos do Fluminense”

Museu do Futebol: 2 anos

Na grande área do Museu
Na grande área do Museu

Um passeio no Museu do Futebol (mais de 820 mil visitantes) é um programa muito interessante para torcedores de todas as idades, bandeiras e estados. Já entrou até nos pacotes de turismo cultural por São Paulo.
O museu está acima de clubismos e bairrismos. Um clube da série C tem ficha do mesmo tamanho dos grandes campeões nacionais. Pode ser lembrado de igual para igual na primeira sala, Na Grande Área que lembra visual de bar temático. Destaque para os jogos interativos (motivos de alegria da criançada e muita fila), tributos a Pelé, Garrincha e Copas do Mundo. Confira algumas lembranças de minhas muitas visitas. Continuar lendo “Museu do Futebol: 2 anos”

30 Gols Históricos do Gigante da Colina

Andrada, Fidélis, Moacir, Renê e Eberval (Batista); Alcir e Bougleaux [o Buglê]; Ferreira, Valfrido, Silva (Kosilek) e Gílson Nunes. Time-base do Vasco da Gama, que se sagrou campeão carioca de 1970 num 17 de setembro. A fonte é o livraço História dos Campeonatos Cariocas de Futebol 1906/2010 (Maquinária Editora), de Roberto Assaf e Clovis Martins – lançado esta semana no Rio. Por sinal, a coluna Baú do Assaf no jornal Lance! e Lancenet alertou este que vos bloga para a efeméride. O Vasco não ganhava o título carioca desde o super-supercampeonato de 1958 (super-super porque teve dois triangulares finais entre Vasco, Fla e Bota). Lembra Assaf que o campeonato de 1970 foi o último Carioca de pontos corridos (regulamento sem previsão de final entre vencedores de turnos). O título vascaíno, com uma rodada de antecipação, veio com a vitória no clássico contra o Botafogo de Jairzinho e Paulo César Caju, por 2 a 1. Gílson Nunes e Valfrido marcaram os tentos cruzmaltinos.
O gol de Valfrido, o “espanador da lua”, narrado por Waldir Amaral, está no CD 30 Gols Históricos do Gigante da Colina, de uma coleção lançada em 2010 em bancas pela rádio Globo Rio. “Gool legal”, atestou Mário Vianna, “com dois Ns”. Entre os outros 29 gols do CD, estão o  de Roberto Dinamite – de lençol – em outro clássico contra o Fogão, no Carioca 76; os gols dos quatro títulos brasileiros do Vasco: 74,  89, 97 e 2000; os quatro gols da histórica virada sobre o Palmeiras, na final da Mercosul de 2000, em pleno Palestra; e na vitoriosa campanha na Libertadores de 98, o golaço de Juninho Pernambucano contra o River Plate e o de Luizão contra o Barcelona de Guayaquil, Equador. As vozes no CD são de Jorge Cury, Antonio Porto, José Carlos Araújo, Edson Mauro, Gilson Ricardo e Edson Mauro, além da de Waldir Amaral (“a camisa que tem cheiro de gol”, “indivíduo competente” etc). Vascaíno, vale a pena dar uma fuçada por aí.
Leia também:


35 anos de “África Brasil” – discão de Jorge Ben Jor

Aproveito o dia 23 para lembrar de um discão de Jorge Ben Jor (dos tempos em que era Ben): “África Brasil”, de 1976. Samba-rock camisa 10. Foi relançado no finalzinho de 2009 na tentadora caixinha de CDs “Salve Jorge“.  Para quem procura músicas sobre futebol, é “a” dica. Tem apenas as clássicas “Camisa 10 da Gávea”, que Jorge, um ex-ponta direita da base do Flamengo, feita para Zico, claro; e”Ponta de Lança Africano (Umbarauma)”, já regravada pelo Soulfy de Max Cavalera no ritmo acelerado do thrash metal. Há pouco, saiu uma nova versão, em que Ben Jor divide vocais com Mano Brown (muito boa! veja o clip aqui, com direito ao inesquecível Ee quee goool do eterno pai da matéria, Osmar Santos, o melhor locutor esportivo de todos os tempos).
“África Brasil” ainda tem “Taj Mahal”, Xica da… Xica da… “Xica da Silva”, “Cavaleiro do Cavalo Imaculado” etc. Continuar lendo “35 anos de “África Brasil” – discão de Jorge Ben Jor”

“30 Gols Históricos do Glorioso”

Publicado em abril de 2010
Na coleção de CDs da rádio Globo do Rio com gols históricos dos 4 maiores times cariocas, o disquinho do Botafogo começa com um gol de Amarildo no Rio-São Paulo 62 e vai até um de Loco Abreu contra o Vasco já no Estadual de 2010, de Waldir Amaral a José Carlos Araújo. E também tem gols importantes em clássicos contra o Flamengo. Waldir Amaral narra o 2º gol de Garrincha, “o demônio da Copa”, 3º do Bota na final do Estadual de 62. Bicampeão. Na voz do mesmo locutor, aparecem gols de Gérson e Roberto nos 4×2 da final da Taça Guanabara de 68. De novo, Bota bicampeão. O CD da 1220 khz também reapresenta o gol de Jairzinho, “camisa número 10”, no 6×0 contra Flamengo, no Brasileirão de 72 (com direito a Mário Vianna Vianna berrando “gooool legal”). E ainda mais importante, o tento de Maurício contra o Fla na final do Estadual de 89, na voz de José Carlos Araújo. 1×0. O Botafogo era campeão depois de 21 anos. Ouça um teaser da coleção de CDs da Globo Rio aqui.