“Um Time Show de Bola” em DVD. “Meninos de Kichute” nos cinemas. E a última semana do CINEfoot.

As livrarias receberam um caminhão de novidades e relançamentos sobre futebol e em especial Copa do Mundo. Tem muito livro bom.
O Sesc Pompeia faz uma exposição multimídia sobre futebol & música (Música de Chuteiras) e no Rio tem um musical (“Samba Futebol Clube”) – vamos falar deles ainda.
741198_254025904728338_2097897668_oEstes dias antes da Copa são ótimos tempos para quem gosta de filmes sobre futebol.
Uma excelente notícia é o lançamento em DVD da animação 3D “Um Time Show de Bola” (“Metegol”), filme dirigido por um craque argentino do cinema, Juan José Campanella, a partir de um conto de Fontanarossa, que era maluco por futebol. Bonequinhos de pebolim (totó) ganham vida e saem da mesa de jogo nesse filme pra agradar a família toda.
A gorduchinha também rola redonda nos cinemas.

O goleiro Beto (Lucas Alexandre), em "Meninos de Kichute"
O goleiro Beto (Lucas Alexandre), em “Meninos de Kichute”

Uma produção brasileira que passou numa edição anterior do festival CINEfoot finalmente entra em circuito em 5 de março. “Meninos de Kichute, de Luca Amberg. Kichute? A molecada de hoje nem sabe o que é isso, mas esse é um filme com potencial para agradar o público infanto-juvenil e ainda mais os marmanjos que vão se emocionar com as lembranças da infância nos anos 70. Como o kichute, chuteirinha algo tosca que era objeto do desejo de 10 entre 10 boleirinhos dos 70.


E a edição 2014 do CINEfoot – que já terminou no Rio – continua em São Paulo (Espaço Itaú de Cinema e CCSP) e em BH com uma programação espetacular. Pena que se o torcedor/espectador perde uma sessão de um filme em especial dificilmente terá uma segunda chance agora.

Confira a programação dos próximos dias de CINEfoot em SP. Tem filme sobre a Copa de 50, Corinthians, Palmeiras, Boca Juniors, a Holanda de 74 nas lentes do Canal 100 e mais uma chance para ver os imperdíveis “A Copa Perdida / Il Mundial Dimenticato”, “Os Rebeldes do Futebol” e “O Ano em que meus pais saíram de férias”, o favorito do blogueiro.
1921220_642312172528823_4011048284205689691_oEspaço Itaú de Cinema |Augusta (Rua Augusta, 1.475 e 1.470 – Consolação)

  • Domingo 01/06

19h – HOMENAGEM: JOGADORES DA COPA DE 1950 & FAMILIARES

GARRA CHARRÚA, ficção de Felipe Bravo (Espanha, 2012)

DOSSIÊ 50: COMÍCIO A FAVOR DOS NÁUFRAGOS, de Geneton Moraes Neto (RJ, 2013)

21h – HOMENAGEM: CENTENÁRIO DO PRIMEIRO TÍTULO DO S.C. CORINTHIANS PAULISTA

BANDO DE LOUCOS, de Jader Lago (SP, 2011)
image001DEMOCRACIA EM PRETO E BRANCO, de Pedro Asbeg (RJ, 2013), longa vencedor da Taça CINEfoot no Rio.

  • Segunda 02/06

19h – HOMENAGEM: CENTENÁRIO S.E. PALMEIRAS
HOMENAGEM: BOM SENSO F.C.
523527_208172969349845_1235283336_n
O OUTRO SUPERCLÁSSICO/El Otro Superclásic/The Other Superclasico, de Santiago Dulce (SP, 2014). Filme sobre um Boca x River … em Sergipe!

12 DE JUNHO DE 1993 – O DIA DA PAIXÃO PALMEIRENSE, de Mauro Beting, Jaime Queiroz (SP, 2014)

21h – :: LIBERTADORES , de Gabriel Rubim (RS, 2013)

PELADA, FUTEBOL NA FAVELA, de Alex Miranda (SP, 2013)

  • Terça 03/06

19h – SESSÃO ESPECIAL

INTERVALO, de Rogério Zagallo (SP, 2014)
imagem (1)
SANTO MARCOS, de Thiago Di Fiore (SP, 2013)

21h – SESSÃO ENCERRAMENTO & PREMIAÇÃO
HOMENAGEM: CANAL 100

FUTEBOL TOTAL, de Carlos Leonan, Oswaldo Caldeira (RJ, 1974)

  • Centro Cultural São Paulo – CCSP (Rua Vergueiro, 1000 – Paraíso)

MOSTRA PAIXÃO E AGONIA / O FUTEBOL NO CINEMA EUROPEU E SUL-AMERICANO

  • Quarta 04/06
http://lesrebellesdufoot.com/

17h15OS REBELDES DO FUTEBOL/Football rebels / Les rebells du Foot, de Gilles Perez, Gilles Rof (França, 2012)

19h45COPA VIDIGAL, de Luciano Vidigal (RJ, 2010)

  • Quinta 05/06

ano-em-que-meus-pais-poster011

17h15O ANO EM QUE MEUS PAIS SAÍRAM DE FÉRIAS, clássico de Cao Hamburger (SP, 2006)

19h45 – A OUTRA FINAL, de Johan Kramer (Países Baixos, 2002)

  • Sexta 06/06

17h15FUTEBOL É DEUS/Fodbold er Gud / Football is God, de Ole Bendtzen (Dinamarca, 2010). Louco doc sobre a paixão pelo Boca!


19h45MUNDIALITO, de Sebastian Bednarik (Uruguai, 2010)

  • Sábado 07/06


15hO GOLEIRO DO LIVERPOOL, de Arild Andresen (2011)

O “Mundial” de 1942 tem até cartaz oficial, no filme italiano

17h15A COPA PERDIDA/ Il Mundial Dimenticato / The Lost World Cup, engraçado “documentário” sobre um mundial que nunca existiu, de Lorenzo Garzella, Filippo Macelloni (Itália, 2012). Imperdível! Confira um pedaço.


19h45 – 66/67 – ACABOU O FAIRPLAY, de Carsten Ludwig, Jan-Cristoph Glaser (Alemanha, 2009)

Continuar lendo ““Um Time Show de Bola” em DVD. “Meninos de Kichute” nos cinemas. E a última semana do CINEfoot.”

“Futebol é Deus” (“Football is God”). Um filme sobre a paixão pelo Boca.

Este é um filme sobre a paixão dos torcedores do Boca Juniors, que tem como subtítulo “em nome do pai, do filho e de Diego Maradona”. É uma produção dinamarquesa dirigida por Ole Bendtzen, que foi exibida no recente festival CINEfoot no Rio e S.Paulo. Ole Bendtzen acompanha um operário fanático por Maradona (Pablo), uma senhora que a gente pode comparar àquelas torcedoras-símbolo, Paula, conhecida por todos no Boca como La Tia. E um jornalista, Hernán, que trabalha para o site do clube ‘xeneize’. A fotografia é excelente. Chegam a arrepiar as tomadas que mostram La Bombonera. E os personagens são muito bons – e por incrível que pareça, o melhor é o que é menos “povão”, Hernán. São hilários seus diálogos no divã do terapeuta.  Também é muito boa a história da lembrancinha de aniversário que La Tia decide comprar para Martín Palermo. Aperto o botão curtir para este filme.

  • Leia também:
  1. Rolê do blog pela Bombonera e pelo Museo de la Pasión Boquense.
  2. Outros filmes do CINEfoot vistos pelo blog.


“Meninos de Kichute” e uma chuva de gols, na rodada dupla do CINEfoot.

O goleiro Beto (Lucas Alexandre), em "Meninos de Kichute"
O goleiro Beto (Lucas Alexandre), em “Meninos de Kichute”

(x) Gol de placa
( ) Gol bonito
( ) Bateu na trave
( ) Bola murcha
O espectador do festival CINEfoot recebe na entrada das sessões um cupom com essas opções para marcar em cada um dos filmes da mostra competitiva. E bola pro mato que o jogo é de campeonato e vale a Taça CINEfoot. “Meninos de Kichute”, longa-metragem de Luca Amberg que fechou a rodada dupla da penúltima jornada do festival em São Paulo, ganha fácil a cotação (x) Gol de placa.

O filme inspirado no livro de mesmo nome de Márcio Américo se passa nos anos do “Eu te amo meu Brasil” e parece até feito nos anos 70, de tão cuidada a reconstituição de época. Quem está na faixa dos 40 anos vai se lembrar dos tempos de aulas de Moral e Cívica, álbuns de figurinhas, revistas de mulher pelada, Magiclik, carros Brasília, Kharman Ghia, Dodge Dart, futebol, Canal 100, sonorizado com a versão instrumental de”Na Cadência do Samba (Que Bonito É)”, e claro, a chuteira Kichute do título – e antes que alguém identifique a primeira música do trailer e do filme com o ufanismo do “Brasil gigante”, noto que é possível identificar no papel do pai o Estado violento, repressor e mentiroso. Mesmo para uma criança criada em apartamento como este que vos bloga, é impossível não se identificar com as desventuras desses “guris”.  Ótimos diálogos, factíveis, ótimas atuações (especialmente de Werner Schünemann, Vivianne Pasmanter, Arlete Salles e o protagonista Lucas Alexandre, bem dirigido como todo o elenco “juvenil), boa trilha sonora da época, a cargo de Netinho, dos Incríveis. É certamente um dos nossos melhores filmes sobre futebol – e sobre amizade e descobertas. Referências fora do Brasil: “Conta Comigo”, clássica sessão da tarde, e a nostalgia de “Adeus Lênin”.

Veja aqui o trailer de “Meninos de Kichute”. Vida longa a este filme.

cartaz-divunet

  • “Que belo time/que belo esquadrão. Juventus amigo/do meu coração”, canta a torcida Ju-Jovem do clube grená da Mooca, presente na segunda sessão desta noite. Que belo filme, digo eu, sobre o curta “Juventus Rumo a Tóquio”, que assisti na telona pela segunda vez. E mesmo tendo visto outras vezes na internet, sinto o suspense do documentário, mesmo sabendo o resultado. Muito bom!
  • Ah, sim: o CINEfoot convidou o Divino camisa 10 Ademir da Guia para receber uma placa em homenagem aos 100 anos de nascimento do pai dele, Domingos da Guia, o Divino Mestre. Bacana!

Continuar lendo ““Meninos de Kichute” e uma chuva de gols, na rodada dupla do CINEfoot.”