“Fla x Flu – 40 Minutos Antes do Nada”.

Publicado em outubro de 2013

https://www.facebook.com/flafluofilme/
https://www.facebook.com/flafluofilme/

1239176_416884401756924_764732307_oDomingo de Fla-Flu no Maracanã. O Clássico das Multidões já recebeu uma grande homenagem nos cinemas. É o “Fla x Flu – 40 Minutos Antes no Nada“. O filme de Renato Terra (codiretor de “Uma Noite em 67”) ganhou o prêmio de melhor documentário segundo o júri popular no Festival do Rio 2013. No mesmo ano, tive a oportunidade de ver a pré-estreia paulistana, que lotou o auditório Armando Nogueira, do Museu do Futebol, em pleno Pacaembu! É um tal de provocação… “Recordar é viver, Assis acabou com você” x hat–trick do Zico… Quase todas brincadeiras sadias, verbais, engraçadas, tiração de sarro como deveriam ser as rivalidades no futebol. Como sou “neutro”, devo dizer que me diverti muito, nos 85 minutos do filme. Que figuraças os entrevistados… de um lado, Sacha Rodrigues (neto rubro-negro do profeta tricolor Nelson Rodrigues), Márvio dos Anjos, Márcio da Fla-Angra, Francisco (a cara do João) Bosco, Arthur Muhlenberg, e por falar em Arthur, Zico, Júnior e Leandro. Do outro lado, Toni Platão, Pedro Bial, notórios tricolores, Heitor D´Alincourt, Márcio Trindade, o folclórico Desiré e… Assis… Assis rouba o filme! Os caras já são engraçados… e a dupla de entrevistadores, formada pelo próprio diretor, Renato Terra (FFC), e Luiz Antônio Ryff (CRF) – soube provocar, para tirar o máximo dos personagens. O objetivo do diretor não era fazer um filme cronológico, do primeiro Fla-Flu, em 1912, ao Fla-Flu do centenário. Onze clássicos considerados históricos são de alguma maneira lembrados. Renato Terra afirma que quis fazer um filme sobre a paixão, a paixão dos torcedores. E conseguiu. Depois da sessão em São Paulo, houve um bate-papo no auditório do Museu do Futebol, E uma senhora comentou que não gosta de futebol, mas se amarrou no filme. Boa sorte para a carreira desse clássico nos cinemas. Que leve multidões. Veja o trailer no post anteriorContinuar lendo ““Fla x Flu – 40 Minutos Antes do Nada”.”

Vem aí “Outro Futebol”.

https://www.facebook.com/OutroFutebol
https://www.facebook.com/OutroFutebol

Quem teve oportunidade de ver o filme argentino “El Otro Fútbol” no recente festival CINEfoot ou na internet?  É um documentário sobre 140 equipes que disputam as várias divisões de acesso no futebol da Argentina. Pois seu diretor, Federico Peretti (também de “Esos Colores Que Llevás”) prepara  agora uma série de TV sobre o “lado B” do futebol brasileiro, para o Canal Brasil. “Outro Futebol” terá cinco programas de meia hora. Dois já estão na ilha de edição. Federico Peretti e equipe gravaram no Sul do país e no fim deste mês viajam ao norte para gravar outros 3 episódios. O diretor Peretti disse ao Fut Pop Clube que o material filmado no Brasil é tão bom ou melhor que as cenas do filme argentino que inspirou a série (aqui, o trailer).
A ideia é que a série “Outro Futebol entre na programação do Canal Brasil em outubro. Na torcida!

Longe dos grandes estádios e próxima ao coração.

O mote da série é por aí.
Saiba mais… Continuar lendo “Vem aí “Outro Futebol”.”

“Amando a Maradona” na TV

amando a maradona

Um documentário muito doido sobre o “Pibe”, exibido anos atrás na Mostra de Cinema de São Paulo, “Amando a Maradona” é o cartaz da sessão Cone Sul, do Canal Brasil. Na madrugada de domingo para segunda, à 0h02, com reprise na terça, também de madruga, às 04h03.

É importante não confundir com o filme do Kusturika, que deu sua visão pessoal sobre “El Diez”.

Este, de Javier Vázquez, é de 2005 e ainda mais radical na paixão pelo personagem. Você já viu o “Flight 666”, sobre o Iron Maiden?  Lembra da cena de um padre brasileiro todo tatuado? É mais ou menos por aí.  Igreja Maradoniana, casamento no estádio Diego Armando Maradona, do Argentino Juniors, o clube que revelou Diego, torcedores completamente fissurados por vida e obra do “Pibe”.

Vale a pena conferir tanta loucura. Aqui, o trailer. Continuar lendo ““Amando a Maradona” na TV”

Copa de Filmes: a lista de Mário Marra.

Cartaz original do filme da Copa de 94

Mais uma rodada da copa virtual de cinema aqui do Fut Pop Clube. Agora, os filmes de futebol favoritos do jornalista Mário Marra, comentarista da rádio CBN (agora em SP) e dos jornais Super e O Tempo, de Minas Gerais. E ainda atualiza o Blog do Marra.  Vai que é sua, Marra!

  1. Boleiros – Era Uma Vez o Futebol [mais um voto para o delicioso filme de Ugo Giorgetti, com Otávio Augusto, Lima Duarte, Marisa Orth, Denise Fraga e companhia bela]
  2. Todos os Corações do Mundo [de Murilo Salles. É o filme oficial da Copa de 1994 nos EUA. Pode ser encontrado nas bancas, em DVD da Coleção Copa do Mundo Fifa, da Abril, com capa diferente do cartaz original da película. Excelente escolha. Já foi tema de post aqui no blog]
  3. Barbosa, com Antônio Fagundes [curta-metragem de Ana Luiza Azevedo e Jorge Furtado, inspirado no livro Anatomia de uma Derrota de Paulo Perdigão. Veja ou reveja Barbosa no Porta Curtas]
  4. Garrincha, Alegria do Povo[clássico do Cinema Novo dirigido por Joaquim Pedro de Andrade. Passa de quando em vez no Canal Brasil e saiu como DVD bônus numa caixa com os filmes de Joaquim Pedro. Site da produtora Filmes do Serro tem fotos e muita informação]

Valeu, Marra! Listas anteriores:

Cinema e Futebol


A estreia na TV por assinatura do emocionante curta-metragem Juventus Rumo a Tóquio” abre as cortinas de mais uma semana da Mostra Cinema e Futebol, do Canal Brasil – um vasto panorama de filmes sobre futebol no país. O curta se passa numa manhã decisiva de domingo na Javari. Passa nesta segunda, 21 de junho, às 18h30, com reprise na terça, 22/6, às 12h30.

Na sequência, dois curtas sobre a torcida do América-RJ: “Unido Vencerás” e “Unido Vencerás II – Uma História Diferente”.

E às 19h09 desta segunda, o Canal Brasil exibe “Heróis de uma Nação”, sobre o Flamengo campeão de tudo (estadual, brasileiro, sul-americano e mundial) entre 1978 e 1981. Esse doc tem duração de 50 minutos e conta com depoimento de protagonistas desses anos rubro-negros, como Paulo César Carpegianni (primeiro, jogador; depois técnico campeão do mundo de clubes). Replay: terça, às 13h08, no mesmo bat canal.

Nesta terça, 22 de junho, a partir das 18h30, o Canal Brasil tem mais uma rodada dupla: “Sobrenatural de Almeida”, curta de Paulo Sérgio Almeida. Em seguida, às 18h42, o documentário “Papão de 54”, sobre o time do Renner, que superou tricolores e colorados no campeonato gaúcho daquele ano. Já ouviu falar de Valdir Joaquim de Moraes, senhor goleiro e depois preparador de arqueiros como Zetti? Ênio Andrade? Ênio seria depois um dos “11 Maiores Técnicos do Futebol Brasileiro“, como conta o livro do Noriega. Ambos jogaram no Grêmio Esportivo Renner, Papão de 54, que deixou muitos órfaos da arquibancada (título de reportagens sobre times extintos, no Globo Esporte). Reprise na quarta, 23/6, a partir de 12h30. Veja que outros filmes já passaram na Mostra.

Copa 78

A Mostra Cinema e Futebol (do Canal Brasil) e os DVDs da Coleção Copa, de Placar/Abril, me deram a oportunidade de acompanhar duas versões distintas sobre o polêmico Mundial de 78, na Argentina, o último na América do Sul até que a bola role sabe lá em que estádio brasileiro no inverno de 2014. “Copa 78: O Poder do Futebol” passou no começo da semana no Canal Brasil. “Argentina Campeones”, título original do filme oficial da Copa de 78, chegou às bancas na coleção de DVDs da Abril. E o engraçado é que nos créditos alguns nomes coincidem, como o do diretor Maurício Sherman, bem como muitas das imagens são as mesmas. Mas o texto… ah, o texto é bem diferente.
O DVD lançado pela Abril, que é o filme oficial da Copa, mostra o torneio jogo a jogo, começando com um clip de lances … bem violentos! Sim, é mencionado que o Mundial foi disputado num país sob ditadura, junta militar que derrubou Isabelita Perón.
Mas é o documentário “Copa 78: O Poder do Futebol”, exibido no Canal Brasil, que toca mais o dedo na ferida do Mundial disputado durante a ditadura de Jorge Videla. Abre com o depoimento de um dirigente dos Montoneros (grupo guerrilheiro argentino) a um jornalista, falando em trégua no período da competição. Cita os boicotes, as campanhas contra o Mundial na Argentina. E no que diz respeito ao futebol, bola rolando, mesmo, Sherman e o codiretor Victor di Mello assumem uma postura autoral, bem crítica ao esquema tático e “futebolês” próprio do técnico brasileiro Cláudio Coutinho – o texto, narrado pro Sérgio Chapelin, dá umas duas estocadas nos termos “overlapping” (avanço do lateral direito) e “jogador polivalente”, muito usados por Coutinho. A entrevista em que o treinador se diz “campeão moral” é repetida algumas vezes. O técnico argentino César Luís Menotti, homem que teve a marra de barrar o jovem Maradona naquela que poderia ser 1ª Copa de Diego, tem destaque maior no filme. Sempre polêmico.
Também estão no documentário “Copa 78: O Poder do Futebol” a chamada “batalha de Rosário” (o vergonhoso Brasil 0x0 Argentina – Coutinho escalou o volante Chicão, que tinha fama de durão; o clássico foi um festival de pontapés) e a goleada da Argentina sobre o Peru do goleiro Quiroga por 6×0 (os hermanos jogaram depois do Brasil e já sabiam quantos gols precisavam marcar para ir à final).
Pessoalmente, a Copa de 78 foi a primeira que acompanhei de ponta a ponta, na TV. Apesar de nomes como Zico, Rivellino, Dinamite, Reinaldo, Oscar, Leão, Nelinho, Jorge Mendonça, Dirceu e Gil, a seleção brasileira não me encantou especialmente (a primeira fase, então, foi pífia). Não torci contra a Argentina na final, apesar do resultado suspeito contra o Peru. Fui exceção entre os meus colegas de quinta série. Quase todos os outros coleguinhas de sala torceram pela Holanda, certamente não em protesto contra a ditadura argentina, mas para secar o time que eliminou o Brasil. Se eu fosse maiorzinho, teria conhecimento sobre o que acontecia nos quartéis argentinos. Muito provavelmente teria optado pela Holanda (se bem que duvido que não festejasse o tri brasileiro em 1970 porque vivíamos sob uma ditadura – outro filme, o delicioso “O Ano Em que Meus Pais Saíram de Férias”, aborda esse dilema de torcedor/cidadão). Continuar lendo “Copa 78”

“Juve” na Mostra Cinema e Futebol

Na segunda-feira 21/6, às 18h30, e terça 22/6, às 12h30, o Canal Brasil exibe o emocionante curta-metragem “Juventus Rumo a Tóquio” -um domingo de decisão na rua Javari, casa do simpático Clube Atlético Juventus, o Moleque Travesso. Esse é pra gravar, porque para mim futebol não se resume a Soccer City, arenas maravilhosas e caríssimas, craques midiáticos, bilhões de reais em ação! Por mais que eu goste de Camp Nous e Santiagos Bernabéus, também gosto de estádios pequenos e cheios de história. Leia o que escrevi logo depois de ver a “premiere” do filme sobre o Juventus, no Festival de Curtas de SP: “O dia em que um cinema virou rua Javari”.

Em julho, a sessão “É Tudo Verdade” do mesmo Canal Brasil exibirá “1958 – O Ano em que o Mundo Descobriu o Brasil”, ótimo documentário de José Carlos Asbeg.
Texto integral do post, sobre os filmes que já passaram na Mostra Cinema e Futebol, do Canal Brasil. É BOLA NA TELA! Continuar lendo ““Juve” na Mostra Cinema e Futebol”

Lóki

arnaldoBelo o documentário Lóki – Arnaldo Baptista(trailer na página oficial), sobre um dos fundadores da crucial banda brasileira Os Mutantes. É  uma produção do Canal Brasil, com direção de Paulo Henrique Fontenelle, e está em cartaz nos cinemas, nesta boa safra de docs musicais. Lida bem com um tema difícil, que é a tentativa de suicídio. O foco é na vida de Arnaldo Dias Baptista, mas os arquivos de imagens dos Mutantes são ricos. Uma ótima opção de cinema para quem se interessa pela história do rock nacional.

Garrincha, Alegria do Povo

Publicado em 8/4/2009

Poster do clássico de Joaquim Pedro de Andrade: “Garrincha, Alegria do Povo”

Garrincha, Alegria do Povo, um clássico do cinema brasileiro sobre futebol, que passa de vez em quando no Canal Brasil (e no Futura), saiu numa caixa de DVDs sobre a obra do diretor Joaquim Pedro de Andrade. Com uma câmera na mão, pouca narração e muita bola no pé, mostra o dia a dia do craque da estrela solitária. Continuar lendo “Garrincha, Alegria do Povo”