“Todos os Corações do Mundo”

Cartaz original do filme da Copa de 94

Romário, Bebeto, Baggio, Stoichkov, Brolin, Bergkamp, Hagi, Taffarel, Preudhomme (considerado o melhor goleiro da Copa), o fanfarrão Ravelli, um jovem Larsson, cabeludo, Maradona (até ser suspenso por causa de exame antidoping). Craques de montão, uniformes “classe” (Brasil vestiu Umbro), estádios grandes e lotados (maior média de público das Copas até hoje!), jogos emocionantes. O filme oficial da Copa 94, “Todos os Corações do Mundo / Two Billion Hearts“, é tão bom assim ou o Mundial disputado nos Estados Unidos foi muito, muito melhor do que o de 90, na Itália? Provavelmente as duas opções. “Todos os Corações do Mundo”, dirigido pelo cineasta Murilo Salles, com muitos outros brasileiros na equipe, é o melhor dos filmes oficiais das Copas. Está no DVD da Coleção Copa do Mundo Fifa, que a Abril distribuiu em bancas, com a capinha tradicional da série (veja trailer aqui).
Em vez de contar a Copa jogo a jogo, o roteiro de “Todos os Corações do Mundo” opta por destacar Seleções e seus craques: Argentina de Maradona, a Romênia de Hagi, a Bélgica de Preudhomme, a Bulgária de Stoichkov, a Itália de Baggio, o Brasil de Romário. Ângulos diferentes, replays, trilha sonora que aumenta a dramaticidade do mata-mata, a festa do torcedor ajudam a fazer do filme da Copa de 94 um grande documentário sobre futebol.
Tem brasileiro que nem gosta de contar esse título, o do “É tetra! É Tetra”. O que chega a ser absurdo. Ok, o estilo da Seleção, num 4-4-2 caretinha, não encantou – e perde em popularidade para o “dream team” de 1982, que não voltou com a taça, infelizmente. Mas para o baixinho dar show, havia um esquema azeitado. Está na hora de valorizar essa conquista como ela merece. De modo geral, o Mundial 94 foi muito melhor do que o da Itália 90. E o resultado final foi bem melhor, não?
A CAMPANHA DO TETRA Continuar lendo ““Todos os Corações do Mundo””

“Fique de Olho no Apito”

Lembrei-me do som e letra de “Camisa Molhada” (a melô do “Fique de Olho no Apito”, clássico da MPB sobre futebol de Carlinhos Vergueiro e Toquinho, que era usada nas transmissões esportivas  da rádio Globo-SP) depois desse Brasil 3×1 Costa do Marfim. Juiz (fraco, fraco) deixando o pau cantar no gramado do Soccer City, não tirando de campo os marfinenses que deram entrada violentíssimas, e amarelando Kaká, que caiu na provocação dos “elefantes”. Isso, pra ficar no campo disciplinar. O 2º gol do Luís Fabiano (golão, embora com ajuda da “mano de Dios”) soma-se aos outros lances polêmicos do Mundial 2010. Fique de olho no apito, pra variar.

A repercussão da vitória brasileira lá fora:

Olé, da Argentina: “Uma mão de Deus”, citando Luís Fabiano.

Marca, da Espanha, manchetou: “Brasil convence e já está nas oitavas. Dobradinha de Luís Fabiano e expulsão rigorosa de Kaká”.

Four Four Two, da Inglaterra: “Kaká expulso, mas o Brasil marcha”.

BBC.com: “Brasil avança à fase de mata-mata da Copa do Mundo com uma performance eficiente em vez de efervescente diante de uma limitada Costa do Marfim

Tuttosport, da Itália: “Brasil vence e voa às oitavas“.

Gazzetta Dello Sport: “Brasil é quase Fabuloso, Drogba se rende. Kaká leva cartão vermelho”.

***** A clássica “Camisa Molhada (Fique de Olho no Apito)” está no CD “Contra-Ataque – Samba e Futebol”, de Carlinhos Vergueiro, ao lado de outras músicas sobre futebol.

LINKS:
Site de Carlinhos Vergueiro.
Página do músico no MySpace.
Qual é sua música favorita sobre futebol? Opine aqui.

Time dos sonhos


Uma dica de leitura copeira para os intervalos entre um jogo e outro. “Time dos Sonhos – Paixão, Poesia e Futebol” reúne divertidas crônicas do colorado Luis Fernando Veríssimo, publicadas em jornais entre 1997 e 2009. As crônicas não se resumem tematicamente a esse período, que passa por três Copas do Mundo. Verissimo volta no tempo e lembra da conquista do bi pela Seleção de 1962 (que completou 48 anos na quinta-feira, 17 de junho). Para o escritor, a música que o marcou na época foi “Et Maintenant”, de Gilbert Bécaud.