Renner: “Uma vez Para Sempre”

Mais uma dica do colecionador Domingos D´Angelo, do MemoFut, grupo que discute a memória e literatura do futebol. Saiu  “Uma Vez para Sempre”, novo livro de Francisco Michielin, sobre o extinto Grêmio Esportivo Renner, campeão gaúcho em 1954. O time de Porto Alegre revelou o goleiro Valdir Joaquim de Moraes (mais tarde, da Academia do Palmeiras, grande treinador de goleiros), Ênio Andrade (meio-campo e depois grande treinador) e Breno Mello (artilheiro, participou até de filme). Depois da taça do Renner, em 54, apenas a dupla Ca-Ju andou tirando o Gauchão da hegemonia colorada e tricolor (o Juventude em 98 e o Caxias em 2000). Fut Pop Clube tem imenso interesse e respeito pela história dos clubes extintos ou que fecharam o departamento de futebol. Parabéns ao autor, Michielin, médico e escritor apaixonado por futebol. E obrigado ao pessoal do MemoFut pela dica.

P.S. – Existe um documentário sobre o Renner, “Papão de 54”, filmado pela Estação Elétrica. Dá para ver o trailer no You Tube. Lembro-me também que o Renner e seus ídolos apareceram numa série de reportagens do Tino Marcos para o Globo Esporte, em 2007: “Órfãos da Arquibancada”.

3 comentários sobre “Renner: “Uma vez Para Sempre”

  1. Meus cumprimentos a todos. Como autor do livro do Renner, diante da repercussão nacional, alcançada, com surpreendente e gratificante resposta, quero agradecer os comentários deste site, pelas palavras amistosas e estimulantes. Realmente, sou um apaixonado pelo futebol. Graças à minha memória – e essa é uma divulgação a pedido dos organizadores – estarei participando, no dia 20 de março, de uma Mesa-Redonda, sobre as copas de 58 e 62, no Museu Nacional do Futebol em São Paulo, numa série palestras e debates sobre o maior evento do futebol universal, lembrando, de passagem, que escrevi o livro “A Primeira Vez do Brasil”, sobre a conquista de 58, na Suécia e, também, a história do meu Juventude (“Assim na Terra como no Céu”). Quanto ao Renner, embora morando em Caxias do Sul e ele sendo de Porto Alegre, posso assegurar que ele foi mesmo um time espetacular. Cativou a todos os gaúchos e era tão bom que quando vinham clubes do Rio e de São Paulo e mais os argentinos, todos, mas todos mesmo, acabavam perdendo seus jogos. Podiam ganhar da dupla Grenal, mas não desse timaço do Renner.
    Por tudo, amigos, muito obrigado. O que precisamos fazer é uma campanha muito forte para que as editoras publiquem mais obras sobre futebol. Por sinal, já estou com outra a caminho.
    Abraços, Francisco Michielin e ponho o meu e-mail à disposição: franmcf@terra.com.br

  2. Doutor Michielin, que honra receber a virtual visita do senhor no meu eclético blog!
    Então, nos vemos em 20 de março, na palestra sobre 58 e 62 na série O Brasil nas Copas, no Museu do Futebol.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.