Museu da paixão pelo Boca

Publicado em 31 de julho de 2009

O Museo de la Pasión Boquense tem uma parede de uniformes... FOTO: Fut Pop Clube
O Museo de la Pasión Boquense tem uma parede de uniformes…  FOTO: Fut Pop Clube

A força do Boca e sua torcida, “a metade mais um” da Argentina, faz do Museo de la Pasión Boquense mais visitado que todos os outros museus argentinos juntos, segundo texto de Elias Perugino em Placar de julho de 2009.
O museu do Boca fica dentro da caixa de bombons, digo, do alcapão que é o mítico estádio Alberto J.Armando. La Bombonera. Continuar lendo “Museu da paixão pelo Boca”

O grito do Morumbi

“Ôôô, o campeão voltou, o campeão voltou”, saiu gritando a torcida do São Paulo, entusiasmada com a vitória de 2 a 1 sobre o Grêmio. Treze mil tricolores (paulistas e gaúchos) enfrentaram a noite de garoa fria e viram um jogo muito bom.

Duas vezes DaGOL. FOTO: Gaspar Nóbrega VIPCOMM
Duas vezes Dagoberto. FOTO: Gaspar Nóbrega VIPCOMM

O São Paulo teve muitos momentos de bom futebol, jogo rápido, uma pegada que seria típica dos gremistas – e poucos momentos de vacilo, que resultaram num certo sufoco depois que o tricolor gaúcho diminuiu.

Nome do jogo: Dagoberto, que marcou uma vez no primeiro tempo (bolão de Hernanes, outro destaque) e outra no segundo tempo (grande roubada de bola de … Hernanes). Dagol teve mais umas três chances para marcar, uma delas numa cabeçada cara a cara que exigiu do goleiro Vítor. Borges ou Washington na área, fica claro que Dagoberto não pode sair do time titular do São Paulo. Também foi muito bem Júnior César, pela ala esquerda. Até Richarlyson jogou sério, em dois belos chutes quase marcou.

Antes que Dago abrisse o placar, Denis fez uma defesa espetacular e impediu que Maxi Lopez marcasse pro Grêmio. O São Paulo foi bem especialmente no segundo tempo. Em jogada de Miranda, quase Borges anotou. Em outra jogada, duas bolas na trave de Vítor. Foram momentos que levaram a torcida são-paulina a parafrasear outra: “ôoo, o campeão voltou”. Mas a 11 minutos do final, num contra-ataque gremista muito rápido, Miranda fez um pênalti bobo. Tcheco diminuiu. 2×1. O Grêmio pressionou, pressionou, mas o tricolor paulista resistiu.

O atual tricampeão brasileiro ainda está na 11ª posição. Tem 21 pontos. 10 a menos que o líder Palmeiras, 5 abaixo da zona Libertadores. Se o (bom) futebol voltou de vez ao campeão, as rodadas seguintes vão dizer. A próxima parada, no domingo, é dura: Vitória, no Barradão. O Grêmio recebe o Cruzeiro.

Fla 3x1. FOTO: Maurício Val/VIPCOMM
Fla 3x1. FOTO: Maurício Val/VIPCOMM

No Maracanã com 29 mil pagantes, o Flamengo venceu o Atlético Mineiro de virada, 3 a1. E ajudou o Palmeiras a ficar na liderança. Éder Luís marcou pro Galo, vice-líder, 28 pontos. Kléberson, Léo Moura e Éverton viraram para o Mengo, 7º colocado com 23 pontos. Domingo, o Fla recebe o Náutico. O Galo recebe o Coxa.

Lado A, faixa 15, digo, 15ª rodada

A 15ª rodada do Brasileirão destaca a estreia pra valer de Muricy Ramalho de agasalho alviverde na beira do campo. Palmeiras 1 a 0 no Flu, no Palestra. Testemunhas me disseram que foi um páreo duro, disputado. Com a vitória, o Palmeiras alcançou a liderança provisória mais uma vez. E seca o Galo agora à noite. Palmeiras é Flamengo desde criancinha no Maraca. (PS: deu certo, veja no texto acima).

Não sei, não. Muitas vezes o Muricy parece um  italiano enfezado – tudo a combinar com o Palestra. Pra encarar a tal turma do amendoim… alguém que bata no braço e diga “isso aqui é trabalho”.

Foto: Lucas Uebel/VIPCOMM
Foto: Lucas Uebel/VIPCOMM

No Beira-Rio, o Inter superou o Barueri (3×2) e está em 3º. Em Rio Preto, Santo André e Corinthians empataram (1×1). Como Marcelinho Carioca ainda apronta com  “pé-de-anjo”! Goiás, 4 vitórias seguidas, pinta no G4.

Mas hoje ainda  tem Avaí x Vitória (PS: o Avaí goleou, 5ª vitória seguida) e um clássico tricolor, São Paulo x Grêmio. Será que mais de 6 mil pessoas encaram a peleja no gelado Morumba? Foram 13 mil! Leia texto acima.

LEIA AQUI SOBRE A SÉRIE B… E AQUI SOBRE A SÉRIE D.

“Top of the Pops”

theearlydaysUm fã de rock que leia sobre a história de sua(s) banda(s) preferida(s) tem grandes chances de esbarrar no nome de um programa de TV da BBC. Top of the Pops, uma parada de sucessos, estreou em 1964 ( Beatles e Stones no primeiro programa). TOTP saiu do ar em 30 de julho de 2006.  Por exemplo, o Iron Maiden. Em 1980, o então quinteto da New Wave of British Heavy Metal foi convidado para tocar o single que havia acabado de lançar, o primeiro pela EMI: Running Free. E Paul Di´Anno, Steve Harris, Dave Murray, Dennis Stratton, Clive Burr e o fiel escudeiro Rod Smalwood  armaram um fuzuê no estúdio porque o Maiden fez questão de tocar ao vivo, sem playback, a dublagem que marcou grande parte da história do TOTP. Era a primeira banda a fazer isso desde o The Who, em 1972. A perfomance está no VHS Wasted Years, no DVD The Early Days (capa que ilustra este texto) e, claro, na rede. Aliás, na rede descobri que uns 20 anos depois de Running Free, Bruce Dickinson já de cabelo joãozinho, o Maiden apresentou Wildest Dreams, faixa de trabalho e abertura do disco Dance of the Death. 6º lugar na semana do Top of the Pops. De novo, ao vivo(pelo menos as vozes). Curioso ver o Maiden num palco tão pequeno, fora de seu cenário… Pense num cantor ou banda entre 1964 e 2006. Hendrix? Thin Lizzy? Judas Priest? The Smiths? Nirvana? Provavelmente foi atração do Top of the Pops.

No “obituário” do TOTP publicado na edição de setembro de 2006, a revista inglesa Uncut crava que Top of the Pops foi “o mais importante programa de música da história da TV britânica”. E cita artistas mais “à esquerda” que aceitaram tocar no programa, mas com uma dose de subversão do esquema. Caso dos Smiths. Em 1983, Morrissey preferiu segurar um buquê de flores em vez do microfone, para deixar claro que estava dublando This Charming Man, segundo compacto da banda de Manchester.

Três anos antes, o Judas Priest dublou no programa clássicos do discão British Steel, Living After Midnight e United (março e agosto de 80). Essas duas gemas metálicas, mais as apresentações de Take on the World e Evening Star no TOPTP estão nos extras do DVD Electric Eye (Sony Music).

Em 1991, o Nirvana “tocou” Smells Like Teen Spirit no show da BBC. Quer dizer, parte instrumental pré-gravada, só a voz de Kurt Cobain ao vivo. E ele aproveitou para dar uma debochada legal, cantando num tom bem grave. Tá rede também.

P.S em 10 de abril de 2010: o canal TCM na TV paga começa a reprisar trechos do “Top of the Pops”, aos sábados, 21h.

No primeiro programa, rolou

  • Bad Company/All Right Now,
  • T-Rex/Get It on,
  • Deep Purple/Black Night
  • Slade/Mamma We’re All Craze Now,
  • Alice Cooper/School’s Out,
  • Elton John/Daniel,
  • Suzi Quatro/ Can the Can
  • Abba/Waterloo
  • Queen/Killer Queen,
  • Bay City Rollers/Bye-Bye Baby,
  • Electric Light Orchestra/Evil Woman,
  • The Jam/In the City,
  • Bob Marley and the Wailers/Exodus,
  • Blondie/Denis,
  • Ramones/Don’t Come Close,
  • Chic/Le Freak, The Police/Roxanne,
  • The Knack/My Sharona,
  • Elvis Costello & The Attractions/Oliver’s Army.

LINKS:

Site do programa (mantido pela BBC, mas não atualizado).

Lista de atrações do Top of the Pops (64-2006).

www.youtube.com

Lado B

Um Dragão do Centro-Oeste põe fogo na Segundona. O Atlético Goianiense venceu a terceira seguida e pulou para a liderança da Série B, beneficiado pela derrota do ex-líder, Guarani. Num jogo com duas viradas e sete gols, a Lusa venceu o Guarani e está em 3º lugar: 4 a 3! Deve ter sido um jogaço. O Figueirense também fez a trinca e segue no G4 – seguido de perto por Vasco, Ceará e Ponte Preta. É uma escadinha: Atlético-GO, 29 pontos; Guarani, 28; Portuguesa, 27, Figueirense, 26; Vasco, 26; Ceará, 25; Ponte, 24 pontos.

Lado D

Um time grande viajar mais de 6 horas de ônibus para jogar no interior é notícia. Na série D, quarta divisão do Campeonato Brasileiro, isso é a rotina, é a regra. Como mostrou a excelente série exibida semana passada pelo Jornal da Globo: 4ª Divisão: o Lado D do Futebol (dá para ver ou rever as 5 reportagens neste link aqui). 900 jogadores disputam a “D”. A média salarial? 800 reais. Uma da reportagens mostra um atleta que treina de dia e, à noite, trabalha de segurança. Também tem a fé dos torcedores do Santa Cruz, que costuma levar um público de Série A ao Arrudão. Vale a pena conferir o trabalho do Andrei Kampff, Ari Júnior, Carla Canteras, Paulo Martin, Albano Santos e Flávio Berto Filho. A Série D tá tolando e faltam duas rodadas para o fim da primeira fase. Veja como estão os grupos. Continuar lendo “Lado D”

Uma GALOucura…

Deu no Blog do PVC: a média de público do Atlético Mineiro jogando em casa no Brasileirão 2009 é de 41.625 torcedores.

www.lojadogalo.com.br
http://www.lojadogalo.com.br

A maior desde o Brasileirão de 99, disputado não em pontos corridos, mas na base do mata-mata: 42.322 pagantes, média do próprio Galo, que chegou à final contra o Corinthians e foi vice-campeão, no BR-99. (leia o texto original do PVC). Espetacular notícia! É assim que tem que ser, torcida brasileira. E pensar que o Mineirão deve ser fechado ano que vem para obras da Copa do Mundo 2014… Li na revista Placar: Galo e Raposa devem mandar seus jogosna… Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, município da Região Metropolitana de BH.