Clube Atlético Juventus, 90 anos de molecagem e travessura!

Clube Atlético Juventus, 90 anos de molecagem e travessura!
Flâmula do Juventus, disponível na loja oficial do clube, Grená e Branco.
Flâmula do Juventus, disponível na loja oficial do clube, Grená e Branco.

Neste domingo, o Clube Atlético Juventus completa 90 anos. O Moleque Travesso foi fundado em 20 de abril de 1924 como Cotonifício Rodolfo Crespi Futebol Clube – resultado da fusão do Extra São Paulo FC e do Cavalheiro Crespi FC, clube dos trabalhadores da empresa de Rodolfo Crespi, que entrou com a sede social. As cores eram as do Extra São Paulo: vermelho, branco e preto. O terreno da rua Javari foi doado por Rodolfo Crespi um ano e quatro dias depois da fundação. Só em 19 de fevereiro de 1930 o clube adotou seu atual nome. Clube Atlético Juventus – homenagem ao time de coração de Rodolfo Crespi na Itália.

A Vecchia Signora emprestou seu nome ao Moleque Travesso.

Já as cores… como havia muitos alvinegros na liga paulista (Corinthians, Santos, Ypiranga), o #bianconero da Juve original da Itália foi trocado no clube paulistano pelo grená e branco do outro grande de Turim: o Torino. O apelido Moleque Travesso surgiu em setembro de 1930, cortesia do jornalista Tomaz Mazzoni. São explicações que estão em painéis na entrada social do clube, na Mooca, tradicional bairro paulistano.DSC02264

… Que belo time/que belo esquadrão/ Juventus amigo/do meu coração

Nos anos 80, o Moleque Travesso da Mooca conquistou um título nacional. A Taça de Prata, de 1983, equivalente a uma segunda divisão.

Nos 2000, papou a segundona – mas a estadual, em 2005. Depois do título da Copa Paulista, em 2007, que valeu vaga na Copa do Brasil, o Juventus começou uma fase de queda. Da série A-1 do estadual paulista para a A-2 (sem eufemismos, a segundona), para a A-3, sobe para a segunda divisão,cai de novo para a terceirona. O time da zona leste da capital já terminou sua participação no estadual 2014. Ficou em 13º lugar,entre 20 clubes. Ou seja, disputará a terceira divisão paulista novamente em 2015.  Jogo do Juventus na Javari, agora, só no segundo semestre, na Copa Paulista. Quem sabe, hein?

Na semana passada, visitamos a exposição de camisas do Juve. Já falamos do divertido curta “Juventus Rumo a Tóquio” (exatamente sobre a Copa Paulista de 2007) e do “Voltaremos“, documentário de longa-metragem que vem por aí.

Gostaria de recomendar neste aniversário um documentário de média-metragem, “Paixão Grená“, trabalho de conclusão de curso das jornalistas Carolina Garcia e Isabela Labate. O doc trata da relação do Juventus com a Mooca. Entrevista ex-jogadores (o ex-atacante Wilson Buzzone), funcionários (Elias Pássaro, massagista do clube há décadas), jornalistas (Fernando Galuppo, coautor do livro “Glórias de um Moleque Travesso”, o pessoal da Web Rádio Mooca) e torcedores: professor Pasquale, Hamilton Kuniochi, colecionador de camisas do clube e autor do blog Manto Juventino, pessoal das torcidas Ju-Jovem e Setor 2.  Dá pra ver o documentário de cerca de 40 minutos neste link.
DSC03932
DSC03933DSC03930

Continuar lendo “Clube Atlético Juventus, 90 anos de molecagem e travessura!”

12 de junho de 1993: quando ressurge o alviverde imponente.

No dia dos namorados de 1993, o Palmeiras reatou com os títulos, depois de um jejum de quase 17 anos – a última taça foi a do Paulistão de 76, com Ademir da Guia.

http://www.bbeditora.com/portfolio/palmeiras-2/
http://www.bbeditora.com/portfolio/palmeiras-2/

O título paulista de 93 é o tema do livro “Sociedade Esportiva Palmeiras 1993 – Fim do jejum, início da lenda” (do ídolo Evair, com Mauro Beting e Fernando Razzo Galuppo, pela BB Editora; 180 páginas, R$ 54,90). A noite de autógrafos é hoje mesmo, às 18h, na Academia Store – loja oficial do Palmeiras, na rua Augusta. Continuar lendo “12 de junho de 1993: quando ressurge o alviverde imponente.”

“Glórias de um Moleque Travesso”

DSC02289Juventus Football Club bicampeã italiana… gancho para falar dos 89 anos do “nosso” Clube Atlético Juventus, que eu deixei passar no mês passado. O clube hoje grená e branco foi fundado em 20 de abril de 1924, como Cotonifício Rodolfo Crespi FC – resultado da fusão do Extra São Paulo FC e do Cavalheiro Crespi FC, clube dos trabalhadores da empresa de Rodolfo Crespi, que entrou com a sede social. As cores eram as do Extra São Paulo: vermelho, branco e preto. O terreno da rua Javari foi doado por Rodolfo Crespi um ano e quatro dias depois da fundação. Só em 19 de fevereiro de 1930 o clube da Mooca adotou seu atual nome. Clube Atlético Juventus – homenagem ao time de coração de Rodolfo Crespi na Itália.

A Vecchia Signora emprestou seu nome ao Moleque Travesso.

Já as cores… como havia muitos alvinegros na liga paulista (Corinthians, Santos, Ypiranga), o bianconero da Juve original da Itália foi trocado no clube paulistano pelo grená e branco do outro grande de Turim: o Torino. O apelido Moleque Travesso surgiu em setembro de 1930, cortesia do jornalista Tomaz Mazzoni. São explicações que estão em painéis na entrada social do clube, na Mooca, tradicional bairro paulistano.DSC02264

… Que belo time/que belo esquadrão/ Juventus amigo/do meu coração

Já falei aqui do emocionante curta-metragem da Oka Comunicações sobre um dia de jogo na Javari, “Juventus Rumo a Tóquio”. O Juventus também é tema de “Glórias de um Moleque Travesso (BB Editora), de Angelo Eduardo Agarelli, Fernando Razzo Galuppo e Vicente Romano Netto. É o primeiro livro a contar a vida esportiva do Juve. E olha que a demanda foi boa. Um dos autores, Fernando Galuppo, me informa que o livro está esgotado. Agora, só pedindo à editora, que deve fazer nova edição.
Em 2014 o Moleque Travesso aprontará na Série A-3 do futebol paulista. Forza, Juve!
Moleque Travesso
Continuar lendo ““Glórias de um Moleque Travesso””