O filme sobre Nilton Santos, “Ídolo”, em cartaz no Now, iTunes e Google Play.

Por falar em Alzheimer, o da poltrona já pode ver em casa o sensível documentário de Ricardo Calvet que acompanhou Nilton Santos já no fim da vida. “Ídolo” pode ser alugado no Google Play, iTunes e Now – dica do Antônio Leal, do festival CINEfoot.

O filme "Ídolo" já pode ser visto na sua casa.
O filme “Ídolo” já pode ser visto na sua casa.

Com precioso arquivo, incluindo narrações de rádio, “Ídolo” conta a carreira do craque conhecido como Enciclopédia do Futebol tanto no Botafogo como na Seleção (da reserva na Copa de 50 ao bicampeonato mundial em 58 e 62, passando pela Batalha de Berna, contra a Hungria, em 1954. A equipe de Calvet acompanhou Nilton Santos na clínica onde estava internado, o documentário tem ainda depoimentos de Zico, Junior, Evaristo de Macedo, Zagallo, Amarildo, Carlos Alberto Torres, PVC, Luiz Mendes, Just Fontaine, Dino Sani, Mengálvio, Coutinho, Pepe, Gerson e da jornalista Sandra Moreyra, que era botafoguense como o pai, Sandro, amigo de Nilton Santos e de Garrincha. Continuar lendo “O filme sobre Nilton Santos, “Ídolo”, em cartaz no Now, iTunes e Google Play.”

Futebol x alzheimer. Uma paixão contra uma doença. Golaço da revista Líbero.


Um estudo da Fundació Salut i Envelliment da Universidade Autônoma de Barcelona descobriu em 2014 que falar de futebol ajuda os pacientes de alzheimer a melhorar a memória, a atenção e o ânimo. Na fase piloto, entre seis e oito pacientes participaram por oficinas de memória sobre futebol duas horas por semana. Deu bons resultados especialmente naqueles pacientes em que esse mal é leve ou moderado.

A Líbero, excelente revista espanhola, criou junto com a agência Lola quatro edições “retrôs” – das décadas de 40, 50, 60 e 70, com alguns dos melhores momentos da história do futebol. De Puskás a Cruyff. As revistas com reportagens, material gráfico e exercícios pra memória foram distribuídas em centros de tratamento de alzheimer de Barcelona e usadas como parte da terapia.
É a campanha Fútbol vs Alzheimer. Una pasión contra una enfermedad. O resultado você vê neste vídeo interessantíssimo divulgado pela Líbero.

Continuar lendo “Futebol x alzheimer. Uma paixão contra uma doença. Golaço da revista Líbero.”

Centenário do Madureira Esporte Clube, o tricolor suburbano.

DSC05543 (1)
Um dos mais tradicionais clubes do subúrbio do Rio, o Madureira comemora seus primeiros 100 anos neste 8 de agosto de 2014. O Madureira Esporte Clube atual é o resultado da fusão entre o Magno Futebol Clube e o Madureira Atlético Clube – este sim de 8 de de agosto de 1914 (a partir da fusão, essa passou a ser a data magna do tricolor suburbano).

Evaristo de Macedo, Jair Rosa Pinto, Marcelinho Carioca, Iranildo e Derlei (ídolo do Porto) foram alguns dos jogadores revelados pelo clube – daí a alcunha “escola de campeões”.

Em 1963, o Madureira fez uma excursão  latino-americana que terminou em Cuba, já sob o comando de Fidel Castro. Na ilha, venceu os cinco jogos. Sabe quem viu os 6×1 do time carioca contra o Municipalidad de Morrón? O então ministro da Indústria de Cuba, o médico rosarino Erneste Che Guevara (torcedor do Rosario Central). No ano passado, o time de futebol 7 do Madureira lançou uniformes comemorativos dos 50 anos dessa histórica excursão. Foi notícia até la fora, em sites como o da BBC e do jornal espanhol “Marca“! Na camisa de goleiro, a homenagem fica ainda mais explícita. Confira os detalhes do uniforme na galeria de imagens.DSC05548-1
Continuar lendo “Centenário do Madureira Esporte Clube, o tricolor suburbano.”

Saiu: “Os Sem-Copa”.

Oberdan Cattani, Heleno de Freitas, Tesourinha, Evaristo de Macedo, Roberto Batata, Dener, Canhoteiro, Alex, Friedenreich. “Craques que encantaram o Brasil e nunca participaram de um Mundial”. É o subtítulo de “Os Sem-Copa” (Maquinária Editora), o novo livro da jornalista Clara Albuquerque (autora de “A Linha da Bola“).

http://www.maquinariaeditora.com.br/
http://www.maquinariaeditora.com.br/

Boa dica da coluna de Mauro Beting no “Lance!” de hoje. Continuar lendo “Saiu: “Os Sem-Copa”.”

Rolê do Fut Pop Clube pelo Camp Nou e Museu do Barcelona

Atualizado em fevereiro de 2012

Verso de flâmula comemorativa dos 50 anos do Camp Nou, em 2007
Bilheteria na temporada 2009/2010

Aproveito o aniversário do FC Barcelona (112 anos em 2011) para um post sugerido por Domingos D´Angelo, amigo do blog, sobre o estádio Camp Nou. Campo novo, em catalão.
O estádio – desenhado pelos arquitetos Francesc Mitjans Miró e Josep Soteras Mauri, com colaboração de Lorenzo García – para substituir o velho campo de Les Corts, erguido em 1922 e sucessivamente ampliado, mas que ficou pequeno na era Kubala. O novo campo começou a ser construído em 1954 e ficou pronto em 1957. Foi inaugurado em 24 de setembro de 1957, num amistoso entre o Barça e uma seleção de jogadores de Varsóvia. Os donos da casa ganharam por 4 a 2 e o brasileiro Evaristo de Macedo fez um dos gols. A arena era oficialmente chamada de Estadi del FC Barcelona até a temporada 2000/2001 – quando, enfim, o nome mais querido pela torcida foi oficializado. É Camp Nou e pronto, ponto.
A capacidade atual do estádio é de 99.354 pessoas, segundo a página sobre o Camp Nou no site do Barça. Do total de sócios (mais de 173.000), mais de 86 mil são “abonados”, ou seja, contam com carnê para toda a temporada. Comprar ingresso para jogos decisivos não é nada fácil!
O Camp Nou recebeu a abertura da Copa do Mundo de 1982 (veja post sobre o Mundial), a final do futebol nos Jogos Olímpicos de 1992, as finais da Copa?liga dos Campeões da Europa em 89 e 99, da Recopa 72 e 82, Copa de Feiras de 64 e das Copas do Rei de 1963, 70 e 2010 (deu Sevilla). Dentro do post, republico o Rolê do Fut Pop Clube pelo Camp Nou e Museu do Barça, que está dentro do maior estádio europeu.  Continuar lendo “Rolê do Fut Pop Clube pelo Camp Nou e Museu do Barcelona”