“Verão de 92” – drama dinamarquês mostra a saga da surpreendente campeã da Eurocopa 1992.

A Dinamarca foi a sensação da primeira fase do Mundial de 1986, no México. Só no Uruguai marcou seis gols. Virou a Dinamáquina. Mas o timaço de Sepp Piontek caiu feio no primeiro mata-mata, diante da Espanha do goleador Butragueño (5 a 1). Na Euro 88, decepção. Copa de 90: nem foi pra Itália. O drama “Verão de 92″ (“Sommeren’ 92”), de Kasper Barfoed, reconta a conquista do grande título do futebol dinamarquês, a Eurocopa de 1992, na Suécia – misturando atores e cenas de arquivo dos jogos.

11738004_959663630750717_5562374029489313646_n

Continuar lendo ““Verão de 92” – drama dinamarquês mostra a saga da surpreendente campeã da Eurocopa 1992.”

Doze anos depois de perder a Euro em Lisboa, Portugal é campeão no Stade de France!

1468209991567-30651833Parecia que tudo ia ser decidido nas grandes penalidades, mas um golo do avançado Éder no prolongamento deu à selecção das quinas (sim, há quem grafe selecção, nem aí com o acordo ortográfico) o título histórico, heroico, já que perdeu o ídolo Cristiano Ronaldo com poucos minutos de decisão em Saint-Denis. Uma Eurocopa que os portugueses desejavam avidamente pelo menos desde 2004, quanto perderam a final, em casa, para a Grécia.

Parabéns aos onze milhões de moradores de Portugal – e os milhões fora de lá, espalhados pelo Brasil, Europa (França inclusive), África, enfim, pelo mundo todo!

Portugal (Nike)
A #camisola campeã da Euro 2016: (Nike)

A campanha

  • 1×1 Islândia
  • 0x0 Áustria
  • 3×3 Hungtia
  • 1×0 Croácia (golo de Quaresma no prolongamento)
  • 1×1 Polônia (5×3 nas grandes penalidades)
  • Meia-final: 2×0 País de Gales
  • Final: 1×0 França (no prolongamento)

E onde jogam os campeões: Continuar lendo “Doze anos depois de perder a Euro em Lisboa, Portugal é campeão no Stade de France!”

Primeira página

Domingo de decisão da Euro 2016. Vamos dar uma olhadinha na capa de alguns jornais da Europa?

Este slideshow necessita de JavaScript.


http://www.lequipe.fr/

Olha que bacana: o L’Équipe fez também uma versão em português para a grande comunidade lusa na França. Um milhão de portugueses vivem na França. Quase dez por cento dos habitantes de Portugal, que tem 11 milhões. Confira. Continuar lendo “Primeira página”

Deu La Roja. Na Copa América.

Chile 2016 (Nike)
Chile 2016 (Nike)

La Roja é a bicampeã da Copa América. É o apelido da seleção do Chile, adotado até no Twitter oficial. A albiceleste Argentina pode ter o melhor do mundo, que mandou no rio Hudson sua cobrança de pênalti, mas La Roja tem a melhor seleção do continente, e comprovou isso com o bicampeonato, na Copa América Centenário, disputada na terra onde o “nosso” futebol é soccer. É o melhor Chile da história, que começa com um grande goleiro, decisivo no Metlife Stadium. Bravo! Que campanha!

Já a La Roja da Europa, a seleção da Espanha (outrora também conhecida como Fúria) caiu nas oitavas de final da Euro 2016, dando adeus ao sonho do terceiro título seguido. Não dá pra reclamar de juiz, como em outras competições (como o Mundial de 2002). A Espanha vacilou diante da Croácia, pegou logo no primeiro mata-mata a sempre perigosa Itália. No primeiro tempo, só deu Itália, diante de uma Espanha irreconhecível. No segundo, Del Bosque mexeu, a Espanha martelou, martelou… até o Piqué virou atacante de referência (talvez pelo fato de Del Bosque não ter levado outros além de Aduriz), La Roja europeia só não marcou porque do outro lado estava a melhor defesa do mundo, capitaneada por um “GIGIgante”: Gigi Buffon.

Atacou, atacou, não fez e acabou levando o segundo, óbvio, num contra-ataque letal ao melhor estilo Azzurra.

Que jogão vai ser Alemanha e Itália! Sairá desse clássico de quartas de final (sábado, em Bordeaux) o campeão europeu de 2016? Voto que sim. Continuar lendo “Deu La Roja. Na Copa América.”

Britpop Football Club: as canções (oficiais ou não) das seleções do País de Gales e da Inglaterra.

facebook.com/manicstreetpreachers
Capa do single dos “Manics” com o hit da seleção de País de Gales. “Together Stronger” já tá esgotado! facebook.com/manicstreetpreachers
País de Gales (Adidas)
País de Gales (Adidas)

Escrevo o post no embalo dos cristalinos 3×0 do País de Gales (melhor do grupo B) sobre a seleção da Rússia, que está eliminada. ‘Together Stronger (C’mon Wales)’ , dos britpopers do Manic Street Preachers, é o hino oficial dos Dragons, a seleção galesa. O trio galês mandou bem e o clip tem bastante futebol e até a escalação do time liderado por Gareth Bale. A música tem a chancela da Football Association of Wales, que adotou a hashtag #TogetherStronger nas redes.

Muito legal!

O galático Gareth Bale ganhou música, não oficial, da banda indie Helen Love, para o campeonato europeu disputado na França

Em segundo lugar no grupo B, ficou a Inglaterra. Não encontrei uma canção oficial para o English Team nesta Euro 2016. Mas existe uma longa tradição de músicas feitas para embalar as seleções inglesas nos Mundiais e nas Eurocopas.

Inglaterra (Nike)
Inglaterra (Nike)

E direto da Madchester (cena alternativa de Manchester), o vocalista Shaun Ryder (Happy Mondays, Black Grape), não poderia ficar fora da Euro. Convocou o Kermit (parceiro de Black Grape) e os Djs Goldie e Paul Oakenfold. “Vestindo a camisa” dos Four Lions, eles gravaram a chicletuda “We Are England”, que basicamente diz: “Nós somos Inglaterra até morrer, até morrer”.

O Black Grape do red devil Shaun Ryder já tinha cantado a favor do English Team por causa da Euro 96: “England’s Irie“, com o Joe Strummer, que foi da seminal banda The Clash, e o ator Keith Allen (clique aqui). Também para a Euro 96, a banda Lightning Seeds (de Liverpool) compôs junto com os apresentadores David Baddiel e Frank Skinner a música ‘Three Lions (Football’s Coming Home) – já que o futebol que a gente conhece hoje nasceu na Inglaterra, onde aquela Euro foi disputada. Na Copa de 90,  World in Motion”, do New Order foi a canção oficial da seleção inglesa e o vídeo teve a participação de John Barnes e outros jogadores.
Se dependesse da quantidade de músicas de apoio, a Inglaterra estava feita nesta Euro… Curta abaixo a do quinteto The Lockerz, que pediu para a seleção trazer a taça de 2016 para casa.

Para a seleção da Irlanda do Norte, não achei um hino oficial. Mas uma canção beneficente (em prol da Cancer Fund For Children), foi gravada por Jinski: “Making Our Way to Paris” (paródia de ‘Living Next Door to Alice’, da Smokie).

Deu no Lance!: outra paródia faz sucesso nos estádios da Euro. Um torcedor do Wigan Athletic, Sean Kennedy, adaptou “Freed from Desire”, da italiana Gala. Virou “Will Grigg’s On Fire” para homenagear o atacante norte-irlandês Will Grigg, que jogou no Wigan. Ouça aqui.

Aguardem novos posts sobre o assunto. Já falamos das canções oficiais da Espanha e de Portugal, que você pode curtir e cantar junto – basta ver os vídeos dentro do post. Continuar lendo “Britpop Football Club: as canções (oficiais ou não) das seleções do País de Gales e da Inglaterra.”

Seleção portuguesa: “Não somos 11, somos 11 milhões”.

A seleção portuguesa tem música oficial nesta Euro 2016. “Somos Portugal (Tudo o Que Eu Te Dou)” na voz do cantor e compositor Pedro Abrunhosa, que adaptou seu sucesso “Tudo o Que Eu Te Dou”, de 1994.

E tudo o que eu te dou, tu me dás a mim. E tudo o que eu sonhei, tu farás por mim. Tudo o que nos dás, nós damos-te a ti e somos Portugal!”

Faz parte da campanha “Nós somos 11, somos 11 milhões”, da federação portuguesa (11 milhões é a população de Portugal hoje). Hashtag: #1de11 Milhões. Continuar lendo “Seleção portuguesa: “Não somos 11, somos 11 milhões”.”