Craque, o Barcelona faz em casa

Esta foto acima é de uma instalações mais interessantes que o Rolê do FutPopClube encontrou no Museu do Barça, em 2010: torcedores das “penyas” barcelonistas do mundo todo cantam o hino do clube catalão. Demais! Na frente do telão, pequenas telas com imagens dos jogadores. Como se fosse uma plantação. Certamente, uma homenagem às “canteras”, as divisões de base do Barcelona, Na final do Mundial de Clubes 201, a aula de futebol nos 4×0 sobre o Santos, Guardiola mandou a campo inicialmente 9 (nove!) jogadores que de uma forma ou outra passaram pela base “blaugrana”: Valdés, Piqué, Puyol, Xavi, Busquets, Thiago Alcântara, Messi, Cesc Fàbregas e Iniesta. Outros dois “canteranos” entraram no decorrer da partida: Pedro e Fontás. O Flamengo que ganhou do Liverpool em 1981 tinha 7 jogadores da base: Leandro, Mozer, Júnior, Andrade, Adílio, Zico e Tita. Continuar lendo “Craque, o Barcelona faz em casa”

Rolê do Fut Pop Clube pelo Camp Nou e Museu do Barcelona

Atualizado em fevereiro de 2012

Verso de flâmula comemorativa dos 50 anos do Camp Nou, em 2007
Bilheteria na temporada 2009/2010

Aproveito o aniversário do FC Barcelona (112 anos em 2011) para um post sugerido por Domingos D´Angelo, amigo do blog, sobre o estádio Camp Nou. Campo novo, em catalão.
O estádio – desenhado pelos arquitetos Francesc Mitjans Miró e Josep Soteras Mauri, com colaboração de Lorenzo García – para substituir o velho campo de Les Corts, erguido em 1922 e sucessivamente ampliado, mas que ficou pequeno na era Kubala. O novo campo começou a ser construído em 1954 e ficou pronto em 1957. Foi inaugurado em 24 de setembro de 1957, num amistoso entre o Barça e uma seleção de jogadores de Varsóvia. Os donos da casa ganharam por 4 a 2 e o brasileiro Evaristo de Macedo fez um dos gols. A arena era oficialmente chamada de Estadi del FC Barcelona até a temporada 2000/2001 – quando, enfim, o nome mais querido pela torcida foi oficializado. É Camp Nou e pronto, ponto.
A capacidade atual do estádio é de 99.354 pessoas, segundo a página sobre o Camp Nou no site do Barça. Do total de sócios (mais de 173.000), mais de 86 mil são “abonados”, ou seja, contam com carnê para toda a temporada. Comprar ingresso para jogos decisivos não é nada fácil!
O Camp Nou recebeu a abertura da Copa do Mundo de 1982 (veja post sobre o Mundial), a final do futebol nos Jogos Olímpicos de 1992, as finais da Copa?liga dos Campeões da Europa em 89 e 99, da Recopa 72 e 82, Copa de Feiras de 64 e das Copas do Rei de 1963, 70 e 2010 (deu Sevilla). Dentro do post, republico o Rolê do Fut Pop Clube pelo Camp Nou e Museu do Barça, que está dentro do maior estádio europeu.  Continuar lendo “Rolê do Fut Pop Clube pelo Camp Nou e Museu do Barcelona”

Club Esportiu Europa

Nou Sardenya, casa do Club Esportiu Europa

Engana-se quem pensa que o futebol da região de Barcelona resume-se ao poderoso Barça, seu rival Espanyol (agora com estádio entre Cornellà e El Prat de Llobregat) e respectivos times B’s. Quem pegar um bom mapa oficial de Barcelona e procurar bastante, pode reparar que no bairro de Gracià existe um estádio, mais exatamente na esquina da carrer (rua)Sardenya com a Ronda del Guinardó, quase lá perto do belo Parc Guell. É o simpático estádio do Europa, criado em 1907, que em 1920 foi um dos dez clubes fundadores da Liga Espanhola de Futebol. O clube que já venceu uma Copa da Espanha (1923), hoje está na Terceira División, na prática a quarta.
O estádio da rua Sardenya, o Nou Sardenya, foi inaugurado em 1995, tem gramado artificial, capacidade para 7 mil pessoas e é cercado por edifícios residenciais. O campo fica em cima de um estacionamento, piscinas e academia. Bom jeito de manter o estádio num bairro valorizado de Barcelona como o de Gracià. Continuar lendo “Club Esportiu Europa”

Supercampeões de Espanha 2011

Publicado em 18/08/2011 image
Dizem que La Bombonera pulsa. Também posso dizer que o Camp Nou pulsa. E balança! Também pudera. O Barça começa a temporada 2011-2012 como terminou a anterior: levantando taças. Num tira-teima (se é que era necessário algum tira-teima) entre o tricampeão espanhol e o campeão da Copa do Rei, o Barcelona enfrentou pela sexta vez no ano o Real arquirrival de Madri. A Supercopa de Espanha. Primeiro jogo: 2-2 no Bernabéu. Segundo jogo: 93 mil pessoas no Camp Nou. Expectativa para a reestreia de Cesc Fàbregas, depois da novela que foi sua volta ao Barcelona. Lembro-me que em maio de 2011 havia torcedores com camisas do Barça já com o nome de Fàbregas. Ontem ele ficou no banco e entrou quase aos 40 do segundo tempo de um clássico eletrizante. Continuar lendo “Supercampeões de Espanha 2011”

“A Bola Não Entra por Acaso”

Imagine Santos de Neymar, Ganso e companhia x Barcelona de Messi, Xavi, Iniesta e co. na final do Mundial de Clubes, que em 2011 volta ao Japão. Seria show, seria 10… Fãs do futebol ofensivo do Barça e do futebol “discotèque, livre, leve e solto” (copyright Osmar Santos) dos Meninos da Vila 3G devem estar esfregando as mãos de contentamento, esperando uma eventual decisão como essa – e os torcedores do Peixe começando economizar para atravessar o mundo e torcer pelo tri também do Mundial, in loco. Pois bem: que golaço aço aço marcou o Santos ao fazer o possível e o impossível para segurar Neymar e Paulo Henrique Ganso na Vila famosa. Deu no que deu: Taça Libertadores nas mãos do capitão Edu Dracena – e no Memorial das Conquistas do Santos. Tomara que consigam manter o 10 e 11 alvinegros pelo menos até enfrentar o 6, o 8 e 10 blaugranas
Feito do clube a ser ainda mais louvado se a gente notar que o Santos não tem a maior torcida do Brasil, não tem os maiores patrocínios, não tem as maiores verbas de TV. Por outro lado, os 77 km de distância do eterno rame-rame de briguinhas do Trio de Ferro da capital talvez ajudem o Santos Futebol Clube a fazer o que faz melhor: revelar e aproveitar jogadores da base e jogar bola. Jogar muita bola.
O título deste post é uma referência a um livro -mais de gestão e negócios do que sobre bola-, mas muito interessante para saber como um dos adversários do Santos no Mundial de Clubes 2011 saiu da 13ª posição entre os times mais ricos da Europa para disputar o topo desse ranking com o arquirrival madrilenho. Sim, porque em Ligas Espanholas e Champions League, o Barcelona tem nadado de braçada nos últimos anos. Editado aqui pela Larousse, A Bola Não Entra por Acaso (La Pilota No Entra per Atzar, no título original, em catalão) foi escrito pelo empresário e consultor Ferran Soriano, vice-presidente econômico do Barça, nos cinco primeiros anos da retomada. Ajudou-me a entender como o Más que un Club que eu vi festejar como título um quarto lugar na liga espanhola 2000/2001, com um show de Rivaldo nos 3×2 sobre o Valencia (porque representava classificação para a Champions) se tornou esse bicho-papão de títulos na Espanha e Europa. Continuar lendo ““A Bola Não Entra por Acaso””

Barceloco, meu!

13/01/2011

Eu já tinha me tocado que até fora de casa o time de Messi, Xavi, Iniesta e Villa ilimitada domina amplamente a posse de bola. Depois de mais uma “manita”, uma mãozinha, como os espanhóis apelidam as goleadas de 5 – desta vez contra o Bétis, pela Copa do Rei -uma nota do diário Sport, de Barcelona chamou a minha atenção. Já são sete jogos em que o Barça marcou 5 gols – sem contar os 8×0 contra o Almería. E com a invencibilidade de 27 partidas (liga espanhola, Copa do Rei e Champions), o Barcelona de Pep Guardiola iguala uma marca do Barcelona de Rinus Michels de 1974. Gracias, Mundo Deportivo. Continuar lendo “Barceloco, meu!”

Cinco vezes Barça


Merece.
Flâmula do aniversariante do dia (111 anos de fundação). O Barcelona acaba de golear o arquirrival Real Madrid por 5 a 0, no Camp Nou.
Maior derrota da carreira do técnico José Mourinho. Mais uma goleada no grande clássico.
O clube blaugrana passa na frente dos blancos e assume a liderança da liga espanhola, na 13ª de 38 rodadas.
Os jornais esportivos de Barcelona vibram: Continuar lendo “Cinco vezes Barça”