St. Pauli no G20

St. Pauli no G20

Quem se interessa pelos clubes fora do “G20” do futebol internacional, sabe que o FC Sankt Pauli, de Hamburgo, é o time mais rock and roll e politizado do planeta bola. Na semana em que lançou seus novos uniformes para a 2. Bundesliga, a segunda divisão do futebol alemão, o St Pauli ofereceu 200 lugares para hospedar entre quinta-feira e sábado manifestantes contra o encontro do G20 da economia mundial. Foi uma decisão da diretoria do St Pauli contra uma proibição de acampamentos na cidade que recebeu os manda-chuvas da Terra. A direção do St. Pauli também publicou um comunicado em que defendeu todas as formas de manifestação pacífica, criativa e barulhenta. E criticou as ações da polícia e restrições a manifestações. Vale a pena ler (aqui, em inglês). 

Continuar lendo “St. Pauli no G20”

735239_961958323841317_6107978223815503607_n
Imagens – https://www.facebook.com/nycosmos/

O Cosmos, atual campeão da NASL, divisão do “soccer” logo abaixo da MLS, está com nova fornecedora de material esportivo. A Under Armour apresentou os novos uniformes do time de Nova York esta semana.

A camisa 1 do ex-time de Pelé na terra do Tio Sam é a branca.9874_961985167171966_3760757458813747534_n
Continuar lendo “Novas camisas do New York Cosmos, agora feitas pela Under Armour.”

Máquina de bater faltas

Irado o comercial da Under Armour para lançar a camisa comemorativa dos 25 anos de Rogério Ceni no São Paulo e o novo terceiro uniforme do tricolor. A estreia dos novos kits (que já estão nas lojas) é na partida deste domingo, contra o Vasco, às 16h, no Morumbi, rodada 31 do Brasileirão 2015.

A camisa de goleiro ficou realmente bonita -vai vender bem- e a camisa 3 é diferente de tudo o que o São Paulo já vestiu (mas com o calção da mesma cor, vai ficar bem estranho).

No jogo de despedida de Ceni, os uniformes vão ser invertidos; o goleiro usa a bordô e os jogadores de linha usam o uniforme grafite, dedicado ao goleiro-artilheiro.
Continuar lendo “Máquina de bater faltas”

No meio do maior #barraco da história tricolor, começa a pré-venda da terceira camisa do São Paulo.

Finalmente, parceiros da Fifa que são gigantes em suas áreas, como a Coca-Cola e a Visa, acordaram e fizeram pressão por reformas na gestão do futebol mundial. Do jeito que está, não dá para ficar. E isso deveria valer pra um clube que virou um barril de pólvora como o São Paulo. Empresas que investem seu dinheiro no tricolor não devem gostar nem um pouco de ver o nome do clube em notícias que estão quase saindo das páginas esportivas para as policiais. Quase todo dia, surge uma notícia negativa pro clube do Morumbi.

Num momento em que os holofotes deveriam estar nos últimos jogos do capitão Rogério Ceni com a camisa 01 do São Paulo, o foco são as brigas internas (não mais restritas ao velho jogo da situação vs oposição), a dança das cadeiras na diretoria, o toma-lá-dá-cá de cargos, negócios questionados e a troca de técnico na reta final do Brasileirão e às vésperas de um complicadíssimo clássico San-São na semifinal da Copa do Brasil.

A saída de Juan Carlos Osorio pro México representa o fim de um dos poucos pontos elogiados pela crônica esportiva na atual gestão tricolor. Um técnico de ideias novas (no futebol do Brasil), muitas delas polêmicas (como o rodízio de jogadores), que teve a coragem de assumir que barrou a volta do ídolo Lugano. Osorio não tinha o apoio de Carlos Miguel Aidar, que antes também não apoiava Muricy. Aliás, será mesmo que Carlos Miguel Aidar realmente gosta de futebol ou só gosta do poder?

Nem parece, mas faltam de 9 a no máximo 13 jogos oficiais para a despedida do goleiro-artilheiro, o maior ídolo da história recente do São Paulo. Não se ouve falar de nenhuma ação para lotar o Morumbi nessa despedida anunciada. Por enquanto, a única homenagem parte do lançamento pela Under Armour de uma rara camisa 3, bordô para os jogadores de linha e grafite para o arqueiro tricolor. A estreia é no jogo do dia 18, contra o Vasco, no Morumbi, 16h. Este terceiro uniforme será usado em mais algumas partidas este ano e no começo de 2016. Confira.
IMG_20151007_231950 Continuar lendo “No meio do maior #barraco da história tricolor, começa a pré-venda da terceira camisa do São Paulo.”

“Club de Cuervos”, primeira temporada.

11794421_974949339228526_4543965613018565408_o
facebook.com/clubdecuervos

No começo deste mês em que a bola voltou a rolar nos principais campeonatos da Europa, entrou em campo Club de Cuervos, de Gary Alazraki, a primeira série latina da Netflix. Na primeira temporada, 13 episódios contam a sucessão do fictício time mexicano Cuervos de Nuevo Toledo, depois da morte do dono e presidente, Salvador Iglesias. O filho baladeiro e marqueteiro, Salvador Iglesias Junior, o Chava (Luis Gerardo Méndez, bem na fita), vence a briga com a irmã Isabel (Mariana Treviño) pela cadeira de presidente. O objetivo de Chava Iglesias é transformar o Cuervos no “Real Madrid da América Latina” e encurta o prazo do plano de gestão oito anos para apenas um. Redesenha o uniforme tradicional (aliás, feito pela Under Armour), nem aí pros patrocinadores, faz contratação galática, não obedece conselhos do cartola mais experiente, atrapalha o velho treinador e briga, briga muito com a irmã, filha de casamento anterior do patrono dos Cuervos de Nuevo Toledo.

Time e cidade são de mentirinha, mas o Cuervos enfrenta times mexicanos reais, como Pachuca e Atlante. A série cresce no decorrer dessa primeira temporada, que já está toda no Netflix, e pode ser vista de uma sentada só. É uma comédia, e toca em questões de bastidores como a corrupção, o ambiente dos vestiários, o estrelismo, e, sobretudo, a divisão interna entre cartolas.

Não posso deixar de lembrar de uma ótima série brasileira da HBO sobre a vida de um juiz de futebol, (fdp), recomendada aqui no blog três temporadas atrás. Também era uma comédia, em 13 capítulos. Talvez estivesse um ou mais furos acima de Cuervos, mas essa primeira empreitada da Netflix no mercado latino e “futbolero” também tem seu valor. Diverte, pode arrancar risos à medida em que os capítulos evoluem e você mergulha no universo dos Cuervos, e aborda problemas reais do futebol latino-americano. Vale procurar assistir, sim, nem que seja num mês em que você teste a assinatura de Netflix.

Continuar lendo ““Club de Cuervos”, primeira temporada.”

A Premier League está na moda. Confira as camisas da temporada 2015-16.

A Premier League está na moda. Confira as camisas da temporada 2015-16.
Os kits do Aston Villa para 15-16
Os kits do Aston Villa para 15-16

Que fabricante de material esportivo patrocina mais times na milionária Premier League? A alemã Adidas fornece uniformes para 6 clubes: pro campeão Chelsea, de novo pro Manchester United, pro Southampton, Sunderland, Swansea City West Brom Albion. Outra marca de origem alemã, a Puma, é a fornecedora de quatro times: Arsenal, Leicester City, Newcastle e da volta do Watford.11698988_10152994050893663_9000064328238957005_o A tradicional fábrica de origem inglesa Umbro produz os kits do Everton e agora do West Ham. A americana New Balance sucede a marca Warrior vestindo Liverpool e Stoke City. A italiana Macron veste o Aston Villa e o Crystal Palace. A loja JD Sports está fazendo o uniforme do caçula Bournemouth. Enquanto o Norwich City volta pra cima com a italiana Erreà. A gigante Nike estampa seu logo nas camisas do Manchester City. E outra americana, a Under Armour, está com o Tottenham Hotspur.

Confira dentro deste post especial as camisas já lançadas – todas as imagens são das páginas dos clubes ou dos fabricantes no Facebook. Continuar lendo “A Premier League está na moda. Confira as camisas da temporada 2015-16.”

Novidade na camisa do Tottenham Hotspur

https://www.facebook.com/TottenhamHotspur
Harry Kane no bastidores do vídeo de apresentação da camisa: https://www.facebook.com/TottenhamHotspur

Na rodada deste sábado, foi a vez do Tottenham Spurs estrear roupa nova para a temporada 2015-16. Acima, a gente vê o HurriKane, digo, o Harry Kane, grande destaque dos Spurs nesta temporada, com a nova “armadura”, que ganha faixas diagonais, em cima do tradicional branco da camisa do Tottenham (veja aqui o “home kit” da temporada que está acabando, 14-15). Desde 2012, os uniformes dos Spurs são feitos pela Under Armour, agora também fornecedora do São Paulo). Já está à venda na loja online do clube londrino, mas para os interessados, talvez valha a pena esperar pra ver se chega aqui.
O “keeper” Hugo Lloris mostrou a nova camisa de goleiro dos Spurs.

https://www.facebook.com/TottenhamHotspur
https://www.facebook.com/TottenhamHotspur


Os 2×0 contra o Hull City, último jogo dos Spurs em White Hart Lane na temporada, também marcou a despedida do goleiro Brad Friedel.
Abaixo, o novo uniforme 1 e o de goleiro na capa da revista “Spurs“, o programa oficial do jogo contra o Hull City Continuar lendo “Novidade na camisa do Tottenham Hotspur”