Premier League, Rock Edition. Designer brasileiro junta futebol e rock numa coleção imaginária de camisas.

Premier League, Rock Edition. Designer brasileiro junta futebol e rock numa coleção imaginária de camisas.
Aí, Steve Harris, o time de futebol do Iron Maiden poderia jogar com esse uniforme bolado pelo Matheus Viana…

A temporada 2017-18 do campeonato inglês começou com um jogão, sete gols, duas viradas: Arsenal 4×3 Leicester City. Aproveito a primeira rodada da Premier League da vida real para compartilhar um golaço do designer brasileiro Matheus de Souza Viana. Ele “viajou” (no bom sentido e entre aspas) criando camisas de futebol e distintivos para 20 bandas de rock inglesas, dos Beatles aos Arctic Monkeys. Saiu antes na página Idea Fixa (que me foi indicada pelo batera Vlad Rocha).

Pra começar, o designer botou uma coroa em forma de cabelo moicano, do leãozinho da Premier League, que você pode ver na imagem destacada, no alto deste post. E chegou a incluir nos “mantos sagrados” das sacrossantas bandas as marcas de fornecedores habituais de equipamento esportivo (adidas, Nike, Puma, Umbro) e até patrocinadores de peito, ligados a marcas de equipamentos musicais, como fabricantes de guitarras (Fender, Gibson, Rickenbacker, Epiphone). Demais! O campeonato de bandas imaginado pelo designer Matheus Viana tem muito classic rock entre os favoritos ao título: Beatles, Stones, Who, Queen…

Este slideshow necessita de JavaScript.

É um trabalho pessoal do Matheus Viana, um exercício criativo, sem patrocínios nem fins lucrativos, ou seja, não vão ser vendidas camisas com esse visual. Olha as ideias

A ideia é brincar com a hipótese de misturar o futebol e o rock’n’roll, pensando em como poderia ser o campeonato inglês de futebol se fosse disputado por bandas inglesas de rock”, explica o designer.

Então, vejam como seriam os visuais do triunvirato do rock pesado inglês do final dos 60 -Sabbath, Led, Purple- e o progressivo Pink Floyd, do Roger Waters, um fanático torcedor do Arsenal.

O Lemmy não estava nem aí para futebol, mas o pesado e rápido Motörhead também entra na liga virtual do Matheus Viana, além dos punk rockers do Clash (Joe Strummer é dos blues, torcedor do Chelsea) e dos Sex Pistols (John Lydon fanático gunner, Steve Jones e Paul Cook, também eram blues).

Será que nos estádios desse campeonato virtual, o fã-clube do Police adotaria “Every Breath You Take” como uma espécie de “You’ll Never Walk Alone”?

Home Kit imaginário do The Police, por Matheus Viana.

Repare nas mangas da imaginária camiseta do Joy Division – o designer Matheus Viana se inspirou na capa do discão “Unknown Pleasures”.

Mais ideias criativas dentro do post.

Continuar lendo “Premier League, Rock Edition. Designer brasileiro junta futebol e rock numa coleção imaginária de camisas.”

Rock e velocidade. Edição especial do Rock Flu,

Coluna de Música + Fut Pop Clube
1500777_1573786499522678_3156710017301803592_o
No vácuo do GP de Interlagos e do final da temporada da Fórmula 1, o programa Rock Flu chega ao seu nº 109, com um especial que junta som e velocidade. No cockpit, Gustavo e Serginho recebem Márcio Madeira da Cunha, jornalista especializado em automobilismo, pesquisador, colecionador e colaborador do site GP Total. Na reta dos boxes, rolam Primal Fear, Metallica, George Harrison, Black Sabbath, Deep Purple, The Who, Rush, Camisa de Vênus, Queen e Steppenwolf.

O programa pode ser ouvido aqui, baixado no site Torcida Tricolor ou ainda neste  link. Continuar lendo “Rock e velocidade. Edição especial do Rock Flu,”

Copinha “SP” de rock júnior

Coluna de Música + Fut Pop Clube

avatars-000027004415-a8noz2-t200x200Volto a falar nos meus blogs destes quatro rapazes de … Cavan, Irlanda, que teriam idade para disputar uma virtual Copa São Paulo de Rock Júnior por mais uns três ou quatros anos. The Strypes é o nome do quarteto. Os quatro são U-16. Mas o rock que eles levam é de gente grande. E as referências estão lá atrás, no elétrico R&B, nos pioneiros do rock (Bo Diddley, Chuck Berry), no som dos anos 60 (Yardbirds, Who, Stones, Animals). Continuar lendo “Copinha “SP” de rock júnior”

Taça Fut Pop Clube

http://www.thewho.com

Intervalo do Super Bowl, a grande noite da NFL, a liga do futebol americano que faz o chamado esporte bretão virar soccer nos EUA. No meio do estádio de Miami, palco da final que os Saints de New Orleans venceram, um belíssimo palco é montado. Parece uma nave espacial. Tudo para um show relâmpago do The Who, que manda 5 clássicos da banda em 12 minutos (veja quais foram as músicas e lembre outras feras que já participaram do halftime show na minha Coluna de Música). Fico pensando se um dia teremos algo tão organizado numa grande final no nosso futebol… Poderia ser numa Copa do Brasil reforçada com os times que disputam a Libertadores, ou num encontro do campeão brasileiro (por pontos corridos)  contra o campeão da Copa do Brasil (mata-mata).

O nome do troféu desse nosso SuperBowl? Taça Fut Pop Clube, claro! Hahaha!

Um showzão no Shea Stadium

clashOuvir o show do The Clash no Shea Stadium é um belo e radical jeito de aguentar o trânsito lento de São Paulo (40 minutos para percorrer 6 km de carro, fala sério!). O concerto no histórico estádio de beisebol nova-iorquino e foi lançado em CD mais ou menos na mesma época em que o velho estádio do NY Mets foi ao chão, em outubro de 2008. O discão foi gravado durante os shows em que o Clash abriu para o The Who, em 1982. A banda punk havia lançado outro discão, Combat Rock. “Should I Stay or Should I Go” tocava muito no rádio americano. E o compacto seguinte “Rock the Casbah”, estava no Top 40 e rolava na MTV de lá, assim como em muitos programas de clips aqui. E a performance eletrizante de “Rock the Casbah” arrebata corações, mentes e corpos. CLIQUE EM MANTER A LEITURA para saber outros destaques do CD ao vivo do Clash e que outras grandes bandas tocaram no Shea Stadium (1964-2008).

Continuar lendo “Um showzão no Shea Stadium”

Longa vida à Les Paul (1915-2009)

TheLog1Guitarristas de verdade, de papelão e air guitarrists de todo o mundo lamentam a morte do músico, inventor e compositor Les Paul, aos 94 anos. Em 1941, ele bolou a primeira guitarra de corpo maciço. Em 52, veio o clássico modelo Les Paul, fabricado pela Gibson. Muito usado por heróis da guitarra como Jimmy Page (Led), Jeff Beck, Pete Townshend (The Who), Adrian Smith (Iron Maiden), Slash… No 4º DVD da coleção A História do Rock´n´Roll, o capítulo 7 da série,1959%20LP%20Standard Heróis da Guitarra, mostra um trechinho de show de 1994, na House of Blues. Guitarristas de três gerações tocaram ao lado de Les Paul. “Sempre que estou com problemas, eu pego minha guitarra e toco”, disse Les Paul.

Você se lembra de quem mais arrasou tocando uma Les Paul? Escreva em DEIXE UM COMENTÁRIO. Valeu.

“Top of the Pops”

theearlydaysUm fã de rock que leia sobre a história de sua(s) banda(s) preferida(s) tem grandes chances de esbarrar no nome de um programa de TV da BBC. Top of the Pops, uma parada de sucessos, estreou em 1964 ( Beatles e Stones no primeiro programa). TOTP saiu do ar em 30 de julho de 2006.  Por exemplo, o Iron Maiden. Em 1980, o então quinteto da New Wave of British Heavy Metal foi convidado para tocar o single que havia acabado de lançar, o primeiro pela EMI: Running Free. E Paul Di´Anno, Steve Harris, Dave Murray, Dennis Stratton, Clive Burr e o fiel escudeiro Rod Smalwood  armaram um fuzuê no estúdio porque o Maiden fez questão de tocar ao vivo, sem playback, a dublagem que marcou grande parte da história do TOTP. Era a primeira banda a fazer isso desde o The Who, em 1972. A perfomance está no VHS Wasted Years, no DVD The Early Days (capa que ilustra este texto) e, claro, na rede. Aliás, na rede descobri que uns 20 anos depois de Running Free, Bruce Dickinson já de cabelo joãozinho, o Maiden apresentou Wildest Dreams, faixa de trabalho e abertura do disco Dance of the Death. 6º lugar na semana do Top of the Pops. De novo, ao vivo(pelo menos as vozes). Curioso ver o Maiden num palco tão pequeno, fora de seu cenário… Pense num cantor ou banda entre 1964 e 2006. Hendrix? Thin Lizzy? Judas Priest? The Smiths? Nirvana? Provavelmente foi atração do Top of the Pops.

No “obituário” do TOTP publicado na edição de setembro de 2006, a revista inglesa Uncut crava que Top of the Pops foi “o mais importante programa de música da história da TV britânica”. E cita artistas mais “à esquerda” que aceitaram tocar no programa, mas com uma dose de subversão do esquema. Caso dos Smiths. Em 1983, Morrissey preferiu segurar um buquê de flores em vez do microfone, para deixar claro que estava dublando This Charming Man, segundo compacto da banda de Manchester.

Três anos antes, o Judas Priest dublou no programa clássicos do discão British Steel, Living After Midnight e United (março e agosto de 80). Essas duas gemas metálicas, mais as apresentações de Take on the World e Evening Star no TOPTP estão nos extras do DVD Electric Eye (Sony Music).

Em 1991, o Nirvana “tocou” Smells Like Teen Spirit no show da BBC. Quer dizer, parte instrumental pré-gravada, só a voz de Kurt Cobain ao vivo. E ele aproveitou para dar uma debochada legal, cantando num tom bem grave. Tá rede também.

P.S em 10 de abril de 2010: o canal TCM na TV paga começa a reprisar trechos do “Top of the Pops”, aos sábados, 21h.

No primeiro programa, rolou

  • Bad Company/All Right Now,
  • T-Rex/Get It on,
  • Deep Purple/Black Night
  • Slade/Mamma We’re All Craze Now,
  • Alice Cooper/School’s Out,
  • Elton John/Daniel,
  • Suzi Quatro/ Can the Can
  • Abba/Waterloo
  • Queen/Killer Queen,
  • Bay City Rollers/Bye-Bye Baby,
  • Electric Light Orchestra/Evil Woman,
  • The Jam/In the City,
  • Bob Marley and the Wailers/Exodus,
  • Blondie/Denis,
  • Ramones/Don’t Come Close,
  • Chic/Le Freak, The Police/Roxanne,
  • The Knack/My Sharona,
  • Elvis Costello & The Attractions/Oliver’s Army.

LINKS:

Site do programa (mantido pela BBC, mas não atualizado).

Lista de atrações do Top of the Pops (64-2006).

www.youtube.com