“Um Homem a Mais”, na Mostra de Cinema de São Paulo.


Doze anos antes de “A Grande Beleza”, o diretor napolitano Paolo Sorrentino e o ator Toni Servillo trabalharam juntos em “Um Homem a Mais” (L’uomo in Piú, 2001), em cartaz na 40ª Mostra de Cinema de São Paulo. poster40Servillo faz o papel de um cantor popular, Antonio Pisapia, xará de um jogador de futebol. O zagueirão atua no time (não identificado) de camisa grená da sequência acima, com cenas de jogo filmadas no estádio San Paolo, onde na vida real quem joga é o Napoli. O primeiro longa de Sorrentino acompanha em paralelo a decadência dos dois Antonios, o cantor e o jogador, que tenta começar como treinador – planejando táticas num campinho de subbuteo– depois de ver sua carreira nos gramados abreviada por uma ‘entrada criminosa’, num treino!

Um Homem a Mais” – e este título tem a ver com tática de futebol, como quem assistir vai perceber – passa de novo nesta terça-feira, 2 de novembro, às 16h, na sala 2 do Espaço Itaú de Cinema do shopping Frei Caneca (confirme por telefone antes de sair porque há alterações de última hora). Dentro do post, a sinopse fornecida pelo site oficial da Mostra, mostra.org. Continuar lendo ““Um Homem a Mais”, na Mostra de Cinema de São Paulo.”

Repescagem


A expressão que é mais usada para definir sistemas de disputas de torneios esportivos também define uma segunda chance para o torcedor, ou melhor, para o espectador ver alguns filmes da Mostra de Cinema de São Paulo – até quarta-feira, 7/11/2012. Bons programas para quem passa o feriadão na metrópole – mais vazia.

O “Mundial” de 1942 tem até cartaz oficial, no filme italiano

E é bom saber que o filme mencionado aqui no Fut Pop Clube, A Copa Esquecida (Il Mundial Dimenticato), ganhou um dos prêmios de público do festival. A película de Lorenzo Garzella e Filippo Macelloni buscou inspiração no conto “El Hijo de Butch Cassidy”, do escritor e jornalista argentino Osvaldo Soriano (*1943/+1997), torcedor do Ciclón, o San Lorenzo. Trata-se de um “mockumentário”, um falso documentário sobre a suposta Copa do Mundo disputada na Patagônia, em 1942, em plena Segunda Guerra Mundial. E o resultado é muitas vezes hilário… como as cenas que mostram as criativas câmeras usadas para “documentar” o “Mundial”… os gols impossíveis… o jeito com que os “juízes” expulsam jogadores de campo… e a figura roliça de certos “jogadores”. Aspas são uma boa mesmo para definir “Uma Copa Esquecida” (como fez o “Estadão”): um “documentário” entre aspas – talvez um pouco como o “Zelig” de Woody Allen, mas pra mim os italianos chegaram a resultado mais legal.  E não é indicado apenas pra quem gosta de futebol e de filmes de futebol, não. Basta entender o humor das cenas. Tinha gente se esbaldando de dar gargalhada na sessão que eu vi.

O que também foi muito engraçado na sessão foram as cenas que discutem o uso de imagens na decisão de lances duvidosos para a arbitragem. Na semana em que o Brasil discutiu a anulação do gol de mão de Barcos, no jogo entre Internacional x Palmeiras, foi no mínimo curioso ver um “jogo” do “Mundial” de 42 parado por uma hora, para que um filme seja revelado e o juiz tome a sua decisão sobre um lance, com direito a depoimento canastrão de Gary Lineker. Coincidência? No futebol italiano, no mundo todo, as decisões da arbitragem geram cada vez mais controvérsia.

Em tempo: “A Copa Esquecida” passa de novo nesta quarta-feira, 7 de novembro, às 17h40, no CineSesc.

Veja o trailer do premiado “documentário” italiano.

Continuar lendo “Repescagem”

“O dia em que a poesia derrotou um ditador”. O belo filme “No”. E a flâmula de La U.

  • Atualizando: este sábado, 3 de novembro, é a última chance para ver o belo filme chileno “No”, citado no fim do post. 21h40, no CineSesc, na rua Augusta.
Flâmula da U de Chile

Flâmula da Universidad de Chile, time de coração do estudante Nico, personagem central do livro “O dia em que a poesia derrotou um ditador“, do escritor chileno Antonio Skármeta (o mesmo de “O Carteiro e o Poeta”, que rendeu aquele lindo filme). No romance, que se passa em 1988, Nico é filho do professor Santos, levado pela polícia do ditador Pinochet. E namora a filha do publicitário desempregado que vai bolar a campanha do “Não” a Pinochet. Vale a pena ler o belo romance de Skármeta (será que ele também é “hincha” da U de Chile? Se alguém souber, me dá um alô, por favor). Não eram bons anos para o time, que recentemente virou o bicho-papão chileno: na última temporada, ganhou Clausura, Apertura e Copa Sul-Americana. “O dia em que a poesia derrotou um ditador” ganhou o Prêmio Ibero-Americano de Narrativa.

Por sinal, a campanha pela democracia também é tema de um dos principais filmes da 36ª Mostra de Cinema de São Paulo: “No”, de Pablo Larraín, com Gael García Bernal (P.S.: o filme é emocionante, consegue prender a atenção, fazer suspense, mesmo sabendo o resultado). Confira as próximas sessões aqui.

  • “No” ganhou do público da Mostra de SP o prêmio de melhor ficção estrangeira. Site oficial do filme: http://nolapelicula.cl/

“A Copa Esquecida” na Mostra de Cinema de São Paulo.


Um dos filmes confirmados na Mostra de Cinema de São Paulo é A Copa Esquecida- Il Mundial Dimenticato, coprodução ítalo-argentina dirigida pelos italianos Lorenzo Garzella e Filippo Macelloni. É um “mockumentary”, um falso documentário sobre o suposto Mundial de 1942, na Patagônia, naquele período da Segunda Guerra que não houve Copa do Mundo. O trailer (que pode ser visto aqui) dá o tom da galhofa. A ver! Aqui, as sessões na Mostra.  Continuar lendo ““A Copa Esquecida” na Mostra de Cinema de São Paulo.”

Bola na tela da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo


A 35ª Mostra está em cartaz nos cinemas de São Paulo. Uma busca pela palavra futebol no site oficial encontra quatro filmes:

“Montevidéu – O Gosto do Sonho” no CINEfoot

http://www.flickr.com/photos/cinefoot
MONTEVIDEO, BOG TE VIDEO: http://www.flickr.com/photos/cinefoot

30 de julho de 1930: o Uruguai bate a rival Argentina por 4 a 2 e vence o primeiro Mundial, no estádio Centenário.
Tive a oportunidade de ver o filme sérvio Montevideo, God Bless You (ou Taste of a Dream). Ficção que conta a história da preparação da Iugoslávia, uma das quatro seleções europeias a cruzar o Atlântico para disputar a Copa no Uruguai (eram duas semanas de viagem para vir, outras duas pra voltar…).

O filme de Dragan Bjelogrlic escolhe os atacantes Tirnanic e Marjanovic como principais personagens e tem muitas cenas de treinos e amistosos lá na Iugoslávia. Gostou do brasileiro O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias? Recomendo que fique de olho quando Montevideo passar num cinema perto de você – na 35ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, foi exibido como “Montevideo – O Sonho da Copa“. E agora está de volta, no festival CINEfoot, no Rio (domingo, 26 de maio, 21h15, Espaço Itaú de Cinema – Praia de Botafogo). Tem o tema da amizade, romance, um pouco de política… e bola na rede!

Continuar lendo ““Montevidéu – O Gosto do Sonho” no CINEfoot”