Chelsea 2014-2015: Diego Costa, Filipe Luís, Fàbregas, Schürrle, a volta de Didier Drogba… e José Mourinho!

Atualizado em 25/07/2014

Destaque do Chelsea na campanha campeã da Liga dos Campeões 2011-12, herói da final contra o Bayern (em plena arena de Munique!), o experiente Didier Drogba volta do futebol turco para um ano mais de contrato com os azuis. Os números de #Drogs no Chelsea são impressionantes: 157 gols em 341 jogos – 34 tentos em competições europeias; três títulos ingleses, mais 4 Copas da Inglaterra, 2 Copas da Liga inglesa e, enfim, a Champions tão desejada. Sai de baixo!

13705325473

  • > IN> Didier Drogba (estava no Galatasaray), Diego Costa, Cesc Fàbregas, Mario Pasalic (Hadjuk Split, Croácia), Filipe Luís (Atlético de Madrid), Courtois (volta de empréstimo).
  • *Estrelas da companhia: Schürrle (decisivo na Alemanha campeã), Hazard, Lukaku, Oscar, Willian, Ramires, Victor Moses, John Obi Mikel, Azpilicueta, Fernando Torres, Gary Cahill, John Terry,  Ivanovic, Peter Cech (pode sair) e o “special one”, o técnico José Mourinho
  • < OUT<: Samuel Eto’o, Frank Lampard (NYCFC), David Luiz (PSG), Ashley Cole (Roma), Lukaku (Everton).
  • Estádio: Stamford Bridge, que é de 1877 (!) e hoje tem capacidade para 41.798 pessoas. Na temporada passada, o Chelsea teve 41.482 torcedores por jogo – segundo a Pluri, 29ª melhor média do mundo. Ocupação: 99% do estádio (foto abaixo).

    https://www.facebook.com/ChelseaFC
    https://www.facebook.com/ChelseaFC

Continuar lendo “Chelsea 2014-2015: Diego Costa, Filipe Luís, Fàbregas, Schürrle, a volta de Didier Drogba… e José Mourinho!”

A primeira Supercopa de Neymar e Tata Martino.

Decisão é (quase) sempre assim. Nervos à flor da pele, jogadores à beira de um ataque de nervos, jogo truncado, muitas faltas, marcadas, inventadas e não marcadas.
Se faltou gol, não faltou luta na decisão da Supercopa espanhola entre o poderoso Barcelona (ainda se acertando com Tata Martino) e o bravo Atlético de Madrid de Simeone.  E apesar do domínio de bola do Barça, o Atleti teve algumas das mais cristalinas chances com bola rolando, paradas pelo goleiro do Barça. Não é à toa que o site do diário esportivo “As”, de Madri, manchetou: “A Supercopa de Valdés”. Pena que o “portero” blaugrana não apareça no banner divulgado pelo clube nas redes sociais (abaixo). Merecia.

Cadê o Valdés?
Iniesta, Neymar, Cesc, Messi, Piqué, Dani Alves supercampeões. Mas … cadê o Valdés? IMAGEM: https://www.facebook.com/fcbarcelona

Achei legal que o Daniel Alves não entrou na pilha do seu conterrâneo Filipe Luís e ao invés de revidar mais asperamente às entradas violentas, jogo bola. Parabéns aos brasileiros do Barça. O gol de empate Neymar no Vicente Calderón acabou sendo o gol do título. Continuar lendo “A primeira Supercopa de Neymar e Tata Martino.”

Barça, 22 vezes campeão da liga das estrelas

Primeiro escudo do Barcelona
Primeiro escudo do Barcelona

Alirón, alirón, el Barça és campeón!

DSC01953 (2)“Alirón” com 3 rodadas de antecipação na liga espanhola. O Espanyol deu uma ajudinha involuntária ao rival regional. Com o empate entre Espanyol e Real Madrid (1×1), o Barcelona agora de Tito Vilanova entra em campo neste domingo no Vicente Calderón já como campeão da temporada 2012/2013 da Liga BBVA. É o quarto título de liga do Barça em cinco anos; o sexto nos últimos 10. Devemos ter o “pasillo”, um corredor em que os jogadores campeões passam aplaudidos por um corredor dos atletas adversários, no caso, do Atlético de Madrid. E “alirón”, que diabos é isso? Um termo que veio de Bilbao, terra do Athletic, e sua origem não começa nos campos de futebol, mas nas minas. Quando os trabalhadores achavam mineral, gritavam “All iron, all iron”. Os trabalhadores locais adaptaram: “alirón, alirón”. E isso foi parar no futebol. Do País Basco (que recebeu muita influência da Inglaterra, a terra dos inventores do futebol) e de toda a Espanha (outra acepção diz que o “alirón” vem de um termo hispano-arábico, “al´ilan”, que quer dizer proclamação). Continuar lendo “Barça, 22 vezes campeão da liga das estrelas”

Só dá Espanha!


Pé-quente a canção do Estopa, “Showtime 2.0”, música oficial da seleção da Espanha, neste bicampeonato consecutivo da Europa – terceiro título de La Roja na Eurocopa (1964 + 2008 + 2012). O Estopa, grupo de Cornellà (Catalunha) formado pelos irmãos David e José Muñoz, lançou pouco antes da Euro 2012 a versão “futbolera” de “Showtime”, que foi hino da seleção espanhola de basquete, também composto e gravado pela dupla. O dinheiro será revertido para projetos de apoio a jogadores desempregados e em situação de risco social, da associação espanhola dos futebolistas. A letra do Estopa fala do futebol ´tiki-taka’ – aquele toque de bola envolvente e eficiente, que torra a paciência de certos torcedores – do Barça e da seleção La Roja, que depois de ganhar a Euro 2008, levantou a Copa do Mundo 2010 e agora a Euro 2012. Um feito inédito.

Se bem que nos acachapantes 4×0 da final sobre a Itália, o torcedor cantou mesmo o “ôôôôô” de “Seven Nation Army”, do White Stripes, o ‘rock das torcidas’.

Iniesta, Villa e Busquets no estúdio com os irmãos Muñoz, do Estopa | http://www.estopa.com

Continuar lendo “Só dá Espanha!”

Craque, o Barcelona faz em casa

Esta foto acima é de uma instalações mais interessantes que o Rolê do FutPopClube encontrou no Museu do Barça, em 2010: torcedores das “penyas” barcelonistas do mundo todo cantam o hino do clube catalão. Demais! Na frente do telão, pequenas telas com imagens dos jogadores. Como se fosse uma plantação. Certamente, uma homenagem às “canteras”, as divisões de base do Barcelona, Na final do Mundial de Clubes 201, a aula de futebol nos 4×0 sobre o Santos, Guardiola mandou a campo inicialmente 9 (nove!) jogadores que de uma forma ou outra passaram pela base “blaugrana”: Valdés, Piqué, Puyol, Xavi, Busquets, Thiago Alcântara, Messi, Cesc Fàbregas e Iniesta. Outros dois “canteranos” entraram no decorrer da partida: Pedro e Fontás. O Flamengo que ganhou do Liverpool em 1981 tinha 7 jogadores da base: Leandro, Mozer, Júnior, Andrade, Adílio, Zico e Tita. Continuar lendo “Craque, o Barcelona faz em casa”

Campions del Món 2011: Barça, bicampeão mundial

fcbarcelona.cat

“Banderín” (flâmula) do Fútbol Club Barcelona, que neste domingo conquistou mais uma copa para sua galeria de títulos (confira rolê do blog pelo Museu do Barça). São treze taças na era Guardiola. Com o 4×0 sobre o Santos do jovem Neymar, campeão da Libertadores, os blaugranas, atuais campeões da Europa e tricampeões da Espanha, levantaram o Mundial de Clubes – o segundo do Barça (que já havia vencido em 2009).
Impactante a maneira avassaladora como o Barça começou a final, com seu costumeiro domínio da posse de bola (nos 90 minutos, 71% ! ), velocidade, contundência e vontade de ganhar o Mundial. Resultado: matou o jogo na primeira etapa. Messi, Xavi e Fàbregas praticamente definiram a partida. 3 a 0 nos primeiros 45 minutos.
Quando o Santos acordou, era tarde.
Messi ainda fez mais um. 4×0.

Parabéns à torcida do Santos, que não deixou de apoiar o time. Deu show em Yokohama. Continuar lendo “Campions del Món 2011: Barça, bicampeão mundial”

Uma seleção do mundo

Casillas, Julio Cesar, Maicon, Daniel Alves, Lahm, Puyol, Xavi, Xabi Alonso, Iniesta, Fabregas, Sneijder, Özil, Schweinsteiger, Cristiano Ronaldo, Diego Forlán, Robben, Messi, Klose, Thomas Müller, Drogba, Gyan, Eto´o e Villa Maravilla.
Uma seleção da última Copa do Mundo diz presente na pré-lista dos 23 que concorrem à Bola de Ouro 2010, agora oferecida em conjunto pela Fifa e France Football. Em 6 de dezembro, serão anunciados os 3 finalistas. E em 10 de janeiro, o grande vencedor. No feminino, pode dar Marta.
Só faltaram a musa Larissa Riquelme, a Jabulani e a Vuvuzela…

O melhor futebol do mundo

Chelsea x Barcelona; Arsenal x Manchester United. Pela terceira edição seguida da Champions League, três clubes ingleses estão nas semifinais europeias.  Só o tridente ofensivo do Barcelona pode impedir a segunda final 100% inglesa consecutiva, se eliminar o Chelsea (que tem a vantagem de jogar a 2ª partida em Londres). O Barça tem o artilheiro da Liga, Messi (8 gols) e um dos líderes de assistência, Xavi, sem marketing nenhum, muita bola – e 6 passes decisivos. Mas o Chelsea eliminou um dos favoritos, o copeiro Liverpool, num dos maiores jogos de todos os tempos.

Neste 15 de abril em que se lamentam os 96 mortos no campo de futebol de Hillsborough há exatos 20 anos, dois ingleses garantiram presença nas semifinais. No moderníssimo Emirates Stadium, o Arsenal goleou o Villareal: 3×0. Preste atenção no golaço de Walcott, depois da deixadinha de calcanhar de Fábregas. E no segundo, de Adebayor. O Arsenal disputará agora vaga na final com Manchester United, que derrotou o Porto por 1×0, num tirombaço de Cristiano Ronaldo. Dia 29, o jogo é em Manchester. A volta, em 5 de maio, no Emirates. Quando este torcedor começava a acompanhar futebol na tela, o locutor Fernando Solera, então na TV Bandeirantes, trocava os gritos de gol pelo bordão: “O melhor futebol do mundo é no 13″ (número do canal da Bandeirantes em São Paulo em VHF). Naqueles tempos, ainda desfilavam pelos gramados brasileiros craques como Careca, Ademir da Guia, Zico, Falcão etc. Hoje, acho que o melhor futebol do mundo desfila nos gramados ingleses, que deram uma guinada exatamente depois de episódios como a tragédia de Hillsbourough. E você? Vote na enquete.

Troféu “E que gol!” de terça: Adebayor

(“Eee quee gooool”  – (C) Osmar Santos, o pai da matéria. Homenagem ao maior entre os grandes  locutores da história do rádio esportivo brasileiro)

O do Marcos Senna já foi bonito. Chutaço. Villarreal 1×0 (o brasileiro que defende a Fúria quase fez outro). Mas o gol de empate do Arsenal… Adebayor recebeu passe açucarado do Fábregas, dominou no peito, girou o corpo e, de bicicleta, fez um golaço. E por isso o atacante togolês recebe o imaginário troféu “E que gol” nesta terça. Veja os 2 gols neste link para o site da ESPN Brasil. Semana que vem, decisão no belíssimo Emirates Stadium. 0x0 é do Arsenal. 1×1 vai pros pênaltis. Empate a partir de 2×2, dá submarino amarelo nas semifinais.