“Geraldinos”, na última rodada da Mostra Cinefoot.

“Geraldinos”, na última rodada da Mostra Cinefoot.

“Geraldinos”, filme vencedor da Taça Cinefoot 2015 nas seleções carioca e paulista do festival de cinema de futebol, encerra a mostra Cinefoot, no Canal Brasil. Nesta sexta-feira, 22h, com reprise na terça-feira, 13h30. Vale a pena ver ou rever o doc, que também está disponível para aluguel no Now.

Continuar lendo ““Geraldinos”, na última rodada da Mostra Cinefoot.”

Os “Belos Sonhos” de um torcedor do Torino.

Os “Belos Sonhos” de um torcedor do Torino.


Mãe e filho de 9 anos dançam um twist animadamente. A linda relação mãe e filho vai terminar bruscamente. Por quê, Deus? Por quê, pai? Massimo vai passar a vida em busca de respostas. É a história real do jornalista italiano Massimo Gramellini, torcedor do Torino por influência do pai. Não sei se é o melhor filme para ver no período de Festas (estreou às vésperas do Natal”), mas “Belos Sonhos”, dirigido por Marco Bellocchio (“Diabo no Corpo”, “Vincere”, “Bom Dia, Noite”) é, sim, um belo filme. Vi durante a Mostra de Cinema de São Paulo (2016) e quero rever.

Poster italiano de "Belos Sonhos". Classificação: 14 anos.
Poster italiano de “Belos Sonhos”. Classificação: 14 anos.

Os filmes de Bellocchio (homenageado na Mostra 2016) são assim, cheios de questões psicológicas, por cento valem ver e rever. Este aqui (que abriu a Quinzena de Realizadores em Cannes 2016) ainda tem cenas de paixão pelo futebol, especialmente relativas ao Torino, time de Massimo Gramellini, autor do livro que inspirou “Belos Sonhos” – morou ao lado do estádio Comunale e inclusive há uma cena de reencontro entre pai e filho durante uma homenagem às vitimas à tragédia de Superga, que dizimou o Grande Torino.

Dentro do post, sinopse, ficha e uma cena de futebol de “Belos Sonhos”. Quem souber em que estádio foi filmada essa cena, pode deixar comentário no post. Não acredito que seja o Comunale, de Turim, que hoje tem cobertura.
Continuar lendo “Os “Belos Sonhos” de um torcedor do Torino.”

Bola na tela: “Meninos de Kichute’.

Bola na tela: “Meninos de Kichute’.


Raro longa-metragem de ficção nacional sobre futebol. O filme de Luca Amberg inspirado no livro de mesmo nome de Márcio Américo se passa nos anos do “Eu te amo meu Brasil” e parece até feito nos anos 70, de tão cuidada a reconstituição de época. Quem está na faixa dos 40 anos vai se lembrar dos tempos de aulas de Moral e Cívica, álbuns de figurinhas, revistas de mulher pelada, Magiclik, carros Brasília, Kharman Ghia, Dodge Dart, Canal 100, sonorizado com a versão instrumental de ”Na Cadência do Samba (Que Bonito É)”, e claro, a chuteira Kichute do título – e antes que alguém identifique a primeira música do trailer e do filme com o ufanismo do “Brasil gigante”, noto que é possível identificar no papel do pai o Estado violento, repressor e mentiroso. Ótimos diálogos, ótimas atuações (especialmente de Werner Schünemann, Vivianne Pasmanter, Arlete Salles e o protagonista Lucas Alexandre, bem dirigido como todo o elenco “juvenil), boa trilha sonora da época, a cargo de Netinho, dos Incríveis: Casa das Máquinas, Secos e Molhados, Sergio Sampaio, Os Incríveis.

É certamente um dos nossos melhores filmes sobre futebol – e sobre amizade e descobertas. Uma espécie de “Conta Comigo” brasileiro. Prêmio: melhor filme do júri popular na 34ª Mostra de Cinema de São Paulo.

Continuar lendo “Bola na tela: “Meninos de Kichute’.”

Supersonic

Supersonic

os_1sht_mech_27x40_final_rgb-203x300Enquanto o City de Guardiola passava maus bocados em Leicester (4-2), o festival SIM São Paulo exibia um documentário (muito bom) sobre a saudosa banda de dois irmãos fanáticos pelo time azul de Manchester. “Oasis: Supersonic”, cujo lançamento coincide com os 20 anos dos megaconcertos do grupo de Noel e Liam Gallagher em Knebworth – e também em Maine Road, antigo estádio dos citizens. Em especial Liam não perde uma chance de ser fotografado ou filmado com algum abrigo do City. Esses criadores de grandes hits (e de “algumas”  confusões) são fanáticos pelo MCFC. Sobram até algumas caneladas pros lados do West Ham em “Supersonic”, o doc.  Confira o trailer abaixo…
Continuar lendo “Supersonic”

“Barba, Cabelo & Bigode”: 24 de janeiro, 13h30, Canal Brasil.

“Barba, Cabelo & Bigode”: 24 de janeiro, 13h30, Canal Brasil.

Afonsinho, Paulo César Caju e Nei Conceição começaram as suas carreiras em meados dos anos 1960, num momento histórico de forte repressão política no país. Originalmente na condição de companheiros de uma consagrada geração de craques do Botafogo, não abriram mão da liberdade, justo quando a ditadura militar decidiu convocar a si própria para também entrar em campo. “Barba, Cabelo & Bigode”, vencedor da Taça CineFoot no Rio, abriu a edição paulista do festival Cinefoot 2016 e passa no Canal Brasil nesta terça, 24 de janeiro, 13h30, no Canal Brasil.

14991391_1460011347377255_7275535782103572982_o
BARBA, CABELO & BIGODE. O filme de Lucio Branco abre o Cinefoot 2016 em Sampa, nesta terça, 20h, auditório do Museu do Futebol.

Deixa falar! Como pede o clássico samba de Nelson Petersen eternizado por Carmen Miranda, o documentário “Barba, Cabelo & Bigode”, de Lucio Branco, deixa Afonsinho, Paulo César Caju e Nei Conceição falarem à vontade. Deixa o trio falar e também deixa jogar… em preciosas imagens de arquivo, muitas fotos e até batendo uma bola.  Eram anos gloriosos para o Botafogo, embora Afonsinho e Caju nem sempre tenham sido tratados como deveriam pelo clube. Acabaram saindo.

O filme de Lucio Branco é mais uma produção a demonstrar a amorosa relação entre música e futebol. Por exemplo, ficamos sabendo da paixão de Paulo César Caju pela música negra e pelo discos – chegou a ter mais de 2 mil LPs de vinil. Tem Gilberto Gil e sua “Meio de Campo”, em forma de carta a Afonsinho… Bob Marley louco para jogar bola com os craques brasileiros… e os Novos Baianos que jogaram muitas peladas ao lado de Afonsinho e Nei Conceição. Inclusive o Moraes Moreira se define como uma mistura de Dario (Dadá Maravilha, Dadá Peito de Aço) e Roberto Dinamite !!! Veja o trailer:  Continuar lendo ““Barba, Cabelo & Bigode”: 24 de janeiro, 13h30, Canal Brasil.”

“Miller & Fried – As Origens do País do Futebol”

Menção Honrosa no Festival FICTS Sports de Milão 2016., “Miller & Fried” está na programação do 7˚CINEFOOT São Paulo, Passa em 3/12,um sábado, às 17h, no Museu do Futebol , com entrada franca. Confira comigo no replay o texto publicado na época da estreia do documentário no Belas Artes.

Fut Pop Clube

wp-1468888470167.jpg Para quem se interessa pelo futebol brasileiro, em especial o paulista, o filme “Miller & Fried – As Origens do País do Futebol”, de Luiz Ferraz, chega a ser emocionante. O 7 a 1 na Copa de 2014 está muito fresco na memória. Ver um precioso arquivo da goleada de 7 a 2 do Paulistano comandado pelo artilheiro Friedenreich sobre a seleção francesa, durante uma bem sucedida excursão à Europa, em 1925, é de encher os olhos! Fried também estava na seleção que conquistou o primeiro grande título, o Sul-Americano de 1919, num lotadíssimo estádio das Laranjeiras (é a imagem de capa do teaser abaixo).

O gol desse título, na segunda prorrogação, teve participação de um corintiano, de um palmeirense e do craque do Paulistano (que depois jogaria no chamado São Paulo da Floresta, precursor do atual tricolor paulista). O material iconográfico da decisão já valeria o ingresso do…

Ver o post original 174 mais palavras

Cinefoot em Sampa. E “Fla x Flu – 40 Minutos Antes do Nada” na TV.

14570453_1137933499575447_8286599378271868419_nO sétimo Cinefoot chega a São Paulo no fim de novembro. O festival vai rolar no auditório do Museu do Futebol entre 29 de novembro e 3 de dezembro, com entrada franca em todas as sessões. Enquanto isso, a Mostra Cinefoot continua no Canal Brasil, toda sexta-feira, às 22h (replay na terça, 13h30). A atração da semana já é um clássico, um clássico das multidões:  Fla x Flu – 40 Minutos Antes no Nada“.

Continuar lendo “Cinefoot em Sampa. E “Fla x Flu – 40 Minutos Antes do Nada” na TV.”

“Um Homem a Mais”, na Mostra de Cinema de São Paulo.


Doze anos antes de “A Grande Beleza”, o diretor napolitano Paolo Sorrentino e o ator Toni Servillo trabalharam juntos em “Um Homem a Mais” (L’uomo in Piú, 2001), em cartaz na 40ª Mostra de Cinema de São Paulo. poster40Servillo faz o papel de um cantor popular, Antonio Pisapia, xará de um jogador de futebol. O zagueirão atua no time (não identificado) de camisa grená da sequência acima, com cenas de jogo filmadas no estádio San Paolo, onde na vida real quem joga é o Napoli. O primeiro longa de Sorrentino acompanha em paralelo a decadência dos dois Antonios, o cantor e o jogador, que tenta começar como treinador – planejando táticas num campinho de subbuteo– depois de ver sua carreira nos gramados abreviada por uma ‘entrada criminosa’, num treino!

Um Homem a Mais” – e este título tem a ver com tática de futebol, como quem assistir vai perceber – passa de novo nesta terça-feira, 2 de novembro, às 16h, na sala 2 do Espaço Itaú de Cinema do shopping Frei Caneca (confirme por telefone antes de sair porque há alterações de última hora). Dentro do post, a sinopse fornecida pelo site oficial da Mostra, mostra.org. Continuar lendo ““Um Homem a Mais”, na Mostra de Cinema de São Paulo.”

Na quarta rodada da mostra Cinefoot (Canal Brasil), o futebol puro, em “Campo de Jogo”.

“Campo de Jogo“, de Eryk Rocha, é a quarta atração da mostra Cinefoot. Sexta, 22h, com reprise terça, 13h30. Não perca!
Abaixo, o post que publiquei quando o filme passou nos cinemas, em 2015.

Continuar lendo “Na quarta rodada da mostra Cinefoot (Canal Brasil), o futebol puro, em “Campo de Jogo”.”

O quinto beatle e o pai do Guardiola

Cartaz espanhol do filme de David Trueba
Cartaz espanhol do filme de David Trueba

Um professor usa as letras dos Beatles para ensinar inglês em Albacete, na Espanha, em 1966 – portanto, um país governado com mãos de ferro pelo general Francisco Franco. Antonio San Román (o ótimo Javier Cámara) fica sabendo que seu ídolo John Lennon está em Almería, no sul do país, rodando o filme “Como Eu Ganhei a Guerra”, de Richard Lester, o mesmo diretor de “Os Reis do Iê-Ie-Iê (título brasileiro de “A Hard Days Night”) e “Help”. O professor beatlemaníaco quer porque quer falar com Lennon. Cai na estrada e vai dando carona, primeiro para Belén (Natalia de Molina, esplendorosa), depois Juanjo (Francesc Colomer, de “Noite de Verão em Barcelona“, em cartaz em São Paulo), dois jovens que (como todos) querem tomar as suas próprias decisões. E isso, na Espanha franquista. “Viver É Fácil com os Olhos Fechados”de 2013, é um belíssimo road movie do espanhol David Trueba em homenagem a John Lennon e certamente a algum professor. Um filme delicado, que fala sutilmente de uma ditadura e inspira a busca pela realização dos sonhos de cada um. De quebra, tem a estreia do pai do técnico Guardiola no cinema. Isso mesmo. Trueba é muito amigo de Pep. Convidou o pai dele, Valentí Guardiola, para uma ponta em “Viver É Facíl…”. Preste atenção na primeira cena na casa da família de Juanjo. Seu Guardiola vive o senhor catalão, o barbeiro que visita a família para cortar o cabelo do pessoal.
Continuar lendo “O quinto beatle e o pai do Guardiola”