Rodada quádrupla de autógrafos

Convite virtual Futebol CopaNeste sábado, 17 de maio, às 16h, na Saraiva do Morumbi Shopping, lançamento de quatro livros sobre Copas da Panda Books:

“O Guia dos Curiosos – Copas”, do Marcelo Duarte;
“Dicionário das Copas”, do Humberto Peron e André Luís Nery;
“Infográficos das Copas” do Gustavo Longhi e Rodolfo Rodrigues;
“Tática Mente”, do PVC.

“The Two Escobars” e “Diamantes Negros”. Dois filmes que incomodam, no Thinking Football Film Festival, em Bilbao.

imagen10847
imagen10712
Rose Bowl, Pasadena(CA), 22 de junho de 1994. O gol contra de Andrés Escobar, zagueiro da melhor seleção colombiana até hoje, foi como uma sentença de morte. A Colômbia chegou como uma das favoritas (Pelé disse isso) e na segunda partida foi eliminada. A barra pesou, numa Colômbia em turbulência por causa do narcotráfico. Jogadores e suas famílias foram ameçados. Na volta ao país, Andrés Escobar foi morto depois de uma discussão por causa do gol contra.
Esse é o ponto de partida do ótimo documentário “The Two Escobars, produção para a TV dos irmãos Jeff e Michael Zimbalist, que tive a oportunidade de ver na terceira quinta-feira do festival Thinking Football, promovido pela fundação do Athletic Club, em Bilbao.

O longa-metragem dos brothers Zimbalist, que costura rico arquivo de imagens com depoimentos, faz um paralelo entre a morte de Andrés Escobar com a do narcotraficante Pablo Escobar, com quem o zagueironão tinha parentesco nem ligação. E mostra como a seleção nacional colombiana foi usada tanto pelo poder do tráfico como pelo poder político constituído (claro, isso sempre aconteceu, e sempre acontecerá, em qualquer país). O que é incomum é ver jogadores de seleção visitando narcotraficantes na cadeia.

Documentário forte. Um filme que faz pensar, como a a outra atração do Thinking Football Film Festival na noite passada. “Diamantes Negros”, coprodução Espanha / Portugal dirigida por Miguel Alcantud sobre outro tráfico: o de jovens jogadores. Uma ficção com jeito de documentário.
Continuar lendo ““The Two Escobars” e “Diamantes Negros”. Dois filmes que incomodam, no Thinking Football Film Festival, em Bilbao.”

Um mascote pra Argélia, bolado pela artista plástica Lais Sobral.

image
Ilustração: Lais Sobral – https://www.flickr.com/photos/lais-sobral/

Estamos a um mês do Mundial! Chegamos a 30 mascotinhos em homenagem aos países participantes da Copa. A artista plástica Lais Sobral mandou muito bem neste antílope aí de cima, em homenagem à Argélia. Maior capricho.

A série toda pode ser vista na página da Lais Sobral no Flickr ou aqui, no blog.

Espetáculo da torcida do Atlético de Madrid.

image

Ontem vi um show de uma banda espanhola chamada Baron Rojo. Quase 3 horas de rock and roll pesado (fotos, pitacos e setlist breve na Coluna de Música). Hoje o concerto foi da torcida do Atlético de Madrid. Que joga junto com o time de Simeone. Por si, o estádio Vicente Calderón já tem uma das melhores atmosferas pro futebol que já vi. Clima de Copa sem as frescuras do Mundial.

image

A festa só não foi maior porque o travessão e o goleiro do Málaga impediram a vitória do Atleti. Willy Caballero é argentino como Cholo Simeone, técnico e grande ídolo dessa equipe.

image

O hino, as músicas de estádios e um refrão com o nome de outro técnico ídolo, Luis Aragonés, ajudam a empurrar esse time.
Agora ficou tudo pra última rodada. Continuar lendo “Espetáculo da torcida do Atlético de Madrid.”

Expo “Roma Ti Amo” conta a história #giallorossa.

Uniformes campeões do calcio na temporada 2000-2001
Uniformes campeões do calcio na temporada 2000-2001

 

wpid-img_20140508_202746_477Os 87 anos de história  visual da A.S. Roma estão numa mostra numa galeria no sul da capital da Itália: Pelanda Factory, no bairro de Testaccio, onde o clube foi fundado, em 1927. “Roma Ti Amo“, a exposição, fica aberta até 20 de julho. São seis salas com muitas camisas, a maioria com o nome do Totti. Mas também de outros ex-jogadores romanistas como esta do Carlo Ancelotti, hoje treinador do Real Madrid. wpid-img_20140508_202840_063
DSC04479
Tem uma galeria de camisas do Falcão, rei de Roma nos anos 80. Inclusive do Inter, da seleção e do São Paulo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Aliás, os brasileiros estão bem na mostra Roma Ti Amo. Falcão, Aldair e Cafu estão num hall of fame e neste pebolim gigante, num totó virtual de craques históricos contra o time atual.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

 

 

Uma das mudanças de identidade visual, no final dos anos 70.

Continuar lendo “Expo “Roma Ti Amo” conta a história #giallorossa.”

Rolê do blog pelo Stadio San Paolo, em noite de goleada do Napoli.

image

San Paolo. O estádio onde brilharam Maradona e Careca no fim dos anos 80, era de ouro do calcio. É um estádio tradicional, sem as “mudernices” das novas arenas.

image

Tem pista de atletismo entre o campo e as arquibancadas. Parece um pouco o Morumbi, mas com cobertura. Nada de muitas lojas. Vendedores ambulantes. Tem história. Tem alma. E que acústica.

image

Do lado de fora, muita polícia, por causa da violência antes da final da Coppa Itália, em Roma. Dentro, festa pela conquista e gols. 3×0 fora o pênalti perdido po Hamsick. É rápido o ataque da squadra de Rafa Benítez, que aqui é garoto-propaganda de celular.

image

Pra sair do estádio é que também lembrou o Morumbi. Onze da noite. Estaçâo da linha 2 do Metronapoli

fechada. Õnibus? Não aparecia. O jeito foi entrar num táxi que fez algo tipo lotação, 10 euros por pessoa.
Questa è Napoli, disse o tifoso ao lado.
Bella cittá!

image

Rolê do blog pelo Juventus Stadium, em noite de festa pelo scudetto da Vecchia Signora.

Rolê do blog pelo Juventus Stadium, em noite de festa pelo scudetto da Vecchia Signora.
Um estádio ao cair da tarde de primavera, em Turim.
Um estádio ao cair da tarde de primavera, em Turim.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Quem acompanha futebol ouve falar na Juventus de Turim desde pequeno. Posso dizer que realizei um sonho. Vi um jogo da velha senhora in loco. E numa noite de festa. Bem verdade que a alegria começou .no domingo, quando a Roma foi goleada pelo Catania, o que já garantiu o título italiano à Juve. Alguns jornais publicam que são 30 scudettos. Mas a Juve festeja 32. Conta os que lhe foram tirados fora do campo no #calciopoli. O jornal Tuttosport abriu capa para o scudetto 32. image

Buffon: scudetto assegurado, só entrou pra festa.
Buffon: scudetto assegurado, só entrou pra festa.

Nem Buffon nem Pirlo jogaram nesta noite contra o Atalanta. Tévez, bastante popular aqui, entrou no segundo tempo e ajudou a botar fogo no jogo, como Pogba e Marchisio, os motores do time.

Logo após a entrada do argentino, Padoin fez um belo gol. Juve 1×0. No fim, os jogadores foram pra torcida. Veja a galeria de imagens da volta olímpica. Continuar lendo “Rolê do blog pelo Juventus Stadium, em noite de festa pelo scudetto da Vecchia Signora.”