O primeiro de 1.283 gols do Rei Pelé

Camisas retrôs da Seleção, do Cosmos e do Santos, feitas pela Athleta, só na loja do Museu Pelé.
Camisas retrôs da Seleção, do Cosmos e do Santos, feitas pela Athleta, só na loja do Museu Pelé.

Sete de setembro de 1956. Um mês depois de chegar ao Santos, o jovem nascido em Três Corações (MG) estreou com a camisa do alvinegro praiano. No amistoso em que o Santos goleou por 7 a 1 o Corinthians FC de Santo André, o garoto entrou no segundo tempo, no lugar de Del Vechio, e marcou o sexto gol santista – o primeiro de mais de um milhar de gols que permite que toda a torcida brasileira cante hoje, a plenos pulmões:

Mil gols, mil gols, mil gols, só Pelé, só Pelé…

Edson Arantes do Nascimento, o Pelé, não tinha nem 16 anos.
Continuar lendo “O primeiro de 1.283 gols do Rei Pelé”

Zito, o #gerente.

Ele foi duas vezes bicampeão mundial. Pela Seleção, em 1958 e 1962.
E como capitão do Santos, em 1962 e 63.
José Ely de Miranda, o Zito, nos deixou esta semana.

Mas não deixará a memória dos torcedores do Santos e a história da seleção brasileira.

Conta que Zito dava bronca até no Pelé, mais novo.

Por essas e outras, o capitão eterno do Santos ganhou o apelido de gerente.

facebook.com/SantosFC
facebook.com/SantosFC

Na vitória de sábado no clássico contra o Corinthians, o Peixe de Zito entrou em campo com um camisa em homenagem ao ídolo. Bonito.
Continuar lendo “Zito, o #gerente.”

“Pepe, o Canhão da Vila”

Pepe, 8.0 anos de praia!

http://www.kickante.com.br/campanhas/pepe-o-canhao-da-vila-pre-venda-exclusiva
http://www.kickante.com.br/campanhas/pepe-o-canhao-da-vila-pre-venda-exclusiva

A livraria e editora Realejo Livros, de Santos, aproveita o aniversário do segundo maior artilheiro santista para o pré-lançamento da biografia “Pepe, o Canhão da Vila“, escrita pela filha do seu José Macia, a Gisa Macia. Continuar lendo ““Pepe, o Canhão da Vila””

Curta o curta: “Futebol é Pai”, filme de Lina Chamie para o projeto Cores do Futebol.

10440667_284922571679039_6755774075325862740_n
O pai torce pra um time, o filho vai torcer pro mesmo. Só que não. Às vezes…
Olha o caso do personagem deste curta-metragem da diretora Lina Chamie, “Futebol é Pai“, um dos filmes produzidos pela SescTV para a série Cores do Futebol, proposto pela Global Media Exchange e pela TAL (Televisão América Latina). A diretora e roteirista Lina Chamie é fanática torcedora do Peixe. Ela que dirigiu “Santos, 100 Anos de Futebol Arte – O Filme”. Aqui, LIna acompanha o jovem torcedor num rolê pelo Memorial das Conquistas do Santos e leva o garoto para ver um jogo do Peixe na Vila famosa pela primeira vez. Primeira de muitas, certamente.

  • Direção: Lina Chamie
  • Concepção: TAL TV
  • Realização: SescTV

Que camisa maneira esta de goleiro do garoto, hein? O projeto Cores do Futebol foi lançado na época da Copa do Mundo, mas ainda dá para curtir os seus outros curtas.
Continuar lendo “Curta o curta: “Futebol é Pai”, filme de Lina Chamie para o projeto Cores do Futebol.”

Um 2 de outubro alvinegro

A foto – clássica, que acho que não posso reproduzir aqui – é uma das mais antigas lembranças da infância do boleirinho nerd e ruim de bola, de 7 anos, que começou a ler jornais devorando as páginas de esporte. A ponto de decorar, do goleiro ao ponta-esquerda, o time-base dos quatro maiores do futebol paulista, mais a Portuguesa (que naquele tempo brigava sempre pelos títulos estaduais) e o Guarani. A foto da perna quebrada do centroavante Mirandinha, numa partida do São Paulo contra o América, em São José do Rio Preto, é outra que não sai da retina.

O rei, vestido com uma não menos clássica camisa de listas brancas e pretas, está de braços abertos como o Cristo Redentor, e de joelhos se despede do gramado da Vila, de onde saiu para conquistar o planeta bola.

Estou falando desta foto aqui.

Em dois de outubro de 1974, esse rei, Pelé, se despediu da Vila Belmiro. Aquele Santos 2×0 Ponte Preta (que então usava uma camisa branca e calção preto) foi o último jogo oficial do atleta do século XX pelo Santos, numa partida de Campeonato Paulista, competição que conquistou 10 vezes ou com a camisa branca ou com essa maravilhosa camisa listrada, que hoje eu leio, ainda falta à coleção do Museu Pelé, Santos.  Continuar lendo “Um 2 de outubro alvinegro”