1954, o milagre de Berna

milagre-de-berna-poster0155 anos da grande final da Copa de 54, decidida num 4 de julho. Os alemães(ocidentais) ganharam dos húngaros, favoritos, por 3 a 2. E de virada. Bom motivo para pegar o DVD do interessante filme O Milagre de Berna (leia sobre esse docudrama aqui.

A final do Mundial disputado na Suíça aparece em 8º lugar entre Os 50 Maiores Jogos das Copas do Mundo, livro do Paulo Vinícius Coelho. Lá, PVC conta que Puskas jogou no sacrifício e publica um “campinho” – a tradicional prancheta do PVC – um gráfico com o 4-2-4 húngaro do escrete húngaro. Sim, quatro atacantes! Buda, Kocsis, Puskas e Czibor.

Alemanha versus Alemanha

logo_3935 anos de um dos jogos mais estranhos da história das Copas. Em 22 de junho de 1974, no Volksparkstadion de Hamburgo, jogaram Alemanha contra Alemanha, digo a Ocidental, dona da casa (e da Copa) e a Oriental. Na Alemanha Ocidental, Maier, Vogts, Beckenbauer, Breitner, Overath, Gerd Muller e outros jogadores que seriam campeões do mundo em 7 de julho. E não é que a irmã do lado de lá do muro, a Alemanha Oriental, com aquela linda camisa azul escura da DDR, venceu a partida? E com um golaço! Sparwasser, o nome da fera. A partida, da última rodada do grupo 1 da primeira fase do Mundial disputado na Alemanha, aparece em 39º lugar na lista de Os 50 Maiores Jogos das Copas do Mundo, livro do jornalista Paulo Vinicius Coelho, o PVC. Que lembra: “Se vencesse, a Alemanha Ocidental terminaria em primeiro lugar e cairia no grupo de Brasil, Holanda e Argentina”. Tudo que eles queriam evitar, escreve PVC no livro da Panda Books. O time de Helmut Schöen perdeu e ficou num grupo com a Iugoslávia, a Polônia do artilheiro Lato e a Suécia. A estranha partida e o uso do futebol pelas mãos de ferro do governo da DDR é um dos temas abordados no documentário Comunismo e Futebol, da BBC, que o Sportv passou no final de 2008.

Para saber mais sobre a queda do muro de Berlim (1989) e a vida dos alemães orientais no fim do comunismo, indico um excelente livro: Stasilândia-Como Funcionava a Polícia Secreta Alemã, da australiana Anna Funder.

75 anos da primeira Copa da Azzurra

Há 75 anos, a seleção italiana levantou sua primeira Copa do Mundo. O Mundial de 34 foi disputado na própria Itália, sob o fascismo de Mussolini.

Poster da Copa do Mundo de 1934
Poster da Copa do Mundo de 1934

A finalíssima, virada da Squadra Azzurra sobre a Tchecoslováquia por 2 a 1, gol decisivo de Schiavio na prorrogação, num 10 de junho como hoje, figura em 34º lugar no livro Os 50 Maiores Jogos das Copas do Mundo, do jornalista Paulo Vinícius Coelho. Segundo PVC, o técnico italiano, Vittorio Pozzo, sabia que vencer a Copa era questão de sobrevivência. Pouco antes do Mundial, o treinador contornou o pedido do ditador, que queria os jogadores num desfile militar. “Que Deus o proteja se Seleção fracassar”, ameaçou Mussolini, de acordo com o relato de PVC.

Livro do PVC
O livro do PVC

O livro do comentarista trata a semifinal com o Wunderteam (time-maravilha) da Áustria como decisão antecipada e posiciona em 23º lugar na lista dos jogões  dos Mundiais as duas partidas entre Itália e Espanha pelas quartas-de-final (como houve empate no primeiro jogo, foram necessários mais 90 minutos, no dia seguinte! E a Fúria não contou aí com o mítico goleiro Zamora, atingido por um azzurri na véspera).

A campanha italiana começou com goleada. 7 a 1 sobre os Estados Unidos. Deste “match”, participou o oriundi Amphilócchio Guarisi, que antes de se naturalizar italiano e defender a Lazio, jogou como Filó, na Lusa, Paulistano, Corinthians e Seleção Brasileira. A Azzurra contou com outros oriundiContinuar lendo “75 anos da primeira Copa da Azzurra”