Dépor, 110 anos.

Dépor, 110 anos.
DSCN1909
Flâmula do centenário do Dépor, em 2006

Uma vez campeão de La Liga (1999-2000). Duas vezes vencedor da Copa do Rei (1995 e 2002). Três vezes supercampeão espanhol (1995, 2000 e 2002). O Real Club Deportivo de La Coruña completou 110 anos de história nesta semana.

.facebook.com/RCDeportivo/
.facebook.com/RCDeportivo/

Continuar lendo “Dépor, 110 anos.”

Dépor elege Top 10 entre seus jogadores históricos. #OBalónDasNosasLendas

Dépor elege Top 10 entre seus jogadores históricos. #OBalónDasNosasLendas

Em 2016, o Deportivo La Coruña  comemora 110 anos e até 14 de novembro está escolhendo 10 jogadores históricos do clube, em votação na internet. O Balón das Nosas Lendas é o nome (em galego) da campanha.

Confira também: giro do blog pelo estádio Riazor, em maio de 2016

E os brasileiros estão bem na fita. Mauro Silva, Bebeto, Djalminha e o zagueiro Donato (que se naturalizou espanhol e chegou a depender La Roja nos anos 90) estão entre os mais votados. Continuar lendo “Dépor elege Top 10 entre seus jogadores históricos. #OBalónDasNosasLendas”

SOS Deportivo La Coruña

]

O tradicional Deportivo La Coruña – campeão espanhol na temporada 1999/2000- está numa draga danada. Com uma dívida de 99 milhões de euros, perdeu a grana da TV porque devia impostos ao governo e teve que pedir concordata preventiva. No campo, as coisas não estão lá muito boas. O Depor subiu nesta temporada (foi campeão da liga adelante, a segundona espanhola), mas corre o risco de cair de novo. Terminou o turno em penúltimo lugar, 1 pontinho à frente do Osasuna. Continuar lendo “SOS Deportivo La Coruña”

Depor

identidad_escudoO lateral brasileiro Filipe Luís e o Deportivo La Coruña são temas da edição do programa Expresso da Bola, em cartaz nos canais Sportv. Em meia hora de programa, você conhece o lateral-esquerdo convocado por Dunga para a Seleção, que já foi do Real Madrid “B” e o Brcelona quis comprar do Deportivo. Aprende um pouco mais sobre a vida do “Dépor”, clube que já teve os brasileiros Rivaldo, Djalminha, Mauro Silva e Donato, sobre a maravilhosa A Coruña (nome da cidade em galego), sobre a Galícia, uma das comunidades autônomas da Espanha, e o futebol daquele país. O Super Dépor foi campeão Espanhol em 99/00 e atualmente está em 4º lugar na liga espanhola- logo abaixo do Sevilla, adversário na semana que vem (na Europa, as ligas nacionais param para as Eliminatórias, ao contrário do Brasil…). Há alguns anos, estive rapidamente em A Coruña. Fiquei encantado pela orla bem cuidada, cheia de monumentos de Botero, que podem ser apreciados de uma espécie de bonde que percorre a avenida. Numa ponta a Torre de Hércules. Na outra, o estádio Riazor, bem na frente da praia. Que pena que não deu para ver um jogo do Dépor no estádio, que pela sua aparência já foi comparado (com certo exagero) ao museu Guggenheim de Bilbao.

Por falar em rádio…

Uma grande opção contra o baixo astral de ficar parado no congestionamento paulistano de toda santa sexta-feira é o programa Fim de Expediente, rádio CBN, das 19h às 20h. Ontem, Dan Stulbach, José Godoy e Luiz Gustavo Medina conversaram com o Mauro Silva. O ex-volante da Seleção do Tetra em 94, Guarani, Bragantino e Deportivo La Coruña voltou a dizer que gostaria de ter jogado no seu time de coração, o São Paulo. Ganhou o nome numa homenagem do pai ao Maurinho, ponta-direita tricolor de 1952 a 59. Dá para ouvir o programa aqui.

15 anos do É TETRAAA!!!!

1994Há exatos 15 anos, Dunga era capitão da Seleção e ergueu a Copa do Mundo. O Brasil enfim chegava ao tetra, 24 anos após o Mundial do México, na decisão por pênaltis contra a mesma Itália, depois de 120 minutos de um insistente zero a zero.

Onde você estava naquele 17 de julho de 1994? Eu assisti ao jogo nos Estados Unidos, não no Rose Bowl, abarrotado por 94 mil pessoas . Mas em Nova York, com uma turma de estudantes de inglês de vários cantos do mundo. Depois que Baggio mandou a cobrança pelos ares, uma galera festejou na rua dos brasileiros – italianos no meio, clima de confraternização total.

cartaz_tO Mundial na terra do soccer foi um sucesso de público. Uma excelente dica para lembrar da festa dos povos que foi aquela Copa é o excelente documentário oficial, Todos os Corações do Mundo, do brasileiro Murilo Salles, que usou 22 câmeras espalhadas pelos EUA e países participantes. Não espere um filme gol a gol sobre a Copa. Tem gol, mas também tem a alegria do torcedor, a emoção, a tensão do jogador. Tem uma cena clássica que é o olhar que Romário e Baggio (mal) trocam no túnel de acesso ao campo, antes da decisão. Vale a pena procurar.