Canção do América

Fut Pop Clube em rede com a Coluna de Música

Brasil está vazio na tarde de domingo. Olha o sambão… “

Da coleção de José Cássio Erbist, que ficou na expo Mania de Colecionar, no Museu do Futebol, em 2011.

A rodada deste fim de semana deveria ser toda dedicada ao compositor Fernando Brant (9/10/1946-12/06/2015). Torcedor e conselheiro do América Mineiro, frequentador do Independência, Brant morreu na sexta-feira. O Coelho decretou luto, publicou nota de pesar, fez minuto de silêncio na partida de ontem, contra o CRB, e todos os jogadores usaram camisas com o nome do letrista nas costas e ainda um trecho da música ‘Travessia’ (“Quando você foi embora fez-se noite em meu viver”). No intervalo do jogo, que terminou com a vitória do time de coração do compositor, teve leitura de um texto de pesar e de despedida, e rolou o hino não oficial do América, escrito por Fernando Brant.

Meu coração é verde e branco/
E assim, o jogo está em minhas mãos/
Sou americano, sim, desde menino/
Eu grito é gol, é gol, é gol/
Para sempre vou viver cantando/
É do América, o meu coração/
É do América, o meu coração…”

Brant foi coautor com o cruzeirense Milton Nascimento da essencial “Aqui é o País do Futebol”, gravada pelo próprio Bituca, Wilson Simonal, Elis Regina, Pedro Lima etc… É um dos golaços da seleção brasileira de música. “Aqui é o País do Futebol”, brilhou na trilha sonora do filme “Tostão, A Fera de Ouro”.

http://www.flickr.com/photos/cinefoot
http://www.flickr.com/photos/cinefoot

Quatro canções feitas para o documentário foram lançadas em compacto duplo de vinil na  época (1970). E entraram como bonus tracks nas edições mais recentes do disco “Milton”, também de 1970.

Só com Milton, foram mais de 200 parcerias, como “Travessia” e “Canção da América”. Ambos foram sócios-fundadores do movimento Clube da Esquina.
Continuar lendo “Canção do América”

Estádio Independência

Estádio Independência

Era assim (foto do site WorldStadiums.com)…

http://www.WorldStadiums.com

Ficou assim (foto do site do América)…

http://www.americamineiro.com.br
Atlético x São Paulo no Independência. Brasileirão de 2014.
Atlético x São Paulo no Independência. Brasileirão de 2014.

Estádio não ganha jogo, mas pode ajudar. A reforma de 201o-2012 transformou o estádio Independência num alçapão. Hoje, a capacidade é para 23 mil pessoas. Poderia receber mais alguns milhares de torcedores se a tivesse arquibancadas atrás de um dos gols.

Arena com um gol sem torcida atrás: um visual sui generis, no Horto.
Arena com um gol sem torcida atrás: um visual sui generis, no Horto.

O Independência, que já foi do Sete de Setembro (hoje licenciado), pertence ao América Futebol Clube

Coelho x Lusa, série B 2014.
Coelho x Lusa, série B 2014.

… mas quem tem levado mais gente ao Independência é o Atlético desde a reinauguração, em 2012. Em 2015, a média até 13 de junho é de 17.772 atleticanos por jogo (66 por cento de ocupação das cadeiras). No Horto, o Galo fez grande parte das inacreditáveis campanhas da Libertadores 2013 e da Recopa 2014.

Galo x Tricolor no Horto, BR-2015.
Galo x Tricolor no Horto, BR-2015.

O Independência foi construído pelo poder público para a Copa do Mundo de 1950, quando recebeu 3 partidas, inclusive a zebraça Estados Unidos 1×0 Inglaterra, tema do filme Duelo de Campeões (The Game of their Lives) – leia no post anterior que as cenas de jogo do drama boleiro foram filmadas  não em BH, mas no Rio, no estádio das Laranjeiras.DSC05986

Continuar lendo “Estádio Independência”

D de domingo. D de dérbis. D de decisão.

Na reta finalíssima dos estaduais brasileiros e dos nacionais na Europa, um domingo de muitos clássicos decisivos. No Rio de Janeiro, Clássico Vovô, repetindo a polêmica decisão do Campeonato Carioca de 1971, tema de livro de Eduardo Coelho: “Carioca de 1971 – a verdadeira história da vitória do Fluminense sobre a Selefogo alvinegra” (Maquinária Editora).
Em Minas Gerais, tem Clássico das Multidões.
Mesmo apelido do duelo que decide o Campeonato Pernambucano.
No Ceará, domingo de Clássico Rei.
Saiba o que significam esses e outros apelidos de clássicos estaduais no post anterior. Ah, sim, na Bahia, tem Ba-Vi, e no Paraná, o Atle-Tiba. Mas esses dois são mais fáceis de descobrir…
Na Itália, olha só, um dos maiores clássicos do mundo pode decidir o campeonato – e um dos participantes não tem chances de título. Se o Milan vence o Derby della Madonnina, deixa a decisão pra última rodada. Se a Inter ganha, pode dar o título à Juve, líder invicta, que visita o Cagliari.
Aqui em São Paulo, conseguirá o Guarani segurar o Santos de Neymar?
Será um domingo de muitas emoções, em muitos estados, na Itália… e na Inglaterra, onde City e United travam um autêntico derby de Manchester pelo título, sem se enfrentarem mais.  Continuar lendo “D de domingo. D de dérbis. D de decisão.”

América Futebol Clube, 100 anos do Coelho


Vídeo institucional do centenário América Mineiro, uma dica do CINEfoot via twitter.  O Coelho -decacampeão de Minas Gerais entre 1916 e 1925- fez 100 anos na segunda-feira, 30 de abril de 2012. O Mecão conquistou mais cinco títulos mineiros, um Brasileiro da série B (1997), outro da C (2009) e uma Copa Sul-Minas (2000).
Curioso é que o mote do vídeo é “um time para poucos”. E pensar que o clássico que decide o Campeonato Mineiro já foi chamado Clássico das Multidões (antes da explosão do Cruzeiro de Tostão e Dirceu Lopes, nos anos 60, o Coelho era o principal rival do Galo). Mas com certeza o reformado Independência vai lotar na decisão.

Ficha técnica do vídeo dentro do post:

Continuar lendo “América Futebol Clube, 100 anos do Coelho”

A reinauguração do Estádio Independência

Publicado em 25 de abril de 2012

O amistoso América Mineiro x Argentinos Juniors marca a despedida de Euller (“o filho do vento”) e a reinauguração do estádio Raimundo Sampaio, mais conhecido como Independência, ou ainda Campo do Sete (referência ao Sete de Setembro, primeiro dono do estádio). O Independência foi um dos estádios usados na Copa do Mundo de 1950: três jogos, inclusive a zebraça EUA 1×0 Inglaterra, tema do filme “Duelo de Campeões” (veja post anterior). Desde 2010, foi totalmente reformado. E apesar dos pontos cegos, será a grande opção dos clubes de BH durante as obras do Mineirão para a Copa de 2014.  Belo presente também para o torcedor do América-MG – às vésperas do centenário do Coelho. Ficou com cara de alçapão, como você pode ver na segunda foto do post. Continuar lendo “A reinauguração do Estádio Independência”