Obrigado, “Jornal da Tarde”!

Reprodução da capa do JT sobre a “tragédia do Sarrià” em 6/07/82, com a premiada foto de Reginaldo Manente (ganhou o Prêmio Esso de Fotografia em 1982)

Se é verdade que é uma imagem vale mil palavras, então, a foto do menino chorando com a clássica camisa da seleção do mestre Telê Santana é um resumo perfeito da chamada “tragédia do Sarrià” e do desfecho da campanha brasileira na Copa do Mundo de 1982, na Espanha. O trabalho, de Reginaldo Manente, ocupou quase toda a primeira página do “Jornal da Tarde” no “day after” da “tragédia” – e depois ganhou o Prêmio Esso de Fotografia, edição 1982.
Primeiras páginas chamativas como essa foram a marca registrada do “Jornal da Tarde” – “JT” para os íntimos -, publicado pelo grupo do jornal “O Estado de São Paulo” desde 1966 e que hoje foi para as bancas pela última vez. Posso citar também a capa no dia seguinte de outra tragédia, a derrota da emenda das Diretas-Já, em abril de 1984. A primeira página do “JT” saiu toda de luto. Também me lembro da campanha que o jornal fez no mandato de Paulo Maluf como governador de São Paulo. Ele abriu a Paulipetro e prometeu encontrar petróleo no interior do estado de São Paulo. O “JT” criou uma charge de Maluf como Pinóquio. O nariz ia crescendo dia a dia, até atravessar a primeira página toda.
Posso dizer que pude acompanhar o “Jornal da Tarde” no seu auge. Quando eu aprendi a ler, meu pai assinava o “Estadão”.  Comecei a ler o noticiário do meu time, passei para o esporte, variedades e depois, o jornal todo.

Talvez pelo fato de o “Estadão” não circular às segundas, meu pai comprava o “Jornal da Tarde” nesses dias. Sorte minha. Segunda-feira era o dia da “Edição de Esportes”, caderno que fez história e sobre o qual vou me deter mais adiante.
Mudamos para a Belo Horizonte, 18 meses depois para o Rio de Janeiro … e continuamos leitores do “Jornal da Tarde”. Quando meu velho viajava para São Paulo, trazia o “JT” pra mim. Em tempos sem internet, isso era ouro. Em determinados dias, procurávamos o “JT” em alguma banca maior, com jornais de outros estados. Era um jornal muito bonito, fácil e gostoso de ler. Capas politizadas, muitas charges, excelente aproveitamento das fotos. Ainda tinha o caderno de variedades, seções como “Modo de Vida” e “Divirta-se” (com o roteiro cultural).
A “Edição de Esportes” de todas as segunda-feiras parecia quase uma revista. Capas bem desenhadas, cobertura completa da rodada do fim de semana e, num tempo com bem menos futebol ao vivo na TV, havia os desenhos de Gepp & Maia, reproduzindo os principais gols da rodada – que achado! Lembro da primeira página da “Edição de Esportes” sobre o primeiro título nacional do São Paulo, o Brasileiro de 77, decidido já em março de 78: só uma foto da hoje malfadada “taça das bolinhas”, num fundo preto, com a manchete: “Essa taça é tua, São Paulo”.
Toda a vez que um campeonato terminava, a “Edição de Esportes” do “JT” era um “must” para todo torcedor: campanha completa, análise dos jogos, perfis dos jogadores, dezenas de fotos, bastidores  da decisão. Itens de colecionador. Devo ter até hoje algumas dessas edições especiais, dos anos 80.

A “EE” do “JT” tinha também a coluna “Bola de Papel”, com o Alberto Helena Jr e depois com o Roberto Avallone.
Certamente meu pai preferiria que o seu primogênito seguisse uma carreira de exatas, em especial, engenharia, como a profissão dele. Mas o gosto pela leitura de jornais, em especial a do “JT” no auge, influenciou demais a vida profissional do filho.
Obrigado, pai!

Obrigado, “Jornal da Tarde”.

Dia D | Dia Drummond


Flâmula com o belo distintivo do Vasco da Gama, que era o time de coração do poeta aniversariante. Neste 31 de outubro de 2012, lembramos os 110 anos de nascimento de Carlos Drummond de Andrade. Várias crônicas e até cartas de Drummond sobre o planeta bola foram reunidas por dois netos na compilação “Quando É Dia de Futebol”, de 2002, tema do post anterior. Acho que com muita sorte ele pode ser encontrado em sebos, já que houve uma mudança de editora de lá pra cá e no site da anterior não aparece mais o link de “Quando É Dia de Futebol”. Aqui, você pode saber por que ele era Vascão e o que escreveu sobre outro mineirinho de outubro, um jogador que fez mil gols… Continuar lendo “Dia D | Dia Drummond”

RCD Espanyol

112 anos do Espanyol neste 28/10/2012.

Fut Pop Clube

image

CORNELLÀ – Impressionante como a “barra” do Espanyol de Barcelona não para. Puxados por um cara que funciona como um animador, os torcedores cantam o tempo todo, inclusive uma adaptação de Balancê, sucesso com Gal Costa. Em determinados momentos, uma animação de um periquito no telão estimula a galera a imitar o som de “We Will Rock You”. E no minuto 21 do primeiro tempo, sessenta segundos de palmas para Dani Jarque, jogador espanyolista que morreu muito jovem.

image

Arena moderna. E custou muito menos que os novos estádios brasileiros.

image
Confira comigo no replay, digo, no RT, o rolê do Fut Pop Clube pela tour que o RCD Espanyol promove no estádio novo, fora dias de jogos.

Ver o post original 404 mais palavras

Nada melhor do que um Ba-Vi para inaugurar a Arena Fonte Nova…

… ainda mais se for no aniversário de Salvador! 29 de março de 2013… é a data em que a Federação Baiana sugere para abrir as portas da reerguida Fonte Nova – que na minha opinião será um dos estádios mais bonitos da Copa do Mundo de 2014.

FOTO: André Fofano Gama/ME/Portal da Copa/setembro de 2012

Continuar lendo “Nada melhor do que um Ba-Vi para inaugurar a Arena Fonte Nova…”

Coluna de Música | J.R. Lima


Quando você gosta de uma banda, de um cantor, de um músico, é mais ou menos como a relação com o time de coração: você não vai a um jogo só do seu time e se conforma. Você quer ir ao máximo de jogos. O Moraes Moreira virou esse tipo de músico pra mim. Tem show, tá na área? Quero ver!
O desta noite foi um maravilhoso concerto como convidado da Jazz Sinfônica, que faz a série “Jazz +”, no Auditório Ibirapuera.
No começo do programa, três músicas só com a orquestra, valorizando a ‘prata da casa’ -ou seja, um músico da Jazz Sinfônica compõe, faz o arranjo ou o solo. Depois de “Festa em Nevoeiro”, de Rodrigo Morte, a Jazz tocou “Choro Negro”, de Paulinho da Viola, num arranjo de Nelson Ayres, como solo de flauta (Cássia Carrascoza) e clarinete (Michael Moraes). E um medley de “Lamento Sertanejo” (Gil/Dominguinhos)…

Ver o post original 250 mais palavras

Milton Nascimento, 70 anos

Fut Pop Clube em rede com a Coluna de Música

Embora não seja fanático por futebol, Milton Nascimento é torcedor do Cruzeiro. O  Fut Pop Clube e a Coluna de Música aproveitam o aniversário do “Bituca” para lembrar de um dos golaços da seleção brasileira de música: “Aqui é o País do Futebol”, tabelinha Milton / Fernando Brant, regravada por um monte de gente boa, brilhou na trilha sonora do filme “Tostão, A Fera de Ouro”. Quatro canções feitas para o documentário foram lançadas em compacto duplo de vinil na  época (1970). E entraram como bonus tracks nas edições mais recentes do disco “Milton”, também de 1970, inclusive na que está nas bancas agora, na série da Abril Coleções. Vale a pena ouvir de novo! Continuar lendo “Milton Nascimento, 70 anos”

O álbum da Liga dos Campeões

Este slideshow necessita de JavaScript.



A fase de grupos da Champions League começa a pegar fogo e entra na hora de ver quem passa para o mata-mata. Na próxima rodada, em 6 e 7 de novembro, teremos a repetição das partidas desta semana, mas com o mando invertido. É o começo do “returno” dessa fase. Será que o Real Madrid desconta no Borussia Dortmund, no Berbabéu?
O álbum de figurinhas da Liga dos Campeões está chegando às bancas… Olha o cromo do Piqué aí, Shakira!

FOTO : Divulgação

Veja mais dentro do post… Continuar lendo “O álbum da Liga dos Campeões”