Há 50 anos…

Uma das seções mais interessantes do ótimo caderno de esportes do jornal “O Globo” é uma coluna que fica na página 2: “Há 50 anos”, feita por José Figueiredo. Ótima fonte pra quem se interessa pela história do futebol. Um detalhe que me chamou atenção na leitura da coluna é: como os clubes brasileiros excursionavam pelo exterior! Hoje é figurinha rara uma excursão como a que o Internacional faz semana que vem.

A motivação de Rogério Ceni

“…Eu quero ser campeão brasileiro de novo! Eu estou no fim da carreira, quero ganhar e vocês têm obrigação no começo de ganhar também!”.

Palavras do goleiro-artilheiro e capitão do São Paulo, Rogério Ceni, antes da partida de domingo contra o Inter, no Beira-Rio, que terminou com a vitória dos visitantes por 3×0. Impressionante a determinação do capitão tricolor, que bate no peito enquanto fala. Sete pontos atrás do líder, passado o primeiro quarto do campeonato. Será que dá pro hepta tricolor? A ver, como diriam os espanhóis. Veja a íntegra da impressionante “preleção” de Rogério no vídeo abaixo, do canal oficial do São Paulo FC   no You Tube, que inclui a apresentação do técnico Adilson Batista ao elenco são-paulino.

Fluminense, 109 anos de praia

Flâmula do Fluminense Football Club, atual campeão brasileiro, 109 anos neste 21 de julho.

Dicas de alguns sites para aniversariantes tricolores:

Leia também alguns posts anteriores sobre o Fluzão:

Celeste x Albirroja na final da Copa América!

O Uruguai está na final de uma Copa América depois de 12 anos! A Celeste Olímpica disputou com o Brasil (e perdeu) a final de 1999. A última copa levantada pela Celeste foi a de 1995. Contra a amarelinha.

(Atualizando em 21/07) Na quarta-feira, o Paraguai superou La Vino Tinto (Venezuela) nos pênaltis.A última vez que a Albirroja foi à final: 1979. Faturou.

Uruguai que se cuide com o tal de Justo Villar.

O dia em que Pelé “disse” bye-bye, Seleção

Maracanã, 18 de julho de 1971. Brasil 2×2 Iugoslávia. A despedida oficial de Pelé da Seleção Brasileira. 180 mil pessoas gritavam “Fica! Fica Fica”. Na autobiografia Pelé – Minha Vida em Imagens, o rei diz: “jamais poderei esquecer o adeus tão carinhoso que recebi daquela multidão”. Continuar lendo “O dia em que Pelé “disse” bye-bye, Seleção”

Partidazo!

Foi uma partidaça. 120 minutos de luta, raça, expulsões, emoção, boas jogadas, sim, e decisão nos pênaltis – a cara que o técnico argentino fez quando acabou a prorrogação… O Uruguai, que ficou com 10 em campo cedo, se segurou e também ameaçou, com grandes atuações de Forlán, Suárez, Lugano e, especialmente, Muslera. O jovem goleiro catou até pensamento no tempo normal, na prorrogação e, nos pênaltis, defendeu a cobrança de Tévez. E num 16 de julho como o de 1950, quando silenciou o Maracanã, a Celeste calou o estádio que os argentinos chamam de Cemitério de Elefantes. Terminou em Santa Fé o sonho argentino de ganhar a Copa América 2011 na sua casa. Continuar lendo “Partidazo!”