11 Estrelas

Flâmula (banderín) do Club Estudiantes de La Plata, que no domingo se sagrou campeão argentino pela quinta vez (Torneio Apertura- tem esse nome porque abre a temporada). O próprio distintivo dos Pincharratas lembra uma flâmula. A cada título realmente valioso, o escudo ganha uma estrelinha. Agora são 11: cinco títulos argentinos (Metropolitano 1967 e 1982; Nacional 1983; Apertura 2006 e 2010), quatro Libertadores, um Mundial de Clubes e uma Copa Interamericana. O que aparece na flâmula acima é de 2009. Continuar lendo “11 Estrelas”

Alçapões

Estádio do Quilmes, palco de Estudiantes de La Plata x Inter, no site World Stadiums

Este é o estádio Centenário, do Quilmes, que recebe daqui a pouco o confronto de volta entre Estudiantes x Internacional, pelas quartas da Libertadores.
Imagem do excelente site WorldStadiums.com, altamente indicado para vidrados em estádios, como eu.

E o estádio onde o Fla encara a pressão chilena. Fonte: WorldStadiums.com

O World Stadiums também tem esta foto do estádio Santa Laura, em Santiago, onde o Universidad de Chile recebe o Flamengo, logo mais. Goleiros, preparem-se. Isso é Libertadores…  Se bem que o colorado Pato Abbondanzieri deve estar bem acostumado com esse tipo de estádio já.

O perigo “hermano” na Libertadores

No ano passado, parte da torcida e mídia verde-amarela festejou quando 4 brasileiros ficaram entre os 8 da Libertadores 2009. “Ah, tá no papo, o Boca foi eliminado”. E o que se viu foi o Estudiantes faturando o tetra, dentro do Brasil. Em 2010, sem Boca nem River, corre-se o risco de repetir a mesma confiança exagerada. É bom reparar que o copeiro Estudiantes está de novo na área. Tem o Vélez Sarsfield, que já mostrou suas garras jogando no alçapão de José Amalfitani. Conta de novo com el tanque Santiago Silva, campeão do Apertura 2009 com o Banfield. E lidera o Clausura 2010 (campeonato argentino do primeiro semestre), como mostra o widget abaixo, que descobri no excelente site Futebol Portenho, e é atualizado jogo após jogo. [clearspring_widget title=”FIFA.com – Ligas Mundiais” wid=”4b0d3946b95a0845″ pid=”4b71e6ad88938744″ width=”300″ height=”400″ domain=”widgets.clearspring.com”] O torneio Clausura 2010 está só começando. Mas que ninguém se engane: de maneira geral, os clubes argentinos priorizam claramente as copas, como a Libertadores.

SITE RECOMENDADO: FutebolPortenho.com.br – sempre nos links favoritos, debaixo da retranquinha Futebol Internacional

22 Libertadores

Cruzeiro 1x2 Estudiantes. Final da Libertadores, 15/07/2009. FOTO: Divulgação VIPCOMM
Cruzeiro 1x2 Estudiantes. Final da Libertadores, 15/07/2009. FOTO: Divulgação VIPCOMM

Deu tetra no Mineirão. De virada, o Club Estudiantes de La Plata venceu o Cruzeiro. No chutaço de Henrique, a bola desviou em Desábato. Cruzeiro 1×0. Logo depois, o time de La Plata empatou em jogada que começou com o capitão Verón. Bola cruzada para Fernandéz. Verón, de novo. O 11 cobrou escanteio na cabeça de Boselli, artilheiro da copa, 8 gols. Inclusive o do título. Festa em vermelho e branco (cores da bandeira de Minas, também) no Mineirão. Na linha o mundo dá voltas: o zagueiro Desábato que chegou a ser detido em São Paulo em 2005, no caso com Grafite, se sagra campeão da Libertadores, dentro do Brasil. Parabéns ao Cruzeiro pela belíssima campanha. Certamente, se não for desmontado, é um dos favoritos para se juntar ao Corinthians na Libertadores 2010.

Parafraseando (e atualizando) o comercial de TV, agora os clubes argentinos somam 22 Libertadores. Quatro do Estudiantes. Seis do Boca. Sete do Independiente. Duas do River. Uma do Argentinos Juniors. 1 do Racing. 1 do Vélez. O Brasil soma  13 Libertadores. O São Paulo continua sendo o brasileiro mais copeiro (3). Santos, Cruzeiro e Grêmio têm duas copas. Flamengo, Vasco, Palmeiras e Inter, uma. Chamam atenção as derrotas caseiras dos brasileiros. Continuar lendo “22 Libertadores”

Dois copeiros

O Cruzeiro é copeiro. Bicampeão da Libertadores, 1976 e 1997. Tetra da Copa do Brasil (93, 96, 2000 e 2003). Primeiro campeão brasileiro por pontos corridos, em 2003. Vencedor da Taça Brasil de 66 contra o Santos de Pelé. O Estudiantes também. Ostenta, orgulhoso, 9 estrelas em torno do atual escudo, que tem forma de flâmula: três Libertadores (68,69, 70), Mundial (68), quatro campeonatos argentinos (67, 82, 83 e 2006) e ainda Copa Interamericana 1969 (a 9ª estrela, creio). Estudiantes e Cruzeiro começam hoje a decidir a 50ª Copa Libertadores, marcada pela gripe suína. Primeira partida no estádio Ciudad de La Plata (aqui, o link para a foto do site World Stadiums). Volta no Mineirão. Vão ser dois jogões.

Semifinais da Libertadores

Cruzeiro e Estudiantes saíram na frente nas semifinais da 50ª Libertadores. A Raposa leva para o Olímpico de Porto Alegre o 3×1. Aquele golzinho do Souza (golzinho? golão, diria o amigo gremista), de falta, pode fazer diferença. Como o Souza faz uma falta danada pro São Paulo. Em La Plata, o Estudiantes venceu por um a zero e na quarta-feira pode empatar com o Nacional no Centenário.

Tri ou tetracampeão?

libertadoresNesta quarta, começam as semifinais da Libertadores. O Cruzeiro recebe o Grêmio no Mineirão.  Na quinta, em La Plata, jogam Estudiantes e Nacional. Um brasileiro tentará o tricampeonato contra argentinos ou uruguaios – que podem chegar ao tetra. O Estudiantes foi tricampeão genuíno: 68, 69 e 70. Perdeu a Libertadores de 71 justamente para o Nacional  – numa revanche da decisão de 1969. Os tricolores do bolsillo ainda seriam campeões em 1980 e 88 – última vez que um time uruguaio chegou à final.

Na quinta-feira, tem Recopa, sabe o que é? Continuar lendo “Tri ou tetracampeão?”