A Bola de Prata do ano em que perdemos Michel Laurence.

Marcelo Grohe, Marcos Rocha, Rafel Tolói, Gil e Zé Roberto; o chileno Aránguiz, Lucas Silva, Paulo Henrique Ganso e Ricardo Goulart; Diego Tardelli e o peruano Guerrero. Esta é a seleção do Brasileirão 2014, de acordo com o prẽmio Bola de Prata, concedido pela revista Placar e pelos canais ESPN. Ricardo Goulart levou a Bola de Ouro como melhor jogador do campeonato.

Barcos e Fred, a Chuteira de Ouro da temporada 2014. O atacante do Flu ainda ganhou uma Bola de Prata como artilheiro do Brasileirão.

Continuar lendo “A Bola de Prata do ano em que perdemos Michel Laurence.”

Galo na cabeça

Atlético Mineiro
Flâmula do Clube Atlético Mineiro, campeão da Copa do Brasil 2014, em cima do arquirrival.

O Galo que garantiu boa parte da Copa nas viradas sobre o Corinthians e o Flamengo.

O legal é que a torcida do Cruzeiro saudou o seu time, que acaba de ser bicampeão brasileiro.

2014, ano do 1×7 no Mineirão (lavada tomada por uma seleção que ignorou destaques da Raposa e do Galo), ano de Minas no futebol do Brasil. Raposa bicampeã nacional. Galo campeão da Copa do Brasil pela primeira vez (também conquistou a Recopa sul-americana). Até o Tombense garantiu o título da Série D (quarta divisão) e o acesso  à Série C.
Abaixo, a lista dos campeões da Copa do Brasil.
Continuar lendo “Galo na cabeça”

A nova era Dunga

Eis a primeira convocação da nova Era Dunga, no começo da segunda passagem do capitão do tetra como técnico da Seleção.

  • GOLEIROS

Jefferson – Botafogo

Rafael Cabral – Napoli

  • ZAGUEIROS

David Luiz – PSG

Marquinhos – PSG

Gil – Corinthians

Miranda – Atlético de Madrid

  • LATERAIS

Maicon – Roma

Filipe Luis – Chelsea

Alex Sandro – Porto

Danilo – Porto

  • MEIO CAMPO

Luiz Gustavo – Wolfsburg

Elias – Corinthians

Fernandinho – Manchester City

Ramires – Chelsea

  • MEIA ATACANTES e ATACANTES

Everton Ribeiro – Cruzeiro

Oscar – Chelsea

Hulk – Zenit

Ricardo Goulart – Cruzeiro

Willian – Chelsea

Neymar – Barcelona

Philippe Coutinho – Liverpool

Diego Tardelli – Atlético Mineiro

Galo sem Ronaldinho Gaúcho.

Poucos dias depois da conquista da Recopa Sul-Americana 2014, terminou o caso de amor entre Ronaldinho Gaúcho e o Atlético Mineiro.
Uma relação que deixou frutos. Campeão mineiro (2003), da Libertadores 2003, da Recopa. 28 gols em 88 jogos.

  • Escudo<OUT<: Ronaldinho Gaúcho, Fernandinho, Richarlyson, Neto Berola, Otamendi.
  • >IN>: Maicosuel
  • Estrelas da companhia: Victor, Marcos Rocha, Réver, Leonardo Silva, Diego Tardelli, Jô, Luan, Guilherme
  • Técnico: Levir Culpi
  • Estádio: o Galo manda seus jogos geralmente no Independência e ocasionalmente no Mineirão – caso das finais da Libertadores 13 e Recopa 14.
  • Uniformes: os autuais uniformes 1 e 2 foram lançados pela Puma em março.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Continuar lendo “Galo sem Ronaldinho Gaúcho.”

O melhor futebol do mundo está na “conexão BH-Munique”.


Claro, o Bayern ainda vai decidir a Champions League contra o rival alemão do Borussia Dortmund e o Atlético Mineiro acaba de se classificar para as quartas de final da Libertadores.
Mas em abril/maio de 2013 o melhor futebol desses dois lados do mundo é jogado no Independência e na Allianz Arena de Munique. No Horto, em BH, o Galo parece imbatível, com o quarteto fantástico -Ronaldinho Gaúcho, Diego Tardelli, Jô e Bernard-, uma defesa segura, bons volantes, um grande técnico, outros bons valores no banco. O Super Bayern fez 7×0 no agregado contra o Barça, virtual campeão espanhol.
De novo, claro, ainda falta combinar com o Borussia e outros tantos concorrentes sul-americanos, mas neste momento seria no mínimo interessante imaginar uma final mundial entre Atlético e Bayern.
E já que estamos no reino da imaginação, como seria muito melhor se essa possível decisão do melhor time do mundo tivesse um jogo em Belo Horizonte e outro em Munique – como os Mundiais de Clubes eram decididos entre 1960 e 1979. Quem ganharia, hein?